VM – Capítulo 100.5 – O fim dos 200 dias.



 

[Dia 195]

 

Restando apenas cinco dias para o final do prazo, Tyler vinha ficando triste e deprimido a cada dia que se passava.

“O que você tem?” Calie não suportou mais e perguntou.

Desde que voltaram do passeio na Disney, ele tinha começado a ficar com uma aparência de morto-vivo.

“Nada de mais, eu só estou pensando na vida.” Tyler suspirou.

“Não é por nada não, mas o seu problema é que você pensa demais. Vamos, me diga no que você está pensando, talvez eu possa lhe ajudar.” Calie sugeriu de forma amorosa.

“Eu só…” Tyler não tinha forças para falar.

Calie vendo tal atitude de Tyler não aguentou, ela levantou-se e foi até ele e depois sentou-se em seu colo. Envolvendo os braços ao redor de seu pescoço ela falou. “Vamos, eu estou aqui, é só falar.”

“Se fosse para você escolher entre os desejos do seu coração e entre o que a razão lhe manda fazer, qual caminho você escolheria?” Tyler falou depois de um bom tempo.

Calie não sabia no que ele estava pensando, mas pela tristeza evidente em seus olhos, ela soube que era algo sério. “Não sei.” Calie tentou ser o mais sincera possível. “Quando se é jovem, se é tolo. Hoje eu sei que mais vale uma repreensão sincera, do que um sorriso falso, veja como minha vida foi.”

“Como assim?” Ele quis saber.

“Minha mãe nunca gostou de Dylan, falando a verdade ela o suportava por minha causa. Ela me aconselhou a terminar com ele e se dedicar aos estudos, eu até tinha algum futuro na época.” Calie suspirou lembrando do passado. “Não me arrependo de ter tido Mel, ela é de longe a coisa que eu mais amo, contudo eu tenho a compreensão de que ela teria sido melhor se tivesse vindo sob outras circunstâncias.”

“Não se arrepende?”

“Me arrepender é uma palavra muito forte, eu não trocaria minha filha por nada, mas tenho que admitir que se eu tivesse escutado minha mãe eu não teria me envolvido com alguém como Dylan, teria me formado, teria um emprego estável e me casado com alguém no mínimo decente. Mesmo o tratamento de minha mãe teria sido diferente se eu pudesse pagar um bom hospital desde o começo.”

“Eu te entendo.” Tyler ficou com uma cara azeda.

“Não fique assim, eu estou muito feliz agora. Esse é definitivamente o momento da minha vida que eu não mudaria nada.” Calie sorriu e apertou ainda mais os braços ao redor de Tyler.

“Obrigado, eu já sei o que tenho de fazer.” Ele tentou sorrir.

“Que bom, eu te amo.” Ela o beijou na bochecha e levantou-se.

“Meu anjo, eu preciso ficar só. Tenho algo muito importante para fazer.”

“Sem problemas, leve o tempo que precisar!” Ela soltou um beijo por cima dos ombros e partiu.

“Parece que vai ser assim…” Tyler afundou-se triste na poltrona.

Olhando para o teto ele não viu nada até sua vista se embaçar. Depois de aceitar o seu destino ele levantou-se e foi até um armário onde pegou um notebook novo, ainda na caixa.

Ligando-o pela primeira vez ele nem o configurou na internet. Apenas ligou a webcam e começou a gravar um vídeo.

“Meu doce anjo, eu sei que agora o seu coração está em um misto de dor, desamparo e dúvidas. Apenas tenha um pouco de paciência, eu agora vou lhe contar tudo…” Tyler começou o seu discurso.

Ali Tyler abriu todo o jogo, contando toda a verdade sobre Aurora e o real propósito de toda essas empresas. Falou sobre a mentira que contou para os garotos e também pediu desculpas a todos.

Ele lhes contou sobre o dinheiro deixado guardado a cada um, bem como as indicações nas faculdades que ele arranjou para cada um.

Em específico para Calie, ele lhe contou sobre Tupã, qual era a sua verdadeira natureza, ele era o guardião que ele tinha deixado com ela. Falou sobre a casa que estava deixando e sobre as ações nas patentes farmacêuticas.

Se os cálculos de Tyler estivessem corretos, todo o dinheiro que ele conseguiu trazendo ouro, prata e jóias de Aurora, bem como o que arranjou com os calotes nos bancos. Não seria nem uma fração do que viria no futuro quando as patentes começassem a render.

Calie não seria apenas rica, ela potencialmente ficaria bilionária!

Foram vídeos e mais vídeos. Para Mel e Calie ele fez um para cada aniversário delas pelos próximos 20 anos.

Mesmo para a pequena criança, ele foi muito amável e sempre a estimulou.

Quando terminou tudo ele fechou o computador e o guardou. Mandando uma simples mensagem de texto para Juan, o advogado mandou um encarregado pegar o computador.

“Melhor?” Calie perguntou para Tyler assim que ele saiu do escritório. Sem perceber já era noite e todos haviam saído.

“Bem melhor, acabei de retirar um grande peso de mim.” Tyler sorriu, mas mesmo assim, ainda estava triste.

“Que bom, vamos para casa.” Calie o abraçou tentando o confortar.

Sentido o calor que ela lhe transmitia, Tyler lembrou-se de aproveitar essas sensações ao máximo enquanto estavam juntos.


Autor: Lion | Editor: Bczeulli | QC: Delongas



Fontes
Cores