FNR – Capítulo 63 – Rumor e certeza!


CAPÍTULO ANTERIOR

— Aaaaaaaaah!

Foi um bom sono, sentia que a fadiga tinha ido embora, mas a preguiça não queria me deixar levantar.

Relutante, virei meu pescoço para olhar os arredores do meu quarto, ele precisa de uma boa limpeza, pensando nisso já faz algum tempo que não o limpo.

Pela janela do meu quarto vi que era noite, pelo meu relógio biológico chutaria umas sete ou oito horas da noite.

Francamente, queria permanecer no aconchego da minha cama, pois de alguma forma sinto o aroma da Hellen nela, talvez esteja tendo um tipo de alucinação olfativa, se é que algo assim existe.

O fato é que o cheiro da felina me deixa tranquilo, não sei como o aroma dela foi para em minha cama, será que foi porque fiquei abraçado a ela ontem?

Estiquei meu corpo para que assim ganhasse alguma coragem para levantar, infelizmente devo deixar o aconchego da minha cama quente, pois marquei de me encontrar com Nilo hoje a noite, não quero furar com aquele cara nunca mais na minha vida.

— Argh! Que falta de vontade! Queria dormir mais, sabendo da sorte miserável que ando tendo, só posso esperar o pior após sair da cama.

Levantei a metade superior do meu corpo e dei tapinhas no meu rosto para fazer ir a preguiça.

Antes de colocar meu pé no chão, me atentei a uma coisa e falei sozinho:

— Ops! Melhor colocar o pé direito no chão primeiro!

Minha maior vitória foi conseguir me confessar para Hellen, tive a sorte dela aceitar meus sentimentos, mesmo assim a teoria do caos sempre fica contra mim, se parar para pensar, parece que as coisas deste mundo conspiram para me ferrar.

Coçando a cabeça, murmurou perplexo:

— Bom! Ao menos consegui o que mais queria, o amor da Hellen!

Saltei da cama e fiz um breve alongamento, mas percebi que o cheiro bom dela está por todo meu quarto!

Ri para mim mesmo e comentei sozinho:

— Poxa! Parece que sou mesmo louco por essa gata!…. Bah! de qualquer forma pretendo fazer o cheiro dela ficar fixo em meu quarto de qualquer maneira, principalmente na minha cama! Kukukukukuku!

Melhor deixar esses pensamentos “malignos” por enquanto, não quero que ela pense que eu só desejo “isso” dela. Embora a deseje a ponto de ser uma obsessão, realmente a amo muito, muito mesmo, chega a ser doentio.

— Em pensar que eu agiria assim em um relacionamento!

Como nunca experimentei um relacionamento antes, achei que agiria mais reservado e envergonhado, porém para minha surpresa, sou muito descarado e aberto com a Hellen. para falar a verdade, fiquei surpreso comigo mesmo ao dizer que queria seu corpo abertamente, ainda que fosse uma “brincadeira”, tipo, não acho que exista um cara tão descarado assim, embora eu seja esse cara.

Mas não posso deixar de sorrir quando me lembro da forma envergonhada dela depois de brincar assim, ela fica realmente linda quando está brava.

— Isso é mal! provoca-la pode virar um hábito. Aquela reação foi muito fofa! Kukukuku!

Deixando esses pensamentos de lado (não mesmo!), tenho que me aprontar para falar com Nilo e os outros.

Olhei para o lado e vi minha armadura negra arrumada no chão. Aquele elfo filho da puta, detonou ela bonito. Existem dois cortes feios no peito, onde dá para se ver o outro lado, as braçadeiras também estão detonadas.

Coloquei minhas mãos sobre as partes danificadas da armadura e usei minha magia:

{Reparação}

A energia mágica fluiu para os pontos danificados e lentamente fechou eles, contudo não foi satisfatório. Minha magia de reparação usa os mesmos materiais para reparar certos danos causados a objetos, todavia ela não se manifesta de forma plena quando há falta desse material, no caso, o aço negro.

Acontece que embora insignificantes, fagulhas desse aço foram perdidas na batalha, os fragmentos voaram longe depois de ser atingido por Darts, o que fiz no momento foi apenas um reparo bruto, igual a passar fita isolante em uma coisa quebrada, se possuísse um pouco de aço negro comigo seria outra coisa, mas com a atual situação, apenas reparei de forma “improvisada”, os buracos fecharam, porém de perto se nota que essas áreas reparadas estão mais finas.

— Affs! O que o Bartor diria se ele soubesse que arruinei seu belo trabalho em menos de dois dias? Cara! O destino quer me foder mesmo!

Pensando nos acontecimentos, essa armadura salvou minha vida, o conselho de Bartor foi valioso e útil, devo agradecê-lo depois.

Vesti roupas casuais, elas não são chiques ou nada do tipo, porém com elas fico com uma aparência diferente de um aventureiro, não é como se fosse ruim, só não parece comigo, ao menos é minha opinião pessoal.

Depois de me arrumar, abri a porta do meu quarto e fui até a sala, sentei no sofá de dois lugares para relaxar antes de descer.

— Snif! Snif! Ho! Estou sentindo o cheiro da Hellen aqui também? Caramba! Acho que sou um pervertido que só pensa nessas coisas, não consigo me livrar desse cheiro que tanto gosto!

Olhei ao meu redor e vi a sala e os cômodos que preparei usando minha magia, ficou até bom, mas o banheiro nunca foi completado.

Esse mês vou completar esse banheiro de um jeito ou de outro! Não é bom deixar as coisas pela metade!

Com a mão no queixo murmurei com uma ideia repentina:

— Talvez uma banheira grande? Hmm! Vou ter que aumentar o espaço, mas não seria ruim. Descer toda vez para tomar banho não é legal, fica complicado quando há muitos clientes, mesmo que o espaço seja separado da área dos clientes do restaurante.

Olhei pela janela e vi que já havia ficado mais tarde.

— Melhor descer logo! O Nilo vai chegar e eu nunca mais vou furar com aquele cara!

Também estava sentindo muita fome, meu estômago roncou alto, devo colocar alguma coisa na barriga, pois estou faminto.

Suspirando, finalmente resolvi descer as escadas, para minha surpresa o movimento estava fraco, até mesmo para um dia ruim estava abaixo da média, diria que esse foi o pior dia de movimento desde que vim para cá.

Apenas uns três clientes apreciavam sua refeição, Jana estava ao lado deles com um sorriso esperando pelo próximo pedido.

Me aproximei dela e perguntei:

— Jana! Aconteceu alguma coisa? O movimento está fraco demais.

Jana inclinou sua cabeça, suas orelhas de cachorro caídas balançaram com isso, ela parecia tentar pensar em algo, mas sua resposta foi vaga:

— Hmm! Estou tentando saber sobre isso também lobinho, não tem nenhuma idéia?

Que inútil, não ganhei nada com esse diálogo além de ser chamado de “lobinho”.

Essa garota chamada Jana, será que ela é uma cabeça oca?

Um dos clientes comentou depois de escutar minha pergunta:

— Escutei rumores sobre uma grande mobilização em um vilarejo rural próximo!

— Ooooh! Poderia me dizer mais sobre isso senhor?

— Hmm! Vamos ver, primeiro quero que entenda que o que escutei são rumores, tudo bem?

— Sim! Rumores sempre começam por algum tipo de verdade, por isso agradeceria se compartilhasse esse rumor comigo!

— Entendo! Bem, por onde começo?…. Hmmm! Você sabe sobre a parte restrita de Harp?

— Ah! Sim, você fala sobre uma parte da cidade que é apenas habitada pelo clã roedor, nenhum outro clã pode pisar lá, não é isso?

— Exatamente! O problema é que o regente de Harp é um homem completamente segregacionista, embora tenha permitido que a cidade tenha se expandido de modo que outros bestiais pudessem habitá-la, ele odeia os demais clãs que não sejam o clã roedor!…

— Tsk! Então o pensamento repugnante da Predatory não se limita aos clãs nobres, hein?

— Você está certo jovem lobo, porém nem sempre podemos culpar as pessoas por agirem assim, ele deve ter seus motivos para não confiar em outros clãs, pois o clã roedor em especial, foi muito oprimido pelos outros clãs…

Nesse momento lembrei da Hellen de antigamente, a Hellen que guardava ódio profundo pelos clãs de lobos, ela havia me dito ontem que sua família foi assassinada pelos clãs de lobos, se for ver por esse lado, talvez…

— Como eu ia dizendo jovem lobo, o regente dessa cidade chamasse Tôto, um roedor com quase oitenta anos de idade, ele é indiferente com os demais bestiais, mas é muito dedicado ao seu clã…

— Entendo o que quer dizer! mas o que isso tem haver com o baixo movimento do restaurante?

— ahahahaha! não é só no restaurante jovem lobo, toda a cidade parece morta!

Não saí ainda para ver como a cidade está lá fora, passei a noite fora com a Hellen e só voltei hoje de manhã, por isso fiquei confuso, mas quero obter a informação desse homem primeiro.

— Explique-me esse tal rumor!

— vou chegar lá…. Continuando….. o clã roedor não foi permitido deixar a cidade restrita hoje, mesmo os roedores que não moram na cidade restrita foram alocados para lá forçadamente.

Olhei para Jana e perguntei:

— Onde está a Millin?

Jana apertou o rosto:

— Ela não veio hoje, também não mandou nenhum recado.

Isso é estranho!

— Senhor! O que me disse agora são fatos, agora o que exatamente é esse rumor?

O senhor balançou a cabeça e começou a contar:

— Uma comoção sem sentido está acontecendo em uma vila rural bem perto, alguns aventureiros informaram a guilda sobre um pequeno exército composto por quase trezentos homens, todos de clãs de sangue puro.

Uma sensação sinistra correu por meu corpo, só uma palavra estava em minha mente agora, “Predatory”.

— Merda!

Me levantei e agradeci o homem:

— Obrigado senhor! Mas devo pedir que retorne a sua casa em segurança, não é sábio ficar na rua com um rumor desse circulando!

— Ahahahaha! infelizmente não posso lobo negro Ferus!

Olhei desconfiado para esse homem, ele é um integrante do clã dos cães, os dois outros por perto são também.

O homem que viu meu olhar desconfiado levantou as mãos dizendo:

— Calma lobo negro! Trabalhamos para Jedhar e só estamos fazendo nosso trabalho.

Entendo, esses são os caras que vigiam as garotas por ordem de Jedhar, aquela pantera velha é diligente com suas promessas, penso que posso confiar nele sem problemas.

Respirei fundo e perguntei:

— A guilda?

— Está um alvoroço, gostaria que oferece uma ajuda a nosso chefe, provavelmente ele vai precisar!

Coloquei a mão na testa e falei farto:

— Cara, eu só me ferro! É problema atrás de problema, quero umas férias disso.

O homem riu, mas não foi insensível para fazer um comentário.

Me virei para Jana e perguntei:

— Onde está Hellen e Stela?

— Hmm! A patroa saiu cedo, Hellen está cuidando da lousa…. acho melhor fecharmos mais cedo!

— Está certo! Ou melhor, fechem mais cedo, não abram a porta para ninguém.

Mais uma vez defrontei o homem.

— Por favor! Protejam essas garotas!

— Esse é meu trabalho, deixe para mim!

— Jana! Esses três senhores são funcionários da guilda de aventureiros que vigiam vocês para segurança, eles permanecerão aqui dentro. É melhor você não voltar para casa hoje, no andar de cima há um quarto vago, pois o Hiekf está viajando, use-o!

— O….OK!

— Vou falar com a Hellen!

Sai do salão indo direto para cozinha, lá Hellen estava de costas lavando a prataria sem nenhuma preocupação, vendo-a assim cantarolando alheia aos acontecimentos me fez pensar que a ignorância é uma benção.

Cerrei meu punho pensando em nunca deixar nada acontecer com ela, meu trabalho como homem é mantê-la segura de tudo, e é isso que vou fazer!

Cheguei devagar e a agarrei por trás gentilmente passando meus braços em volta da sua cintura fina.

Hellen vira sua cabeça para mim, seus olhos surpresos mostravam que ela foi pega de guarda baixa.

— Fe…. Ferus! Não… não pode!

Encostei minha face em sua nuca, o cheiro delicioso dos seus cabelos sedosos foram o suficiente para me deixar mais relaxado, apertei um pouco meu abraço e assim acolhi o corpo quente dela em meus braços.

Hellen ficou surpreendida, mas depois cedeu sem dizer uma palavra, fechei meus olhos enquanto sentia o cheiro agradável de seus cabelos negros.

Hellen suavizou sua expressão desistindo de compreender situação, embora fosse súbito e repentino, ainda sim aceitou meu carinho sem questionar, com a face coberta de ternura, ela me perguntou como se de alguma forma soubesse de algo:

— Vai a algum lugar?

— Sim!

— Vai demorar?

— Não sei!

— Sobre o que é sua saída repentina?

— ….

— Não quer me falar?

— ….

Hellen que estava de costas enquanto a abraçava, deitou sua cabeça em meu peito e me olhou por baixo, pois sua estatura, embora não fosse pequena, ainda era bem menor que a minha.

— Ferus! Isso tem haver com a minha situação?

Abri um sorriso forçado e menti:

— Não!

Hellen deu um sorriso apagado e me acusou:

— Você mente mal!

Me lembrei nesse momento, das palavras de Mike, quando havia me aconselhado sobre as mulheres. Mike havia me ensinado que as mulheres têm a incrível habilidade de saber quando estamos mentindo para elas, vejo que é a mais pura verdade.

Gentilmente peguei na mão de Hellen entrelaçando nossos dedos, sua mão ainda estava molhada e um pouco suja de sabão, mas não me importei com isso.

Com uma fala fraca, Hellen disse:

— Esse é o segundo dia do nosso namoro, e você já tem que fazer alguma coisa por minha causa, será que esse relacionamento é viável para você?

Essa pergunta me fez um pouco irritado, mas isso é porque ela está preocupada comigo, suspirei fundo e falei meus pensamentos:

— Hellen! Eu me apaixonei por você à primeira vista, dizer se é viável ou não é decisão minha, não é? Uma vez que pediu para viver por você, não poderia ao menos confiar um pouquinho em mim? Não sou o melhor exemplo de homem que existe, mas não fui eu aquele que você escolheu? Por favor, não ponha a prova meus sentimentos por você, nem mesmo em palavras, ok!

Hellen torceu sua linda face e falou cabisbaixa:

— Desculpe!

Não consigo me acostumar ao vê-la triste, então suspirei profundamente e declarei convicto:

— Não vou deixar nada te acontecer, isso não é apenas por você, isso também é por meus próprios desejos egoístas. Quando perdi tudo não existia nada em que eu pudesse me agarrar, mas quando você me disse “Viva por mim” foi o único momento em muito tempo que sentia uma realização, então não vou permitir que tome de volta as palavras que me fizeram tão contente.

Hellen riu, embora sua face ainda estivesse triste:

— Ahahahahahaha! Você disse coisas bem bonitas, até parece que não é você!

— Tsk! Sua gata metida! É assim que me agradece, é?

Eu a abracei mais forte a ponto de levantá-la um pouco do chão, então beijei seu rosto, um sorriso flutuou na face dela que recebeu com agrado aquele beijo.

— Bobo!

Virei-a de frente, e a abracei enquanto encarava seus olhos azuis, de alguma forma ela ruborizou e desviou o olhar para baixo, um sorriso mais forte se formou naquela face, mostrando que um pouco da sua confiança voltou.

Não demonstrei, mas aquilo me aliviou bastante, deixá-la aqui com um rosto tristonho sem fazer nada a respeito, faria com que eu perdesse meu prestígio como o homem que deve protege-la.

Sinceramente, essa felina é perigosa, vendo-a assim me faz querer levá-la para meu quarto imediatamente, ela é mesmo a mais linda.

Com um pouco de malícia maculando minha consciência, dei um sorriso cínico e mordi carinhosamente a orelha felina da Hellen, uma coisa surpreendente aconteceu:

— MIAAAAAAAAAAAAA! Por…. porque fez isso?

“Mia? Ei! Ei! Isso é perigoso de várias maneiras!”

Um sorriso diabólico se formou em meu rosto, Hellen inflou as bochechas e falou com raiva:

— Seu… Seu lobo pervertido! Nun… nunca mais faça isso ENTENDEU?

Mais uma vez, dei uma mordida em sua orelha de gata, dessa vez algo mais inesperado aconteceu:

— Miii….Miaaaaaa!!!

— Is….Isso foi erótico demais!

Olhei para face da Hellen e a vi ofegante, seus olhos marejaram e sua força se foi deixando seu corpo suspenso apenas pela força dos meus braços.

Me olhando por cima com a fragilidade em seu rosto perigosamente irresistível, ela ameaçou:

— Se…. Se fizer isso de novo…. não…. não vou te perdoar….

Isso é ruim! Se acontecesse no meu quarto teria posto-a para baixo no mesmo instante, tenho que tomar cuidado com essa felina! Ela é muito perigosa, embora ela mesmo não saiba disso.

Sorrindo diabolicamente expressei meu contentamento:

— Kukukukukukuku! Cada dia a mais, aprendo algo novo sobre você! então essa é mais uma de suas muitas fraquezas, não é?

— Hun… hunf! Nã… não ache que sabe muito sobre mim…. nó…. nós apenas começamos a namorar, em dois dias não tem como saber muito seu idiota!

— Kukukukuku! É mesmo? Então vou te dizer o que sei até o momento!

Ainda agindo diabólico, encostei meus lábios nos ouvidos de Hellen e sussurrei:

— Você adora ser abraçada! Você não resiste aos meus beijos e suas orelhas são muito sensíveis! Tê-la por completo é só uma questão de tempo! Kukukukukukuku!

Hellen ficou vermelha a ponto de sua face esfumaçar de constrangimento, mas essa felina é como eu, alguém que não dá o braço a torcer. Irritada ela declarou para mim com um sorriso confiante:

— Hun…. Hunf! Vo… você não vai conseguir me fazer ceder tão fácil, seu lobo libidinoso! Definitivamente vou resistir a você o máximo possível! Se me quiser por completo, ao menos se prepare para assumir a responsabilidade.

— Hou! É mesmo?

Sem dar a ela a mínima chance de recusa, a beijei rápido, sua estrutura tremeu ligeiramente em meus braços, suas mãos finas no início tentaram me empurrar para trás, mas em pouquíssimos segundos apertou minhas roupas com força, para que assim ela conseguisse se manter de pé.

Encostei seu corpinho na pia, evitando que ela caísse devido a falta de força que suas pernas sofreram, ao separar nossos lábios molhados ela me encarou sem forças com um olhar perdido.

Não deixei a oportunidade de provocá-la ir tão fácil, por isso, mais uma vez sussurrei para ela de forma diabólica:

— Viu só! Você não resiste aos meus beijos!

Ela mordeu seu lábio inferior furiosa, depois de abrir um sorriso assustador ela declarou com uma veia azul saltando de sua testa:

— Fufufufufufufufufu! Você vai me pagar seu lobo diabólico! Vou resistir a você até o último minuto! Você não vai ter o que quer fácil ENTENDEU!

Aquela face raivosa dela me deixou arrepiado, pois ela fica linda quando furiosa, isso é ruim, vou certamente desenvolver o hábito estranho de querer irritá-la só para vê-la assim!

Meu sorriso cínico não deixou minha face em nenhum momento, aproximei meu rosto ao dela até o ponto dos nossos narizes ficarem encostados um ao outro e respondi a altura:

—Kukukukuku! Quero ver se consegue felina boba! Por mim tudo bem, quanto mais resistir, mais delicioso será o dia em que vou provar o primeiro pedaço de você!

— Fufufufu! Eu admito que gosto dos seus beijos, mas nem assim vai conseguir me fazer ceder fácil! Definitivamente vou resistir a você até o último minuto!

— Hunf! É louvável que esteja tão confiante, sua gatinha presunçosa, mas com certeza vou fazer você ceder, seu corpo vai ser meu de um jeito ou de outro!

— fufufufufu! Tente seu melhor!

— Kukukukukuku! Não preciso ir tão longe!

Quando ia roubar os lábios dela uma outra vez, alguém interrompe:

— Hunhum! Eeeeeh? Desculpe interromper o ato impróprio para uma cozinha, mas estão te chamando Ferus!

Hellen olhou para Jana que estava parado nos encarando com um olhar soslaio e ficou completamente vermelha.

— JANA! Des… desde de quando estava aí?

— Desde o momento em que perdeu a força nas pernas com o beijo dele!

— IAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

Esfreguei a cabeça com um dos olhos fechados, falei amargamente:

— Tsk! Salva por sua amiga! Seja grata felina, não vai escapar na próxima!

— ca… calado seu lobo demoníaco libidinoso!

Jana olhou para o lado, como se não quisesse nos encarar e falou para mim:

— Nilo e seus amigos chegaram, é melhor ir logo, ele não ficou muito satisfeito na última vez que você o deixou esperando.

Deixar aquele roedor irritado não é uma boa ideia, então me virei para Hellen e disse para ela com um sorriso, dessa vez não havia malícia, só sinceridade:

— Fique aqui essa noite, é perigoso que volte para sua casa sozinha, por isso durma no meu quarto e pode ficar tranquila, pois acho que não volto hoje…. então…. estou indo!

Hellen recuperou a compostura, como se a provocação anterior nem tivesse acontecido e sorriu contente:

— Volte em segurança!

Com isso sai da cozinha para me encontrar com Nilo e os outros.

……

Jana encara Hellen com os olhos semicerrados depois de Ferus sair.

Hellen sentiu-se desconfortável, ela não queria encarar Jana depois dela ter visto uma coisa tão constrangedora da parte dela, mas Jana não parava de encarar Hellen.

— O…O que foi! Por…. porque me encara assim Jana?

— Hmm! Você disse que ia resistir até o último minuto, né?

Hellen ficou tão vermelha como um tomate, mas não deu o braço a torcer, ainda que não conseguisse olhar para Jana nos olhos, respondeu com teimosia:

— I…. isso mesmo! Qual é o problema?

Jana deu um risinho irritante cheio de sarcasmo e provocou:

— Hehe! Com aquele ali você não dura uma semana!

— CA….CA…CALE A BOCA CACHORRA IMBECIL!


Autor: Marcus | Revisor: Heaven


Fontes
Cores