FNR – Capítulo 58 – Jornada de Hiekf (3)



Hiekf estava a um passo de ter um colapso de raiva, a sua frente uma pessoa que despertou o ódio pleno do gnoll.

Cerrando os dentes, Hiekf expressa seu desprezo:

— Eu certamente odeio você, Aufis!

Aufis, levanta-se e limpa o sangue de sua boca.

— Hunf! É muita arrogância para um homem morto!

Hiekf fez um sorriso sombrio, ele queria mesmo socar a cara do homem à sua frente, seu corpo chegou a tremer com essa vontade.

Aufis, sacou sua espada curta e diz com gozação:

— Huhuhuhuhu! Um belo golpe de sorte, mas não vai se repetir.

— Tem razão! Da próxima vez não será um soco e sim a ponta da minha lança!

Tânia aproveitou o momento e se arrastou para próximo de Norne, Utus que ainda está inconsciente, no entanto seu estado é melhor que os dois.

O vento balança as folhas das árvores da floresta, Hiekf e Aufis se encaram com muita hostilidade, Tânia percebe o perigo e com um esforço pleno se levantou oferecendo um ombro a seu irmão, os dois saem do caminho da batalha que está prestes a acontecer.

Aufis, fez garras metálicas saírem de sua braçadeira e foi ao ataque saltando contra Hiekf.

Hiekf também não ficou imóvel, ele corre contra Aufis com sua lança em punho, uma troca de golpes começou.

Aufis tem a vantagem, pois sua arma é melhor no curto alcance, mesmo assim Hiekf girava sua lança defendendo os ataques da garra metálica da hábil pantera.

Ambos os guerreiro têm uma vasta experiência e possuem estilos similares, eles gostam de ocupar a área de ameaça do inimigo e desferir um golpe mortal, se fosse colocar em palavras eles seriam guerreiros táticos.

Aufis aplica uma finta com sua garra e Hiekf tentou bloquear com sua lança, quando percebeu que o golpe era falso o gnoll já havia deixado seu movimento muito aberto.

— Abertura! Morra gnoll nojento!

Aufis saca sua espada curta com sua mão esquerda e tenta perfurar o pescoço de Hiekf, mas o gnoll sorriu.

— Click!

Ele aperta o dispositivo feito por Ferus que divide sua lança em três compartimentos ligados por uma corrente, graças a isso Hiekf teve uma ação rápida e evitou o golpe balançando uma das partes da lança que bloqueou a espada.

— Hunf! Se acha que isso é o suficiente para me vencer, tenho que dizer que você me decepciona pantera patética — Hiekf provoca.

— Tsk! Já que é assim…

Aufis guardou sua espada curta e deu um salto acrobático para trás, no meio do salto Aufis arremessa inúmeras facas em direção a Hiekf.

O gnoll que se encontrou em uma situação difícil, girou sua arma dividida e rebateu as facas de Aufis, os movimentos de Hiekf lembram um lutador usando “nunchakos”, os movimentos hábeis dele impressionam Aufis.

— Hunf! Embora doa admitir, você é habilidoso gnoll!

— Não! Não é isso, apenas suas técnicas que são lentas!

Aufis, tem uma veia azul saltando de sua testa, Hiekf devolve a ira de Aufis com um sorriso desdenhoso, isso fez o bestial pantera ainda mais furioso.

Aufis, recobra a calma e retira um frasco de suas vestimentas, o frasco tinha um símbolo familiar nele, era a imagem do emblema real do país de Deva, ou seja uma poção vinda do país dos demônios.

— Ei! Que diabos está fazendo com um frasco que tem o símbolo dos demônios? — Perguntou Hiekf apreensivo.

— Hanf! Embora aquele idiota do Garuk não tenha aceitado uma aliança com o país de Deva, eu não me importo em recorrer a qualquer método para ganhar, vou te dizer outra coisa, parece que o lobo negro irritou um príncipe bem exigente.

Aufis, termina de abrir o frasco e bebe o conteúdo negro que nele havia, a pantera caiu de joelhos no chão como se sentisse uma dor aguda.

— GUAAAaaA!

De forma inesperada a musculatura de Aufis se expande, seu corpo sofre uma metamorfose repulsiva, suas presas se alongam passando seu queixo, suas garras tornam-se anormalmente maiores, sua pelagem fica mais grossa e seu tamanho dobra rasgando a maior parte de sua armadura de couro batido.

No final, a frente de Hiekf encontra-se uma monstruosidade de quase três metros de altura.

Embora o gnoll saiba bem o que havia naquele frasco, ele ainda não acreditou que alguém seria idiota o suficiente para beber.

— Que diabos você fez? — Pergunta Hiekf assustado com a criatura a sua frente.

Ahahahahahahahaha! — Aufis riu sinistramente.

Mesmo a voz de Aufis se tornou diferente, foi como se outra voz estivesse mesclada com a dele, uma coisa Hiekf tem certeza, ele não é mais um bestial, Aufis se tornou um monstro completo.
O monstro pantera olha para as próprias mãos e diz contente:

Ahahahaha! Entendo! Esse é o poder do sangue de um demônio de alto grau. Realmente um poder que nunca poderia possuir com um treinamento arcaico.

Aufis, pega uma grossa árvore com sua mão gigantesca e a arranca do solo como se fosse uma pequena erva daninha, Hiekf se impressiona com a força do monstro.

Ahahahaha! Com esse poder, eu sou INVENCÍVEL!

Aufis, arremessa a árvore em Hiekf, ele saltou sobre ela evitando o impacto, no entanto Aufis apareceu a seu lado com uma velocidade anormal.

— Guh! Rápido!

Aufis deu um golpe com as costas da mão no estômago de Hiekf, ele vomitou sangue com o rosto cheio de dor.

— Guargh! — Grunhiu de dor, o gnoll.

O poderoso soco fez Hiekf voar em velocidade, ele se chocar contra árvores arrancando-as do chão, só na terceira árvore seu corpo parou.

Hiekf tenta levantar, mas as costelas quebradas o impedem dessa façanha.

— Dro… Droga!

Ahahahahaha! E agora gnoll? Meus movimentos são lentos? — Pergunta o monstro que um dia foi Aufis.

Hiekf enfinca sua lança no chão e com um esforço absurdo se levantou usando a lança como uma bengala.

Patético! Acha que alguém vai valorizar esse esforço inútil? Olhe para você, igual a um verme se arrastando para sobreviver!

Hiekf sorri e responde com sarcasmo:

— Então foi por isso que recorreu a um método tão repulsivo? Cansou de ser um verme rastejante?

Aufis, ficou furioso com as palavras de Hiekf:

Verme maldito! Mesmo com uma situação onde um ser superior está a sua frente, ainda ousa dizer essas coisas?

— Hunf! Essa é sua ideia de um ser superior? Não importa como olhe, para mim você não é diferente das aberrações que se escondem na floresta!

CALE-SE VERME!

Aufis, usa sua velocidade anormal e se aproxima de Hiekf, o gnoll está muito machucado para reagir, então uma chuva de golpes atinge sem resistência o corpo do gnoll.

MORRA! MORRA! MORRA! MORRA! MORRA! MORRA! MORRA! MORRA!…

Aufis grita enquanto acerta uma sequência avassaladora de golpes sobre o corpo de Hiekf.

O gnoll sentia seus ossos lentamente se partirem, seu treinamento diário permitiu que resistisse a esses golpes anormais, se fosse o “ele” de meses atrás, já teria se convertido a uma poça de sangue.

O monstro parou seus golpes, mesmo assim Hiekf se recusou a cair no chão, ele fez seu máximo para continuar de pé, ele pensou enquanto a dor o tomava:

“É impossível usar magia agora! Com essa dor não vou conseguir me concentrar, além disso esse maldito é muito rápido, duvido que ele dará espaço para que eu entone um cântico, o que eu faço agora? Será que é meu fim?”

Vendo a imagem do gnoll se tremendo apenas para ficar de pé, Aufis pega Hiekf pelo colarinho e o levanta aproximando seu rosto ao dele, mesmo que a lança ainda esteja em sua mão, o gnoll não tem forças para movê-la.

Por que ainda está de pé? Por que ainda segura sua arma? Você já devia ter entendido que é inútil!

— Arf! Arf! Arf! Ainda….. Que eu não possa fazer nada… Arf! Arf!… Eu….Eu vou lutar até o fim!

PATÉTICO!

Aufis arremessa Hiekf em uma árvore, o gnoll grita de dor quando suas costas se chocam contra ela.

Aufis fez suas garras crescerem ainda mais, suas garras agora pareciam espadas curtas.

Morra de uma vez!

Hiekf não havia soltado sua lança ainda, mesmo assim ele sentiu sua consciência o deixando, enquanto encara Aufis com a visão turfa, o monstro levantou suas garras preparando-se para o golpe final.

Morra! Gnoll inferior! — disse Aufis enquanto descia suas garras em direção a garganta de Hiekf!

— POW!

GUUHR!

Um poderoso soco acerta a cara de Aufis o jogando longe, o autor do soco é um dos bestiais leões com que Hiekf lutou mais cedo, o garoto empresta seu ombro a Hiekf o levantando e saltando sobre as árvores, afim de fugir do monstro.

— Senhor! Você está bem? — Perguntou o rapaz.

— Por…. Por que? Arf! Arf!

Na pergunta de Hiekf o jovem leão sorrir amargamente e responde:

— Estava fingindo de inconsciente enquanto você lutava contra meus irmãos, esperava pegá-lo de guarda baixa!

— hahaha!… urgh! Uma…. uma boa estratégia!

— O importante é que escutei e vi você salvar meus irmãos, então tenho que pagar a dívida!

O jovem leão sentiu uma dor terrível tomar todo seu corpo, ele caiu no chão com Hiekf gritando de dor.

— Ei rapaz! O que diabos aconteceu?

— Gyaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahrg! — O jovem urra de dor.

Do meio das árvores Aufis aparece com um sorriso grotesco e diz:

Seu lixo! Esqueceu que é minha propriedade?

Hiekf entende na mesma hora e murmura:

— Selo escravo!

Exatamente! Enquanto o selo estiver cravado no corpo dele, basta uma ordem e o traidor deixará esse mundo!

O jovem leão se levanta mesmo com a dor eminente e diz a Hiekf cuspindo sangue:

— Sei… Sei que é difícil…. mas corra…. vou ganhar tempo!

— NÃO DIGA BESTEIRAS MOLEQUE! MAL CONSEGUE FICAR DE PÉ!

— Está tudo bem! …. Urgh! O selo leva um tempo para matar…. Então use esse tempo e se salve.

O jovem leão vai de encontro a Aufis, mas o monstro enterra suas garras no abdômen do jovem.

— Urgh! — O rapaz geme de dor enquanto cospe mais sangue.

O jovem leão sorri e mesmo com o ferimento agarrou Aufis e o segurou com toda a força, o monstro insatisfeito com esse ato começa a golpear o jovem.

Me solte lixo! — Avisa Aufis enquanto golpeia o rapaz.

— De jeito nenhum! Mesmo que eu morra continuarei segurando.

— PARE COM ISSO RAPAZ! — Gritou Hiekf desesperado.

Hiekf assistia a cena do rapaz morrer lentamente mediante os golpes de Aufis, mesmo assim ele não o soltava.

“Droga! Droga! Eu não posso fazer nada? O que eu faço? Meu corpo não se move, o que eu….”

“LEVANTE-SE! SE VOCÊ MORRER, VAI DEIXÁ-LO PARA TRÁS SOZINHO!”

Uma voz ecoa nos pensamentos de Hiekf, ele teve uma visão de Ferus caminhando sem rumo com um rosto sombrio.

O gnoll não sabia de onde aquela voz veio, porém Hiekf entendeu que não pode deixar aquela criança sozinha, ele tem que se levantar.

Em suas memórias ele lembra das inúmeras vezes em que Ferus se levantou contra os adversários mais fortes, foi assim contra Laruk, foi assim contra a aberração de espinhos.

Com um sorriso o gnoll murmura:

— Me pergunto quantas vezes ele se levantou contra, Jù yuán!

Hiekf fez um esforço anormal tentando erguer seu corpo!

— Gyaaaaaaaaaaaaaaaaaaarhg!

“Esqueça a dor! Esqueça os ossos quebrados! Apenas se levante Hiekf!” — Ele pensa para dar forças a ele mesmo.

Em seu esforço absurdo, o gnoll sentiu pela primeira vez uma chama queimar dentro de seu peito, era uma sensação quente e acolhedora.

Aufis, parou de bater no jovem leão e arregalou seus olhos para visão em sua frente.

Hiekf tem uma aura verde poderosa revestindo todo seu corpo, os ferimentos dele estão se fechando lentamente.

*Nova habilidade adquirida:

  • Habilidade energética: [Green Wave] aprendida.

Aufis, recobra a compostura e fala ridicularizando:

Hunf! Vejo que conseguiu uma habilidade energética, mas é inútil! Diante de meu grande poder, você não….

O punho de Hiekf explode no corpo de Aufis.

GYOOOOOOOOOOOOOOO! — O monstro grita de dor enquanto seu corpo é arrastado para trás.

Aufis, caiu sobre seus joelhos, litros de sangue saem por sua boca, enquanto abraça seu estomago com o rosto distorcido e murmura:

Como? Não pode ser, depois de recorrer a isso, ainda estou fraco?

Hiekf, que tem agora sobre ele um manto de energia verde intenso mira para Aufis com um rosto cheio de pena.

— Você acha mesmo que isso é poder? Eu ando treinando dias e noites sem parar, por esse motivo mesmo com uma idade avançada, despertei esse poder, você que tem a juventude ao seu lado apelou para o mais fácil, acha que sua preguiça vai vencer meu esforço?

O jovem leão que foi salvo por pouco assistia Hiekf com uma visão turfa, ele está perdendo muito sangue, mesmo assim tenta sobreviver ao máximo.

Hiekf assistia a luta do jovem leão pela sobrevivência, ele se vira para o garoto e diz:

— Não desista! Eu vou dar um jeito de vencer, então poderá encontrar com seus irmãos novamente!

Ao escutar as palavras de Hiekf o rapaz não conseguiu conter suas lagrimas, o jovem viu em sua frente uma pessoa por quem deve ter um grande respeito, ele foi abandonado mesmo por seu pai, foi graças a seus irmãos que chegou vivo até aqui, ele quer viver e vê-los mais uma vez.

Se ele tivesse forças para falar, suas palavras seriam “Obrigado!”.

Hiekf sente alívio ao notar que o rapaz não abriu mão da vida, erguendo sua lança, o gnoll encara Aufis e declara:

— Aufis!…. Não! Monstro! Eu, Hiekf Gnoll, vou acabar com suas ambições aqui e agora!

O monstro se levanta cheio de Fúria e parte para cima de Hiekf urrando como uma criatura irracional.

GRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

O monstro ataca com sua velocidade sem par, mas Hiekf aumentou sua agilidade graças a habilidade energética que acabou de adquirir, felizmente os movimentos da monstruosidade são lineares e sem fluxo, então Hiekf desviou com facilidade.

— Tsk! É como lutar contra um javali! Não há técnica em seus movimentos — murmura Hiekf insatisfeito.

O gnoll nota que o olhar do monstro não é o mesmo de antes, sua sanidade se foi a algum tempo, ele não é diferente de um monstro qualquer da floresta.

O monstro investe contra Hiekf com todo seu poder, porém Hiekf contra-ataca:

[Spiral Sting]

A técnica de Hiekf que usa o vento para fortalecer teve um aumento substancial em seu poder graças a habilidade energética, com isso os golpes se chocaram, o resultado foi um grande braço negro caindo no chão.

GYOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO! — O monstro urra com seu braço decepado, o sangue pinta de vermelho a paisagem da floresta.

Hiekf sentiu pena da criatura a sua frente, um dia foi um bestial, mas agora é só uma besta.

— Vou acabar logo com isso!

Hiekf retoma sua postura e concentra sua habilidade energética, ela se torna mais forte e brilhante, sua lança se enche de energia e assim Hiekf salta para finalizar o monstro.

— UAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH — Hiekf grita enquanto faz seu ataque.

[Spiral Wave]

Uma chuva de estocadas alveja a criatura, enormes buracos são abertos em seu corpo em seu corpo grande.

A criatura com seus olhos sem vida desabou no chão morta.

Hiekf girou sua lança e a guardou em suas costas, rapidamente ele corre em direção ao jovem leão, mas um cansaço pleno o atinge em cheio, ele perde o equilíbrio e cai perto do jovem leão.

— Aguente! Eu…. eu vou salvá-lo!

Do meio das árvores, Tânia e Norne aparecem apoiando-se um no outro, nesse momento Hiekf apagou.

…..

Eu corria sem rumo em meio a um grande espaço branco, mesmo sem rumo parei um pouco para tentar ver alguma coisa a frente, mas foi inútil, esse lugar é um grande vazio.

— Ah! Droga! Não posso morrer e deixar Ferus para trás! Tenho que sair daqui!

Um borrão negro surge em minha frente me assustando, não podia ver direito esse borrão, mais seu tamanho superou a maior das montanhas.

ISSO MESMO GNOLL! NÃO DEIXE FERUS PARA TRÁS, ELE DEVE SER GUIADO MELHOR POR VOCÊ!

— O QUE? O BORRÃO FALOU COMIGO!

BORRÃO? AH! ENTENDO! É ASSIM QUE ME VÊ, PARECE QUE NÃO POSSO CHEGAR A VOCÊ COMPLETAMENTE AINDA.

— Quem é você?

EU SOU AQUELE QUE ESTÁ SEMPRE COM FERUS, TENHO CERTEZA QUE ELE JÁ TE CONTOU SOBRE MIM!

Hiekf se lembra da conversa absurda que teve com Ferus a algum tempo, ele contou tudo sobre ele, sobre sua vinda de outro mundo, sobre como perdeu sua família e sobre a masmorra de Ferus.

Engolindo o próprio ar, Hiekf perguntou:

— Fenrir?

SIM! SOU EU! EMBORA NÃO POSSA ME MANIFESTAR EM MINHA MAGNITUDE!

O borrão negro exibia dois brilhos amarelos dourados, que lembrou os olhos de Ferus, provavelmente esses são os olhos do Fenrir!

— Me diga! O que quer de Ferus?

AHAHAHAHAHA! VOCÊ É MESMO COMO UM PAI CAUTELOSO! NÃO SE PREOCUPE, NÃO VOU INTERFERIR NA VIDA DE FERUS, PARA DIZER A VERDADE QUERO QUE ELE TENHA UMA VIDA ESTÁVEL E AGRADÁVEL.

Hiekf não conhece o Fenrir, então a desconfiança não o deixou ainda, ele não pode evitar, pois a cautela foi o que o manteve vivo todo esse tempo.

— O que Ferus é para você?

HMM! UMA PERGUNTA PROFUNDA! POIS BEM! VOU TE RESPONDER DESSA FORMA: “EU SOU FERUS TAMBÉM”

Hiekf não pareceu convencido com essa questão, ele não achou que essas palavras fossem uma resposta.

Vendo o rosto desconfiado do gnoll o Fenrir suspirou.

AFFS! VEJA BEM! MINHA PERSONALIDADE NÃO PODE PREDOMINAR SOBRE A DELE, UMA VEZ QUE SUA ALMA É A MAIS FORTE AQUI, CONTUDO EU SINTO A FELICIDADE DE FERUS, EU SINTO A ALEGRIA DE FERUS, EU SINTO SUAS REALIZAÇÕES, SINTO SEU ESFORÇO E SUAS REALIZAÇÕES, ENTÃO QUANDO CUIDA DE FERUS, TAMBÉM CUIDA DE MIM, POR ISSO SOU GRATO!

— Você não pretende tomar o corpo de Ferus no futuro, não é?

NÃO, NÃO PRETENDO! EMBORA SUA DESCONFIANÇA SEJA COERENTE, NÃO TENHO ESSA INTENÇÃO, O QUE DESEJO E ASSISTIR ATÉ ONDE ESSE GAROTO PODE IR, POR ISSO ME PREOCUPO QUE ELE NÃO VÁ CRESCER DIREITO, EU PERCEBI QUE VOCÊ PRETENDE COLOCAR FERUS NO CAMINHO CORRETO, EMBORA EU MESMO NÃO TENHA SEGUIDO ESSE CAMINHO, DESEJO O MELHOR PARA ELE, POR ISSO EU PEÇO HUMILDEMENTE, NÃO O DEIXE SOZINHO! SUA JORNADA AINDA NÃO ATINGIU SEU PATAMAR, ENTÃO PREPARE-O BEM, ESSA É SUA FUNÇÃO COMO O PAI QUE ESTÁ SENDO!

O borrão está desaparecendo lentamente, então o Fenrir continua:

EU POSSUO UM PODER DE DIVINDADE! ENTÃO MEU PODER SERÁ CEDIDO A QUALQUER UM QUE FORME UM LAÇO COM FERUS, NÃO DEIXE QUE OS OPORTUNISTAS SE APROVEITEM DE SEUS SENTIMENTOS, JÁ QUE A CHAVE PARA CONSEGUIR MINHAS BENÇÃO SÃO OS SENTIMENTOS DE FERUS SOBRE A PESSOA, OBRIGADO….. HIEKF GNOLL!

Hiekf arregalou os olhos e murmurou:

— Então é verdade! Ferus pode interferir com as pessoas que o rodeiam, eu sou prova disso!

Pouco a pouco aquele lugar branco desapareceu.

Eu abro os olhos e encarei um teto espalhafatoso, fiquei assustado, mas logo lembrei de onde esse teto é.

— Que carruagem mais ridícula!

— Embora não seja o momento e nem a hora adequada, eu tenho que concordar com você!

Eu me viro e vejo Donovan sentado no assento à minha frente, estou deitado ocupando os assentos do seu lado.

— Donovan! Me responda, o que aconteceu com os garotos que estavam comigo? Dois bestiais leões e uma bestial do clã das onças pintadas.

— Eles estão bem! Sendor os está interrogando nesse momento.

levantei a metade de seu corpo, mas Donovan me parou.

— Pare já! Há muito estresse em sua musculatura, mover-se agora pode levá-lo a uma lesão terrível!

Eu deitei descontente no banco, sem poder fazer nada me sinto impotente.

— Devo dizer! Você é bem habilidoso para sua idade!

— Hunf! Obrigado pelo elogio, mas vindo de um (adamatium) não significa muito.

— Estou falando sério! Os gnolls tem uma expectativa de vida menor em relação aos demais bestiais, então basicamente você é quase um setentão!

— Ahahahahahaha! Acho que está certo!

— Hiekf, o que fará agora? Você e seu garoto venceram três membros da Predatory, com esse último que venceu sozinho, tenho certeza que as coisas vão mudar drasticamente, pode até ser que eles declarem guerra contra vocês dois.

Eu sei que é tarde para lamentar, então vou responder com um sorriso destemido:

— É como você disse! Não tem mais jeito, nesse caso vou tirar o melhor proveito possível dessa situação irreversível!

— Ahahahahahaha! Entendo! Você é mesmo um aventureiro Hiekf, gostaria que se unisse a nós, claro que estou convidando Ferus também.

Eu me surpreendi com o convite, contudo não é o momento, deixar as coisas sem resolução as fará voltar com quatro vezes mais força contra você.

— Embora seja tentador tenho que resolver essa questão primeiro, Ferus não vai aceitar fugir disso!

— Aaaaah! Seu garoto devia ser mais flexível!

— Ahahahaha! Para uma criança de quatorze anos é pedir muito, mesmo assim ele está amadurecendo, antigamente ele nem dava tempo para o oponente se manifestar, agora ele pegou o hábito de recolher informações, espero que ele amadureça mais ainda!

— Para saúde de seu coração, espero que sim!

— Ahahahaha!

Donovan pergunta com um olhar afiado:

— Quanto aqueles três, o que vai fazer?

— Bem! Primeiro tenho que saber das circunstâncias deles!

— Vamos ver…. eles são irmãos de sangue, o pai teve um relacionamento ilícito com uma amante que era uma bestial do clã das onças pintadas e teve os três, embora o sangue dos leões seja mais forte a garota nasceu entre os dois como uma onça em vez de leoa, o pai não quis problemas com a esposa legal e vendeu seus filhos depois de assassinar a amante, Aufis os comprou e pagou para que fossem treinados em Ryo Shun, por sorte eles sobreviveram, a garota é a mais velha dos três, todos tem a idade de dezesseis anos, eles não sabem nada sobre Aufis e a predatory.

Eu cocei a cabeça depois de escutar o relatório de Donovan.

— Apenas dezesseis, hein?

— Ahahaha! É com isso que está preocupado? Eles tentaram te matar esqueceu?

Eu encaro Donovan com um sorriso gentil e falo:

— Eu vou tomar conta deles, deixe para mim!

— Ei! Ei! Hiekf! Isso é sério? Se esqueceu do que fizeram com você? Nesse mundo não se deve ser tão bonzinho sabia?

— Donovan! Não sou a melhor pessoa do mundo, mas não vou fechar meus olhos para ninguém que estiver com problemas, é assim que eu sou!

Donovan percebeu que é inútil argumentar e fala:

— Argh! Tudo bem!…. Não vá reclamar depois!

— Eu não vou! Mas antes disso poderia me levar até eles?

— Eu disse que seu estado não é bom!

— Mesmo assim me leve até os outros!

— Argh! Você é um velho teimoso!

— Ahahaha! São os benefícios da idade!… Por favor me leve até lá.

Donovan suspira fundo e cede a meu apelo.

Saio para fora da “carruagem circense” de Sendor e lá vi todos, Alba Lepus tinha um rosto cheio de raiva, Sendor e Cyous estão no mesmo barco.

Os três irmãos bestiais que me atacaram, estão amarrados por cordas mágicas de joelhos no chão, parece que um interrogatório está sendo realizado.

Sendor que me viu sendo apoiado no ombro de Donovan reclama:

— Ei Donovan! Por que raios Hiekf está de pé? O tratamento dele quase não funcionou!

Eu acabo de entender que eu estava em uma situação de risco, mas são águas passadas, deixe passar.

Chego perto dos três e vejo que não foram tratados adequadamente, não posso culpar meus companheiros, afinal eles os veem como inimigos que me feriram.

Eu peço ao Sendor:

— Sendor! Por favor poderia curá-los?

— Hã? VOCÊ DEVE ESTAR BRINCANDO!

A resposta de Sendor como esperava foi áspera, mesmo assim vou apelar para ele.

Eu abaixei minha cabeça e implorei:

— Por favor Sendor! Eu pagarei qualquer transtorno!

— Guh!

Sendor que me viu nessa posição, clicou a língua e começou a curar Utus que foi o que me ajudou contra Aufis, sua situação antes de ficar desacordado era crítica, embora Sendor tenha o curado para que não morresse, ele precisa de um tratamento adequado.

Sendor relutante ergue suas mãos e lança sua magia curativa neles.

— Se tentarem qualquer coisa!…. Acho que não preciso completar a frase — Sendor ameaçou os três.

Levou alguns minutos antes de curá-los, mas foi feito.

Mais uma vez fiz outro pedido absurdo:

— Hã? Vocês poderiam desamarra-los?

Os quatro lançaram um olhar ameaçador para mim, claro que não pude insistir com esse assunto, então limpei a garganta e me aproximei dos três.

— O que farão agora?

Tânia que é a mais velha dos três respondeu:

— Não temos mais nada a perder, então vamos aceitar a morte de bom grado!

Os olhos dos três não mostravam sinais de medo ou perturbação mediante a tal destino, isso me doeu um pouco, provavelmente eles nem se apaixonaram ainda, então uma resolução sombria me deixou com um gosto amargo na boca.

Suspirando alto para as atitudes dos três eu aviso:

— Não! Não vou deixá-los morrer! A partir de hoje vou cuidar de vocês, então a primeira coisa que quero é que me acompanhem até a capital.

Utus me encara com um sorriso amargo e exprime cheio de desgosto:

— Velho! Não se preocupe com pessoas como nós, já aceitamos nosso destino, então não precisa se sentir responsável por nosso tipo pessoa, além disso se formos até a capital com você, será o mesmo que revelar a predatory que Aufis foi morto por você!

Urtus tocou em um ponto importante, contudo isso mostra que ele não tem uma atitude áspera quanto a mim, definitivamente não vou deixá-los para morrer.

— Exatamente! Quero que todos saibam que venci Aufis! Esse é meu plano!

Utus arregalou os olhos junto a seus dois irmãos, Norne abre sua boca e comenta:

— Em pensar que além do lobo negro existe alguém habilidoso como você disposto a desafiar a predatory, sempre escutei rumores sobre o mestiço mais forte de Lemur, mas não sabia que seu companheiro gnoll é tão aterrorizante quanto ele!

Ei! Como assim aterrorizante? Ferus é conhecido como o mestiço mais forte? Quando foi que as coisas saíram do meu controle?

A jovem onça completa:

— Sim! Em pensar que o lobo negro venceu até mesmo Jù yuán, ainda que fossem cópias, ele venceu até mesmo o “destemido”, dizem que o lobo negro é um monstro sem precedentes, uma criatura que não é um bestial e sim um demônio!

— Sim! A rumor circundante que fala sobre Ferus como sendo um lobo demônio! — Comentou Norne.

Se Ferus escuta uma coisa dessas ele iria chorar!

— É verdade! Muitos em Bérius foram até Harp para vê-lo de perto, todos comentam a mesma coisa! Ele tem uma aparência ameaçadora que faz com que todos tremam em se aproximar — Falou Urtus.
Urgh! Ele é apenas desastrado para falar com as pessoas, não posso negar que ele tenha uma cara fechada, mas não é para tanto.

— As garotas dizem que ele é inesperadamente bonito, só que têm medo de se aproximar, elas dizem que ele é do tipo perigoso! — Disse Tânia com os olhos brilhantes.

Sinto muito Ferus! Você é popular, mas não é ao mesmo tempo.

Alba lepus entra no assunto:

— Tsk! Não acho que ele seja tudo isso, embora tenha que concordar que ele é bonito!

A última parte foi desnecessária coelha.

Cyous ficou farto da conversa mole e entrou na carruagem junto com Donovan que partilhava da sua opinião, Sendor Yami, prestava a atenção a cada detalhe como se estivesse assistindo a uma peça de teatro.

No final foi decidido que os três não eram perigosos, fiquei surpreso em saber que Ferus tem admiradores, foi um susto saber que algumas garotas o acham atraente!
Alba murmurou com um riso:

— Talvez ele não precise mais gritar que não quer morrer virgem! Ahahahahaha!

Sendor, acompanhou a coelha na gargalhada:

— MUAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! eu escutei sobre isso de Cyous, AHAHAHAHAHAHAHAHAHA….

— Affs! Sinto que fiquei mais velho! — reclama Hiekf com um rosto amargo.


Autor: Marcus | Revisor: Heaven



Fontes
Cores