LOVCI – Capítulo 00 – Prólogo


A freira seguia apressada pelo corredor em chamas, tinha em suas mãos sangue que não era dela e o horror no seu semblante. O prédio em chamas era o lar das jovens freiras, o lugar com séculos de existência agora perecia rapidamente.

Assim que chegou ao salão encontrou a criatura, banhada em sangue e exibindo um comportamento assassino. Ficou congelada, sempre soube que algo assim poderia acontecer, mas não pensou que ele teria coragem de fazer isso.

― EU TE ACOLHI! ― Ela gritou em prantos.

A criatura lhe olhou e sorriu, tinha olhos dourados como ouro derretido e uma fumaça negra ao seu redor. Todos já tinham ouvido falar dele, o Dragão Negro era o maior medo do Governo Celestial, um Orasukiro Demoníaco. Agora a Madre Superiora se arrependia de tê-lo escondido, era o próprio mal.

― OS DEUSES NUNCA VÃO TE PERDOAR! ― Ela gritou e sentiu no mesmo instante o golpe perfurar seu estômago.

A criatura estava ali, foi tão rápido que ela apenas percebeu o vulto negro. A mão dele estava atravessada no seu corpo, seus olhos dourados brilhavam com ódio e rancor.

― Tenha a certeza que eles também nunca te perdoarão, velha maldita! ― A criatura rosnou e então puxou bruscamente sua mão de volta.

A Madre caiu de joelhos com os olhos arregalados, quando seu corpo enfim chegou ao chão ela já estava morta. A criatura observou satisfeita, riu com prazer e observou o caos do local. Sentou-se nos degraus com um sorriso no rosto, seus olhos brilhavam ainda mais com o seu desejo e sede de sangue realizado.

― Agora falta pouco para te encontrar, e eu irei. ― Prometeu pensando em voz alta.

 

Reino Oeste, Cidade Taisan – Noite, 18:34

4 anos mais tarde…

 Ezza acabava de sair da biblioteca, já era noite e em breve o toque de recolher obrigaria todos a voltar para suas casas. Era uma garota alta, muito magra e de olhos negros profundos, tinha cabelos curtos acima da orelha e sempre usava blusas escuras de mangas compridas com gola alta.

Andando pelos becos escuros pelos quais passava todos os dias, ela se sentiu observada. Escutou até mesmo passos bem perto, correu quando sentiu algo agarrar seu ombro. Desceu a ladeira de pedras ainda sentindo algo bufando atrás de si, não queria olhar para não perder o ritmo, quando virou a rua bateu em algo e caiu sentada.

― Você está bem? ― O oficial ruivo e alto perguntou, usava a farda do Exército Celestial.

― Algo está me perseguindo! ― Ezza estava ofegando.

― Fique aqui! ― Ordenou ele e foi pelo caminho da ladeira, Ezza não o obedeceu e o seguiu.

Não havia ninguém, Ezza tinha seu coração acelerado e precisou se sentar para recuperar seu fôlego. O oficial se aproximou preocupado, era um homem troncudo, mas possuía olhos gentis.

― Você não parece bem, precisa de algo? ― Ele perguntou ao perceber que ela ficou branca de repente.

― Estou bem. ― Afirmou ela respirando forte.

― Você mora por aqui? Posso te acompanhar até sua casa. ― Ele se ofereceu de forma amigável, mas recebeu um olhar irritado de volta.

― Já disse que estou bem! ― Respondeu ríspida.

O oficial então decidiu deixá-la sozinha, seguiu seu caminho bufando e pensando: “Que falta de educação, eu deveria pegá-la pelo braço e levá-la mesmo assim!”. Decidido, voltou pelo caminho que fez determinado a ajudá-la, no entanto acabou encontrando a garota desmaiada na calçada.

A pegou em seus braços, era tão magra que ele sentia seus ossos, ela com certeza não estava bem.

― Moça? Acorda! ― Ele a sacudia, mas ela não acordava.

Ezza não poderia acordar agora, estava tendo um sonho.

Nesse sonho ela estava em uma floresta sozinha, chorava sentindo seu coração apertando cada vez mais em seu peito, ainda era apenas uma criança. Então viu surgir do escuro uma criatura de aparência fantástica, tinha enormes olhos dourados e lhe olhava com piedade.

― Quem é você? ― Ela possuía curiosidade no olhar.

― Sou o Dragão Negro. ― Respondeu ele.

 


Autor: Ana Júlia | Revisor: Ana Júlia


 


Fontes
Cores