SE – Capítulo 41 – [Spolier]



Baijian se acalmou e foi para a cabana pensar.

Ele já entendeu que o objetivo não é vingança. Agora ele precisa entender o que de fato precisa fazer.

Depois de pensar por um tempo, sem ideia, ele ligou para Ye Hong.

“Hong, eu fiz um desafio agora e falhei…”

Baijian explicou tudo que aconteceu e tudo que percebeu.

Depois de escutar o conto de Baijian, Ye Hong respondeu:

“Baijian, não se culpe. Isso é algo que você não entenderia. A sua inteligência é uma faca de dois gumes. Assim como é muito benéfica, te ajudando em diversas situações, também é ruim, pois você aprende coisas mais rápido do que as digere.”

“Você tem que entender que existe conhecimento e existe experiência. O conhecimento é algo que para você, está ao alcance a qualquer momento…”

“Mas a experiência não. Experiência é algo que se ganha com o tempo… Só depois de viver o suficiente e ver coisas o suficiente, você ganha isso.”

“Você ainda é muito jovem e imaturo… Você simplesmente não viveu o suficiente para ter experiência o bastante e por isso não consegue entender essas coisas.”

“Você disse que tem a memória do rapaz lá, o filho do homem. Agora, pense como o rapaz e não como Baijian. Pense, seu pai acabou de perder tudo, faliu e agora está totalmente fora de si… O que você, como filho, deve fazer?”

Baijian pensou um pouco e respondeu:

“Animar ele?”

Ye Hong respondeu lentamente:

“Baijian, aí que entra a sua imaturidade. Como falei, não pense como Baijian. Pense como o rapaz, pense no que ele sente sobre o seu pai e o que ele faria caso não fosse você quem entrou no escritório, mas fosse ele. O que ele faria?”

Baijian começou a pensar novamente, mas não respondeu por um longo tempo.

Baijian não respondia então Ye Hong respondeu:

“Baijian, lembre-se dos sentimentos do rapaz pelo pai… Lembre-se das memórias que o rapaz tem do seu pai… Lembre-se no que ele pensa sobre o pai… Lembre-se sobre a vida ele… Pense nisso tudo.”

Baijian pensou por um longo tempo e Ye Hong não falou mais nada.

Depois de vários minutos, Baijian respondeu:

“Eu ainda não sei o que preciso fazer, mas tenho uma direção. Obrigado, Hong.”

Baijian rapidamente desligou, descansou na cabana e se dirigiu novamente ao desafio.

Eu não sei o que devo fazer, mas sei por onde começar.

Baijian ainda não entendeu, mas ele percebeu que a chave de tudo está no pai do rapaz, então ele vai começar por lá.

Assim que entrou no desafio, Baijian tentou falar com o homem diversas vezes, mas não conseguiu.

Depois disso, ele levou o homem até a mãe do rapaz, e ao ver o estado do seu marido e escutar o que aconteceu, a mulher chorou desesperadamente.

Baijian então começou a viver sua vida cuidando do homem.

Ele sabe que a chave para passar o desafio é o homem, só não sabe o que fazer.

Ele passou dias, semanas, meses assim.

Um dia, ele pareceu se lembrar e foi até a mulher:

“Mãe, e o dinheiro? Eu só fui me tocar agora que papai faliu… De onde está saindo o dinheiro que usamos para viver?”

A mulher não trabalhava e quem sustentava a família era o homem…

Com ele tendo falido e em tal estado, de onde vem o dinheiro?

A mulher respondeu:

“Você não precisa se preocupar com dinheiro, filho. Seu pai, por muitos anos, sempre salvou dinheiro de tempos em tempos para caso algo desse errado. Esse dinheiro permaneceu intocado.”

Baijian ficou confuso e respondeu:

“Quanto que é?”

A mulher respondeu um número que assustou um pouco Baijian.

“Tanto dinheiro?”

Baijian não sabia disso, as memórias do rapaz simplesmente não mencionaram todo esse dinheiro guardado.

Baijian foi ver o homem, que durante esse tempo simplesmente não falou mais e ficava só olhando para o tempo.

Os médicos diagnosticaram que a mente dele foi quebrada e nada mais consegue o alcançar.

Baijian obviamente não acredita nisso, até porque sua mãe nunca daria um desafio impossível.

Olhando profundamente para o homem que tomou conta por todos esses meses, ele falou lentamente:

“Eu pensei que você simplesmente não ligava mais para mim e mamãe… Eu pensei que você tinha se jogado totalmente nos negócios e tivesse se esquecido de mim…”

“Mas pensando bem, em todos os momentos mais importantes da minha vida… Seja nos aniversários, ou quando eu estava competindo, ou quando eu ficava doente… Em todos esses momentos, você esteve presente…”

“Você na verdade nunca se esqueceu de mim. Eu sempre estive na sua mente, é apenas…”

“É só que eu nunca percebi isso…”

De repente, a mulher que deveria estar em outro cômodo apareceu atrás de Baijian.

Consciente de sua presença, Baijian a olhou profundamente e então falou:

“Porque eu nunca percebi isso? Mãe, eu sempre via a senhora triste… E eu sempre soube que era por causa do meu pai… Eu pensei que era porque ele nunca estava presente…”

Nesse momento, na verdade, desde que Baijian soube do dinheiro que o homem separou, ele encarnou totalmente o papel do rapaz… Ele esqueceu totalmente quem é Baijian e na sua mente estão apenas as memórias, pensamentos e sentimentos do rapaz.

“Filho, eu sempre fui triste porque eu queria que ele estivesse por perto… Mas não é porque eu me ressinto que ele está longe. É que eu me sinto sozinha. Desde que nos casamos, eu sempre soube que ele busca seu sonho de ser um empresário bem sucedido. Por isso, eu me casei aceitando esse fardo… Isso porque eu o amo profundamente.”

“Mas não é que eu me ressinto em relação a isso. Até porque, se fosse esse o caso, eu não teria me casado com ele em primeiro lugar.”

“É apenas… Que antes disso, eu estava sempre com ele. Ele sempre esteve presente na minha vida e, portanto, mesmo que inconscientemente, coloquei isso como o normal da minha vida. E mesmo agora me sinto assim. Então ele estando longe… Eu não o culpo, eu culpo a mim mesma por ser tão fraca e não poder apoia-lo sempre que ele precisou.”

“Durante as raras vezes que ele voltava para casa, eu não ficava feliz. Isso porque eu sabia que ele ia ficar por pouco tempo e logo ia sair. Se pelo menos eu ficasse feliz quando ele estava aqui… Se pelo menos eu pudesse apoia-lo…”

“Eu me sentia péssima com ou sem ele… Então depois de tantos anos assim, eu acabei me tornando assim, uma pessoa melancólica.”

“Mas eu amo seu pai e sei que ele nunca se esqueceu de nós. Ele sempre pensa em nós. Você sabia? Quando ele voltava de noite, e você estava dormindo… A primeira coisa que ele perguntava era: Como está o menino?”.

“Ele sempre se importou profundamente conosco. E sei que, a todo o momento que estava trabalhando por seu sonho… Sempre pensou em nós.”

“Então, filho, não se ressinta com seu pai. Ele sempre quis o melhor para nós, mas ele também queria o melhor para ele…”

“Quando ele era jovem, seu pai morreu de tanto trabalhar na empresa… Então ele queria desesperadamente criar uma empresa e dar orgulho ao pai dele no céu.”

A mulher, depois de falar tanto, já estava falando aos soluços, chorando muito.

Baijian escutou o relato da mulher com olhos vermelhos, ele também está quase chorando.

Depois de pensar um pouco, Baijian falou:

“Obrigado, mãe.”

E então lentamente saiu do quarto.

Ele foi para seu quarto e se deitou, pensando profundamente sobre essas coisas.

Ele está pensando em um jeito de acordar seu pai.

No dia seguinte, ele acordou, foi até seu pai e falou:

“Pai, eu irei realizar o seu sonho e você vai estar ao meu lado, vendo tudo o que eu vou fazer.”

Depois disso, Baijian começou a trabalhar no seu plano:

Criar uma grande empresa.

Ele fará seu pai ver cada passo que irá tomar.

Ele pediu a sua mãe que cuide do seu pai enquanto ele trabalhava e Baijian passou um ano inteiro trabalhando na criação de uma empresa.

Durante esse tempo, cada ação que ele fez nos negócios, seu pai estava por perto.

Sua mãe também observou tudo isso com enorme orgulho.

Depois de um ano inteiro, com as habilidades de Baijian, a empresa se tornou muito grande.

Ele já mexe em vários mercados diferentes, e a empresa em si já tem algumas filiais em outros países.

Uma coisa que fez Baijian feliz foi que nos últimos dois meses houve sinais de melhora do seu pai.

Isso o deixou muito feliz e ele continuou trabalhando arduamente para que a empresa se torne maior e mais bem sucedida.

Hoje, Baijian estava novamente trabalhando, passando muitas ordens para muitos subordinados diferentes.

Quando seu pai, que estava a poucos metros dele, de repente fez um pequeno som.

Ao escutar o som, Baijian olhou para o lado e viu seu pai chorando sentado numa cadeira de rodas.

Ao ver o homem chorando, Baijian rapidamente correu até o homem e começou a falar com ele.

Sua mãe estava ao lado, vendo tudo isso com olhos cheios de lágrimas.

O homem ainda não parecia acordado, é só que ele estava chorando. Lágrimas escorriam dos olhos sem emoção do homem sentado na cadeira de rodas.

Baijian olhou profundamente para o homem, e tirou uma caneta que estava no seu paletó.

Ele colocou a caneta na frente dos olhos do homem sentado na cadeira de rodas e falou:

“Pai, você se lembra daquele dia dezesseis anos atrás? Quando me entregou essa caneta?”

Baijian parou por alguns segundos e continuou:

“Naquele dia você me disse as seguintes palavras…”

Baijian recitou palavra por palavra que seu pai disse.

Assim que terminou de recitar, ele continuou:

“Aquele dia foi muito especial para mim, já que foi o dia que recebi essa caneta. Desde aquela época, essa caneta tem se tornado muito importante para mim e eu cuidei muito bem dela. Se você olhar a caneta com cuidado, ela é a mesma de dezesseis anos atrás, não mudou nada. Não tem nem um único arranhão nela.”

Baijian parou um pouco e declarou:

“Isso porque essa caneta é o meu maior tesouro.”

Assim que o homem escutou essa última frase, ele tremeu e começou a chorar ainda mais.

“Desde aquele dia eu tenho buscado meus sonhos… Os sonhos que você me disse para ir atrás quando me entregou essa caneta. O meu sonho, desde aquela época, sempre foi ser igual ao senhor. E eu me esforcei ao máximo para estudar sobre negócios… Eu fiz isso escondido, para que, quando eu me juntasse ao senhor na empresa, eu pudesse ajuda-lo.”

“Eu queria que o senhor sentisse orgulho por me ter como filho… Esse é o meu maior desejo.”

Baijian parou um pouco, respirou fundo e continuou:

“Quando eu vim até a empresa, o senhor estava bem mau humorado e me incumbiu de algumas pequenas tarefas… Eu as fiz, e quando fui encontrar o senhor, descobri infelizmente que a empresa faliu. “

“Naquela época, foi um enorme choque para mim, mas eu pensei que o senhor ia dar a volta por cima e continuar… Afinal, é o seu sonho.”

“E eu queria ajudar… Mas no final, o senhor ficou nesse estado. Eu ou a mamãe temos que cuidar de você, e a cada dia o meu coração se sentiu doloroso.”

“Então eu decidi que eu iria criar uma grande empresa… Uma empresa muito maior que qualquer outra. Eu queria que o senhor visse isso tudo e sentisse orgulho de mim.”

“Pai, minha empresa agora é enorme, e graças as minhas habilidades eu consegui fazer ela tão grande em apenas um único ano…”

“O senhor tem orgulho de mim?”

Durante as últimas palavras, Baijian estava chorando. As palavras foram em meio a soluços.

Ele estava chorando tanto que nem dava para escutar direito suas últimas palavras.

Mas, assim que ouviu as ultimas palavras, um tremor percorreu o corpo do homem sentado na cadeira de rodas.

Ele lentamente e com dificuldade se levantou, a mulher que estava do lado o ajudou a se levantar.

Assim que se levantou, ele colocou a mão no ombro do seu filho, olhou profundamente nos seus olhos e falou lentamente:

“Filho, eu tenho muito orgulho de você.”

Ao escutar as palavras do homem, é como se algo se rompeu. Os três, o homem, Baijian e a mulher começaram a chorar e se abraçaram com força.

 

Titulo –

Filho, eu tenho muito orgulho de você


Autor: ReaderBecameWriter | Revisor: Blame



Fontes
Cores