SE – Capítulo 44 – Eu sou um animal



Os dias passavam lentamente.

O velho médico esteve sempre ao lado da filha no hospital, cuidando de todas as suas atividades como médico e se dedicando a estar totalmente com ela.

O irmão da menina estava igualmente perdido quando descobriu que o problema não eram as habilidades médicas do seu pai.

Mas ele não se perdeu totalmente e buscou uma forma diferente de fugir de tudo isso: Trabalhando.

Sendo médico, embora não seja tão bom quanto o pai, ele se focou totalmente em trabalhar.

E os anos passaram lentamente.

Três anos depois do acidente, a menina acordou.

O velho ficou extremamente feliz.

A menina estava se sentindo perdida quando acordou e descobriu que ficou em coma por três anos, mas nem ela mesma sabe por que acordou.

Ela é extremamente conservadora e muito jovem…

E ainda foi estuprada daquele jeito.

Ela se sentia totalmente suja, e queria simplesmente que a vida acabasse. Para ela, o acidente foi uma benção e o fato de estar viva a fez se sentir extremamente perdida.

O que a fez sobreviver foi a alta habilidade médica do pai mais o fato de que ela não estava tão decidida a morrer.

Depois de acordar e descobrir sobre a dor do seu pai e o tempo que ele esteve ao seu lado cuidando dela, embora não a fez curar seus problemas mentais, aliviou um pouco o seu fardo.

O irmão que estava angustiado e enterrado totalmente no trabalho melhorou muito rapidamente e eles começaram a viver em paz como família.

Cinco anos depois, a menina parecia ter esquecido tudo que aconteceu e se sentiu mais feliz.

Depois de mais treze anos, o velho médico adoeceu.

Depois que a filha acordou, ele voltou a trabalhar como médico, mas seis anos atrás ele se aposentou e começou a escrever livros, dar palestras e ensinar ao seu filho tudo o que sabia.

A doença persistiu por dois anos antes de finalmente morrer pacificamente.

Os dois filhos não ficaram tristes pela morte do pai, já que se sentiam orgulhosos pela vida que ele teve.

Eles apenas sentem saudade já que um grande pedaço da vida deles se foi.

Depois de alguns segundos da morte do velho, ele lentamente abriu os olhos e se levantou.

Baijian finalmente tinha acordado.

Ele olhou em volta e viu os filhos com lágrimas nos olhos parados como se fossem estátuas.

Na frente da cama que ele estava deitado, tinha um pedestal com uma pequena esfera totalmente branca em cima.

Baijian não falou nada e simplesmente foi até o pedestal e pegou a esfera branca.

Assim que pegou a esfera branca, tudo sumiu e ele voltou até o inicio do labirinto amarelo:

“Por quê?”

Falou Baijian suavemente enquanto olhava para o labirinto.

Depois de alguns segundos ele continuou:

“Eu não tinha percebido isso antes… Eu estou fazendo errado.”

Baijian parou de falar e de repente sentiu um tremor.

Ele continuou olhando para o labirinto e falou:

“Não mudou nada… Eu lembro o que aconteceu nessa vida como médico, mas eu sinto como se não ganhei nada.”

Baijian está agora confuso.

Ele descobriu que esse labirinto é uma forma de julgamento mental feito por sua mãe, e que o objetivo é torná-lo mais forte.

Mas ele não se sente fortalecido.

Ele não esperava que ficasse forte o suficiente para destruir essa segunda personalidade dentro dele apenas por passar esse outro desafio.

Mas ele pelo menos esperava se tornar mesmo que um pouco mais forte.

Ele sabe como é o sentimento de quando sua mente se torna mais forte depois do que aconteceu antes.

Embora ele não saiba os níveis de cultivo mental, nem em que nível está, ele sabe que sua mente se tornou mais forte naquele momento anos atrás.

E ele esperava esse mesmo sentimento agora, mesmo que fosse mais fraco.

Baijian agora tem um cultivo mental no primeiro nível, para a sua idade, é monstruoso.

Tal nível de cultivo é normalmente encontrado em cultivadores que viveram por no mínimo cem anos.

Cultivo mental é muito complexo, e não existe um padrão de como aumentá-lo… Existem alguns métodos comprovados que são bons, mas nem tudo é certeza no cultivo mental.

Então normalmente a ideia é que, quanto mais se vive, mais poderosa é a mente.

Baijian, com um ano, conseguir subir no primeiro nível de cultivo mental demonstra a sua monstruosidade.

O objetivo do julgamento da mãe de Baijian é o fazer experimentar várias coisas diferentes.

Ela queria que ele fosse mais velho quando passasse por esses julgamentos, então nunca esperava essa situação.

Baijian está passando pelos julgamentos de forma errada.

Durante o julgamento, ele deve tentar se aprofundar até perder-se totalmente e se tornar outra pessoa.

O objetivo é permanecer assim até o final do julgamento, conseguindo então cumprir tudo.

Mas depois que o julgamento acaba, toda a experiência seria da própria pessoa.

Isso porque ela viveria como outra pessoa, e quando ela voltasse a ser quem era, essa experiência de ser outra pessoa seria dela e só dela.

Mas Baijian?

Quem é Baijian?

Pois é, ele é apenas uma criança de quase quatro anos.

Ele ainda não sabe quem é ele mesmo.

Isso faz com que seja impossível que ele assimile a experiência dos dois desafios, seja do jovem empresário ou do velho médico…

Se ele fosse mais velho, teria ocorrido tudo perfeitamente.

Mas ele é simplesmente muito jovem.

Em vez da experiência ser assimilada na mente de Baijian, ela ganhou sua própria consciência, sua própria personalidade.

É como se houvesse outra pessoa dentro de Baijian.

Ele pensou erroneamente que conseguiria a experiência, mas não conseguiu.

Ele tem a memória das duas vidas, mas por sua mente ser ainda pouco formada, por mais forte que ela seja, mesmo que ele tenha atingido o primeiro nível de cultivo mental…

Sua mente ainda é muito nova, ele viveu muito pouco tempo.

É que nem um prédio.

Um prédio tem a base como forma de segurar o resto da estrutura… Se a base for fraca, a estrutura vai cair.

Se formos usar essa analogia, a mente de Baijian seria um prédio com uma base tremendamente poderosa.

Mas o prédio ainda está em construção… Ele ainda nem foi construído direito.

Usando a mente de outros cultivadores como exemplo, quando se tem mais de cem anos e seu cultivo mental aumenta…

Antes a base era forte o suficiente para segurar o prédio. Mas a medida que se vive mais e mais, mais experiência se ganha e é necessária uma base ainda mais poderosa.

Então quando se aumenta o cultivo mental, a base aumenta em força.

A mente de Baijian é poderosíssima e por isso sua base é forte, mas o prédio ainda está em construção…

A experiência são os andares de um prédio e para que esses andares sejam construídos, é necessário tempo.

Baijian ganhou uma grande quantidade de experiência nos dois desafios.

Se ele fosse mais velho, mesmo que a base não fosse tão poderosa quanto é agora, ele poderia construir o prédio.

Mas agora? O prédio ainda está no começo da construção e adicionar andares adicionais do nada não tem como.

Se adicionarmos novos andares prontos para um prédio que só tem a base, o prédio vai mudar completamente. Porque a base vai ter um design, e os andares terão outro design…

Então chegamos nessa situação.

Depois que Baijian fez esse segundo desafio, ele ganhou outra enorme quantidade de experiência… Uma experiência ainda maior que a do jovem empresário. Mas ele simplesmente não tem experiência o suficiente para assimilar a experiência do jovem empresário, quanto mais a do velho.

Tudo que ele tem é uma poderosa mente… E isso não é suficiente.

Ele percebeu isso tudo assim que acordou do segundo desafio:

Tudo foi em vão.

Ele ganhou as memórias, mas não as experiências.

É como assistir a um filme.

Em filmes, acontecem muitas coisas diferentes da sua vida, e se você tivesse passado por essas situações dos filmes, você teria ganhado experiência…

Mas quando você assiste como uma terceira pessoa, você só ganha a memória, e não a experiência de verdade.

E é isso que aconteceu com Baijian.

Ele se lembra de tudo como se fosse uma terceira pessoa. Tal coisa está deixando Baijian mais e mais confuso.

As duas pessoas dentro da sua mente agora, embora ainda não sejam poderosas o suficiente para deturpar seu corpo, estão fazendo Baijian ficar confuso.

É como se o jovem empresário e o velho médico estivessem falando com Baijian o tempo inteiro.

Três pessoas dentro de um corpo.

Baijian agora está com muitos problemas.

Mas depois de pensar um tempo, seus olhos brilharam:

“Eu estou fazendo algo errado… Preciso descobrir o que é. Eu já decidi que não adianta ficar esperando algo acontecer. Eu vou fazer as coisas acontecerem!”

Baijian tomou sua decisão e rumou para o terceiro desafio.

Ele já tinha tomado a decisão antes, e não vai ser agora que vai desistir.

Sem falar que ele pelo menos descobriu algo com o último desafio: Ele precisa fazer as coisas diferentes se quer que dê certo.

Nesse terceiro desafio, as coisas foram iguais.

Ele entrou e viveu a vida como outra pessoa. O corpo era de outra pessoa e ele tinha muitas memórias que não eram dele.

A diferença é:

A pessoa que ele mudou de corpo era um jovem de dez anos.

Por ser uma pessoa tão jovem, Baijian se identificou no começo e levou um tempo maior até ele finalmente se imergir no personagem.

O rapaz tem uma história bem lamentável.

Ele mora num pequeno país pobre e os pais o abandonaram quando era um bebê.

Ele foi depois passado de mão em mão, muitas pessoas que eram boas e não podiam cuidar dele, outras pessoas eram más e o machucavam…

Mas quando ele tinha mais ou menos dez anos, os seus pais adotivos, que eram pessoas horríveis, morreram num acidente e ele foi jogado nas ruas.

Dias depois, um homem o encontrou e o levou à força para um lugar.

Naquele lugar, ele foi examinado e então fizeram diversas experiências com ele. Baijian entrou em uma das experiências… A dor era enorme.

Baijian foi pego desprevenido, já que ele nunca sentiu tal dor.

Ele foi torturado uma e outra vez, injetaram muitas substâncias no seu corpo e fizeram diversos tipos de experimentos.

E no fim do dia, ele foi jogado numa jaula junto com vários outros jovens. Baijian entrou no personagem no final do dia, e depois a vida dele continuou.

Ele passava grande parte do seu dia sofrendo torturas e experimentos.

As pessoas nas jaulas com ele muitas vezes sumiriam e então apareceriam novas. E esse ciclo continuou.

Depois de cinco anos, quando o menino tinha quinze anos, ele já era uma pessoa totalmente diferente.

Quando ele tinha dez, já era muito maltratado, e portanto tinha uma personalidade introvertida.

Mas depois de cinco anos de intensas torturas e experimentos, ele era totalmente inexpressivo.

Ele já havia se acostumado aos experimentos e as torturas.

As torturas eram diversas e extremamente dolorosas.

Numa delas, seus dedos das mãos foram cortados e depois cuidadosamente costurados. Ele também levava diversas substâncias desconhecidas no corpo diariamente.

Ele muitas vezes, durante esses cinco anos, era levado para um local diferente.

Era uma arena, e ele era colocado contra outras pessoas que passaram a mesma coisa que ele. As lutas eram até a morte, e só saia de lá quando um morria.

Às vezes ele até mesmo lutava contra animais. Às vezes apareciam alguns animais diferentes, que eram muito mais fortes. Depois de cinco anos assim, ele cresceu com uma personalidade totalmente inexpressiva.

Seus sentimentos foram totalmente destruídos, e ele tinha zero de emoções.

Então, num dia, ele foi jogado numa arena pelo menos dez vezes maior.

Nessa arena, haviam outros iguais a ele, só que dessa vez não era apenas um, mas cinquenta. Imaginem só, ele foi torturado e lutou até a morte diversas vezes, e agora, ele tem que lutar contra outros iguais a ele, mas cinquenta ao mesmo tempo.

Foi uma enorme luta, e ele matou de novo e de novo. No final, ele matou todos eles sozinho, sem nenhum machucado.

Quando completou dezesseis anos, ele foi levado para fora do laboratório.

Deram-lhe muitos equipamentos, o ensinaram como usar e então o entregaram uma lista com vários nomes.

O objetivo era ele, junto com outra pessoa, matar todos os nomes na lista.

Essa outra pessoa era diferente dele.

Ao olhar para essa outra pessoa, ele não sentiu o mesmo sentimento que tem ao olhar para os jovens no subterrâneo iguais a ele.

Depois de alguns dias juntos, ele chegou para o homem e perguntou:

“Porque você é diferente de mim?”

O homem se virou para ele, o olhou profundamente, e lentamente respondeu:

“Porque eu sou um ser humano,  e você é um animal.”

Ao escutar, o rapaz não tinha nenhuma expressão no rosto e também nem se incomodou com a resposta.

Embora tenha sido criado em cativeiro, ele sabe quem ele é, e concorda com o homem:

Sim, eu sou um animal.”


Autor: ReaderBecameWriter | Revisor: Blame



Fontes
Cores