FNR – Capítulo 06 – Ferus



Após fugir da masmorra de Ferus, vaguei durante dias até a parte mais profunda da floresta, com minha velocidade avassaladora, evitei combate com diversas criaturas estranhas que encontrei no caminho.

Sabia bem que era forte, no entanto, não posso ter muita confiança, afinal eu não controlo bem esse corpo, decidi me acostumar a ele primeiro, ficar mais forte e viver nesse mundo.

Uma coisa me incomodou muito quando despertei como um novo ser, isso é porque não tenho um nome, meu nome anterior, Willian Greives, não apareceu em meu status, a parte do nome estava vazia, inicialmente quis me nomear como William novamente, mas seria injusto com Fenrir, afinal não se trata só de mim e sim, de nós. Agora, depois de muito pensar eu decidi me chamar de Ferus, pois esse foi o local de meu nascimento ou melhor dizendo, o local de meu renascimento.

*Nome adquirido:

  • Nome: Ferus foi inserido.

Com isso me tornei Ferus, o mesmo nome da masmorra em que morri e renasci.

Na parte mais profunda da floresta eu encontrei um lugar tranquilo, uma grande rocha brilhante se encontrava no centro desse local e uma água límpida brotava desta rocha.

Eu me aproximo e bebo da fonte, sinto como se minha fadiga fosse levada, alguma coisa naquela fonte não era comum, então uma ideia veio a minha cabeça.

Eu olhei para a fonte e anunciei:

[Avaliação]

Informações apareceram em minha mente:

*Fonte sagrada: sua água abençoada traz cura aos moribundos, a energia emanada pela fonte afasta os monstros malignos em um raio de cinco quilômetros.

— Uou! Uma área segura! Que sorte a minha.

Esse foi com certeza um achado de sorte, decido fazer aqui minha base inicial, já que fica bem no centro da floresta e não há trilhas, me parece que ninguém chegou até aqui.

Um dia se passou e meu primeiro desafio foi achar comida na área segura, com sorte consegui localizar alguns frutos, improvisei uma casa feita de galhos e folhas de árvores e uma cama de grama, eu me tornei um homem da montanha.

*Perícia adquirida:

  • Sobrevivência adquirida.

No dia seguinte resolvi treinar meu corpo para ver a extensão de minha resistência fiz agachamentos, flexões, corridas, alongamentos, porém nada me fez cansar, esse era um corpo bem conveniente.

*Perícia adquirida:

  • Esportes adquirido.

Para testar se sou apto para lutar comecei a desferir golpes aleatórios no ar, simulei lutas com inimigos imaginários e treinei chutes e socos, meu novo corpo é bastante versátil apesar da cauda extra, eu já me acostumei a ela.

*Perícia adquirida:

  • Artes marciais adquirida.

STATUS:

Nome: Ferus Raça: Bestial Lobo Divino Gênero: Masculino
Idade: 14 anos Classe: Nenhuma Nível: 00
Força: 800 Resistência 600
Agilidade 800 Destreza 800
Sabedoria 20 Inteligência 20
Carisma 100 Poder Mágico 800
Pontos de Vida 1000 Mana 810
Ataque 800 Defesa 700

Equipamentos:

Arma Bônus Propriedades Material
Proteção Bônus Propriedades Material

Perícias:

Saltar NV 04, Acrobacias NV 04, Escalar NV 04, Sobrevivência NV 01, Esportes NV 01, Artes marciais NV 01

Habilidades:

Status, Avaliação NV 01, Regeneração NV 01, Força dos gigantes NV 01, Pele de titânio NV 01, Resistência a magia NV 01

Habilidades Especiais:

Imunidade a magias mentais, Imunidade a venenos, Vínculo de existência

Habilidades Únicas:

Crescimento rápido, aprendizagem rápida, Desenvolvimento acelerado

Habilidades Mágicas:

Espaço dimensional

Meu novo nome havia sido inserido, assim como as novas perícias adquiridas, parece que as perícias sobem de nível com o uso constante delas ou o treinamento sobre as mesmas.

Uma coisa que eu havia esquecido passou pela minha cabeça, Ferir havia me dito para usar a avaliação para saber como funcionam minhas outras habilidades, então decido averiguá-las uma por uma.

* Regeneração: recupera dez pontos de vida por minuto, a cada nível dessa habilidade, mais dez pontos de vida são adicionados na recuperação, essa habilidade também previne cicatrizes e marcas no corpo.

— Hooo! Essa aí é bem útil!

* Força de gigante: permite ao usuário desta habilidade carregar objetos insanamente mais pesados que ele, no primeiro nível é possível carregar até uma tonelada com a força do usuário, a cada nível mais uma tonelada é adicionada a capacidade de carga.

— Uma… Uma tonelada?

Eu miro a meu redor e vejo uma rocha bem grande, quase do tamanho de um carro próxima a mim, eu engulo meu ar e tento erguê-la e como resultado levantei a rocha com a mesma facilidade que ergueria uma mala.

— In… Incrível! Parece que virei um tipo de monstro.

Eu só poderia me espantar com essas habilidades fraudulentas, parecia até injusto, lembrando que estou no nível zero.

Sem opções eu continuo avaliando minhas habilidades.

*Pele de titânio: sua pele é mais resistente que a dos seres comuns, lâminas de espadas, pontas de flechas e outras armas não poderão lhe atingir se forem apenas comuns, a cada nível sua pele se torna ainda mais resistente mesmo a materiais mágicos.

— Hahahaha! Vejam só eu sou um tanque.

Eu dei um sorriso vazio.

*Resistência a elementos: lhe dá resistência a ataques baseados nos elementos da natureza, como: água, terra, fogo, vento, luz e trevas.

*Resistência a magia: você é resistente a ataques baseados em magia. Obs.: essa é uma habilidade muito rara.

— Hou! Uma habilidade rara né? Devo mantê-la em segredo!

*Imunidade a magias mentais: você não pode ser controlado ou induzido a nenhum estado que envolva magia de controle ou manipulação mental.

*Imunidade a venenos: você jamais será atingido por efeitos de nenhum veneno.

— Essa aí é bem conveniente!

Decidi usar avaliação nas magias também:

Espaço dimensional: magia capaz de criar um espaço dimensional capaz de comportar os bens do usuário, a capacidade de acomodação depende do potencial mágico do indivíduo.

Vínculo de existência: um poder perdido que liga a alma de dois seres, a taxa de sucesso é quase nula, no entanto se a ligação for formada um novo ser nasce, seu poder será a soma das duas almas.

— Hou! Então foi isso que me ligou ao Fenrir, e pensar que o sucesso era tão baixo! Acho que devo agradecer a ele por isso, quando ele acordar farei todas as suas vontades!

Isso mesmo; embora sejamos o mesmo agora, eu não sei muito sobre o Fenrir, mas lhe devo minha vida, isso é tudo que preciso saber.

Outra coisa que aparecia em meu status foram as minhas habilidades únicas, na curiosidade eu tento lançar avaliação sobre elas:

*Habilidades únicas:

  • Crescimento rápido: o crescimento do detentor dessa habilidade é dez vezes mais rápido do que para qualquer outro.
  • Aprendizagem rápida: o detentor dessa habilidade adquire perícias e habilidades mais rápido que o normal, essa habilidade também faz a compreensão e os instintos do usuário mais afiados, tornando seu desenvolvimento e compreensão motora únicas.
  • Desenvolvimento acelerado: todas as habilidades, perícias e magias sobem de nível dez vezes mais rápido que o normal.

— EI! EI! EI! DESSE JEITO A MINHA CLASSE VAI SE TORNAR CHEATER MASTER OU COISA PARECIDA.

Eu me tornei uma criatura completamente Over Power, se estou apenas no nível zero e tenho tudo isso, onde eu vou chegar quando atingir níveis maiores?

Duas semanas haviam se passado, e eu me habituei com minha vida de ermitão é claro que modifiquei o ambiente um pouco para meu conforto, a casa improvisada que construí agora era uma cabana rústica bem elaborada.

*Perícia adquirida:

  • Arquitetura rupestre nível 4 adquirida.

Usei meu tempo para fazer ferramentas improvisadas, e alguns jarros de barro, no início eram um desastre, mas agora parecem obras de arte.

*Perícia adquirida:

  • Artesanato nível 4 adquirido.
  • Arte rupestre nível 4 adquirida.
  • Confecção de ferramentas nível 4 adquirida.

Com esse tempo eu armazenei comida o suficiente para algumas semanas, de alguma forma consegui achar uma maneira de conservar e preparar os alimentos adequadamente.

*Perícia Adquirida:

  • Culinária nível 4 adquirida.

Agora eu ia me focar no meu treino, finalmente acostumei com meu novo corpo, apesar de não ser mais humano, pois agora tenho uma longa cauda negra de lobo e assim como suas orelhas peludas no topo da cabeça.

Eu sou agora uma espécie de lobo humanoide, a boa notícia é que preservei a maioria das características humanas, no entanto não sou humano, no meu status a raça está definida como bestial lobo divino, eu nem sei se existe uma raça ao menos parecida comigo nesse mundo.

Ainda assim agradeço a sorte de estar vivo, mesmo que não seja mais humano.

Voltando o foco ao meu treino tem uma coisa que me intriga, a tal da magia.

Eu sei como ativar minha única magia que é o espaço dimensional, mas isso é tão natural que nem tenho certeza que é uma magia ou não, eu quero saber se tem alguma forma de usar a energia mágica e não o encanto em si.

Agora estou a ponto de fazer esses testes.

Horas se passaram e nada de resultados, eu fiquei meio puto eu admito.

— Porra! Como é que eu uso essa merda?

Eu tento usar um pouco a cabeça, só que esse nunca foi meu forte, se fosse meu irmão ele já teria descoberto com certeza.

Eu me lembrei então do momento em que o Fenrir liberou a misteriosa energia azul índigo e a inseriu em mim.

— É isso!

— Tenho que lembrar a sensação!

Eu uso todo o limite da minha memória para me recordar, e lembro-me um pouco da sensação da energia do Fenrir fluir em meu corpo.

Com isso sentia uma energia similar emanar de mim.

— É isso!

Quando eu perdi a concentração ela se dissipou.

— Mas que merda!

E por dois dias eu treinei freneticamente o controle dessa energia.

*Perícia adquirida:

  • Concentração nível 5 adquirida.

*Nova habilidade habilitada:

  • Índigo Energy

*Índigo Energy: uma capacidade única que somente a besta lendária Fenrir possui, uma poderosa habilidade energética que aumenta as capacidades físicas do seu usuário.
Ferus fez um olhar vazio com a descrição de sua nova habilidade.

Sozinho ele murmura:

— Não é magia…

Apesar de decepcionado o eu não posso negar que adquiri um poder relevante, acho melhor deixar a tal da magia para depois.

Outra coisa que o aparecimento dessa habilidade me lembrou foi das correntes Gleipnir que o Fenrir pediu que recuperasse na masmorra, ele havia me dito que se eu as dominasse poderiam ser grandes armas.

— Eu decidi! Assim que eu tornar a Índigo Energy utilizável em combate eu vou treinar com a Gleipnir.

Três dias se passaram e eu consigo tornar a índigo Energy utilizável em combate.

Foi bem simples, eu apenas a concentro em meus braços ou pernas e golpeio os lugares, meus golpes sem a índigo Energy já eram bem apelões o suficiente para derrubar uma grossa árvore, mas com a índigo Energy até mesmo rochas foram dilaceradas por meus punhos.

Eu finalmente estava confiante e resolvo começar a treinar com a Gleipnir.

[Espaço dimensional]

O grande portal azul aparece em minha frente, eu coloco minhas mãos dentro e de lá puxo a Gleipnir.

Gleipnir é uma corrente com elos bastante peculiares, eles possuem uma cor metálica vivida, em seus grilhões há duas estacas afiadas, lembro-me de quando estavam cravadas na carne do Fenrir, agora sua forma era incomensuravelmente menor.

Sinceramente é difícil pensar nisso como arma, mas vou confiar no meu parceiro e dominar essas correntes.

Depois de um longo dia foi um completo desastre, eu nem conseguia manter as correntes, eu me atingi várias vezes com ela, tropecei nela, a gota foi quando eu me enrolei e cai sem consegui me soltar.

— ESSAS CORRENTES DO INFERNO!

Meu grito de cólera foi tão alto que uma revoada de pássaros se levanta da floresta.


Autor: Marcus | Revisor: Heaven

QC: Bczeulli


Do autor: As palavras definidas em vermelho indicam as mudanças ocorridas no Status do protagonista.


Web Analytics
Fontes
Cores