FNR – Capítulo 22 – Predatory



Vinte dias atrás na capital de Lemur, Bérius.

Um clima de melancolia e tristeza tomava o local que é território do mais famoso e poderoso clã da nobreza de Lemur, o clã tigar.

É um velório, muitos ali choravam tristes com a morte de seu estimado líder, Laruk Tigar.

De diversas partes de Lemur, clãs de sangue “puro” mandaram seus representantes, simbolizando o amor e respeito que tinham pelo finado.

Diante do caixão fechado seis grandes bestiais ficaram no centro de todos os convidados, admirando de perto o companheiro que depois de inúmeras batalhas partiu sem despedida.

Um bestial do clã pantera toca no caixão de Laruk emotivo, e com lágrimas em seus olhos discursa:

— Até o melhor de nós sucumbiu no âmago do combate! Ele que tudo nos ensinou…

Um grande e corpulento bestial urso polar chorou inconsolado, ele não consegui colocar suas palavras em ordem, o mesmo acontecia com um colega ao lado do clã dos rinocerontes, ambos usavam armaduras pesadas de combate, suas atitudes sentimentais não condizem com as aparências aterrorizantes.

Um bestial do clã dos leões que tem o corpo cheio de cicatrizes, prova que participou de muitos combates, observou o caixão de Laruk tentando não demonstrar sentimentalismo, mas mesmo assim seu rosto mostrou uma insatisfação plena com a situação.

O único ali que pareceu indiferente, seria aquele que deveria estar chorando mais que qualquer outro, foi o pai de Laruk, o líder máximo do clã Tigar, Garuk Tigar.

Mesmo com a idade avançada, sua postura era irreverente, seu corpo mostra que ainda tem o espírito de um guerreiro cravado nele, imponente e respeitável, o tigre não deixou ninguém ver um grão de fraqueza nele.

A única coisa que demonstra uma gota de seu sentimento foi seu olhar feroz, um ódio ardente foi evidente ali, aquele que entrasse em contato com aquele olhar sentiria seu espirito arder em dor com o fogo da fúria.

Todos os convidados que beiravam umas mil pessoas, deram suas condolências a Garuk, todavia o tigre não moveu um músculo sequer para responder de volta.

Após a cerimônia terminar os convidados se vão e seis grandes bestiais permanecem ali, sem se mover do lugar.

Garuk, que finalmente saiu de seu impasse, colocou a mão sobre o caixão de seu filho.

Todos observam a ação de seu líder sem emitir uma única palavra.

Garuk, abre seus lábios:

— Meu amado filho! O meu orgulho! Seguiu plenamente toda a nossa conduta e ensinamentos, mesmo quando o reino virou as costas contra nossa tradição, ele foi o primeiro a se colocar de frente e desafiar todos, mesmo tendo sua honra arriscada, mesmo sendo chamado de terrorista, mesmo estando tão doente…

— Guh!

O bestial urso polar grunhiu de tristeza e dor, com as palavras de Garuk.

O bestial leão, que não aguentou mais aquela melancolia reclamou com o grande urso branco:

— Tsk! Chega disso Bertis, toda essa melancolia me dá nojo!

O urso branco encheu seus olhos com sede de sangue:

— REPITA ISSO SE TIVER CORAGEM, KRAUS!

— VENHA! MALDITO URSO!

Antes da briga começa, um gigantesco estrondo chamou a atenção de todos, os ali presentes voltaram suas atenções para aquele que criou o estrondo.

Uma grande rachadura foi aberta no chão, um bastão é o responsável pelo impacto poderoso.

Diante dos cinco bestiais um ser de corpo magro emanava uma energia de coloração vermelha, sua longa cauda delgada balançou de um lado para outro, ele permaneceu ali imóvel do começo ao fim do funeral, por esse motivo não deram muita atenção a sua presença.

Garuk, no entanto mostra um olhar gentil e com um sorriso triste exprime:

— É uma honra tê-lo conosco Jù Yuán.

O misterioso bestial recolheu seu bastão e descansou sobre os seus ombros, ele mostrou um olhar raivoso para Kraus e Bertis, que reflexivamente deram um passo para trás.

O bestial revela sua forma como um membro raro do clã dos macacos, esses bestiais vivem nas terras longínquas do leste, sua cultura é diferente da cultura ocidental, seus trajes, costumes, filosofias e até as formas de luta se diferenciam de seus colegas ocidentais.

O bestial em questão não é nada jovem, pelo contrário as marcas do tempo e as rugas são visíveis nele, pode ser até mais velho que Garuk, todavia sua construção não mostra fraqueza das mazelas do tempo.

Jù Yuán bateu seu bastão impacientemente contra seus ombros, ele reprova as atitudes dos dois:

— Hunf! a juventude de hoje não têm respeito pelos mortos?

Tanto Kraus como Bertis olham para baixo com raiva de suas próprias atitudes.

Jù Yuán continua seu sermão:

— Laruk foi meu estimado amigo e companheiro de batalhas, lutei a seu lado e protegi Lemur inúmeras vezes dos invasores de outros continentes, mesmo assim minha dor e a dor de vocês que são como filhos do grande tigre não se compara a de Garuk, que segura com afinco suas lágrimas para não demonstrar fraqueza.

Os dois encaram Garuk que ficou imóvel com seus olhos fechados, eles entendem que apenas estão agindo com infantilidade e sentem vergonha de suas atitudes.

Jù Yuán diz mais:

— Kraus! Você mais que qualquer um, foi desprezado por seu verdadeiro pai, como um filho bastardo do antigo rei de Chloe, Laruk o adotou como filho e o criou com carinho, o orgulho que ele sentia por você é muito maior do que ele tem pelo próprio filho, eu sei bem disso…

Kraus encheu seus olhos com lágrimas mediantes as palavras do macaco.

— Então Kraus! Não ache que é o único aqui que quer gritar…

Abaixando sua cabeça Kraus diz a todos:

— Me desculpem!

Jù Yuán suspira e fala diretamente a Garuk:

— Senhor Garuk! Eu não acho que seu filho foi derrotado pela doença! Eu o conhecia melhor que ninguém então eu vou checar o que aconteceu de fato!

Jú Yuán deu as costas e caminhou até a saída, antes de ir Garuk o chama:

— Jù Yuán, eu…

— Não precisa dizer nada senhor! … a cabeça do assassino de meu amigo, eu a trarei para você em uma bandeja de prata como um presente, então fique saudável, agora você é o único que pode manter os nossos ideais!

Jù Yuán saiu dali sem olhar para trás.

Fora da residência do clã Tigar um Grande gorila aguardava por Jù Yuán, o gorila colocou a mão em seu peito e respeitosamente saudou seu mestre, ele também teve vestes semelhantes a de Jù Yuán.

Shifu¹! Então já voltou!

— Hunf! Dà Ching! Como foi a investigação?

— Infelizmente, não podemos confiar nas fontes Shifu.

— Hunf! aquele cachorro preto de uma figa é muito astuto, as informações sobre o assassino de meu amigo são muito fantasiosas, um mestiço? Hunf! isso não seria possível nem em mil anos!

Os dois saem dali sem deixar rastros.

Jú Yuán, investigou sozinho sobre o estranho bestial mestiço que assassinou Laruk, felizmente toda pessoa tem seu preço, aquele no qual Jù Yuán conseguiu saber o valor, foi o vice capitão do exército real, um bestial do clã dos ursos chamado Urs.

Eles marcaram de se encontrar em um local discreto nas periferias de Bérius, isso ocorreu quatro dias depois do funeral de Laruk.

Sentado frente a frente com Urs, Jù Yuán foi direto:

— Eu não gosto de rodeios e de subjetividades, me diga o que quero saber e terá sua recompensa urso.

O urso pardo sorriu como um bufão, a visão de alguém assim na guarda real do país na verdade enojou Jù Yuán, mas ele tinha o que queria naquele momento, então não podia reclamar.

— Me pergunte o que quiser e eu responderei:

Jù Yuán Alisou a pelagem que se assemelhava a barba, e perguntou sem hesitar:

— Quem matou Laruk?

Urs torceu o rosto com a pergunta de Jù Yuán, para dizer a verdade ele mesmo não acreditava completamente nisso.

Urs expressou com desgosto:

— Pode parecer besteira senhor! mas juro pela deusa da natureza que se trata de um bestial lobo mestiço.

Jú Yuán Apertou o punho e cerrou os olhos para Urs.

Com um movimento rápido e repentino, o velho macaco colocou seu bastão no pescoço de Urs e exprimiu cheio de ódio:

— Não brinque com minha paciência urso! Se apostou que sou idiota, escolheu o dia errado para jogos de azar!

Com o suor escorrendo de seu rosto Urs implora:

— Eu… Eu falo a verdade… Eu juro, muitas pessoas do exército real presenciaram o fato, mesmo Aurus, Barbatus e a senhora Zizis estavam lá!

— E com que base vocês podem afirmar a força desse mestiço?

— Is… isso por que foi ele que matou sozinho a aberração de espinhos.

O macaco arregala os olhos com a revelação de Urs, Jù Yuán foi pessoalmente ao palácio real ver a criatura que Aurus mostrou a corte, o corpo foi de um Javali deviante, que de alguma forma sofreu uma mutação e se tornou uma aberração.

Jù Yuán retirou o bastão do pescoço de Urs e perguntou com desconfiança:

— Como sabe que aquele que matou o perfurador dos céus e a aberração de espinhos são os mesmos?

— Isso… isso foi por que um gnoll que estava com ele revelou a informação fazendo um acordo com Aurus, a comprovação foi feita mediante a habilidade única da senhora Zizis.

Jù Yuán tem conhecimento da habilidade de Zizis e sabe que ela nunca falha.

O macaco teve um sorriso estampado em seu rosto, ele mudou o foco de sua pergunta:

— Você disse Gnoll? Qual era o nome dele?

— Hã? …. eh? Deixe-me ver…. hun! Ah sim! Hiekf! Hiekf Gnoll!

Os olhos de Jù Yuán arregalaram ao escutar o nome de Hiekf, ele descansou as costas sobre a cadeira e riu baixinho.

— Kukukukukukukukukukukukuku!

Urs que não conseguiu entender nada apenas observou a conduta estranha do velho macaco.

Com um belo sorriso ele murmurou:

— Mesmo depois de morto você me surpreende velho amigo, você achou aquele que têm a chave da biblioteca do conhecimento que o clã gnoll escondeu, dizem que os todos os “escribas” do clã gnoll são nomeados como “Hiekf”, eu me perguntava que diabos você foi fazer naquele fim de mundo…. kukukukukukukukuku!

O macaco pegou uma bolsa de moedas e jogou para Urs, ele se levantou e saiu satisfeito com as informações coletadas ali.

Ao sair da porta do estabelecimento um sorriso vivido tomou o rosto de Jù Yuán, que agora tem algo maior que a vingança, ele agora deve completar o sonho de seu finado amigo.

Dez dias se passaram e Jù Yuán não conseguia informações corretas do paradeiro do assassino de seu amigo e do gnoll no qual ganhou interesse, mas isso não foi surpresa para ele.

A inteligência e o conhecimento de um gnoll não é de se subestimar, contudo agora ele sabe bem onde eles estão, acontece que os dois nunca saíram de onde estavam, foi uma bela jogada dos dois.

Eles definitivamente estão na cidade comercial de Harp.

Jù Yuán parte para Harp em busca de vingança e de continuar o objetivo obscuro de seu finado amigo.


Autor: Marcus | Revisor: Heaven

QC: Bczeulli


 

Nota¹: Shifu quer dizer mestre em chinês.


Alterar fonte
Cores