FNR – Capítulo 09 – A despedida e o novo caminho



— Mestre, vai mesmo nos deixar?

Uma criatura que nunca vi como igual me faz essa pergunta, era um grandioso lobo com uma linda pelagem que mesclava entre as cores branca e dourada, um par de asas brancas puras saiam de suas costas e sua altura superava os dois metros, a única característica que não mudou foi um único chifre que saia de sua testa, foi um choque para mim acordar no dia seguinte e saber que esse ser totalmente transformado é na verdade meu amigo, o lobo Ray.

Ainda um pouco espantado com a visão eu tento mudar meu foco respondendo sua pergunta:

— Eeeeh!… Sim Ray, irei deixar a floresta!

Todos os lobos de chifres incluindo os filhotes sofreram uma espécie de evolução depois de vencer a luta contra a Tartaruga Dragão.

Eu uso a avaliação em Ray e verifico se status:

STATUS:

Nome: Ray Raça: Lobo de Chifre Celestial Gênero: Macho
Força: 100 Resistência 51
Agilidade 80 Destreza 80
Sabedoria 40 Inteligência 75
Carisma 89 Poder Mágico 233
Ataque 90 Defesa 75

Habilidades:

Liderança NV 04, Rastrear NV 09, Sobrevivência NV MAX, Caçar NV 08

Perícias:

Status, Resistir a elementos (Luz) NV 01, Voar NV 05

Habilidades Especiais:

Enfeitiçar NV 01, Telepatia NV 01

Habilidades Únicas:

Proteção divina do Fenrir

Habilidades Mágicas:

Luz mágica NV01, Vento mágico NV 01, Trovão mágico NV 01

Poderes:

Storm Energy Ray

Eu vejo que Ray recebeu o título de servo da besta lendária e resolvo usar a avaliação para averiguar:

Proteção divina do Fenrir:

  • Benção divina: As criaturas devotas a besta lendária Fenrir ganham sua proteção divina.
  • Acesso a evolução: como uma das habilidades dos servos da besta lendária Fenrir, seus devotos ganham a capacidade de evolução.
  • Crescimento rápido: o crescimento das criaturas devotas a besta divina é duas vezes mais rápida.

— Hun! Isso é muito bom!

Ray me observa de forma duvidosa, claro que depois de ficar alguns minutos parado só o encarando ele tratou minha atitude como estranha.

Eu coço a cabeça e pronuncio:

— Ray precisamos conversar!

Por horas eu conversei com Ray sobre o porquê de minha despedida, foi realmente muito difícil convencê-lo, no começo ele insistia em ir comigo, porém eu mostrei a ele os fatos e expus que era impossível trazê-lo em minha jornada, pois eu mesmo estava perdido nela, triste e cabisbaixo Ray finalmente tinha cedido a meu pedido.

“Ray eu quero que você tome conta da alcateia e lidere os lobos em minha ausência”

— Mestre! Isso significa que voltará um dia?

— Claro que vou voltar! só não sei quando.

Ray abaixou os olhos e suas lágrimas começaram a cair, eu fiquei triste com aquilo e meus olhos lacrimejaram também.

— Pa.. Pare com isso Ray! não é o fim do mundo!

— Mas… Graças ao mestre… graças ao mestre nós começamos a enxergar a vida de outro modo, reconhecemos a importância uns dos outros, não como um grupo de caça e sim como uma família, isso foi uma dádiva que nos uniu ainda mais, eu que nunca tive nada para me orgulhar, recebi um nome admirável de meu mestre e finalmente aprendi a sentir orgulho de mim mesmo ao ponto de um milagre acontecer e todos evoluirmos… mestre eu…

Me aproximei de Ray e acariciei sua cabeça, senti em minhas mãos o quanto ficou macia sua pelagem agora, com um peso no coração eu terei que partir.

— Ray como eu disse isso não é um adeus, eu preciso resolver meus assuntos e libertar meu coração, quando isso acontecer eu voltarei, neste mundo, aqui é o único lugar que posso chamar de casa.

Ray confronta minha face e força um sorriso dizendo:

— Cuidarei bem do seu lar na sua ausência mestre!

— Obrigado meu amigo.

Embora dei o aviso de partida, levou uma semana para fazer todos os preparativos, primeiro eu melhorei minhas vestimentas, graças à prática, minha perícia em corte e costura chegou no nível máximo, com isso fiz minha última vestimenta nessa semana usando a pele do lobo infernal e partes do corpo da Tartaruga Dragão, o resultado foi muito bom.

Fiz uma armadura de couro leve e calças com o couro do lobo infernal, com as partes do casco da Tartaruga Dragão fiz braçadeiras, pois comportar as correntes apenas com meus braços sem nenhuma proteção se mostrou muito desconfortável.

Com as escamas da Tartaruga Dragão junto ao restante do couro do lobo infernal também fiz botas longas, a mata sempre foi densa, botas eram a melhor opção de calçado. As sobras guardei em meu espaço dimensional.

Com o couro dos coelhos desviantes fiz uma mochila para guardar meus pertences.

Todos os itens que foram feitos por mim tinham uma aparência muito boa, apesar de não ter ideia do senso de moda desse mundo, eu fiz minhas vestimentas com o combate em mente, isso deveria ser o suficiente.

Novos equipamentos adquiridos:

  • Armadura de couro leve obra prima: armadura especial de alta qualidade feita com a pelagem de um raro lobo infernal. Concede ao seu usuário um bônus de +15 de DEF.
  • Braçadeiras selvagens obra prima: trabalho com materiais de alto nível, usando os materiais de um monstro de categoria “A” deu as braçadeiras selvagens uma habilidade mágica de proteção. Modelo especial feito sobre medida para comportar as correntes Lendárias Gleipnir. Concede um bônus de + 25 de DEF e a habilidade mágica pele de ferro.
  • Botas Selvagens obra prima: trabalho de alto nível que usou os materiais dos monstros Tartaruga Dragão e Lobo infernal. Bônus + 10 de DEF e + 05 de ATQ.
  • Bolsa branca fofa: Feita com pele de coelho deviante. Uma bolsa macia, resistente e bonita.

— São bons itens, mas o último tem informações inúteis!

Eu uso a habilidade Status para ver meus status atuais:

STATUS:

Nome: Ferus Raça: Bestial Lobo Divino Gênero: Masculino
Idade: 14 anos Classe: Usuário de Correntes Nível: 10
Força: 900 +100 Resistência 700
Agilidade 900 +100 Destreza 900 +100
Sabedoria 100max Inteligência 100max
Carisma 200max Poder Mágico 900 +100
Pontos de Vida 1150 Mana 970
Ataque 900 +115 Defesa 710 +45

Equipamentos:

Arma Bônus Propriedades Material
Correntes Gleipnir +100 FOR, AGI, DES e PM Não avaliável Não avaliável
Proteção Bônus Propriedades Material
Armadura de couro leve +15 ATQ  Obra prima  Couro + Carapaça
Braçadeiras selvagens +25 DEF  Obra prima  Couro + Carapaça
Botas selvagens +10 DEF +10 ATQ  Obra prima  Couro + Carapaça

Perícias:

Saltar NV MAX, Acrobacias NV MAX, Escalar NV 07, Sobrevivência NV MAX, Esportes NV MAX, Artes marciais NV MAX, Arquitetura rupestre NV 05, Artesanato NV 05, Confecção de Ferramentas NV 05, Arte rupestre NV 03, Culinária NV 06, Concentração NV MAX, Usar arma exótica (correntes) NV MAX, mestre usuário de correntes NV MAX, Furtividade NV MAX, Esconder-se NV 05, Ocultar presença NV 04, Desmantelar NV 08, Corte e costura NV MAX, Sentir presenças NV MAX, Sentir intenção assassina NV MAX

Habilidades:

Status, Avaliação NV 02, Regeneração NV 02, Força dos gigantes NV 02, Pele de titânio NV 02, Resistência a magia NV 02, Ocultar Status NV 01, Super sentidos NV 01

Habilidades Especiais:

Imunidade a magias mentais NV 04, Imunidade a venenos NV 05, Vínculo de existência(especial)

Habilidades Únicas:

Crescimento rápido, aprendizagem rápida, Desenvolvimento acelerado

Habilidades Mágicas:

Espaço dimensional, Usar magia simples

Técnicas:

Índigo Chains NV 04, Connection with Chains NV 05, Guilhotine Chains NV 03

Títulos:

O senhor da montanha

Eu descobri que há um limite para os atributos: sabedoria, inteligência e carisma, eu atingi o máximo nesses.

Na verdade eu não sei nada sobre os atributos, o que sei sobre as habilidades e o resto descobri sozinho, eu decidi que já é hora de encontrar com a civilização desse mundo, assim posso obter informações valiosas para o futuro.

Saí de minha cabana e lá a minha espera todos os lobos companheiros do nosso grupo me aguardavam, nenhum deles era mais um lobo de chifre comum.

Lila que agora possui uma pelagem negra e uma longa cauda que imita uma plumagem negra azulada.

Ela branda para mim:

—Mestre, por favor fique!

Scar que também não ficou para trás, mostrou sua nova aparência com sua pelagem vermelha incandescente, suas cores eram tão vivas quanto uma chama acesa, ele junto a Lila pede:
— Mestre Reconsidere!

Rock foi o maior de todos, enquanto os demais cresceram a altura de um pouco mais de dois metros, Rock tinha o dobro deles em altura, no lugar de sua pelagem uma superfície lisa como mármore a ocupou, esse amigo não disse nada, mas chorava desenfreadamente, de fato a aparência não condiz com sua doçura.

Fang que acompanhou Rock com sua lágrimas, também mudou consideravelmente, ele agora é como a própria mata, sua pelagem verde musgo se mesclava facilmente com as árvores e arbustos da floresta.

Todos eles ao contrário de Ray são lobos de chifre elementais, o único lobo de chifre celestial dentre eles foi o Ray.

Eu fecho meus olhos com meu coração dolorido com essa despedida, mas a decisão já foi tomada de uma forma bem melancólica e cheia de lágrimas eu me despeço desses caras.

Eles são a minha família nesse mundo e um dia quando tirar as dúvidas de meu coração e o pesar de minha alma esse se tornará meu refúgio final, disso eu sei bem.

Acenando sem olhar para trás eu me despeço de meus camaradas lobos e rezo que possa ser aceito em outros lugares como fui aceito aqui.

Diante a uma colina próxima eu vejo pela última vez a silhueta de meus companheiros lobos que de cima da colina uivaram coletivamente em minha homenagem como um adeus final, isso abalou meus sentimentos e me fez chorar.

E assim eu me despedi de minha matilha por meio de um adeus melancólico que em vez de lágrimas tomou a forma de um uivo na luz do dia.

O país de Lemur, terra natal dos homens bestas, hoje intitulados como a raça dos bestiais.

Dentro da raça dos bestiais existe uma variedade imensurável de subespécies que se dividem em clãs, o mais famoso e poderoso clã é o clã dos leões, no qual descende da família real do país.

Cada clã é nomeado de acordo com a espécie animal que tem origem, como o clã dos gatos, o clã dos tigres, o clã dos ursos e etc.

Devido às diferenças raciais aparentes o país de Lemur vive em um ambiente natural de segregação racial, algumas raças sempre se acharam superiores às outras.

Isso criou uma divisão clara nas camadas da sociedade de Lemur, cidades inteiras muitas vezes só admitem membros de seu clã nela, causando até guerras caso aja desacordos.

De fato Lemur é um país complicado de se estar, muitos o evitam devido a essas circunstâncias.

A nova monarquia de Lemur, luta para amenizar essa situação lamentável, o jovem rei de Lemur adota uma postura diferente de seus antecessores, buscando uma igualdade social, isso melhorou o quadro do país.

Sem saber de nada sobre esse país complicado, o jovem Ferus caminha por sua estrada adentrando seus domínios.

Em uma estrada deserta duas criaturas que espreitam em arbustos conversam em baixo tom:

— Ei Hiefk, será que vai demorar para alguém passar?

— Eu não sei, entretanto não podemos voltar de mão vazias, ele pode nos matar dessa vez!

— Urgh! Mas é que tenho fome!

— Quieto Gruvus! Os mortos não comem então vamos nos concentrar em nos manter vivos.

Os dois que discutem na espreita são criaturas humanóides que têm pelagem cobrindo todo seu corpo, apesar de andarem, falarem e agirem como humanos suas cabeças eram como a cabeça de hienas.

Armados com lanças de má qualidade, eles esperam na estrada vítimas em potencial, para assim tomar seus pertences, são os típicos ladrões.

Hiefk, que parece o mais esperto escutou graças a sua boa audição os passos de um potencial padecente vindo em sua direção.

— Prepare-se Gruvus! Finalmente alguém está vindo!

Gruvus toma postura com o aviso de seu companheiro.

A sombra que estava longe começa a tomar forma e a aparência da suposta vítima se mostra aos dois, um jovem de pelagem negra, seu rosto é como o de um humano, todavia tinha orelhas de lobo e uma longa cauda, seus olhos tem uma intimidadora cor dourada, apesar de jovem, o andarilho apresenta uma pose imponente e respeitosa em seu jeito de andar.

Gruvus engole seco e reclama:

— Hi… Hiekf esse cara parece perigoso, sabe ele é do clã dos lobos não é?
— Você tem razão, mas eu nunca ouvi falar de um clã de lobos com a pelagem negra… Esse cara com certeza é a merda de um mestiço, se for o caso tivemos sorte, olhe bem! tudo que ele tem, parece de alta qualidade, Hihihihihihihihihi! Tiramos a sorte grande!

— Eu não tenho certeza!

— Cala-se! Não podemos hesitar, ou enfrentamos esse cara, ou encaramos o Laruk, o que você prefere?

— Guh! Va… Vamos!

— Tsk! Foi o que eu pensei!

O jovem se aproximou a uma distância considerável dos bandidos e eles saem da espreita visando surpreender o jovem bestial lobo!

— Han! Sinto muito meu jovem, parece que a estrela da sorte não brilhou para você hoje, mas não se preocupe eu vou poupá-lo se nos der tudo de valor e….

— Eh! Hiefk! Parece que ele não te ouviu…

O jovem passou pelos homens hienas como se eles nem estivessem lá.

Uma enorme veia se mostrou na cabeça de Heikf que grita:

— COMO OUSA ME IGNORAR MALDITO!?

O homem hiena corre com toda velocidade e toma a frente do jovem garoto que para e dá um longo suspiro:

— AAAAAAFS! O que você quer?

— Você não ouviu? Eu disse para me deixar tudo que tem de valor agora!

— Não!

Com a resposta negativa e seca, o jovem lobo desvia de Hiefk e segue seu caminho, Hiefk teve todo seu sangue subindo para sua cabeça, ele nunca tinha sido tão humilhado em uma tentativa de assalto.

Com um olhar cheio de intenções assassinas Heikf se arma com sua lança, o jovem lobo parou seus passos sem se virar e avisou:

— É melhor nem tentar! Eu digo isso para seu bem.

Gruvus tinha uma sensação péssima em relação ao jovem e pediu a Hiekf:

— Ei Hiekf, vamos deixá-lo ir, eu acho que esse cara é encrenca!

O homem hiena abaixa sua cabeça e seu corpo treme de ódio com o pedido de Gruvus, perdendo toda a compostura ele bradou:

— CALE-SE GRUVUS! É POR ESSE MOTIVO QUE SOMOS VISTOS COMO A VERGONHA ENTRE TODOS OS CLÃ, DIA APÓS DIA, TEMOS QUE ROUBAR VIAJANTES SÓ PARA TERMOS UM TETO PARA DORMIR, EU ESTOU CANSADO DE SER UM MEDÍOCRE, SE FALHARMOS AQUI SERÁ O FIM, INDEPENDENTE SE ESSE CARA É UM PROBLEMA OU NÃO, O QUE VAMOS FAZER SE VOLTARMOS DE MÃOS ABANANDO? SE ESQUECEU QUE NENHUM CLÃ NOS QUER?

No desabafo de Hiekf, Gruvus se calou e preparou sua lança.

— Tem razão! Vamos juntos.

O jovem coçou sua cabeça depois de presenciar a briga dos dois, em seguida ele se vira e fica de frente tomando uma postura ofensiva, indicando que aceitou o desafio.

Gruvus investiu na frente e tentou estocar o jovem no peito com sua lança, o jovem no entanto inclina seu corpo desviando com o mínimo de movimentação, por trás de Gruvus, Hiekf Saltou visando a cabeça do jovem que arregalou os olhos surpreso com a manobra, o jovem usa sua braçadeira que tinha correntes em sua volta para defender o ataque e assim tomar uma distância.

— HOU! Essa foi boa!

O jovem ofereceu seus louvores a os dois, não foi por que eles eram rápidos ou fortes, mas sim pela bela coordenação, o primeiro ataque foi apenas uma distração para criar um ponto cego tirando a atenção do segundo atacante, para que assim o segundo ataque tivesse êxito.

Antes de ter um tempo de descanso dessa vez Hiekf investe primeiro ele salta em direção ao jovem visando a cabeça, no entanto seu salto foi muito alto seu golpe estava amplo e fácil de prever, o jovem lobo parecia perplexo quando ele lembrou:

— Uma distração!

Enquanto o jovem lobo se preocupou em ver o ataque que vinha de cima, o outro bandido o alvejava dessa vez por baixo, por sorte seu raciocínio foi rápido o suficiente para que descobrisse a tática dos dois a tempo, com isso o jovem usa sua perna para desviar a trajetória da lança.

Gruvus que foi tirado da rota de ataque pela perna do adversário fica surpreso.

O jovem retoma sua postura e faz um sorriso para os dois, em seu pensamento o seguinte raciocínio se passou:

Hahaha! Parece-me que tenho mesmo muito a aprender, lutar contra monstros é bem diferente de lutar contra criatura que sabem elaborar um plano de antemão, como eu pensava eu preciso de experiência nesse tipo de combate.

Hiefk clicou a língua e disse:

— Gruvus vamos mais uma vez!

— Sim!

Os dois foram ao encontro do garoto a um ritmo frenético, com suas lanças, eles tentam perfurar o corpo do jovem rapaz com toda sua velocidade.

Na avassaladora chuva de estocadas os dois gritam:

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

O rapaz desvia de todos os ataques com a brandura de um bambu, mesmo os dois juntos não conseguiam fazer as pontas de suas lanças encontrarem o corpo do jovem lobo.

— MAIS RÁPIDO GRUVUS!

— SIM HIEKF!

A velocidade de suas estocadas aumentaram ainda mais, o jovem que se encontrou em uma situação difícil abriu um sorriso em seus lábios e gritou:

— EU ACEITO O DESAFIO!

O jovem sentia que os movimentos de seu corpo ficavam cada vez mais refinados à medida que o combate se estendia, graças a isso ele ganha uma compreensão espacial de como se esquivar melhor de ataques armados.

Os dois homens hienas chegam a seu limite e cessão seus ataques.

Ofegantes eles ainda assumem sua postura ofensiva, o jovem que nem sequer suou disse:

— Vamos! Estou esperando…

Hiekf, ria em sua mente da situação, esse garoto parecia apenas brincar com eles, o sentimento de derrota atingiu seu espírito, no entanto Hiekf já se cansou de ser sempre subestimado, mesmo que custe sua vida ele ao menos quer tirar um suspiro de dor desse a sua frente.

Hiekf tomou uma postura ortodoxa e gritou:

— SEGURE ESSA LOBO DE MERDA!

Um poderoso vento incorporou a lança em mau estado de Hiekf e ele ataca o jovem:

[Spiral Sting]

Uma espiral de vento que podia perfurar até mesmo rochas, vinha da lança de Hiekf, a velocidade de ataque também foi muito boa, contudo o jovem defendeu com seu braço esquerdo que era protegido por uma braçadeira junto a uma corrente bem forte desviando assim a trajetória da lança e com o braço direito ele enterrou seu punho no estômago de Hiekf.

— UARGH!

Hiekf cuspiu sangue de sua boca, sua consciência quase voa longe, mas por pura força de vontade ele morde seu lábio e se mantém consciente, na posição próxima ao jovem que ele ficou, Hiekf tomou um de seus braços com as duas mãos e saltou mostrando um sorriso destemido.

O jovem não tinha entendido no momento, contudo ele se lembrou do segundo oponente que estava aqui.

[Spiral Sting]

Gruvus esperou o momento certo para desferir o ataque que seu melhor amigo o tinha ensinado, Gruvus jurou aos deuses nesse momento que nem com sua morte ele iria desperdiçar a oportunidade feita por meio do corpo de seu aliado.

O jovem que tinha seu braço selado, levou em cheio o ataque no peito.

Gruvus urrou em seu ataque:

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH.

A poeira se levantou e Gruvus saltou longe do local emprestando seu ombro a Hiekf, a lança mal feita de Gruvus foi feita em pedaços quando se chocou com o peito do jovem rapaz.

Hiekf comemora:

— Conseguimos!

— Sim!

Todavia no baixar da poeira, a face de Gruvus torna-se azul em pavor, Hiekf não parecia crer em seus olhos:

— Impossível…

— Vo…Você só pode estar brincando…

O jovem apareceu ileso do meio da poeira indo de encontro aos dois, o rapaz ergue seu braço e com um sorriso ele solta a metade da lança de Gruvus no chão.

— Essa foi perto!

Desaparecendo do foco dos dois o rapaz golpeia Gruvus que desmaia no local.

Hiekf que estava gravemente ferido sabia que não podia vencer o jovem lobo.

Como um último ato de desespero Hiekf implorou se prostrando no chão:

— Por favor poupe meu amigo, ele o atacou por minha culpa, eu tomarei toda responsabilidade!

O rapaz suspirou para o homem hiena e falou:

— Eu só quero informações, me dê isso e eu os deixo ir, tudo bem para você?

— EH?


Autor: Marcus | Revisor: Heaven

QC: Bczeulli



Web Analytics
Fontes
Cores