FNR – Capítulo 05 – Um novo ser



Um cheiro agradável de terra molhada toma minhas narinas, aos poucos minhas pálpebras abrem-se cuidadosamente tentando se adaptar à escuridão do local, eu sentia minha respiração leve.

Escuto um som estridente a minha direita, levanto a metade de meu corpo para averiguar só para saber que se tratava do bater de asas de um pequeno inseto.

— Desde quando escuto tão bem?

Algo estava fora do lugar, não havia dor ou mal estar em mim, contudo era como se alguma coisa estivesse diferente, eu me levantei.

— Eu sempre fui tão alto?

A sensação de estranheza ficava mais forte a cada segundo, meus braços pareciam mais longos e minhas pernas esguias, como estava sem camisa vi uma musculatura bem definida em meu corpo, eu que nunca malhei em minha vida.

— Ei! Ei! Ei! O que está acontecendo aqui?

Quando achava que não poderia ficar mais estranho senti algo longo balançar em minhas costas, no susto me virei rápido e não vi nada, no entanto a sensação de balanço continuou como se fizesse parte de meu corpo.

Com um sorriso amargo eu coloquei a mão no meu traseiro e senti algo felpudo, ao puxar avisto uma longa cauda com pelagem negra ligada a meu corpo, meu rosto ficou pálido, então aos poucos me lembrei sobre a minha situação de quase morte e meu acordo com o Fenrir em troca da sobrevivência de ambos.

Ele me disse claramente que eu renasceria como outro ser, eu entendi que nada podia ser feito a respeito, afinal estava vivo e isto já era muito bom independentemente dos resultados.

Vejo uma poça de água próxima e resolvo verificar como ficou meu rosto, ao ver meu reflexo levei um baita susto, eu não tenho mais orelhas humanas, no topo de minha cabeça tenho orelhas peludas como as de lobo, meus cabelos que eram castanhos escuros tomaram a cor da pelagem negra azeviche do Fenrir, assim como meus olhos que se tornaram amarelos dourados.

Meu corpo também amadureceu, eu que tenho quatorze anos de idade, aparento ser agora um jovem de dezoito.

Então uma ideia veio a minha cabeça.

[Status]

Eu anúncio a habilidade Status para verificar se algo mudou em meus status e o que vi foi perturbador:

STATUS:

Nome: Raça: Bestial Lobo Divino Gênero: Masculino
Idade: 14 anos Classe: Nenhuma Nível: 00
Força: 800 Resistência 600
Agilidade 800 Destreza 800
Sabedoria 20 Inteligência 20
Carisma 100 Poder Mágico 800
Pontos de Vida 1000 Mana 810
Ataque 800 Defesa 700

Equipamentos:

Arma Bônus Propriedades Material
Proteção Bônus Propriedades Material

Habilidades:

Status, Avaliação NV 01, Regeneração NV 01, Força dos gigantes NV 01, Pele de titânio NV 01, Resistência a magia NV 01

Habilidades Especiais:

Imunidade a magias mentais, Imunidade a venenos, Vínculo de existência

Habilidades Únicas:

Crescimento rápido, aprendizagem rápida, Desenvolvimento acelerado

Habilidades Mágicas:

Espaço dimensional

— EH! EEEEH! EEEEEEEEEEEEEH!

Isso me deixou sem ação, meu status era um completo cheater!

Que porra é essa, eu me lembro que eu tinha força oito apenas, agora eu tenho oitocentos de força.

— O quanto será que isso é forte?

Eu cerro meu punho e tento esmurrar o chão:

— SCRASHT!

Uma grande cratera se abriu onde meu punho acertou, eu dei um sorriso forçado com a situação.

Ao ver minhas próprias mãos eu disse para mim mesmo:

— Com isso poderei me vingar.

Mas rapidamente rebati esse pensamento.

— Não posso ficar arrogante, Sillas era apenas um bispo, mas criou uma arma capaz de matar o fenrir, eu ainda estou no nível zero, primeiro devo ficar mais forte.

Eu vejo meus arredores e noto que ainda estou na masmorra, como o corpo e sangue do fenrir desapareceram, parecia um local diferente.

No lugar onde fenrir estava, só sobraram os grilhões afiados e as correntes que o prendiam, curioso eu me aproximei das correntes e as toquei.

Um brilho misterioso surgiu delas e eu saltei para trás, como não tinha controle do meu novo corpo, eu me choquei com a parede e abri uma cratera nela, misteriosamente não senti nenhuma dor e sequer me machuquei.

Com o brilho as correntes encolheram e tomaram um tamanho próximo a o meu tamanho atual, eu não entendi aquilo, no entanto uma voz falou comigo.

EI GAROTO!

A voz vinha de dentro de mim e eu adivinhei quem era:

— Fenrir é você?

SIM!

— Você está bem?

EU FICAREI BEM, NO ENTANTO USEI MUITO PODER, POR ISSO VOU ENTRAR NO MEU SONO LOGO, ME ESCUTE, VOCÊ PODE USAR PARTE DE MEU PODER POR ENQUANTO, A MEDIDA QUE FICAR MAIS FORTE PODERÁ USAR MAIS PODERES E TAMBÉM GANHARÁ SEUS PRÓPRIOS, CONTUDO VOCÊ DEVE LEVAR COM VOCÊ ESSAS CORRENTES.

— O quê? Mas não foram essas que lhe prenderam aqui.

EXATAMENTE! APESAR DISSO ESTAS TAMBÉM SÃO O ÚLTIMO TRABALHO DO LENDÁRIO ANÃO CRIADOR DE ARMAS, ASTURIO GREGOR, SE VOCÊ DOMINAR ESSAS CORRENTES, ELAS SE TORNARAM SUAS ARMAS E NÃO SUA PRISÃO, TALVEZ SEJAM NECESSÁRIAS PARA SUA VINGANÇA.

— Entendo, obrigado parceiro, mas como vou levá-las comigo, e por que elas diminuíram?

VOCÊ PODE LEVÁ-LAS CONSIGO COM A MAGIA QUE HERDOU DE MIM CHAMADA [ESPAÇO DIMENSIONAL], BASTA ANUNCIA-LA QUE ELA SE ATIVARÁ, USE A AVALIAÇÃO NAS DEMAIS HABILIDADES PARA SABER COMO ELAS FUNCIONAM E TAMBÉM PARA ESPIAR O STATUS DE SEUS OPONENTES. RESPONDENDO A OUTRA PERGUNTA, AS CORRENTES DIMINUÍRAM PORQUE EU TAMBÉM TINHA A CAPACIDADE DE AUMENTAR E DIMINUIR O MEU TAMANHO E ESSA CORRENTE FOI FEITA PARA SE ADAPTAR A MEU CORPO TORNANDO MINHA FUGA INÚTIL, COMO ESSA CORRENTE É BEM VERSÁTIL ELA RECONHECEU VOCÊ COMO MINHA FORMA MENOR E SE ADAPTOU A VOCÊ.

— Esse tal de Asturio Gregor era um Gênio!

DE FATO! MESMO ENTRE OS DEUSES, NUNCA EXISTIU ALGUÉM COMO ELE, AGORA DEVO ME DESPEDIR PARCEIRO, JÁ ESTOU NO MEU LIMITE, IREI ADORMECER EM BREVE, CUIDE-SE E VIVA ATÉ O DIA EM QUE PODEREMOS APRECIAR OS CAMPOS VERDES JUNTOS!

— Deixe para mim meu amigo!

Depois disso não ouvi mais a voz do Fenrir, eu fiquei um pouco solitário, mas ele vai se recuperar e eventualmente acordar uma hora, primeiro vamos colher essas correntes.

[Espaço dimensional]

Eu anuncio a magia e um portal azul índigo se manifesta em minha frente, eu recolho as correntes e as jogo no portal que se fecha em seguida.

Bom agora duas coisas primeiro sair desse buraco de merda depois achar um bom nome, pois notei que não tenho um nome na minha aba de status, apesar da idade ser a mesma.

Eu olhei para cima e sorri destemidamente.

— Vamos tentar algo novo.

Eu coloco força em minhas pernas e salto o mais alto possível, foi incrível, antes de cair eu apoio meus pés nas paredes da cratera e salto novamente e repito isso várias vezes, de repente uma mensagem aparece em minha mente.

*Perícias adquiridas:

  • Saltar adquirido
  • Acrobacias adquirido
  • Escalar adquirido

— Uhul! Então podemos adquirir perícias apenas com tentativas!

Duas horas depois eu cheguei ao topo do poço, fiquei espantado de como sobrevivi caindo dessa altura toda, não foi à toa que sentia como se o tempo tivesse parado.

Quando finalmente pisei na borda da cratera:

*As seguintes perícias sofreram aumento de nível:

  • Saltar subiu para nível 4
  • Acrobacia subiu para nível 4
  • Escalar subiu para nível 4

Inesperadamente todo local estava limpo, não havia corpos e nem sangue, nenhum sinal da tragédia estava presente, contudo a cidade daqueles malditos podia ser vista da onde estava, ainda que longe.

Eu cerrei os punhos e dei as costas para aquele local e conversei sozinho:

— Um dia! Não hoje, mas um dia, vocês vão pagar com a vida, eu vou derrubar essa religião de araque.

No final de meu monólogo eu saltei para longe com toda minha velocidade visando uma floresta próxima, eu pretendo ir bem longe daqui e começar meu treinamento, enquanto meu coração guardar essa mágoa eu não poderei desfrutar as belezas desse mundo com meu amigo a quem devo minha vida.

 


Autor: Marcus | Revisor: Heaven

QC: Bczeulli



Alterar fonte
Cores