SE – Capítulo 238 – Item estranho


Se levantando de sua cama, Baijian olhou para o horário, e viu que estava tudo de acordo com seus cálculos. Daqui a mais ou menos uma hora os materiais chegariam.

Indo até o banheiro, ele escovou os dentes e saiu do quarto.

Nesse momento, Xue’er, que estava no jogo com ele a poucos momentos, apareceu no fim do corredor saindo de um quarto. Ela se aproximou, e os dois desceram a escada da casa juntos.

“Os materiais já chegaram?”

Baijian usou sua mente para observar a casa, e ao ver que não tinha nada de diferente, ele respondeu:

“Não, ainda não chegaram. Provavelmente chegarão daqui a uma hora.”

Olhando para Baijian andando ao seu lado, Xue’er lentamente se aproximou e, tomando coragem, pegou sua mão.

Baijian sorriu ao ver quão tímida ela parecia ao pegar sua mão.

“Você quer andar de mãos dadas?”

Xue’er assentiu enquanto corava um pouco. Baijian segurou sua mão e andou com ela pro lado de fora da casa.

Os dois começaram a andar sem rumo de mãos dadas enquanto observavam o ambiente, e depois de trinta minutos de caminhada, eles voltaram para a casa e se sentaram à mesa do lado de fora.

De cima de um carrinho ao lado da mesa, Xue’er pegou um livro, e começou a folheá-lo, enquanto Baijian olhava para o tempo, esperando os materiais chegarem.

Vendo que ele estava em silêncio ao seu lado sem fazer nada, Xue’er sorriu e falou:

“Por que você não lê um livro enquanto espera?”

Olhando para Xue’er segurando o livro nas mãos, Baijian sorriu e comentou:

“Eu leio rápido demais, não vai gastar meu tempo.”

Xue’er então perguntou algo que ela esteve curiosa faz tempo:

“Quando você lê um livro de ficção tão rápido do jeito que lê, você sente o quê?”

Ligeiramente surpreso com essa pergunta, Baijian olhou para o livro que ela estava lendo e respondeu:

“Não sei dizer direito, mas acho que nada. Todas as informações passam tão rapidamente na minha cabeça que minhas emoções não conseguem reagir rápido o suficiente.”

Suspirando, Xue’er pegou um livro no carrinho ao lado e passou para Baijian:

“Toma. Você disse antes que consegue suprimir seu cérebro para jogar jogos na internet, certo? Suprima seu cérebro e leia um livro corretamente.”

Vendo que ela parecia séria ao falar isso, Baijian cuidadosamente pegou o livro. Se chamava: Mundo Estranho.

A história se tratava de um casal que entrou em um mundo estranho durante um encontro num parque de diversões. Esse mundo era extremamente assustador, com o céu vermelho, e ruínas para todos os lados.

Não havia pessoas, apenas coisas pretas que os protagonistas nomearam “Perseguidores”. Seus corpos eram pequenos, andavam em quatro patas, tinham um olho só, e eram densamente cobertos por pelos pretos.

Esses bichos estranhos, a principio, pareciam inofensivos. Quando o casal se deparou com um deles, os bichos não pareciam muito interessados, e simplesmente os olharam e voltaram a andar sem rumo.

Só que, à noite, esses bichos se tornavam completamente diferente. À noite, seus corpos totalmente pretos os tornavam praticamente invisíveis. A única coisa visível que não era preta em seus corpos, o branco dos olhos, também se tornava preto.

Eles se tornavam então agressivos, e se encontravam o casal, os perseguia continuamente. Com seus braços desengonçados, eles não conseguiam correr muito rápido, mas eles pareciam ter energia infinita. Então o casal passou por muitos problemas de noite.

Seja para se esconder, ou caso encontrassem um dos Perseguidores, para fugir.

A história seguiu como eles sobreviviam. O lugar parecia com o mundo moderno, mas como tudo estava em ruínas, era difícil encontrar bons lugares para se esconder.

Quanto à comida, eles encontravam de vez em quando árvores estranhas que davam um fruto estranho parecido com uma laranja completamente vermelha.

Essa fruta, de alguma forma, conseguia alimentar e saciar a sede do casal.

Depois de meses sobrevivendo, eles finalmente encontram uma base de sobreviventes, e descobrem que esse era o futuro pós-apocalíptico. Eles, de alguma forma, tinham viajado 200 anos pro futuro, e chegado nesse mundo de ruínas.

A raça humana havia descoberto algum tipo de minério em outro planeta, e depois de pesquisá-lo, descobriu que esse minério podia ser usado para criar armas extremamente poderosas.

Só que, depois de serem usadas em muitas guerras, resquícios desse minério se espalharam por todo o mundo como um vírus.

Houve um grande terremoto, todos os assentamentos sofreram, e muitas pessoas morreram. Dos corpos das pessoas mortas, esses monstros, que os sobreviventes chamavam de Fantasmas, começaram misteriosamente a nascer.

Esses monstros eram dóceis de dia, mas à noite, eles atacavam as pessoas, e depois de cinquenta anos, só sobraram 5% da população mundial viva.

O choque de terem ido para um futuro tão sombrio deixou o casal em desespero. A menina entrou em depressão, e o rapaz ficou chocado a ponto de não saber como reagir.

Durante esse tempo, alguns sobreviventes mal-intencionados tentaram estuprar a bela namorada do rapaz.

Nesse momento, o rapaz entrou em completo desespero, e como último meio, explodiu ele, a namorada e os agressores.

A explosão supostamente matou o casal, e os agressores.

No final do livro, o casal sobreviveu. A menina, depois da explosão, conseguiu tirar o rapaz do fogo. O rapaz entrou em coma, e a menina jurou protegê-lo.

Quando terminou o livro, Baijian ficou surpreso com o quanto ele ficou preso lendo. Embora ele não chegasse ao nível de antigamente onde ele se concentrava em algo a ponto de esquecer de tudo à sua volta, ele quase chegou nesse nível.

Para ele, o livro foi bem instigante. A história foi interessante, com muitos clímaces que o deixaram ansioso, os personagens pareciam reais, o enredo era divertido, e o mundo parecia muito realista.

Durante a leitura, ele até conseguia imaginar as cenas como se fosse um filme. Usando as descrições, e algumas imagens que havia no livro, ele praticamente criou um filme dentro da própria cabeça com tudo que ia acontecendo.

Para Baijian, essa experiência foi tão divertida, que suas expressões durante a leitura eram bem vívidas.

O que, obviamente, eram coisas raras para esse rapaz.

Quando finalmente terminou o livro, Baijian respirou fundo, e olhou para Xue’er que estava sentada ao seu lado.

Nesse momento, ela estava com a cabeça deitada em cima da mesa com o rosto virado para sua direção. Quando percebeu que ele tinha terminado o livro, ela se levantou com um sorriso embaraçado.

“Você estava me observando?”

Baijian perguntou com um sorriso, e Xue’er assentiu lentamente com a cabeça. Quando viu que ele estava tão absorto no livro, e demostrando gostar tanto do que lia, Xue’er não conseguiu se segurar.

Ela não podia mais se concentrar em seu próprio livro, e simplesmente deitou o rosto em cima da mesa para observá-lo lendo.

Vendo seu rosto embaraçado, Baijian se aproximou com a cadeira, e a abraçou. Movendo a boca para perto da orelha dela, ele falou:

“Foi divertido? Me assistir lendo um livro?”

Xue’er o abraçou e assentiu com a cabeça em silêncio.

Os dois permaneceram abraçados por alguns minutos, e finalmente, Baijian perguntou:

“Gastei três horas lendo o livro, os materiais já chegaram?”

Xue’er assentiu, e se afastou de seu abraço. Se levantando, ela começou a andar em direção à casa enquanto falava:

“Não muito tempo depois que você começou a ler, eles chegaram. Eu mandei eles deixarem os itens na garagem.”

Com um sorriso, Baijian a seguiu:

“Eu estava mais absorto no livro do que pensei. Nem vi eles chegando, ou você saindo do meu lado.”

Se virando para olhá-lo, Xue’er respondeu com uma pequena risada:

“Foi sua primeira experiência lendo um livro normalmente. Pelas expressões que você estava fazendo enquanto lia, tenho certeza que foi uma experiência muito divertida, é normal você não perceber essas coisas.”

Baijian sorriu e não comentou mais nada sobre isso.

***

Em um pátio vazio, Baijian olhou para todos os itens que estavam dispostos no chão, e tentou acalmar suas emoções.

A espinha de mais de duzentos metros havia sido dividida em vinte partes por Baijian, cada uma com mais ou menos dez metros de comprimento.

A carne e o sangue haviam sido conservados de forma correta, o coração estava em um líquido especial, e o núcleo estava dentro de uma pequena caixa de madeira.

Primeiro, Baijian pegou a espinha, e cuidadosamente cortou vários pedaços pequenos, cada um do tamanho da ponta de um dedo mindinho.

Depois de alguns minutos, ele cortou cem pequenas pedrinhas brancas e cuidadosamente as colocou em um frasco de vidro.

Nesse momento, Salon apareceu atrás de Baijian e comentou:

“Tem certeza que quer apenas cem?”

Sem nem olhar, Baijian respondeu:

“Se eu precisar de mais no futuro, só preciso fazer. Com a formação completa, fazer isso será mais fácil.”

Salon lentamente assentiu com a cabeça, Baijian estava certo.

Depois de colocar os pedacinhos de osso em um frasco, ele pegou o frasco contendo sangue e cuidadosamente derramou no frasco contendo os pedaços de osso.

Quando cobriu os ossos completamente com sangue, Baijian pegou o coração seco de dentro do líquido transparente. Colocando em cima de um pano, ele cuidadosamente massageou o coração seco, adicionando água de tempos em tempos.

Quando o coração seco parecia mais úmido e macio, ele colocou em um pequeno moedor de carne. Depois do moedor de carne transformar o coração seco em algo parecido com carne picada, ele colocou tudo em um pote, e também adicionou sangue.

Pegando a caixa contendo o núcleo de energia, Baijian jogou o núcleo dentro do pote contendo o coração picado, e fechou com uma tampa.

Indo até o pote contendo os ossos, ele cuidadosamente pegou um, e usando uma ferramenta, ele esculpiu um símbolo estranho.

Era apenas um monte de linhas interligadas formando uma espécie de diagrama.

Depois, ele fez isso em cada um dos cem pedaços de osso, sempre colocando os pedaços de osso esculpidos com o símbolo dentro do pote contendo o coração picado.

Quando finalmente terminou, Baijian se levantou, deixando o pote no chão, e foi em direção ao centro da propriedade carregando vários pedaços da espinha do monstro.

No centro da propriedade, um lugar que antes não tinha nada, havia agora um belo palácio completamente branco. Olhando para o palácio de longe, Salon elogiou:

“Não é grande, mas é bem bonito, você que projetou?”

Baijian assentiu com a cabeça. Ele havia pedido para vários arquitetos famosos fazerem um belo palácio, mas ele não ficou satisfeito com nenhum modelo. Depois de juntar algumas boas ideias que esses arquitetos tiveram, com suas ideias, ele criou esse belo palácio.

Embora não seja um palácio gigantesco, é muito maior que a Casa Branca. Tinha sessenta metros de altura, com várias belas colunas ornamentadas, e sua área ocupava uma boa parte da propriedade.

A Casa Branca nem se comparava com esse palácio.

Dentro do Palácio, Baijian se dirigiu até a parte central, e subiu as escadas até o topo. No topo, Baijian apareceu em cima de uma torre no centro do palácio.

Dali de cima, dava para ver a casa em que eles estavam antes, e várias outras torres brancas que cercavam o palácio como se fossem suas protetoras.

Xue’er também os seguiu, mas como sabia que Baijian estava concentrado no trabalho, ela estava em silêncio atrás dele o tempo inteiro.

Ela já tinha visto o palácio de antes, mas é a primeira vez que entra nele, e a primeira vez que sobe essa torre.

Olhando para a vista, ela ficou tão feliz que permaneceu em silêncio apreciando o lugar, pensando depois em voltar ali para pintar a paisagem.

Baijian estava concentrado em seu trabalho, então deixou Xue’er em paz, e foi em direção ao centro do salão.

O Salão era coberto por um teto, e no centro, havia um pedestal branco estranho com uma bacia branca cheia de água.

Baijian colocou os pedaços de espinha no chão e se sentou. Ele então passou a cuidadosamente cortar a espinha, transformando esse grande e circular pedaço de osso em inúmeras pequenas argolas de dez centímetros de diâmetro.

Foi um trabalho exaustivo, mas ele se concentrou ao máximo em fazer, e finalmente, depois de fazer vinte argolas, ele pegou a ferramenta de esculpir, e começou a esculpir inúmeros símbolos nelas.

Os símbolos cobriam densamente as argolas, eram estranhos, e pareciam não ter um padrão.

Quando terminou, ele pegou duas argolas e recitou algumas palavras estranhas. Quando terminou, ele ficou em silêncio por dois segundos, e finalmente empurrou as duas argolas uma em direção à outra.

Quando entrou em contato, por incrível que pareça, nenhum barulho de impacto aconteceu, as argolas simplesmente se juntaram, se tornando uma só.

Duas argolas haviam se tornado em uma só que de forma estranha. Se sobrepondo, uma delas desapareceu, e uma nova argola apareceu. A nova argola parecia ser só um pouco mais grossa, e os símbolos mudaram completamente.

Ele então pegou outras duas argolas, fundiu-as em uma, e pegando as duas argolas que foram fundidas antes, ele as fundiu também. Finalmente, ele conseguiu uma argola ligeiramente mais grossa com símbolos ainda mais estranhos. Essa argola era o equivalente a quatro argolas menores de antes.

Ele repetiu o processo usando o resto das argolas que tinha feito, e conseguiu então cinco argolas, todas eram equivalentes a quatro pequenas argolas.

Pegando todas essas argolas, Baijian colocou na palma da mão e começou a recitar outro conjunto estranho de palavras.

De repente, as argolas começaram a se organizar na palma da mão, e finalmente, se organizaram em algo estranho parecido com uma esfera armilar.

Baijian continuou a falar as palavras estranhas por mais algum tempo, e quando parou, ele começou a observar a esfera estranha na palma da sua mão.

Ela era uma esfera que tinha cinco argolas brancas interligadas. O mais estranho era que, quando você tocava as argolas, elas se moviam circularmente, como se fossem magnetizadas.

Elas podiam se mover de quase qualquer forma possível, mas sempre mantinham uma forma parecida com uma esfera.

Quando as argolas se tocavam, parecia como se elas passassem por dentro uma da outra.

Era um item realmente estranho.


Se você gosta do nosso trabalho e quer nos ajudar,
não esqueça de nos Avaliar e dar seu Feedback,
isso é muito importante para todos nós.
🉐


Autor: ReaderBecameWriter  |  Editor: Delongas



Fontes
Cores