FNR – Capítulo 54 – O dia da caça



Darts, ainda segurava forte a cabeça de Ferus que estava submersa pelo lamaçal, o caçador não tinha intenções de deixar sua presa ir, apenas mais alguns segundos seria o suficiente para afogar o lobo negro.

Por um breve momento, Ferus parou de lutar, fazendo com que Darts formasse um sorriso repugnante.

— AHAHAHAHAHAHAHAHA! Parece que esse lobo não foi tão difícil afinal!

Darts lambeu os lábios e falou sozinho:

— Agora! Como vou começar a diversão com aquelas mulheres? Ahahaha! Acho que vou começar com aquela coelha cinzenta, ela tem um corpão!

O lamaçal começa o borbulhar como se a água entrasse em ebulição, e a mão esquerda de Ferus emerge ferozmente da lama agarrando com violência o pulso de Darts:

— Guh! O que? Esse BASTARDO! Ainda vive?

A energia azul índigo, pintou o lamaçal com sua cor vibrante, as águas ficaram agitadas como um mar em cólera.

A força descomunal exercida pela mão de Ferus machucou o pulso de Darts “ Guh!” sem opção ele largou a cabeça da sua presa, porém o mesmo não foi feito com seu pulso, em meio a dor de ter seu pulso quase quebrado, Darts branda com ódio intenso:

— SOLTE-ME! SOLTE-ME! SOLTE-ME! SEU…. SEU ANIMAL MALDITO…. GAAAAAAAAAAAAAH!

A queixa de Darts não foi atendida, sem poder vencer aquela força monstruosa, seu corpo foi puxado para baixo, antes de cair no lamaçal, uma manopla férrea com a forma de uma gigantesca pata de lobo emergiu violentamente das águas barrosas, veloz como um flash, o rosto de Darts foi atingido por aquilo:

『Shackle Fenrir Claw』¹

— GYAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

O golpe violento conectou-se perfeitamente na face de Darts, alguns ossos de seu rosto foram brutalmente esmagados junto aos seus dentes que voaram pelo ar, o sangue sujou as águas barrosas como uma cena de terror.

Darts foi lançado com um virote desgovernado, quicando sobre as águas tal como uma moeda arremessada, em seguida colidiu contra um grosso tronco de árvore boiando sobre o lamaçal.

A manopla férrea se desfez tomando novamente a forma de uma espada longa, depois do golpe avassalador.

— GYAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

O elfo negro urrava com dor, e rolava patético de um lado para o outro enquanto suas mãos cobriam sobre sua face destruída.

Seu rosto ficou desfigurado e horrendo, dando uma sensação nojenta de vê-lo assim.

Ferus ergueu-se das águas tossindo por quase ter se afogado, a fadiga ainda estava nele, contudo uma determinação animalesca cintilou em seus olhos, o lobo negro se levanta sujo com a lama daquele lugar, apesar da aparência indigna, sua confiança foi reforçada.

Uma sensação de superioridade invadiu todo seu ser, não demorou até uma torrente de informações ser inserida em sua memória, a experiência de vida do Fenrir equivalente a dez anos da sua existência, bombardeou as memórias de Ferus.

*Novas habilidades especiais habilitadas: devido a assimilação de memórias algumas habilidades foram herdadas do Fenrir:
*Habilidades passivas habilitadas:

  • [Instinto Ofensivo] NV06: capacidade instintiva de atacar de forma eficaz o oponente, percebendo instintivamente os momentos de vulnerabilidade do adversário, aumentando assim a letalidade dos ataques.
  • [Instinto defensivo] NV07: Capacidade natural de evitar ataques usando de inúmeras formas de defesa instintiva, sua reação se torna natural e seu reflexo para defesa torna -se automático.
  • [Combatente Selvagem] NV04: Forma primitiva de combate corpo a corpo, os movimentos são imprevisíveis e muito ferozes, essa é uma habilidade oriunda de a nimais caçadores.
  • [instinto selvagem] NV06: o detentor dessa habilidade pode reconhecer instantaneamente o terreno, não se perde em florestas, sente a presença de animais e do perigo que o rodeia, consegue achar agua e comida na natureza com facilidade.

*Nova habilidade única habilitada:

  • [Crescimento instintivo]: O detentor dessa habilidade tem a capacidade de crescer mediante a intuição e a experiência imediata de combate, uma capacidade que explora o crescimento latente de seu usuário.

*Perícia aprendida:

  • (Combate corporal selvagem) NV MAX: essa perícia faz com que seu usuário use de forma satisfatória suas armas naturais (Garras, presas, punhos, etc.).

“Então é isso! Graças a uma pequena parte do tempo de vida do Fenrir que se assimilou ao meu, inúmeras habilidades que antigamente foram dele se assimilaram as minhas, pelo que escutei, preciso preencher os requisitos para herdar mais habilidades do Fenrir. Está tudo bem! afinal já fiz minha decisão! Para prosperar ou para ruir, vou ficar o mais forte possível, ficarei forte até o ponto onde nada e nem ninguém possa deter o meu caminho ou se colocar contra minhas decisões”

Ao avaliar seus arredores, Ferus sente seu coração acelerar depois de perceber uma cena chocante, o lobo negro interrompe seu raciocínio e age, pois ali próximo, Nilo e Mike estavam caídos um sobre o outro.

— Merda!

Desesperado, o jovem lobo saltou sobre os troncos para alcançar seus companheiros abatidos, rapidamente ele retirou Nilo de cima do Mike.

Ferus suspirou aliviado em perceber que os dois ainda estavam vivos, apesar do mau estado.

{Espaço dimensional}

O lobo negro retirou de seu {Espaço dimensional} dois frascos com água da fonte sagrada que estavam guardados com ele a tempos.

— Esses são os dois últimos!

Ferus, fez com que seus amigos bebessem o conteúdo depois de retirar as facas de suas feridas, rapidamente a cor voltou a seus rostos e suas feridas começaram a cicatrizar, um pouco mais e seria tarde para qualquer coisa.

— Aaaah! Que alívio!

Várias facas voam na direção das costas de Ferus, com a intenção de pegá-lo surpreendido, porém…

— Trim! Trim! Trim!…

Com um majestoso movimento, Ferus fez suas correntes brandir, assim defletindo as facas com seus elos poderosos.

O lobo negro virou seu rosto e defrontou a figura de Darts, que olhava para ele inflamado pelo ódio, o rosto do elfo estava desfigurado e coberto de sangue devido ao golpe anterior, a dor foi aparente pela sua expressão tortuosa.

Ferus levantou-se deixando seus amigos bem e saltou dali. O jovem lobo não colocar seus colegas sobre o fogo cruzado.

A uma distância próxima, Ferus provoca:

— Parece que hoje não é o dia do caçador!

— ANIMAL DESGRAÇADOOOOO!…. A….Apenas ganhou uma breve vantagem devido a um golpe de sorte! EU VOU…. EU VOU….

— Hooou! Então foi apenas sorte?

Ferus deu as mãos e continuou sua provocação com um sorriso cheio de sarcasmo:

— Como falei anteriormente, isso apenas prova que hoje não é o dia do caçador! Estou correto?

Um olhar maculado pela loucura foi executado por Darts, mas para Ferus, isso era apenas um símbolo de que conseguiu tirar seu oponente do sério.

Ferus pensa:

“Fenrir me deu as memórias de seus primeiros dez anos de experiência de vida, embora meus status não tenham mudado nada a não ser pelas novas habilidades, sinto-me invencível, afinal a experiência de dez anos de combate contra criaturas terríveis está fresca em minhas memórias”

Ferus olhou para própria mão e continuou seu raciocínio:

“Memórias?…. não! Não é isso! A experiência de vida que ganhei do Fenrir corre em meu corpo como lava fervente, é como se fosse eu, a experimentar aqueles momentos, em outras palavras, a experiência de vida do Fenrir é minha própria experiência.”

Cheio de confiança, Ferus adotou uma nova postura de luta, uma postura ortodoxa e peculiar, ele baixou seus ombros e afastou suas pernas, parecia um animal selvagem disposto a dar um bote em seu inimigo, o lobo negro deu a impressão de seus pelos estarem arrepiados mostrando as suas presas com um rosto feroz. Assim como um lobo selvagem.

Darts deu um passo para trás:

A mente do elfo negro, mostrou a ele uma imagem de um ser aterrador vindo de Ferus, um gigantesco lobo que poderia devorá-lo como se não fosse nada.

“O que é essa pressão? Momentos atrás, apenas via apenas um animal petulante que não sabia seu lugar! Mas agora…. Vejo uma criatura aterradora….. o que é esse sentimento? Sinto que se baixar minha guarda ele arrancará minha traqueia com os dentes”

Na visão Darts, um lobo selvagem e atroz, que estava pronto para liquidar seu inimigo ficou clara, sua experiência como caçador não era estreita a ponto dele ignorar uma intuição.

Darts sacou a besta¹ de suas costas, com boa habilidade no manuseio, ele carregou sua arma com um cartucho contendo inúmeros virotes, adotar um combate a longa distância pareceu uma boa ideia agora, afinal, ele não queria aquela besta próxima a ele.

“O que foi isso? O que é esse arrepio macabro? Sinto o suor frígido cair de minha testa, a sensação é diferente da que senti no início, esse…. é mesmo aquele garoto de um tempo atrás?”

Mesmo mediante a sua intuição de caçador, Darts não conseguia acreditar na pressão ímpia que vinha do oponente que até pouco tempo, não passou de um saco de pancadas.

“O que aconteceu? O QUE ESTÁ HAVENDO?” — gritou Darts, para ele mesmo.

Ferus, observou Darts com calma, em seguida olhou para seus arredores captando cada informação do cenário, uma das coisas que ele aprendeu com a experiência de Vida que o Fenrir lhe deu, foi que tudo pode ser usado para obter a vitória, inclusive o território.

Ferus notou que tinha a capacidade de calcular a distância de seu oponente de forma intuitiva, mas a maior transformação foi a confiança, ele ainda estava fadigado, ele ainda estava quase sem mana, mas não havia sentimento de derrota como antes, ou seja, Ferus sabia da vitória.

O jovem lobo toma a decisão de usar um novo armamento contra seu oponente:

『Shackle Wild Blade』²

Os grilhões das correntes Gleipnir sofrem uma mudança, o resultado foi uma espada horripilante, assemelhava-se a grandes presas, a extensão de sua lâmina foi serrilhada, haviam cravos saindo de sua empunhadura, deixando aquela arma com uma aparência atroz e maldita.

Com duas espadas de aparência pavorosa, uma em cada mão, Ferus anunciava:

— Prepare-se Darts, você me subestimou, me tratou como um animal, por esse mesmo motivo acabarei com sua raça mostrando o animal selvagem que posso ser!

Darts aponta sua besta para Ferus e grita cheio de rancor:

— TENTE SE PUDER, ANIMAL PETULANTE!

Darts aciona o gatilho de sua arma, em seguida os virotes voam com velocidade para cima de Ferus.

O jovem lobo salta habilmente pelos troncos evitando por um fio cada disparo.

『Ghost Step』

Ferus desapareceu como um vulto sinistro, isso assustou o elfo negro, mas graças a sua grande habilidade de percepção, ele encontrou Ferus rápido, continuando assim a disparar contra o lobo negro.

Ferus usou sua técnica de velocidade continuamente, desviando como uma sombra de cada virote lançado.

Darts continua seus disparos sem cessar, mas Ferus foi mais rápido, sua mobilidade tornou-se assombrosa e selvagem combinada ao 『Ghost Step』, a visão extraordinária de uma movimentação anormal foi presenciada, quando não podia evitar ser atingido, ele usou um tronco ou rocha como cobertura.

O elfo negro desespera-se ao notar que não pode atingir seu alvo.

“Que movimentos são esses?…. ABERRAÇÃO! Ele se move como um animal selvagem, NÃO! COMO UM MONSTRO SELVAGEM! seus saltos, seus movimentos, cada passo dado, é como se ele fosse uma besta acuando sua presa”

Os virotes de Darts acabam, ele clicou a língua enquanto trocava rapidamente o cartucho de virotes.

Ferus usou essa oportunidade para se aproximar, mas Darts havia conseguido recarregar tempo, sem demora, ele continuou a disparar, mais uma vez o lobo negro teve que enfrentar isso usando seus hábeis movimentos.

Ferus saltou jogando sua espada de longe em direção a Darts, o elfo evitou com facilidade a espada que se prendeu no tronco de onde ele disparava seus virotes.

O elfo continua disparando, mas Ferus puxou com força sua corrente, fazendo a espada presa ao tronco desestabilizar o equilíbrio de Darts.

Darts cambaleou de um lado para o outro depois de ter sua base sacudida.

— Guh! ANIIIIIIIIIMAL IMPERTINENTE!

Ferus, sorrindo puxou o tronco com toda a força fazendo-o voar para trás, Darts saltou evitando sua queda na lama e pousando em outro tronco, Ferus arremessou sua outra espada na direção do elfo.

— SEU DESGRAÇADO! ISSO NÃO VAI FUNCIONAR! AHAHAHAHAHAHA!

Darts, se desfez de sua besta e retirou sua duas lâminas kukri, ele tentou usar as lâminas para rebater a 『Shackle Wild Blade』 mas Ferus havia previsto isso, e um sorriso maquiavélico se formou em seu rosto.

『Fissura』

Uma das maiores técnicas de Ferus, 『Fissura』, ela pode separar as estruturas a nível molecular, a menos que seja um ser vivo, tudo pode e será cortado por essa técnica terrível, não existe defesas.

As duas lâminas kukris de Darts são cortadas, suas metades voavam pelo ar, não houve resistência. Ao destruir as lâminas de Darts, a espada atroz continuou o percurso, cravou-se então dolorosamente no ombro do elfo negro atravessando sua carne até o outro lado.

— GYAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

A espada serrilhada e cheia de cravos espinhosos, entrou pela carne rasgando seu interior de uma forma nociva e dolorosa, uma arma selvagem digna de ser comparada as presas de um animal bárbaro.

A lâmina selvagem de Ferus, penetra na carne como uma mordida animalesca, retirá-la a força provou-se um trabalho digno de ser comparado a uma tortura.

Darts tenta retirar a espada que adentrou fundo seu ombro esquerdo, mas ao sentir sua carne se rasgando ele desistiu mostrando um rosto terrivelmente doloroso:

— Giiiiiiiiiiiiih!

Ferus sorriu:

— Ahahahahaha! Dói, não é? Isso prova como pode ser perigoso enfrentar um animal! Ahahahahahahah!

Ferus, instantaneamente desfez o sorriso mostrando então um olhar ameaçador e selvagem, um olhar mortal que nunca foi feito por ele antes.

— IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIH!

Darts, caiu sobre o traseiro sendo intimidado por aquele olhar penetrante.

Ferus proferiu cheio de desprezo e rancor:

— Então…. você não ia se divertir com as minhas amigas?

A face insana e cheia de loucura que Darts mostrava no início, deu lugar a um rosto assustado e suplicante, chegou a ser patético.

— Elfo desgraçado! Como ousa ao menos mencionar o nome das pessoas que são importantes para mim?….. Nem mesmo por um decreto divino, irei perdoar você!

Cerrando os dentes com fúria, Ferus fez um puxão desnecessariamente brutal, a lâmina selvagem saiu da carne de Darts dilacerando todo seu ombro esquerdo, o sangue e pedaços de sua carne despedaçada voaram alcançando o ar.

— GYAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

O grito estrondoso de Darts poderia abalar emocionalmente até a mais cruel das pessoas, mesmo assim, Ferus agiu frio, com um olhar impiedoso, o lobo negro inquiriu:

— Ainda pode usar seu Braço esquerdo?…. acho que não!

Darts arregalou seus olhos para o rapaz a sua frente, seu costume de tratar os bestiais como gado mudou de forma drástica, agora ele via um animal, um animal selvagem e dotado de inteligência, um ser horrendo que poderia ceifar sua vida facilmente. O pior de tudo, é que Darts havia provocado essa fera, ele o estimulou a mostrar suas garras e presas, um animal que chega a esse patamar, sempre será implacável.

—GiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiH!

Darts gritou como uma criança enquanto se arrastava de costas para se afastar daquele perigoso animal.

O elfo entrou em um estado aturdido com a loucura, seus pensamentos não podiam mais distinguir a realidade…. O que causou isso? A resposta é simples! Foi o medo, um medo que antes foi experimentado por ele, um medo no qual ele queria apagar de sua memória, a lembrança dolorosa de como deixou de ser um aventureiro da liga adamantium, o início de sua vergonha, sua queda, seu declínio, a causa de suas cicatrizes e as portas que abriram sua mente para a loucura…. aquele dia.

Darts, desde jovem era dotado de talento, tudo para ele foi fácil de se alcançar, conseguiu empatia de sua aldeia mesmo que fosse um meio-elfo, ainda jovem, ele subiu os degraus do clamado ranking Adamantium, mas aquilo que é alcançado com facilidade, também pode cair com a mesma velocidade.

Darts, perdeu seu posto depois de décadas acostumado com o topo, o responsável por seu declínio foi um homem, ou melhor, um monstro, monstro que usava o medo para dominar e se promover, um monstro parecido com esse lobo a sua frente.

Esse monstro hoje, ocupa o terceiro lugar da liga adamantium, fazendo parte da aclamada tríade adamantium, formada pelos três aventureiros mais poderosos do mundo.

Até monstros dotados de inteligência podem se tornar aventureiros, desde de que respeitem as leis impostas pelos humanos e demi-humanos e aceite viver conforme a sociedade que se encontra.

Nesse caso, foi um monstro transcendental que sozinho venceu um exército de um determinado país, o ogro vermelho, seu nome é Atrocitus.

Um ser cruel e perverso, gosta de humilhar e torturar seus inimigos, a palavra “hediondo” o descreveria bem, porém seu poder é considerável e por esse motivo ele é mantido pelo grêmio aventureiro do reino de Gaea.

Uma criatura ambiciosa e cheia de malícia, também grande adorador de riquezas e fama, gosta de demonstrar força e status³, alguém que acredita com toda a convicção que a força justifica tudo.
Ao confrontar Ferus, Darts lembrou-se daquela memória horrível, onde ele foi sobrepujado por essa criatura maléfica que demandava medo nos corações das pessoas, um monstro por assim dizer, depois de enfrentar aquela força ridícula, Darts foi publicamente humilhado, seu posto foi tomado a força. Envergonhado de si mesmo, ele se aposentou como aventureiro tornando-se em seguida, um reles mercenário para sobreviver.

O medo similar ao daquele momento, inundou a alma de Darts. O terror mais uma vez o perseguiu, uma vez mais, um monstro iria lhe tomar tudo.

livre de sua sanidade, ele clama em meio ao desespero:

— PARA TRÁS MONSTRO!

Ferus sentiu o cheiro do medo vido daquele elfo negro, mesmo assim, depois de ver o estado em que seus colegas foram deixados, o lobo negro não sentia nenhuma simpatia.

Ferus se aproximou de Darts, que ergueu um grito patético de pavor:

— IIIIIIIIIIIIIIIIH!

— Tsk! Que lamentável, só levou alguns golpes e já perdeu toda a confiança, você deve ter tido uma vida fácil, não é? Eu, no entanto, sempre tenho que levantar e continuar lutando em meio às adversidades que esse mundo desgraçado joga em mim — Ferus ergueu a cabeça e olhou com irritação para Darts — Vou te contar uma coisa! Eu odeio pessoas que nem você!

Darts, mesmo mediante a insanidade, não desistiu, jamais admitiria que o que ele construiu fosse roubado uma vez mais, o elfo se ergue ativando sua habilidade energética.

[Purple Reinforciment]

Com uma energia bem maior do que quando começou, Darts retirou duas facas e foi para cima de Ferus desesperados:

— NÃO SEREI DEVORADO POR VOCÊ MONSTROOOOOOOO!

— Hunf! Então eu sou o monstro agora? Que seja! Vou acabar com sua raça, SEU MERDA!

Armado com suas lâminas selvagens, Ferus saltou no confronto contra Darts, o elfo lançou uma faca imbuída de energia, mas Ferus a rebateu facilmente com suas correntes.

Ao se aproximar, Darts atacou Ferus de forma desesperada com sua faca, o jovem lobo desviava de cada ataque com uma destreza que não possuía no início do combate.

O Elfo, gritava insano:

— MORRA! MORRA! MORRA! MORRA! MORRA!…

A cada grito, um golpe era realizado, mas Ferus desviava com um sorriso cheio de superioridade.

“Esse cara foi mesmo um adamantium?…. Eu, consigo acompanhar! A velocidade dele é a mesma, senão maior do que antes, no entanto consigo ver o fluxo de seus movimentos, não posso subestimar a experiência de dez anos lutando pela vida que o Fenrir me deu, esse é o poder de uma fera lendária, o poder do Fenrir”

Ferus ficou admirado ao notar que Darts, conseguia usar seu braço esquerdo, embora o ferimento em seu ombro fosse horrível.

Ele lutava de uma forma Feroz, porém não existia essência, os movimentos de Darts, mostravam inúmeras brechas e balanços descuidados, em suma, ele atacava como um tolo.

“O que aconteceu? Esse cara está assustado?”

Ferus contra-atacou um dos golpes de Darts, chutando-o no rosto.

— Guh!

O elfo negro, caiu mais uma vez no lamaçal, Ferus esperou até que ele emergisse, mas o que ele percebeu foi um movimento desesperado do elfo de encontro à margem do lamaçal.

Darts, estava a alguns metros longe de Ferus, sem sanidade em seus olhos ele dizia para si mesmo:

— Tenho que fugir! Tenho que fugir! Tenho que fugir!…

Ferus, clica a língua descontente:

— Tsk! Esse maldito enlouqueceu ainda mais? Acha que vai conseguir fugir a essa distância?

Ferus salta atrás de Darts, o elfo com rapidez saiu do lamaçal e tentou escapar pelo meio da floresta, o garoto o perseguiu sem dar tréguas.

Darts, lançou sua técnica para tentar atrasar Ferus:

『Energy Web』

Um número absurdo de linhas púrpuras surgiu das mãos de Darts, espalhando-se em seguida pelo ambiente, árvores, rochas, arbustos, tudo que havia à sua volta foi maculado pelas linhas púrpuras.

Ferus parou automaticamente quando sentiu uma das linhas cortar de leve sua pele, nesse momento o rapaz lembrou das ameaças de Darts, que falou em estuprar as garotas e matar Hiekf, aquilo deu uma determinação monstruosa para Ferus, que gritou:

— ACHA QUE VOU DEIXÁ-LO ESCAPAR DEPOIS DE FERIR MEUS COMPANHEIROS? ACHA QUE EU VOU DEIXÁ-LO LIVRE PARA FERIR MINHAS AMIGAS! ACHA QUE VOU DEIXÁ-LO MATAR HIEKF?

Culminado pela raiva, Ferus ativa sua habilidade energética extrema, fazendo com que a energia azul índigo tome mais uma vez a face de um lobo uma última vez, era uma aposta arriscada, tendo em vista que seu poder está no limite, mesmo assim, seria ainda pior deixar um inimigo tão perigoso fugir.

A armadura de energia foi mais forte do que nunca, o ódio por Darts alavancou sua potência, com isso, Ferus ousou enfrentar as linhas púrpuras com seu corpo, as linhas não se partiram, porém também não foram fortes o suficiente para ferir o jovem lobo revestido de sua habilidade energética.

Ferus adentrou o território maculado com as linhas púrpuras sem temê-las, as mesmas linhas tentam cessar o avanço de Ferus, mas a insistência do jovem é fugaz.

As linhas emaranham-se no corpo do lobo negro que as levou consigo na pura força bruta, as árvores, rochas e arbustos que comportavam as linhas, foram brutalmente arrancados e levados juntos com a investida violenta do rapaz.

Darts, apavorado, não acreditava que o jovem lobo ainda estava em seu encalço.

— Iiiiiiiiiiiiiiiiiiiih! Nã…. não pode ser! Monstro! Monstro! Monstro!…. SAIA DE PERTO DE MIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIM!

Ferus, que alcançou Darts avançando com uma brutalidade inerente, sorriu de forma assustadora, seus olhos mostravam uma fúria animalesca e selvagem, fúria com a qual nunca se familiarizou antes.

— Você não vai fugir!

— FIQUE LONGEEEEEEEEEEEE!

Ferus caminhou em direção a Darts, o elfo havia desistido de correr, a visão horripilante de um bestial arrancando tudo que o empata em seu entorno e avançando como um monstro assustador, fez Darts tremer apavorado.

Uma cena do passado assombrou as memórias daquele elfo perturbado:

Um monstro horrendo de mais de três metros de altura, revestido com uma armadura grossa e impenetrável.

O monstro olhava para Darts, destruído no chão e quase morto em menos de trinta segundo de combate.

Uma máscara férrea escondia a face do monstro de pele vermelha escura, mas sua respiração ainda foi sentida como se fosse um hálito dracônico, com uma voz abominável impossível de ser emitida por um humano, o gigante vermelho fala com nojo:

Criatura fraca! Criatura patética! Nem mesmo teve a capacidade de me tocar, mesmo assim ousa ocupar uma posição que não lhe pertence? vou deixá-lo viver, mas não porque sou piedoso, não porque sou benevolente, apenas tenho repulsão em usar minha arma para esmagar um ser tão deplorável, você não é digno e nem merece a honra de morrer pela lâmina do meu machado! SUMA DA MINHA VISTA!

Darts, que teve nesse dia a maior parte de seus ossos quebrados, olhou com pavor para o gigante vermelho que o deixou nesse estado, sua boca sangrava devido a uma cicatriz deixada por esse inimigo. Naquele dia, Darts foi maculado pela loucura que o medo pode prover.

O elfo negro havia desistido de ser um aventureiro. Seu posto foi tomado e o monstro conhecido como “a fortaleza da atrocidade”, que em seguida se tornou um aventureiro adamantium, teve seu nome louvado por muitos aventureiros que admiravam sua força, esse foi o começo da história de Atrocitus, como um aventureiro adamantium.

Darts, voltou a realidade, nesse momento outro monstro que causa pavor e medo se aproxima dele, mas esse monstro era diferente, não era maldade que ele exalava em seu ser, também não havia uma tendência hedionda.

O monstro chamado Ferus, era como uma lei natural, um ser que devoraria para que assim não fosse devorado, um poderoso animal pronto para abater sua presa pela sobrevivência e por seus semelhantes, ele, era como a própria lei da selva.

Ferus ergue seus grilhões afiados:

— Tsk! Essas linhas são uma merda! — o lobo balançou sua lâmina selvagem com vigor — 『Fissura』.

As linhas foram partidas com tanta facilidade quanto podemos partir o vento, o elfo negro caminhava para trás sem dar as costas, ele andava de forma descoordenada e desastrada, até o momento que não podia avançar mais devido a uma árvore que bloqueou seu avanço.

O sentimento de estar encurralado e sem saída foi sentido por Darts, que implorou de forma vergonhosa:

— Es…. espere! Nã…. não é minha culpa! Eu seguia ordens!

Ferus esmurrou a face de Darts sem piedade.

— Guaaaaaaaaaaa! — o elfo foi lançado ao chão.

Ferus exprimiu com rancor:

— Poupe-me desse discursinho clichê! Eu vi como sentia prazer em me fazer sofrer, senti a verdade em suas ameaças doentias, você pode ter sido contratado, mas também não pode negar que ama o que faz. Admito que seu chefe é o pior, mas isso não te faz melhor que ele!

— Eu…. eu conto tudo! Falo tudo que sei!

Ferus abre um sorriso de desprezo e pergunta sem perder tempo:

— Ham? Então me responda! Os oito escravos que foram mandados para me matar a uns dias atrás, quem os mandou? — Ferus mostra um rosto severo e completa a pergunta com um aviso — Vou logo dizer que se mentir, será punido!

Darts, tremeu seus lábios, mas falou:

— Fo…. foi Ranpa!

Ferus afia seu olhar cheio de ódio:

— Mentiroso!

— Slash!

— GYAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

O lobo negro arrancou o braço esquerdo de Darts com sua espada selvagem, pedaços da carne do elfo ficam presas aos cravos da empunhadura da espada, mas Ferus apenas balançou com força limpando sua lâmina do sangue a da carne do elfo, uma torrente de sangue vazou pelo lugar onde esteve um braço um dia.

— Sabe!…. Havia um cheiro esquisito neles, um cheiro de energia, pode parecer estranho — Ferus toca com o dedo indicador o seu nariz — mas eu posso farejar energia, acontece que o cheiro é idêntico ao das suas linhas de merda, agora pense bem antes de responder…. Quem mandou aqueles escravos para morrer?

— Aaaah!….. Aaaaah! ….. fui…. fui eu!

— Slash!

Agora a perna do elfo foi cortada.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! PARE! POR FAVOR PARE! EU TE DISSE A VERDADE! PORQUE FEZ ISSO?

— Eh? Você mata sem nenhuma hesitação oito pessoas e pensa que não será punido por isso? Por um acaso acha que é o favorito de deus?

Lágrimas escorrem pelos olhos de Darts, mas Ferus não tinham nenhuma empatia pelos prantos do elfo, pelo contrário, só de pensar que ele fez as mesmas coisas com muitos mestiços, Ferus sentia um ódio arder em seu peito.

Darts, se apresentou como “o caçador”, mas o que ele caçava? Até um idiota como Ferus sabia da resposta. Ele caçava pessoas, caçava-as para vendê-las como escravos e se divertir torturando e estuprando, tudo em nome de sua diversão doentia, então, quantos sofreram na mão desse homem? Quantas famílias foram destruídas? Com certeza, nem mesmo o próprio elfo sabia a resposta, já que para ele, a vida alheia é leviana.

A imagem do escravo que morrera nos braços do jovem lobo foi fresca, parecia que tinha acontecido a alguns minutos atrás, pesadelos assombram o garoto a noite, sua forma de ver o mundo também mudou graças a isso, por esse mesmo motivo, o lobo negro nunca vai perdoar pessoas como Darts, pessoas tais como o bispo Sillas.

O ódio mais uma vez se instalou no coração de Ferus, que sem piedade cortou os membros restantes de Darts.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

Os gritos de dor fizeram os pássaros tomarem revoadas fugindo dali. O som do sofrimento maculou o interior da floresta.
Darts, que não possuía mais seus membros, implorou:

— MATE-ME! MATE-ME DROGA! SEU MONSTRO!

Ferus riu pelo nariz, ser chamado de monstro por alguém que destruiu inúmeras vidas só pelo agrado do dinheiro e diversão insana era hilariante.

O garoto aproximou sua face bem perto a de Darts, ficando cara a cara um com o outro.

— Eu não vou te matar! Você é um maldito filho da puta que não merece ser morto por mim! Já que ostenta um título de caçador, que tal morrer como um caçador de verdade deveria morrer?

Darts arregalou os olhos se lembrando do dia em que Atrocitus se recusou a matá-lo, uma frustração inundou seu ser hediondo.

Ferus sentiu algumas presenças se aproximando e então ele se levanta afastando-se de Darts.

— Sabe! Idiotas como você devem respeitar a floresta, por esse motivo vou fazê-lo aprender na carne e nos ossos, como um animal pode ser horripilante…. embora os humanoides sempre sejam os mais inteligentes, isso não quer dizer que os animais são tolos! Talvez sirva de lição para sua próxima vida.

Ferus deu um salto para trás tomando grande distância.

Darts, viu que seus sentidos estavam falhando por falta do sangue que perdeu, sua visão começou a ficar embaçada.

De longe, Ferus abriu seu espaço dimensional e de lá retirou uma adaga feita por Bartor, ele atirou a faca que se cravou no chão próxima ao elfo negro.

Darts, olha para Ferus sem entender, então o rapaz explica:

— Por mais desgraçado que você seja, ainda é cruel da minha parte não deixar para você alguma coisa que ofereça uma defesa.

Ferus que percebeu as presenças agora perigosamente perto, abriu um sorriso irônico:

— Você é daquele tipo que pensa que os animais são seres irracionais e que os mesmos vivem para ser dominados por nós, não é?

Darts, encarou Ferus aturdido sem entender as palavras lançadas, mas tudo ficou claro em seguida, após os ouvidos do elfo captarem um rosnado.

— Grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!

A face do elfo, ficou azul, lentamente ele virou sua cabeça e viu emergir dos arbustos alguns lobos de chifre.

Ferus fala:

— Só percebi isso agora! Mas parece que nós, os bestiais, somos mesmo amados pelas florestas de Lemur, embora não saiba o motivo. É muito raro que animais selvagens nos ataquem, monstros e aberrações talvez!…. Mas nunca os animais, no entanto não parece que o amor da natureza pelos bestiais, se aplica a outras raças como os elfos negros!

Mais lobos vão surgindo um a um, Ferus continua a atormentar o elfo com suas palavras:

— Os lobos de chifre são uma raça inteligente, com capacidade de interagir em grupo visando o melhor para alcateia, sei bem disso, pois vivi um bom tempo com alguns deles, claro que estes aí são outros que nunca vi….

Darts, queria gritar por socorro, mas o terror que abalou seu sistema nervoso não o ajudou nessa tarefa.

Os lobos se aproximaram do elfo negro, que ao lembrar da faca que Ferus lançou para ele, tentou com desespero se mover em direção a faca rastejando como um verme, a ausência de membros não facilitou essa façanha, mesmo assim, o elfo se jogou e pegou a faca com sua boca, mas já era tarde!

Cinco lobos saltaram contra Darts, cravando suas presas afiadas em sua carne, impedindo assim qualquer ato de mobilidade, ele soltou a faca de sua boca e berrou.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

Em meio aos gritos e aos sons tenebrosos da carne sendo arrancada, Ferus deixou aquele lugar, no fundo ele sentiu antipatia por seus próprios atos cruéis, contudo se ele deixasse esse elfo vivo, Hellen, Hiekf e os outros poderia enfrentar problemas futuros, por isso, ele colocou a vida de seus amigos acima de seus valores.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

Ferus ganhou + 1 nível.

— Uau! Tantos níveis mesmo sem dar o golpe final?…. urgh! Minha cabeça está girando!


Autor: Marcus | Revisor: Heaven



Fontes
Cores