LA – Capítulo 40 – Notícias



Depois da conversa com a irmã, Rafael foi ao encontro de seu pai que se alegrou ao ver o filho.

— Era com você mesmo que eu precisava falar. — o supremo então, colocou a mão no ombro de seu filho o conduziu para uma pequena sala na qual pudessem ter privacidade. Indicou uma cadeira para que o filho sentasse e ele logo, ao seu lado, fez o mesmo. Encarou-o por alguns segundos, uma visão penetrante, direto nos olhos, mas na verdade parecia ver muito além, por um segundo o príncipe constrangeu-se, pois era como se o supremo conseguisse extrair toda a verdade sem ter feito ao menos uma pergunta e ele nada respondido.

— Sua volta era mais do que aguardada após finalmente concluir seus estudos. Me diga, já se acostumou com o nosso clima?

— Sim pai. Apesar de ter vivido por longos anos em temperaturas mais suaves o sangue do Norte continua correndo em minhas veias.

— Excelente! — disse o supremo sorrindo. — Eu adoro essas suas respostas, a maneira como fala, você é sempre muito espirituoso e autêntico.

— Obrigado pai. — respondeu Rafael orgulhoso.

— Sei que estou diante de um grande espadachim que fará muito pelo reino neste sentido. Desde de cedo dedicou-se a espada, recebeu ainda jovem o direito de manusear glacial que é um dos mais impressionantes tesouros do nosso reino e, no entanto, eu necessito agora confiar a você um outro tipo de missão. Uma missão que vai exigir de você outras habilidades e que por fim cumprirá também a missão de te transformar.

— Que missão seria essa, meu pai?

O supremo então colocou sobre a mesa uma carta. Rafael lançou um olhar curioso sobre a mesma.

— Vamos, leia.

Hesitante Rafael pegou a folha e a desdobrou e enquanto lia seu pai disse:

— Quero que decore cada palavra, que as diga com naturalidade como se fossem de sua própria autoria e depois destrua este pedaço de papel.

— Mas isso são termos para estabelecimento de uma aliança.

— Sim, como sabe o grande conselho de maneira geral foi contrário a um envolvimento imediato na guerra. Pensando nisso eu decidi que o melhor a fazer é estabelecer um acordo de ajuda mútua com os reinos mais próximos. Este ato que deve ser amplamente divulgado será o primeiro passo para medirmos as reais intenções expansionistas dos povos do Leste.

— O senhor acredita que eles irão se intimidar?

— Ainda não sabemos o que os motiva, mas é sabido que um conquistador nunca percebe quando deve parar e pelas informações que temos essa invasão é composta por quatro nações, todas além do grande deserto. O custo, tempo e recursos necessários para dar manutenção a uma guerra desta proporção pode faze-los pensar duas vezes, até mesmo dividi-los quanto a futuras investidas.

— Entendo. Então esta proposta deve ser entregue exclusivamente a Porto Celeste e Álbion?

— Você não irá entregar carta alguma, você irá negociar os termos em bom tom com os regentes destes dois reinos. Não estou mandando um mensageiro, estou mandando um representante direto do trono que será capaz de tomar as melhores decisões para estabelecimento de um acordo.

— E quanto aos demais reinos?

— Bem, Ária e Bravia já caíram e Merídia se encontra no extremo sul, além de distante eu sinceramente não acredito que eles terão interesse pois o rei deles é jovem e pouco sensato.

— Noto que este assunto é política pura, porque eu em vez do meu irmão?

— Porque isto é estratégia e necessitará que decisões sejam tomadas rapidamente e acredito que você se saíra muito bem nesta missão. Não ache que será fácil, mas acredite em mim quando digo que após concluir o primeiro acordo, o segundo fluirá muito melhor. Prepare-se meu filho, você terá muito o que fazer em nome deste reino a partir de agora.

Um misto de orgulho e receio dividiam Rafael que tentava assimilar tudo que foi dito.

— Quando partirei?

— Sei que acabou de chegar e que gostaria de ficar com a família, mas não temos muito tempo. Prepare uma pequena comitiva e parta em dois dias.

— Sim senhor. — disse Rafael hesitante e então completou. — Gostaria que Edmundo fosse comigo.

— Pediremos que ele o alcance assim que retornar de sua pequena viagem.

Rafael então sentiu-se aliviado pois para ele tão importante quanto ajudar o reino era poder cumprir sua palavra e ainda oportunamente se encontrar com Lana mais uma vez. Era como se três grandes planos convergissem num só resultado.


Autor: Breno Lima   |   Revisor: Matheus Esteves



Fontes
Cores