FNR – Capítulo 08 – Tartaruga Dragão vs Lobos de Chifre



Dois dias atrás venci uma batalha com um dos chefes dessa floresta, um lobo infernal que se intitulava o senhor da montanha.

Eu o venci relativamente fácil e com isso ganho meu primeiro nível acompanhado com novas habilidades:

  • Ocultar status: Concede a capacidade de esconder seu status de uma avaliação alheia, o ocultar status é vencido se a habilidade de avaliação alheia for maior que a capacidade de ocultar status do usuário. Obs.: Essa é uma habilidade rara.
  • Super sentidos: Visão, audição e olfato são muito apurados, sensibilidade em sentir presenças também se torna ampliada por meio dessa habilidade.

Também parece que ganhei algum tipo de magia ou algo assim, no entanto elas são bem tolas, o máximo que posso fazer é criar uma chama pequena ou encher um copo de água, porém posso usar os elementos mesmo que seja em uma escala não utilizável.

Há também uma nova técnica que criei para vencer o lobo infernal, que por sinal foi ultra bacana:

  • Guilhotine Chain: com um movimento de rápida constrição e fricção das correntes você pode decapitar ou decepar qualquer membro do inimigo.

Uma outra coisa que recebi foi o título de senhor das montanhas:

  • Senhor das montanhas: ganha a capacidade de liderança entre as criaturas das montanhas e da floresta, o dom da natureza e a capacidade de se comunicar com os animais.

Isso foi uma grande surpresa para mim, e a causa de uma situação complicada que não sei como resolver agora.

— Mestre Ferus, o momento é o melhor para caçarmos, sugiro que partamos agora!

Eu volto minha visão para um lobo de chifre que está na minha frente, sei que é difícil de imaginar, mas ele falou comigo.

No meu acampamento que considero meu refúgio de paz, mais ou menos vinte lobos de chifre estão acomodados esperando meus comandos, parece-me que agora sou o seu líder ou coisa do tipo.

Eu tentei de tudo para me livrar deles, até ameacei matá-los, mas quando disse isso:

— O nosso destino é decidido por nosso líder, se o líder decidiu nossa morte a aceitaremos de bom grado!

Eu não tive escolha senão deixá-los comigo.

Eu suspirei em minha mente e respondo para o lobo de chifre:

— Hum! Bem qual o seu nome?

— Eu não possuo nome mestre!

Isso não é bom! Seria ruim se eu chamasse “Ei lobo!” e vinte lobos apareceram em minha frente.

— Não tem nenhum nome que deseja?

— Nunca achei que precisaria de um!

— Entendo! Se importa de eu te nomear?

— Um nome dado pelo mestre? Isso me honraria!

Que exagero!

— Hum deixe-me ver…

Sinceramente pela minha cabeça passaram nomes como Rex, Totó, mas o lobo de chifre tem uma forma imponente e forte, realmente eram como uma versão compacta do Fenrir, eu também sou em parte um lobo então não gostaria que alguém me zoasse.

Foi quando notei que na pelagem desse lobo de chifre havia uma marca que parecia o desenho de um raio, eu pensei em Bolt, mas alguém podia me processar por plágio então eu disse:

— Ray!

Ele inclinou a cabeça em dúvida e perguntou:

— Ray?

— Sim, no meu mundo, Ray significa raio em uma língua diferente.

— Raio? O lampejo dos céus? Um nome tão imponente para alguém como eu? Eu acho que não sou digno de tal honra!

O lobo de chifre abaixa a sua cabeça se desculpando por não aceitar o nome.

Eu clico a língua e ordeno:

— Tsk! Seu nome será Ray e ponto final, se você não é digno desse nome então a partir de hoje faça o possível para se tornar digno dele entendeu!

O lobo arregalou os olhos com minha indagação e respondeu com um sorriso leve:

— Sim mestre! A partir de hoje eu me Chamo Ray, e darei minha vida para ser digno desse nome com que me honrou.

— Muito bom! Agora aguarde mais um pouco que iremos caçar a seguir.

— Sim mestre!

E assim passaram-se os dias.

Eu me acostumei com eles pouco a pouco, logo formamos uma unidade sólida de ataque, caçamos todos os dias, eram no total de vinte e três lobos mais sete filhotes.

Todos os lobos elevaram seus níveis ficando mais fortes e inteligentes à medida que caçamos os oponentes fortes da floresta.

Com minhas instruções, os lobos de chifre tornaram-se uma forte unidade coordenada de ataque, ferozes e mortais.

Antes que percebesse dois meses se passaram.

Com o tempo eu dei nome a todos os lobos de chifre, mas Ray entre eles foi o destaque, ele era o mais inteligente e afiado, bons instintos e acima de tudo um bom líder.

Estávamos formando uma estratégia para caçar um monstro chamado tartaruga dragão, que diziam ser o mais forte da floresta, para mim esse era um teste para saber como esses caras cresceram, mas guardei em segredo esse fato em meus pensamentos.

Os status desse monstro que tinha averiguado de antemão era:

STATUS:

Nome: Tartaruga dragão Raça: Besta mágica Gênero: Macho
Força: 100 Resistência 400
Agilidade 20 Destreza 12
Sabedoria 15 Inteligência 09
Carisma 08 Poder Mágico 153
Ataque 51 Defesa 250

Habilidades:

Pele rochosa NV 04, Carapaça fortificada NV 2

Perícias:

Furtividade (na água) NV 04, Ocultar-se (na água) NV 02

Portanto um monstro relativamente forte.

Nos reunimos no acampamento planejando o ataque contra o monstro Tartaruga Dragão, para facilitar tudo eu dividi a alcateia em cinco unidades, cada uma das unidades é liderada por um lobo de destaque e eu estava com os líderes dos grupos discutindo a forma de ataque.

— Ray, Scar, Fang, Lila e Rock, os cinco líderes das unidades de ataque, o momento é perfeito já que o monstro estará às margens do vale e a única saída é passar por nós, Ray alguma sugestão?

— Sim, poderíamos ordenar uma unidade para realizar um ataque de cima.

Rock, um lobo com um grande corpo e força torce a focinho e protesta:

— Ei! Que tipo de ideia é essa? A parte mais forte da Dragon Turtle é seu casco e você quer atacar por cima?

Ray olha para Rock sabendo que seu argumento é válido, no entanto ele continua:

— O objetivo do ataque de cima não é vencer a Dragon turtle e sim criar uma distração.

Scar, um lobo que possui uma cicatriz em seu rosto devido suas batalhas na linha de frente, também o mais velho do grupo Comenta:

— Hou! Um raciocínio engenhoso como sempre Ray!

Rock, não pareceu satisfeito e continuou a reclamar:

— Ei como assim engenhoso? Eu só vejo uma tolice aqui!

Lila, a única fêmea líder discute:

— Arf! Rock você é um dos mais fortes, mas deixe a parte de estratégia para o Ray ele é o melhor nisso!

Rock, ficou furioso com o aviso de Lila mas antes que a discussão se estenda, eu os parei.

— Chega! Rock, Eu vou te explicar o que Ray está propondo.

Rock se calou e esperou por minhas palavras:

— Ray quer um ataque vindo de cima para tirar o foco da tartaruga dragão de sua parte mais vulnerável, a barriga! Enquanto está com a atenção voltada para cima vamos aproveitar a oportunidade e atacar onde ela é mais fraca com tudo que temos.

Rock arregalou os olhos cinzentos, pois tinha finalmente entendido o raciocínio de Ray.

— Urgh! Essa coisa de pensar não é para mim! Desculpe-me todos.

Rock abaixa sua cabeça.

Eu tento consolá-lo:

— Rock você definitivamente não é inteligente…

— Urgh!

— Porém é sábio!

Rock que não entendeu minhas palavras e me olha procurando respostas, eu continuo:

— Você pode não ter concordado no início, mas depois de entender o ponto de vista de seus companheiros percebeu seus erros e se desculpou. Admitir seus erros é uma qualidade que muitos que possuem uma força como a sua não tem, esse é o motivo de eu te nomear um dos líderes.

Rock ainda estava abatido, mesmo assim me agradeceu.

Rock era como um grande cão São Bernardo, muito tamanho e força para um cão tão dócil.

Com os preparativos prontos todos nos preparamos para o próximo dia, que seria o dia que os lobos conquistariam a floresta.

*Do autor: Essa parte do texto está escrita em terceira pessoa, ou seja, um contexto narrativo.

Em um gigantesco pântano localizado ao norte da floresta, a neblina cobre a copa das árvores, o orvalho fresco ainda pode ser sentido nas folhas dos arbustos.

Um movimento abrupto começa nas águas do gigantesco pântano, bolhas de ar saem do fundo do lago fazendo com que água pareça entrar em ebulição, de repente uma criatura gigante emerge do pântano profundo.

A criatura grotesca estava coberta pelo lodo e musgo das águas pútridas daquele pântano fétido, ela media pelo menos dez metros de altura, um pescoço longo saiu de dentro do seu casco similar ao de uma tartaruga, a cabeça reptiliana com escamas vermelhas mostrava uma aparência atroz, com dois pares de chifres, o quadrúpede andou até as margens do pântano.

A criatura vai em direção a uma caverna ao norte onde ela normalmente encurralava sua caça, ao adentrar a caverna, dois ursos atrozes a ocupavam, seu encontro com a Tartaruga Dragão, só significou um apetitoso banquete para o monstro.

Os ursos que mediam mais de três metros foram levados cada um com uma única bocada.

E assim a Tartaruga Dragão coloca um grande pedaço de carne que sobrou dos pobres ursos no centro da caverna, para atrair outra presa para sua armadilha glutona.

A criatura sai satisfeita da caverna, pois seu estômago agora estava preenchido, no entanto algo súbito aconteceu a essa besta que nunca foi confrontada em sua vida.

— AGORA COMECEM O ATAQUE!

Cinco lobos de chifre pularam em cima do casco da temida Dragon Turtle, como ela nunca encontrou alguém que tivesse a ousadia de desafia-lá, aquilo foi algo inédito que a surpreendeu.

Os cinco lobos corajosamente prendem suas mandíbulas nas fissuras da carapaça da Tartaruga Dragão, ela estica seu longo pescoço para alcançar os atacantes, mas felizmente eles se seguraram em uma parte longe de suas presas.

Desesperadamente a Tartaruga Dragão estica ainda mais seu pescoço quase ficando sobre duas patas, nessa hora:

— Unidade um e dois preparar ataque coordenado, esse é o momento!

Ray a frente da unidade um e dois composta ao todo por dez lobos ordena o ataque, graças aos dias em que caçaram junto ao seu mestre os níveis elevaram-se dando a eles novas habilidades como:

[Energy Ray]

Bolas de energia se manifestaram da boca dos dez lobos e dispararam uma rajada conjunta que atingiu em cheio a barriga exposta da Tartaruga dragão.

— WROOM!

Uma grande explosão colidiu no corpo da Tartaruga Dragão, que urrou tão alto que mesmo as partes mais afastadas da floresta escutaram seu gemido de sofrimento.

— GYOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

Ray ordenou:

— Unidade três e quatro prepare o segundo ataque!

Mais uma vez:

[Energy Ray]

Novamente o impacto atinge o corpo do monstro, no entanto como a unidade três e quatro é composta apenas de seis membros no total o impacto foi bem menor, mas isso não fez o efeito ser menos doloroso para o monstro, que mais uma vez urra de dor.

Ray sabia bem que isso não seria o suficiente para derrotar um monstro desse calibre e dá a ordem:

— Unidade de distração retirada.
Os lobos que se seguravam no casco da Tartaruga Dragão se soltam dela e partem em fuga.

Ray grita:

— Todas as unidades mantenham a forma, essa presa não pode sair daqui, o lago é seu território, se ela entrar lá será uma derrota, por isso aguentem até a ordem do mestre.

— SIM SENHOR! (Grito coletivo)

De cima de uma colina um garoto com orelhas de lobo e uma longa cauda apenas observa a forma que seus companheiros batalham, um ar de satisfação em seu coração tirou toda a preocupação que ele estava carregando, ele já havia decidido deixar essa floresta, mas não podia trazer junto esses companheiros confiáveis, jogá-los no mar de calamidade que ele quer entrar é a maior covardia que ele pode fazer.

Ele diz para si mesmo:

— Eles já podem se virar sozinhos! Mas eu também devo fazer minha parte enquanto pertenço a esse grupo não é?

Dizendo isso Ferus libera as correntes de seus braços e salta para a batalha.

Ray e os outros lobos de chifre estavam dando o seu melhor para conter a Tartaruga dragão, até que uma voz esperada quebranta dos céus:

— Já é o suficiente, deixem o resto comigo!

Uma longa corrente emerge do nada e amarra a cabeça do monstro enrolando-se na maior parte de seu extenso pescoço.

Caindo no meio dos lobos de chifres como um herói, seu líder Ferus apareceu, o espírito dos lobos guerreiros que já estavam elevados foram às alturas, como se suas energias fossem renovadas.

Ray deu um sorriso destemido e reclamou:

— Você demorou mestre!

— Hunf! Sei que podia cuidar disso sem mim!

Ferus devolve o sorriso para Ray, contudo foca sua atenção no monstro que tenta fugir em desespero de suas correntes.

Ferus puxa com toda força suas correntes e a Tartaruga Dragão vai ao chão como uma árvore que tem seu tronco cerrado, o impacto da queda levanta poeira por toda parte e arranca louvores dos seus seguidores admirados.

— Hunf! Tartaruga maldita! Você escolheu medir forças com o lobo errado!

Ferus correu com toda sua velocidade e saltou sobre o casco da Tartaruga Dragão, puxando as correntes com ainda mais força, a cabeça da Tartaruga Dragão é forçada para trás, com isso a dor foi notada na face do monstro gigante.

Ferus tentou quebrar o pescoço da criatura, mas não conseguiu a façanha, irritado ele clica a língua:

— Tsk! Esse ai é bem durão! Mas vamos ver até onde!

Ferus desiste de quebrar o pescoço do monstro e salta de cima dele aproveitando para ativar sua habilidade:

[Índigo Chains]

A energia azul índigo percorre por toda extensão das correntes deixando-a azul incandescente.

Ferus faz sua corrente envolver-se por todas as partes do corpo da Dragon Turtle incluindo seu grande casco.

Como a Gleipnir é uma corrente extensível e versátil, afinal ela foi construída para conter o Fenrir, não foi tão difícil para Ferus manipulá-la a tal ponto.

Ray observava seu mestre sem saber o que ele pretendia.

Ferus vira-se segurando suas correntes com toda sua força tentando lançar a criatura longe.

Ray arregala os olhos na cena que achou ridícula e protestou:

— Mestre! Isso é impossível! Até mesmo para você!

Ferus volta seu olhar para Ray e o responde Sorrindo:

— Ray! Nunca duvide que pode fazer algo, a dúvida vai se tornar a barreira de seu crescimento, por outro lado, acreditar em si é o segredo do sucesso! Agora apenas me observe.

Ferus colocou toda sua força nesse arremesso, as veias em seus braços dilataram em tanto esforço, Ferus soltou um Grito de Guerra na tentativa desesperada de aumentar suas forças:

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

Ray não conseguia acreditar em seus olhos, a mais de dez metros de altura aquela criatura que foi a mais temida da floresta foi erguida no ar, a boca de Ray ficou aberta ao ponto em que quase tocou o chão.

Ray murmura:

— Ri… Ridículo!!!

Os outros lobos de chifre partilhavam os sentimentos de Ray, eles sabiam que seu mestre era forte, mas esse era outro patamar.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHH!

Continuando seu grito Ferus choca a grande criatura com toda sua força no chão, o abalo tremeu o solo da floresta fazendo os animais se esconderem com medo do incidente.

Um buraco ficou no local onde a Tartaruga Dragão foi arremessada e quando a poeira baixou ela ergueu seu pescoço.

Ray grita:

— AINDA VIVA, MALDITA!

Ferus não pareceu surpreso e reclamou coçando a cabeça:

— Hunf! Parece que não tenho escolha!

[Connection with chains]

Ferus ativa sua técnica de ligação com suas correntes, ela permite que tenha um controle melhor da sua arma, pois a própria arma se torna uma extensão de seu corpo.

A Energia azul índigo percorre por toda sua corrente mais uma vez e Ferus ordena:

— Cresça Gleipnir!

Um dos grilhões afiados da corrente Gleipnir cresceu de forma abrupta e foi erguido por Ferus, ele era tão grande que foi preciso todo apoio de seu corpo para equilibrá-la, essa espécie de lança gigante de ferro grossa, media uns três metros de comprimento por um e meio de diâmetro, contudo Ferus a segurou como se o peso não o incomodasse.

Ferus anuncia o nome dessa nova habilidade:

[Shackle Spear]

Ao sair da cratera o monstro fica desesperado por seus ferimentos e entra em fúria começando então a se debater e destruir tudo em seu caminho, seu estado estava péssimo, mas criaturas furiosas e feridas assim são demasiadamente perigosas.

Ferus proclama:

— Vou acabar com isso agora!

Ele então salta o mais alto possível em direção a Tartaruga Dragão e ativa mais uma de suas habilidades:

[Índigo Chains]

A energia azul da sua nova arma se torna ainda mais poderosa e Ferus Lança a Shackle Spear para cima com toda força, ele se concentra para não errar o alvo que se move desordenadamente por estar em fúria.

Ferus lá de cima avista seus companheiros lobos, foram poucos meses, no entanto suficiente para construir uma grande amizade com eles, ele sorri e lembra do dia que nomeou Ray, aquele com quem tem mais afinidade.

Contudo Ferus sabe bem que tem que seguir em frente agora, ou nunca vai conseguir deixá-los.

Ele concentra todas as suas forças em um último ataque avassalador.

Mais uma vez seu grito de guerra de Ferus foi escutado pela floresta quando ele lançou a Shackle Spear na direção do monstro.

Seu lançamento foi tão poderoso que um som cortante foi gerado ao atirar a Shackle Spear.

A lança atinge o casco da Tartaruga Dragão partindo-o em vários pedaços e rasgando a carne e espalhando assim por toda parte o sangue da feroz criatura, o rugido mais alto gerado pelo monstro, foi também o seu último suspiro.


Autor: Marcus | Revisor: Heaven

QC: Bczeulli



Web Analytics
Fontes
Cores