SE – Capítulo 55 – Canadá



Baijian não parecia ser incomodado pelas reações dos outros monges e estava só olhando serenamente para o velho monge.

Depois de um tempo, o velho monge respondeu:

“Tudo bem.”

Os monges em volta estavam perplexos com tudo isso.

Uma criança?

Cinco horas foram passadas desde então.

Desde aquele momento, Baijian e o velho monge tem estado conversando o tempo inteiro.

Eles conversaram sobre diversos assuntos.

Riqueza, poder, ódio, amor, a vida, a morte…

Eles passaram essas horas conversando sobre muitos assuntos diferentes.

O nível da conversa era bem alto, e eles não pareciam estar debatendo e sim conversando e trocando ideias.

Baijian sabia que não poderia vencer o velho monge.

Embora sua mente fosse mais poderosa, a diferença de idade é muito grande.

Então Baijian resolveu conversar com o monge e discutir sobre esses muitos assuntos para que ele possa refletir por si mesmo.

Muitos desses assuntos, as pessoas alguma vez na vida já refletiram.

Então muitas vezes as pessoas já tem uma opinião sobre esses assuntos, mas por Baijian ser tão jovem, ele ainda não teve tempo para refletir sobre essas coisas.

Essa conversa foi muito benéfica para Baijian.

Isso porque sua mente já é poderosa e, portanto, refletir e pensar são coisas muito mais simples para ele que para outras pessoas.

A sua mente é poderosa e graças a isto, é muito mais fácil pensar de diferentes ângulos e mais profundamente.

Isso não tem a ver com a inteligência, e sim com o estado mental.

Se uma pessoa for absurdamente inteligente, ela pode ganhar conhecimento mais facilmente, mas não quer dizer que ela pode se aprofundar tanto sobre algo.

Se aprofundar sobre esses assuntos requer que a mente seja aberta, que ela esteja preparada para pensar nisso.

Às vezes as pessoas tem a mente bloqueada por certos princípios, pensamentos, memórias e, portanto, por mais inteligentes que sejam elas não conseguem pensar profundamente sobre algo.

Mas Baijian? Sua mente é tão poderosa que não existe bloqueio.

Ele consegue pensar sobre vários assuntos abordando diferentes ângulos e diferentes ideias. Isso ajuda a aprofundar seu pensamento.

Sem falar que ele é tremendamente inteligente.

Para ele, essa conversa foi muito benéfica.

Ele pensou sobre muitas coisas que nunca havia pensado antes, e ganhou muitas introspecções.

Depois de horas de tanta conversa, os dois não pareciam que iriam parar.

O velho monge também estava se beneficiando muito de tudo isso, Baijian tem uma mente tão poderosa que ele consegue pensar nas coisas muito mais profundamente.

Isso fica dando ideias atrás de ideias o tempo inteiro, o monge estava tendo uma agradável conversa com Baijian.

Depois disso, Baijian e o velho monge passaram seis dias conversando. Às vezes eles conversavam por horas, outras vezes eles descansavam tranquilamente.

Os dois estavam muito felizes na companhia um do outro.

O velho monge não pensou muito no porque Baijian é tão inteligente e tem a mente tão poderosa.

Ele é alguém que, mesmo sem cultivo, através de meditação e muitos anos de vida, ganhou cultivo mental de 1º Nível Baixo.

Tal pessoa tem uma mente aberta a muitas coisas incompreensíveis, e embora ainda fosse confuso sobre esse ponto, ele deixou de lado.

Baijian conversou muito e, portanto, ganhou muitos pensamentos novos. Ele sentia como se sua mente estivesse prestes a receber outro avanço.

É um sentimento mágico, como se sua mente estivesse prestes a voar, mas não consegue.

Isso o deixou um pouco angustiado.

No 6º dia, o velho monge percebeu que a criança parecia angustiada e perguntou:

“Pequeno Bai, porque você parece angustiado?”

Depois de alguns dias, os dois se tornaram amigos, então o velho conhecia um pouco Baijian.

Mesmo durante suas conversas, Baijian permaneceu inexpressivo.

Fora alguma vez quando ele ponderou profundamente sobre algo, ou quando tinha um leve sorriso por ter entendido algo, ele normalmente não demonstrava suas emoções em seu rosto.

O velho estava um pouco confuso, pois agora, no rosto de Baijian, tem uma pequena expressão de angustia.

Baijian olhou para o velho e respondeu:

“Velho, é que eu sinto que vou melhorar, mas por algum motivo algo está me travando.”

O monge ficou chocado.

Ele vai melhorar?

O velho monge era mais sábio, então ele pensou um pouco e respondeu:

“Qual é o sentimento que você está tendo?”

Baijian ponderou um pouco e falou:

“É como se eu estivesse sendo segurado. Como se minha mente estivesse presa por correntes, e falta apenas um pouquinho para eu me soltar, mas não consigo.”

Esse sentimento é bem mágico.

Esse é o sentimento de quem vai subir um nível.

Esse sentimento acontece seja no cultivo de energia, cultivo corporal, ou no cultivo mental. É quando você está prestes a sofrer um avanço, mas ainda falta algo.

O velho monge ponderou um pouco e perguntou:

“Sua mente, como você sente que ela é?”

Baijian estava confuso com essa pergunta e respondeu:

“Como assim?”

O velho monge perguntou:

“Se você fosse pensar em uma forma para a sua mente, qual seria a primeira forma que lhe vem na cabeça?”

Baijian pensou um pouco e falou:

“Um lago.”

O velho monge ficou um pouco surpreso e se perdeu por alguns segundos. Depois de um tempo, perguntou:

“O que é maior que um lago?”

Baijian rapidamente respondeu:

“Um mar…”

Ele respondeu quase que inconscientemente, mas assim que respondeu, ele pareceu entender.

Ele olhou para o monge e falou:

“Eu sinto que entendi velho monge, eu vou meditar.”

Baijian então foi até um canto quieto e começou a meditar.

O velho monge olhou para Baijian e pensou:

“Quando eu olhei para os olhos de Baijian naquele dia, eu vi um oceano enorme… Quem diria, para ele, aquilo era um lago.”

Diferentes ângulos, diferentes respostas.

O velho monge, naquele dia, viu os olhos de Baijian e se perdeu em uma pequena ilusão.

Aquela ilusão foi rápida, o cultivo mental do velho monge garantiu que ele poderia pelo menos fugir de uma ilusão tão pequena e desajeitada.

Mas o que viu o chocou muito, e até hoje ele se sente um pouco atordoado.

A mente de Baijian, na opinião dele, é um lago.

Naquela pequena ilusão, ele era uma gota no meio de um enorme oceano. Onde quer que ele olhasse, havia água.

Para que Baijian pensasse na sua própria mente como um lago, sendo que o velho pensava que fosse um oceano, é de fato chocante.

Bom, tem dois pontos aqui.

O primeiro ponto é que isso é a própria mente da pessoa, então a pessoa imagina o que ela pensa.

Baijian pensa em sua mente como um lago, mas uma pessoa pode pensar em algo diferente.

Dois, o velho monge era uma gota e, portanto, muito pequeno. O lago, para ele, era um oceano, mas para Baijian é só um lago.

Isso porque Baijian já viu coisas incríveis demais. Ele viu um enorme oceano que é milhões de vezes maior que a terra.

Aquele oceano era simplesmente enorme, e não poderia sequer ser chamado de oceano de tão grande e tanta água que tinha.

Isso, e tantas coisas chocantes que ele viu no universo naquele dia, garantiram que os horizontes de Baijian fossem bem maiores que o da maioria das pessoas.

Portanto, algo que Baijian pensou que fosse um lago, o velho monge acreditava que era um enorme oceano.

No final, por mais tempo que tenha vivido, os horizontes do velho monge permanecem aqui na terra.

O que quer dizer com horizontes é a própria imaginação.

Por exemplo, eu posso falar sobre um oceano milhões de vezes maior que a terra, mas você consegue imaginar algo tão incrível? Não?

Isso porque os seus horizontes são muito pequenos.

Um especialista como a mãe de Baijian, que andou por muitos cantos do universo, ao olhar para aquele “enorme oceano” que Baijian viu, para ela, é apenas um pequeno lago.

Aquele peixe que era várias vezes maior que a terra? É um pequeno peixinho.

Isso mostra que os horizontes da mãe de Baijian são enormes e, portanto, ela tem uma imaginação maior para pensar sobre muitos assuntos.

Com isso, ela pode desenvolver muito mais seus pensamentos e torna-los muito mais profundos.

Depois de pensar um pouco, o velho monge se virou e também foi meditar.

Baijian meditou por três dias inteiros, e assim que acordou estava com muita fome.

Por ter temperado tanto seu corpo, ele tinha muito mais energia em seu corpo que a maioria das outras pessoas, então passar três dias sem comer não vai mata-lo.

Depois de acordar, Baijian se sentia muito melhor.

Ele pegou uma pequena folha do tamanho de uma palma do bolso e a tocou na testa.

Depois de alguns segundos, a folha brilhou.

Ele olhou para a folha e estava escrito:

“2º Nível Médio.”

Um enorme sorriso apareceu no rosto de Baijian.

Ele suavemente murmurou:

“Eu estava com a mente presa, e só precisava solta-la um pouco. Foi bem mais simples que pensei.”

Baijian estava com um sorriso satisfeito no rosto e foi até Ye Hong.

Ye Hong sempre esteve junto com Baijian durante as conversas, e gostava de escutar Baijian e o monge conversar.

Vendo que ele ia meditar, Ye Hong esperou Baijian meditar tranquilamente enquanto conversava com os monges durante esses dias.

Depois de falar um pouco com Ye Hong, Baijian se dirigiu até o velho monge.

Quando chegou até o velho monge, percebeu algo diferente.

Ele olhou um pouco e falou com um sorriso:

“Velho monge, parece que você também conseguiu.”

O velho monge olhou para Baijian e assentiu.

Baijian não sabe qual o cultivo mental do velho monge, mas ele meio que sentiu que a mente do velho monge se tornou mais forte.

Esses dias conversando com Baijian deram muitas novas ideias ao velho monge, portanto ele subiu seu nível de cultivo mental para o 1º Nível Médio através da meditação.

O gatilho para isso foi quando Baijian respondeu “lago” para a sua pergunta sobre o que ele imagina a sua mente sendo.

Com essa palavra, ele entendeu que o oceano que ele viu, para Baijian, era um lago, e isso deu um enorme sentimento no velho monge.

Isso foi um gatilho para sua mente saltar um nível.

Quanto ao velho monge… Olhando para Baijian agora, ele se sentiu amargo por dentro. Embora não saiba sobre os muitos níveis que a mente pode chegar, seu conhecimento sobre a mente, em um nível mais profundo, é ainda maior que o de Baijian.

Afinal, o que buda ensina em sua doutrina é como fortalecer e afiar a sua mente.

Olhando para Baijian agora, ele sentiu que a mente dele se tornou ainda mais poderosa. E isso o deixou um pouco amargo por dentro já que pensou que, como teve alguma melhoria, teria se aproximado de Baijian…

Mas na verdade a distância só se tornou maior.

Depois de alguma conversa, Baijian falou:

“Velho monge, vamos continuar nossa conversa.”

Três dias depois, Baijian saiu do mosteiro budista e voltou para casa.

Ele conseguiu vencer o velho monge em um debate.

Depois de tanta conversa, tanta reflexão, somado a sua mente poderosa, grande inteligência e experiências ganhas no Labirinto das Aflições, era só uma questão de tempo até o velho monge perder.

Quando chegou em casa, Baijian abriu o celular e olhou o aplicativo.

Assim como foi falado por sua mãe, a missão que ele escolheu do tapete de meditação foi completada.

Baijian clicou e a missão desapareceu.

Depois de um segundo, o celular brilhou e um tapete apareceu na frente de Baijian.

O tapete era branco, sem muitos adornos.

Baijian cuidadosamente segurou o tapete, com um enorme sorriso no rosto.

Depois de guardar, Baijian foi até Ye Hong e falou:

“Agora falta a missão do tesouro de gravidade. Podemos escolher qualquer montanha de mais de 5000 metros de altura. Eu fiz um pouco de pesquisa e pode ser o Monte Lucania no Canadá.”

Ye Hong assentiu.

No dia seguinte, eles voaram para o Canadá.


Autor: ReaderBecameWriter | Revisor: Blame



Fontes
Cores