SE – Capítulo 68 – Tia?



“Eu não a conheço, portanto a forma mais fácil e eficiente é simplesmente matá-la.”

Baijian respondeu indiferentemente.

Ao escutar a fala de Baijian, Meimei tremeu e parecia que iria chorar.

Mas, antes que ela pudesse derramar sua primeira lágrima, Ye Hong falou:

“Normalmente sim. Mas estamos falando de uma menina inocente. Sem falar que ela é da sua escola.”

Baijian assentiu e não falou mais nada.

Ye Hong se virou para a menina e falou:

“Não liga pra ele. Por dentro ele também não quer te matar, é por isso que ele te trouxe aqui.”

Ye Hong ficou quieto por alguns segundos e então perguntou:

“Como aconteceu?”

Baijian respondeu:

“Eu não sei.”

Meimei hesitou um pouco antes de apertar os lábios e responder:

“Eu o segui.”

Baijian abriu os olhos e olhou para ela.

Ye Hong estava um pouco surpreso e perguntou:

“Porque você o seguiu?”

Meimei respondeu lentamente:

“Porque eu estava curiosa.”

Ye Hong olhou para Baijian, e então perguntou:

“Curiosa sobre o que?”

Meimei respondeu depois de um tempo:

“Sobre ele…”

Ao responder, ela apontou para Baijian.

Ye Hong ficou chocado e, com um sorriso estranho, olhou para Baijian e falou:

“Você tem uma sorte enorme…”

Baijian e Meimei não entenderam direito o que ele falou, mas pensavam que estava zombando da falta de sorte de Baijian.

Ye Hong perguntou com um sorriso estranho:

“Você estava curiosa sobre Baijian?”

Meimei, quando ia responder, pareceu pensar um pouco e corou fortemente.

Ela olhou para Ye Hong, e ao ver aquele sorriso, ela se sentiu desconfortável e respondeu:

“Sim… Ele é um gênio com memória fotográfica e tem uma alta habilidade atlética…”

Antes que pudesse continuar, ela viu o sorriso de Ye Hong se alargando ainda mais.

Ela começou a gaguejar e então parou de falar.

Baijian, que estava quieto, falou:

“E daí? Porque isso te deixa curiosa?”

Meimei olhou para Baijian e, gaguejando, respondeu:

“Isso é anormal… Uma pessoa que é tão boa em duas áreas diferentes… Eu estava curiosa.”

Até esse momento, o sorriso de Ye Hong estava tão forte que parecia que ele estava tentando rasgar sua boca de tanto esticar os lábios.

Baijian continuava indiferente e respondeu:

“Curiosidade? Tudo bem. Mas porque você iria me seguir? Isso é estranho.”

Meimei hesitou por alguns segundos, ela estava com vergonha de dizer a próxima frase.

Mas ao olhar para Baijian, e ver seu olhar inquisidor, ela apertou os dentes e respondeu:

“O que me deixou mais curiosa foi a sua completa inexpressividade pela maioria das coisas. Somando à sua memória fotográfica, e alta habilidade atlética, eu cheguei à conclusão de que você é um robô, e por isso te segui.”

E…

Ela acabou de abrir a caixa de pandora ao falar essa frase.

Porque, o que ela falou, chocou tanto Baijian que seu rosto começou a tremer e dava para ver uma enorme incredulidade em seu rosto.

Ao ver o rosto incrédulo de Baijian, Meimei ficou tão chocada quanto ele.

Para alguém que não tem expressão quando vê um quarto cheio de cadáveres, ficar tão chocado com apenas algumas palavras é ridículo.

Essas palavras foram simplesmente muito mágicas.

Baijian estava simplesmente chocado por causa delas.

Mas, por quê?

Bom, a inexpressividade por parte de Baijian não é algo que ele possa controlar.

A inexpressividade de Baijian é um estado mental.

Sua mente poderosa faz com que ela seja tão poderosa, que torna difícil ela se mover.

Então numa analogia…

Se a mente de Baijian for um barco no oceano, e as ondas forem as emoções, o seu barco (mente) é tão poderoso que as ondas (emoções) simplesmente não conseguem movê-lo.

Então normalmente o barco não se move de tão poderoso que é.

As ondas não conseguem o mover.

Para mover tal barco, precisa de uma onda muito grande e muito poderosa.

Ou seja, emoções muito fortes.

A mente de Baijian está constantemente em um estado calmo, pois sua mente acredita que ser calmo é a melhor coisa.

É claro, tem pessoas que são diferentes.

Não é porque a mente de Baijian é sempre calma, que todas as pessoas que têm cultivos mentais altos são.

Há pessoas, que seu estado da mente são sempre felizes.

Tem pessoas que seu estado da mente é sempre triste. Geralmente acontece quando algo trágico aconteceu com ela.

Também existem pessoas, cuja mente é como um pavio de pólvora, qualquer coisa explode.

Então isso depende muito da pessoa.

Na verdade, mesmo para pessoas que tem um cultivo mental poderoso, a total inexpressividade de Baijian é estranha.

O motivo disso acontecer com Baijian, é que ele foi primeiro influenciado pelas duas imagens de sua mãe que ele viu.

Uma foi quando a vontade presente no papel se dissipou, e uma imagem de sua mãe apareceu.

A outra foi no final do labirinto, e ele a viu.

Essas duas imagens acabaram influenciando muito ele, pois sua mãe é totalmente inexpressiva.

Mas o maior motivo mesmo é o pouco tempo que ele viveu.

Geralmente, quem tem um cultivo mental tão poderoso passou por muita coisa na vida.

Alegrias, tristezas, ódio, tranquilidade, dificuldades…

As pessoas não nascem com mentes poderosas, elas conseguem ao longo da sua vida, normalmente, por passar por muitas coisas diferente.

Mas Baijian? Ele é simplesmente um monstro. Com 4 anos, ele já tinha tal nível de cultivo mental.

Ele simplesmente é muito jovem.

Embora ele tenha tido muitas experiências impressionantes no labirinto, ainda não foi uma vida completa.

Uma vida envolve muitas coisas. Então o labirinto que o força a diferentes situações não é uma experiência realmente completa.

E a mãe de Baijian também sabe disso.

Por isso que o requisito para que ele possa entrar no labirinto era que ele fosse maduro o suficiente.

Ela queria que ele tivesse uns 15 ou 16 anos, talvez mais.

Com tantos anos, embora não tenha vivido muito, ainda é alguma coisa.

Ela nunca pensou que ele conseguiria passar o labirinto com só quatro anos.

Então acabou chegando a isso.

A mente de Baijian é um poderoso barco, e para movê-lo, é necessário uma tsunami.

As palavras de Meimei foram um enorme tsunami para Baijian.

Isso porque ele é bem consciente da sua total inexpressividade.

Ele às vezes pensa sobre isso.

Muitas vezes, quando Ye Hong fala algo que normalmente a maioria das pessoas se sentiriam surpresas, e seu rosto não mostra nenhuma expressão, ele fica pensando isso por um bom tempo.

Outras situações é no dia a dia quando nas suas conversas, Baijian pensa que a sua inexpressividade faz Ye Hong se sentir desconfortável.

Portanto, por causa disso, sua inexpressividade é algo que ele é muito sensível.

Ao ouvir que ela pensou que ele fosse um robô, não é para menos que ele se sentiu chocado.

Não é para menos que foi uma tsunami.

Depois de quatro segundos, Baijian se acalmou e sua inexpressividade voltou.

Ele olhou para a Meimei ainda chocada e falou:

“Não tem como eu ser um robô.”

Ye Hong também ficou surpreso com isso, e então falou:

“Ele não é um robô.”

Depois de se recuperar do choque, Meimei respondeu:

“Na hora que eu o estava seguindo, era isso que eu pensava… Agora não tenho tanta certeza.”

Meimei baixou a cabeça e ficou quieta.

De vez em quando ela levantaria um pouco o rosto e olharia para Baijian que estava sentado olhando para o ar inexpressivamente.

Ye Hong se sentou lá na cadeira e continuou a conversa:

“Baijian é assim mesmo, é a sua personalidade, não se importe com isso, até comigo ele é na maioria das vezes inexpressivo.”

Meimei ainda ficou quieta. Depois de um tempo, Ye Hong falou:

“Meimei, você sabe que não pode contar para ninguém sobre o que aconteceu, certo?”

Meimei não respondeu e continuou quieta. Ye Hong continuou:

“Baijian matou um assassino em massa. Ele era alguém que não merecia viver.”

Meimei ficou em silêncio, mas assentiu.

Ao ver que a menina concordou, Ye Hong continuou:

“Então peço que fique quieta sobre isso.”

Meimei, depois de mais alguns segundos de silêncio, falou:

“Eu posso ficar quieta… Mas tem uma condição.”

Ye Hong ficou surpreso, então perguntou:

“O que é a sua condição?”

Com tato, Meimei respondeu:

“Você pode responder às minhas perguntas?”

Ye Hong assentiu sem pensar muito.

Ao ver Ye Hong assentindo, os olhos de Meimei brilharam e ela perguntou quase que instantaneamente:

“O que é o anel dele?”

Meimei perguntou enquanto apontava para o anel no dedo de Baijian.

Ye Hong ficou surpreso com essa pergunta, mas ainda respondeu:

“É um artefato.”

Meimei continuou perguntando:

“O que ele faz?”

Ye Hong respondeu:

“Muitas coisas. Baijian adquiriu muitos artefatos, e esses artefatos conseguem se transformar em anéis. Os anéis podem se fundir para não ter que andar por aí com muitos.”

Meimei continuou perguntando:

“Como que ele tem tanta força física?”

Ye Hong respondeu:

“Cultivo.”

Meimei continuou:

“O mesmo que nos livros?”

Ye Hong assentiu.

Meimei continuou perguntando e Ye Hong respondeu.

Ela perguntou sobre o cultivo e Ye Hong respondeu bem superficialmente. Ela perguntou sobre a pedra que Baijian pegou do peito do velho, e Ye Hong respondeu que era um legado de conhecimento, ela perguntou sobre o que era o raio de luz que Baijian soltava do graveto, e Ye Hong respondeu que é a habilidade com a espada de Baijian.

Foi então que ela perguntou:

“O que ele quis dizer com “eu passei muitos anos dormindo”?”

Ye Hong ficou surpreso e falou:

“Você pergunta bastante em… Durante a conversa você anotou perguntas na sua mente?”

Com um sorriso embaraçado, Meimei falou:

“Eu quero ser uma detetive, então obviamente eu sei fazer perguntas.”

Com um sorriso irônico, Ye Hong se virou para olhar Baijian que estava de olhos fechados e falou:

“Eu não vou responder, se quiser saber terá que convencer Baijian a te contar.”

Com os olhos brilhando, Meimei se virou para Baijian e perguntou:

“O que você quis dizer com aquelas palavras?”

Baijian abriu os olhos, lentamente virou o rosto para Meimei e respondeu:

“Eu adquiri um legado da minha mãe e passei os últimos 10 anos meditando.”

Ye Hong ficou chocado e falou:

“Não tem problema falar isso não?”

Baijian respondeu:

“Não vejo problema, ela já sabia demais quando veio aqui. Ela tinha muitas perguntas, e você às respondeu. Essa é provavelmente a última.”

Baijian então se virou para ela e falou:

“Você deve vir de uma boa família. Chame o táxi com o celular e volte para casa. Depois de hoje, não nos falaremos mais.”

Baijian então se levantou e subiu a escada para o segundo andar da casa.

Meimei assentiu lentamente e se levantou para sair.

Ye Hong suspirou ao ver a frieza de Baijian para com Meimei. Ela é uma menina tão bonita, e o viu matar alguém hoje, mas ele a trata desse jeito. Obviamente, Baijian não quer mais se envolver com essa menina linda.

Ye Hong a levou até o portão, e esperou junto com ela o táxi chegar. Alguns minutos depois, um táxi apareceu na frente do portão da mansão.

Meimei se despediu de Ye Hong, e ia entrar no carro.

Nesse momento, um carro esporte azul apareceu atrás do táxi.

Uma bela mulher que parecia não ter mais que 30 anos saiu do carro.

Assim que viu a mulher, Meimei ficou petrificada.

Ye Hong, com um sorriso enorme, foi de encontro à mulher e a abraçou.

Depois de se abraçarem, a mulher falou:

“Durante esses meses eu senti muita a sua falta.”

Ye Hong respondeu:

“Eu também senti muito a sua.”

A mulher continuou:

“O táxi não vai sair? Quero entrar com o carro.”

Ye Hong assentiu e se virou para o táxi.

Assim que ele ia dizer adeus para Meimei, a mulher exclamou suavemente:

“Meimei? Porque está aqui?”

Meimei ainda estava petrificada em frente à porta do táxi, enquanto olhava para a mulher.

Depois de alguns segundos, ela murmurou:

“Tia?”


Se você gosta do nosso trabalho e quer nos ajudar,
não esqueça de nos Avaliar e dar seu Feedback,
isso é muito importante para todos nós.

Aproveita e me segue no Twitter!
🉐


Autor: ReaderBecameWriter  | Editor: Blame



Fontes
Cores