Se – Capítulo 65 – Investigação



O aluno estava confuso quanto ao que responder, então ele ficou olhando para o rapaz em choque.

Meimei, que estava vendo tudo acontecer, depois de escutar o que o rapaz falou, murmurou lentamente:

“Então ele acredita que não vai haver diferença na dificuldade, seja ele arremessando ou driblando, e por arremessar dar mais pontos, ele escolheu essa forma? É esse o seu raciocínio?”

“Então quer dizer que, desde o início, o motivo do porque ele arremessou foi porque chegou à conclusão de que assim é mais fácil e mais eficiente de ganhar? Que lógica ridícula.”

Essa é uma lógica bem arrogante.

É como se ele estivesse falando algo que é certo de acontecer. Ela simplesmente não conseguia entender como alguém pode ser tão arrogante.

Todos os alunos obviamente entenderam isso, e ficaram extremamente chocados.

Ter grande habilidade de arremesso garante uma completa invencibilidade, mas drible? Isso engloba muitos tipos diferentes de habilidades.

Arremesso é só força e técnica com as mãos para manejar a bola para ir na direção que a pessoa quer.

Mas drible? Isso engloba velocidade das pernas, força do corpo, reflexos, coordenação motora, julgamento…

Então driblar é dezenas de vezes mais complexo que arremessar.

É claro, isso não significa que arremesso é ruim, é apenas que isso precisa de muita delicadeza com a bola.

É muito difícil praticar até chegar a esse nível.

Ninguém aqui entendia como tal pessoa tinha essas habilidades monstruosas, mas eles obviamente acreditavam que, embora seu arremesso seja incrível, não tem como ele ser tão bom driblando.

O aluno que estava argumentando falou depois de um tempo:

“Você acha que driblar vai ser tão fácil quanto arremessar?”

O cara tinha que confirmar se foi isso mesmo que ele entendeu.

O rapaz assentiu inexpressivamente.

Vendo que ele assentiu, o cara respirou fundo e respondeu com raiva:

“Você fala bastante, quero ver fazer isso na quadra.”

O rapaz respondeu lentamente:

“Eu falei bem pouco até agora.”

Ao escutar a resposta que parecia séria de alguém tão inexpressivo, parecia como se fosse uma zombaria, e por isso irritou o jogador.

Ele olhou para o rapaz e falou:

“Então me mostra o quão fácil é para você driblar.”

O rapaz assentiu apaticamente, foi até a bola, e a pegou.

Assim que a pegou, ele a olhou por uns segundos, antes de falar:

“Como é o truque mesmo?”

Ele pegou a bola e fez um spin. Ele girou a bola na ponta do dedo indicador.

Um jogador do seu time ficou chocado e falou:

“Porque está fazendo isso?”

O rapaz respondeu:

“Eu li sobre isso numa matéria no celular, que muitos jogadores fazem isso com a bola. Como foi expresso através de palavras, e eu não vi um vídeo, eu não tenho certeza… É desse jeito?”

O jogador assentiu.

Vendo que o jogador assentiu o rapaz se virou para o professor e falou:

“Pode começar?”

O professor respondeu:

“Já está rolando.”

O rapaz jogou a bola para um jogador do seu lado, o que o fez um pouco surpreso.

Depois de jogar a bola, o rapaz começou a correr rapidamente para frente.

Ele fez um gesto como se pedisse a bola.

O cara que tinha a bola passou para ele.

Assim que recebeu a bola, à menos de 2 metros na sua frente um cara estava correndo para bloqueá-lo.

Assim que o rapaz recebeu a bola, ocorreu algo chocante.

Ele não pegou a bola e fez um movimento de drible para o lado.

Da sua visão, o jogador que estava marcando pensou que ele tinha pegado a bola, e por isso usou a mão para tentar arrancar a bola da mão do rapaz.

A mão acertou nada, e o rapaz passou por ele facilmente.

Ele fez um giro e a bola passou do outro lado do jogador.

O rapaz pegou a bola do outro lado, e continuou em frente.

Ele fez algumas pequenas fintas e evadiu dois jogadores, antes de chegar frente ao garrafão e jogar a bola.

A bola acertou a cesta.

Essa cena chocou todos, pois eles simplesmente não acreditavam no que acabaram de ver.

Os jogadores do outro time se sentiam humilhados agora.

Um deles falou antes que não tinha como ele ser bom driblador, mas a realidade mostra uma coisa completamente diferente.

O resto da partida fluiu exatamente igual.

A bola era recebida pelo rapaz, ele a carregava driblando todos até o garrafão, e a jogava lá mesmo.

Teve um ponto que todos os cinco jogadores tentaram parar ele, e os cinco foram facilmente evadidos e no final a cesta aconteceu do mesmo jeito.

A partida tinha acabado com uma vitória esmagadora do time do rapaz.

Assim que o rapaz estava indo para as arquibancadas, ele se virou para o rapaz que estava discutindo com ele antes e falou lentamente:

“No final, não mudou nada.”

Ele se sentou na arquibancada.

Todos estavam chocados com as habilidades do rapaz.

Meimei era uma das pessoas, ela simplesmente não conseguia entender o que está acontecendo.

Depois de vê-lo jogando, seu interesse pelo rapaz aumentou ainda mais.

A aula de educação física depois ocorreu normalmente, o time de Meimei ganhou no final, e o time do rapaz também, graças a suas incríveis habilidades.

Depois da aula de educação física, os alunos voltaram para a sala de aula.

Meimei agora estava intrigada em alguns pontos sobre Baijian.

Primeiro que ele é incrivelmente inteligente, ela podia aceitar isso, até porque o mundo é enorme e existem muitos tipos de pessoas estranhas.

Então esse normalmente não seria um ponto que a intrigava, mas quando descobriu sobre o segundo ponto:

A incrível habilidade esportiva de Baijian.

Ela teve que pensar sobre o primeiro ponto.

Alguém que é monstruosamente inteligente, e ao mesmo tempo, monstruosamente atlético, como pode alguém assim existir?

O terceiro ponto é a total indiferença de Baijian.

Seja ele quando está na sala, conversando com os outros, jogando na quadra, marcando cestas arremessando e com dribles…

Em todos esses momentos, uma das coisas que ela mais prestou atenção foi a sua expressão.

Isso porque, mesmo ela não percebeu, mas sua visão sempre esteve no rosto de Baijian a todo o momento.

Depois de pensar um tempo, ela chegou a conclusão que é por causa de sua total indiferença à tudo.

E, em todos esses momentos, ela nunca viu uma expressão em seu rosto. Ele sempre esteve totalmente inexpressivo e totalmente indiferente.

Tal coisa chamou muito sua atenção.

Teve uma vez que ela o comparou com um robô, e isso a deixou chocada.

E o último ponto, que foi algo que ela quase deixou escapar, foi que assim que ele saiu da partida, todos os outros alunos foram pegar toalhas para se secar e por causa do choque sobre Baijian, ninguém percebeu…

Ele não pegou nenhuma toalha.

Na verdade, ele nem precisou, ele nem suou.

Ao perceber que ele nem suou, ela ficou cada vez mais curiosa, e somando tudo isso, dá para imaginar o nível de curiosidade que essa garota está agora.

Meimei é alguém que, desde criança, sempre almejou ser uma detetive. Então ela sempre estudou bastante sobre o assunto.

Na verdade, o maior motivo do porque ela tem esse desejo é porque o próprio pai dela é um grande detetive da polícia de Xangai.

Somado ao fato de que desde pequena ela sempre foi muito curiosa, sempre indo atrás das respostas quando algo a deixava com a pulga atrás da orelha, ela acabou tendo o sonho de se tornar uma detetive.

No final, acabou chegando nessa situação.

Na cabeça dela, Baijian é um robô.

Só um robô se encaixa em todas as possíveis explicações. Um robô não tem emoções, então será inexpressivo. Um robô tem um computador como cérebro, então será super inteligente.

Um robô, se tiver um corpo, pode ser um bem poderoso, o que explica sua habilidade no basquete.

Então o que mais se encaixa é um robô.

É claro, isso é um total absurdo, mas agora, na mente da Meimei de 14 anos, Baijian é um robô.

Ela então começou a pensar em muitos planos.

Depois de pensar em um plano de investigação, ela começou com o primeiro passo:

Observar.

Agora foi a última aula, então os alunos vão embora. Ela foi até a sala, e viu Baijian pegando suas coisas.

Ela foi até a sua mesa e rapidamente arrumou suas coisas.

Quando terminou, viu Baijian saindo da sala. Ela o seguiu discretamente: uma habilidade que aprendeu com seu pai.

Ela aprendeu muitas coisas do seu pai sobre investigação.

Uma delas é a espreita.

Seu pai falou que tem regras que devem ser respeitadas:

1º Entrar em contato o mínimo possível com o suspeito.

2º Sempre observar de longe, nunca chegar perto.

3º Sempre ficar 3 carros atrás do carro que está perseguindo… (Na verdade, isso não vale aqui.)

4º Se estiver à pé, sempre ande atrás da pessoa, mas tente ser discreta, não atraia atenção para si mesma e tente o máximo possível parecer normal.

5º Enquanto anda, preste atenção à todos os movimentos do suspeito. Lembre-se de cada ação que pareça importante. Enquanto estiver prestando atenção, tome cuidado para não parecer suspeita enquanto anda.

6º Enquanto estiver observando e seguindo a pessoa, mapeie o caminho da pessoa, e pense em possíveis lugares que o suspeito poderia estar indo.

7º Mais importante, não o confronte diretamente, pois isso pode comprometer a sua investigação.

Esses são os pontos mais importantes, tem muitas outras pequenas regras que ela memorizou e está tentando ao máximo colocar em prática.

É claro, uma coisa é saber fazer, outra coisa totalmente diferente é de fato fazer.

Pode parecer simples, mas é bem complicado.

Até porque, enquanto segue a pessoa, você tem que obviamente tomar uma distância considerável, bem como tomar cuidado para não parecer suspeita, enquanto presta atenção aos movimento do suspeito, e mapeia o caminho tomado em busca de possíveis lugares que a pessoa vai.

São muitas ações complicadas feitas de uma vez só, então tal coisa requer anos de experiência.

Para ela, com 14 anos, sem experiência nenhuma, isso foi muito difícil.

Depois de seguir ele por um tempo, ela o viu parado ao lado do portão da escola e puxando um celular.

Ela deu a volta e ficou alguns metros atrás dele, tentando não fazer nenhum barulho.

Assim que a chamada atendeu, Baijian falou:

“Hong, não precisa vir me buscar, eu estarei indo cumprir a missão que mamãe me deu.”

A pessoa do outro lado falou algo que Meimei não conseguia ouvir, e Baijian respondeu:

“Eu sei, estarei em casa o mais cedo possível, eu obviamente quero conhecer a mulher que você escolheu.”

Meimei ficou chocada.

No perfil lateral, ela descobriu incrivelmente um sorriso suave no rosto de Baijian assim que ele falou essa frase.

A pessoa do outro lado parecia falar alguma coisa, e com um sorriso ainda maior, Baijian respondeu:

“Desde que te conheci anos atrás, você sempre esteve sozinho, o que me preocupa, pois sempre pensei que era por causa de mim. Vovô Ye me falou sobre a paixonite que você tem desde criança, então eu sempre fiquei me culpando que o motivo do porque você não vai atrás dela é por minha causa.”

A pessoa do outro lado falou novamente e Baijian, com um sorriso, respondeu:

“Depois de eu dormir por tantos anos, no final você foi de encontro a ela. Isso me deixa muito feliz, eu obviamente não vou perder isso por nada.”

O homem novamente parecia falar algo do outro lado:

“Eu só entendo isso agora. Tantos anos se passaram, e você nunca foi atrás dela. No final, você tinha apenas medo de ela não te aceitar. Quando eu saí, você sem querer se encontrou com ela, e estão juntos a… Você não falou quantos anos.”

A pessoa do outro lado respondeu e então Baijian falou:

“Como eu posso ter esquecido Hong? Minha memória dos cinco sentidos é perfeita, não tem como eu esquecer de algo. Você obviamente não falou isso.”

O outro lado respondeu e então Baijian falou:

“Então foi logo depois de eu dormir. Isso significa que já faz 10 anos? Porque que eu não a vi esses dias?”

O outro lado respondeu e Baijian falou:

“Trabalho… Entendo. Bom, eu vou fazer minha missão, daqui a umas horas eu estou em casa e você pode me apresentar para a sua esposa. Estou ansioso.”

Com um sorriso no rosto, Baijian desligou o telefone.

Depois de dois segundos, seu rosto rapidamente voltou ao seu indiferente normal.


Se você gosta do nosso trabalho e quer nos ajudar,
não esqueça de nos Avaliar e dar seu Feedback,
isso é muito importante para todos nós.

Aproveita e me segue no Twitter!
🉐


Autor: ReaderBecameWriter   | Editor: Blame



Fontes
Cores