FNR – Capítulo 16 – Negociação



Ponto de vista de Ferus:
— Tsk!
Eu percebi a algum tempo que há pessoas assistindo de longe a minha luta contra o Javali Demônio de Espinhos, mas ninguém se propôs a ajudar.

Mesmo quando meu amigo Hiekf, fugia aflito da fera, eles apenas observavam dali.

Eu entendi que os bastardos nos usavam de iscas enquanto se reagruparam lá perto.

Mas não importa agora.

Eu finalmente consegui atingir o maldito monstro duas vezes com minha técnica mais forte, meus grilhões afiados com a forma da [Shackle Spear] estão cravados nas costas da criatura.

Mesmo forçando ao máximo para derrubar a fera, esse maldito persistente ainda está de pé, mas tudo bem é apenas questão de tempo até ele cair.

O monstro me puxa com sua força, mas eu não me dou por vencido e retomo as rédeas com esforço pleno.

Agora estamos em cabo de guerra, tudo agora se trata de resistência e eu tenho a vantagem.

Eu não consigo esconder o sorriso em meu rosto.

Todavia algo interrompeu minha disputa com o monstro:

— BATALHÃO! AO MEU COMANDO DISPARAR!

Inúmeras flechas são disparadas e atingem o monstro fazendo-o cambalear, porém o vigoroso monstro ainda mostrou resistência.

— ESQUADRÃO DE MAGOS! LANÇAR MAGIAS!

Várias magias de fogo e luminosas são lançadas na aberração de espinhos que finalmente tombou no chão.

Eu me virei e dei de cara com um pequeno exército, eu fiquei surpreso por não ter sentido a presença deles naquele momento.

Sinceramente esses malditos só aparecem agora para chutar um cachorro morto, eu não quero envolvimento com covardes assim, meu amigo Hiekf passou bons bocados e ninguém o ajudou.

Estou muito mal humorado para dizer algo para esses merdas, então vou ignorá-los e seguir meus afazeres.

Foi então que um membro do clã dos ursos pardos me olhou de forma arrogante e falou asperamente:

— Ei! Quem diabos é você?

Esse maldito! Aparecendo no final da batalha e ainda agindo como o fodão, vou ignora-lo.

Eu caminho até o corpo do monstro para armazená-lo em meu espaço dimensional.

O maldito urso agarrou meu braço de forma rude, a raiva subiu até a tampa e meu estopim curto estourou.

— Tsk!

— Eu Perguntei quem…. Urgh!

Eu peguei o braço do urso de uma figa e o torci sem piedade.

Mesmo ele tendo aquele tamanho todo ele se ajoelha de dor no chão.

O exército dele se armou com suas lanças e as apontaram para mim, essa é uma situação difícil de sair, mas que se dane…

— PAREM!

Um grito cessa os movimentos do pequeno exército, eu olho para o dono do grito e vejo um bestial que se parece bastante comigo, mas olhando-o bem ele não era um lobo e sim um cão.

Acompanhado dele uma linda mulher provavelmente do mesmo clã.

Eu escutei o murmúrio de um dos cavaleiros:

Es… Esse é o senhor Aurus, vamos obedecê-lo.

Entendi! Então esse cara que se chama Aurus é importante.

Todos os guardas abaixam suas armas ao comando do tal Aurus, eu apenas observava indiferente aos fatos ali.

Eu encarei o urso de merda no qual torcia o braço e o solto.

Eu o aviso:

— Não me toque!

Sem perder tempo eu vou até o monstro abatido e chamo meu espaço dimensional.

{Espaço dimensional}

Minha magia dimensional se expande da mesma forma que fiz com os outros Javali s Deviantes e assim começo a colocar a aberração de espinhos dentro da minha magia de armazenamento dimensional.

A garota que acompanha o tal Aurus pareceu impressionada e murmurou:

— Se… Sem cântico?

Der repente o tal Aurus me fala:

— Garoto! Se possível eu gostaria de ter esse monstro.

Francamente, que cara de pau! Ele me deixa junto com Hiekf ao deus dará e ainda faz um pedido desses?

Eu viro meu rosto cheio de desgosto para esse cão de merda.

— Hã?

— Como eu disse! Eu quero que me dê esse monstro.

Esse cara…

Eu abri um sorriso cínico e falei dando os braços:

— Por que eu daria para você? Eu o peguei sozinho! Vocês apareceram no final quando já não havia necessidade nenhuma.

O tal Aurus insistiu:

— Esse monstro é importante para a guilda de aventureiros…

Esse cara! ele tá me deixando puto…

— E daí? Espera que eu tenha simpatia depois de usar a mim e meu companheiro com iscas enquanto assistiam de um local seguro?

Aurus apertou o rosto, ele parece não entender como eu sabia então coçando a cabeça eu explico:

— Deu para senti-los de longe, eu até pensei que viriam ajudar, mas depois de um tempo perdi as esperanças e resolvi me virar sozinho, então não me venha com essa merda!

O bestial do clã dos cães pareceu finalmente entender meu ponto de vista.

Então ele propôs:

— Então vou compra-lo de você.

Eu me lembrei que Hiekf falou sobre dinheiro ser indispensável, eu também posso tolerar um pouco esse tal Aurus, ele não quis pegar o monstro a força, em vez disso ele faz uma proposta de negócio.

Entretanto não sei nada sobre o dinheiro desse mundo, vou esperar Hiekf chegar e falar do preço.

— Vamos esperar meu companheiro, ele vai discutir o preço.

Eu me sentei no chão para descansar um pouco e esperar Hiekf, eu sentia que ele não estava longe.

O homem urso de merda começou a me encarar aborrecido.

— Que atitude petulante é essa? Quem diabos é você?

Eu respondo:

— Meu nome é Ferus, muito prazer urso esquisito.

Eu vi o bestial urso ficar tremendo de raiva, mas antes dele gritar, alguém o parou:

— Chega Urs! O garoto não é qualquer um, aconselho não o provocar.

Eu contemplei um bestial do clã dos rinocerontes, ele foi o mais diferente bestial que já vi, sua pele é cinzenta igual a de um rinoceronte, sua cabeça também é como a de um rinoceronte, apenas o corpo era humanoide, mesmo assim ele é enorme, bem maior que o bestial urso.

O urso ainda assim não escuta o que o bestial rinoceronte avisou e pergunta de forma arrogante:

— Tsk! Ei maldito, me diga de que clã você é! Eu não acho que seja do clã dos cães.

Eu olho para Aurus mais uma vez e entendo agora o por que muitos me confundem com o clã dos cães, mesmo assim é irritante…

— Eu não sou um cão, eu sou um lobo…

Eu me lembrei do aviso de Hiekf, “não deve deixar ninguém saber sobre sua condição racial rara…”.

Então eu respondo:

— Não pertenço a nenhum clã, sou lobo, um mestiço!

Eu escuto murmúrio de ofensas e ódio dirigidos para mim pelos guardas depois de falar que era um mestiço, um maldito até cuspiu no chão.

Hiekf já me explicou sobre isso, então é só ignorar.

O bestial urso com um olhar de desprezo me desafia:

— Hunf! uma escória sem educação, só podia mesmo ser um mestiço, nesse caso não devo me resguardar em nada, saia da frente lixo e deixe aquilo que pertence ao reino ou então enfrente o exército real.

Esse cara me dá vontade de rir, eu já estou no meu limite por passar um apuro dos diabos e ainda tenho que escutar merdas desses caras.

Eu sinto as veias dilatarem em minha testa, eu cheguei no limite da minha raiva agora, eu vou surrar esses desgraçados.

Eu reúno toda minha força e chamo a minha [Índigo Energy] com seu máximo.

Já com o sangue em minha cabeça eu declarei:

— Então eu escolho enfrentar seu exército de merda! Venham todos!

Eu reúno ainda mais energia para fortalecer minha habilidade energética ao limite.

Muitos guardas deram um passo atrás intimidados.

O Tal Aurus exprime:

— Que energia imensa é essa?

Eu cerrei meus punhos pronto para dar uma lição nesses filhos da puta, mas…

Senti uma pancada bem forte atrás da minha cabeça, mesmo com a habilidade [Pele de Titânio] foi bem doloroso.

Nesse momento escutei a voz de Hiekf:

— QUE DIABOS VOCÊ TEM MENINO! ENFRENTAR O EXÉRCITO REAL? EU VOU POR JUÍZO NESSA SUA CABEÇA OCA DE LOBO.

Minha cabeça dói tanto que eu a esfrego com minha mão para aliviar a dor.

Eu virei meu rosto para Hiekf e ele está muito bravo comigo, eu não entendi o motivo.

Todos ali ficaram sem ação com o acontecimento, quando eu ia reclamar o gnoll me pegou minha cabeça e a bateu no chão deixando-me de joelhos, ele também acompanhou fazendo o mesmo.

Com a cabeça abaixada Hiekf pediu ao exército:

— Por favor! Perdoe ele, como podem ver esse menino não tem nenhum juízo, pode não parecer, mas ele é apenas uma criança de quatorze anos.

Aurus arregala os olhos:

— Hã? Quatorze? … Está brincando né?

— Não! Não estou.

Todos ali ficam boquiabertos com a declaração de Hiekf, o gnoll sorriu com tudo aquilo sem temer.

Uma bestial fêmea do clã dos leões apareceu ali.

Aurus fala:

— Zizis, finalmente apareceu, escutou isso agora?

Zizis olhou para Hiekf e depois olhou para mim, que estou a ponto de explodir de raiva.

Ela diz a Aurus:

— Ele está falando a verdade! É impossível mentir diante da minha habilidade única.

Aurus riu secamente.

— Ahahahahaha! Imagine só isso! … Eu informando a vossa majestade que a aberração que destruiu parte considerável do reino foi morta por um mestiço de que ninguém sabe de onde veio e ainda por cima tem apenas quatorze anos… espero que o rei não pense em mim como alguém que faz piadas…

Aurus pareceu em um dilema bem grande ali.

O homem urso protesta:

— Não diga asneiras Aurus, Foi eu junto a meu exército que abatemos a criatura!

Ai está, o maldito finalmente mostrou suas garras, mas ninguém vai levar minha caça sem lutar, mesmo que Hiekf diga qualquer coisa.

Aurus Riu:

— Ahahahahahaha! Por favor Urs, alguém como você deveria tentar subir pelas próprias habilidades e não pelo oportunismo.

O homem urso fez uma expressão feroz para Aurus e perguntou asperamente:

— O que está insinuando? Cão…

Aurus aceita a provocação de Urs e responde com hostilidade:

— Hou! Para alguém que pretende conseguir méritos por meio das vitórias alheias, eu quero que me diga… onde está a honra nisso? Urso…

— Hunf! pelo menos eu não fiquei de braços cruzados esperando por reforços, assim que cheguei ataquei, diferente de você, Aurus.

Eu ri com aquilo e resolvi colocar lenha na fogueira:

— Muahahahahahaha! Ponto para o urso!

Aurus clicou a língua e resolveu deixar para lá.

Aurus se foca em mim e pergunta:

— Seu amigo chegou não é? Me diga logo o preço!

Hiekf que não sabia da situação me encarou pedindo explicação.

Eu explico:

— Veja bem! o tal Aurus ali me propôs comprar o bicho, como não entendo sobre a moeda e coisas assim, eu deixo pra você.

Hiekf cruza os braços e responde:

— Entendo! Uma boa jogada, visto que o dinheiro é um problema agora…

— Sim! Sim! Termine logo, estou com fome!

Hiekf deu um sorriso assustador e falou:

— Ei pirralho! Eu não sou seu empregado, já avisei para não tratar os adultos como idiotas não foi?

De alguma forma eu senti um arrepio na espinha com o aviso de Hiekf, como defesa eu desconversei sem graça:

— A… Ahahaha… Foi uma piada sabe!

— Eu não estou com muito humor, então se comporte OK?

— Si… sim!

Eu me calei ali, me senti de alguma forma intimidado.

Hiekf, pediu a Aurus sem rodeios:

— O preço é de 100 mil peças de ouros, nada mais, nada menos…

Aurus tremeu um pouco na base com um olhar surpreso, mas cedeu:

— Tu… Tudo bem! eu não esperava pagar tanto, mas ainda é um preço justo…

— Mais uma coisa!

— O que? ainda tem mais?

— Sim! A regra da negociação é tirar proveito quando está na vantagem não é?

Aurus mostrou surpresa, mas riu demasiadamente depois.

— AHAHAHAHAHAHAHAHAHA! Sim! Sim! Tem toda a razão gnoll, por um momento achei que fazia negócios com uma raposa…

Hiekf responde ofendido:

— Hunf! sua comparação não me agrada, nós gnolls também somos agraciados com a esperteza afinal…

Aurus levantou as mãos e se desculpou:

— Desculpe-me, não foi minha intenção ofender, mas então? O quer a mais?

— Isso na verdade é simples para você! Eu quero uma recomendação sua para a guilda de aventureiros de Harp…

Aurus mostrou um olhar semicerrado para Hiekf.

— Por que isso? Aposto que você consegue passar nos testes!

Hiekf sorrir e responde:

— Não se faça de tolo, sabe que a recomendação não é para mim.

Aurus fintou seus olhos em mim.

— Entendo! Todavia, isso e aquilo são coisas diferentes, eu posso sim lhe fazer uma recomendação, mas eu nunca exporia o meu país a perigo…

Hiekf deu os ombros e perguntou com cinismo:

— Perigo? Não sei do que fala?

Aurus perguntou com seriedade:

— Gnoll, quem é o garoto? Qual sua relação com ele? De onde diabos um bestial tão forte assim saiu?

Hiekf respondeu com um sorriso sem dizer nenhuma palavra.

— Tsk! Então nada feito! Mesmo que não me venda o monstro eu não vou arriscar meu país com alguém que pode ser um espião estrangeiro.

Eu me surpreendi com a dedução de Aurus, eu não sou um espião, mas também não sou daqui, o fato dele cogitar essa possibilidade mesmo eu sendo um bestial, prova que ele é alguém no mínimo astuto.

Hiekf continua sua jogada:

— Eu daria a recomendação se fosse você senhor Aurus! Isso pode evitar problemas no futuro sabe!

— Ei! Ei Gnoll, eu não falo em códigos.

Hiekf Olha para a bestial leoa chamada de Zizis e pede a ela:

— Senhorita! Poderia informar ao senhor Aurus se estou mentindo ou não com sua habilidade que vê a verdade?

Zizis sorrir e responde:

— não se preocupe! Essa é minha função desde o começo!

— Ótimo!

Hiekf pergunta a Aurus:

— Me diga senhor Aurus, como anda a capital?

Aurus torceu o rosto impaciente:

— Gnoll… seja direto…

Hiekf tossiu para disfarçar e explica:

— Bom! Eu saí com esse garoto às pressas de meu vilarejo onde vivemos, pois ele fez algo que com certeza mudou o cenário político de Lemur.

Aurus arregalou os olhos.

— Gnoll eu disse para ser direto!

Hiekf falou:

— O clã Tigar faz um luto de três dias por seus mortos não é? Me pergunto quais vão ser os próximos movimentos da Predatory, depois de chorar pelo seu finado líder.

Aurus com o corpo trêmulo me encarou e disse:

— Ga… Garoto! Foi você? …. Você é aquele que matou Laruk Tigar?

Eu inclinei minha cabeça e perguntei:

— Laruk era tão famoso assim?

O bestial rinoceronte, Zizis, Urs e a garota que acompanhava Aurus me olham com espanto, seus rostos estavam assustados comigo, isso me deixou desconfortável.

Urs grita:

— IMPOSSÍVEL! UM RELES MESTIÇO NUNCA VENCERIA O PERFURADOR DOS CÉUS LARUK…

Eu respondo:

— Foi por pouco…

Todos focaram seus olhares em mim e eu continuei:

— Foi uma batalha terrível de vida e morte, eu… até agora tremo em lembrar de cruzar minhas correntes contra sua enorme lança, suas técnicas de luta foram de alto nível… eu nunca enfrentei um oponente tão formidável, todos os seus movimentos de batalha ficaram encravados em meu corpo…

Eu comecei a tremer em lembrar do rosto de Laruk.

— Em nenhum momento, aquele tigre mostrou fraqueza, um oponente que atacava de forma honrosa e de frente sem nenhum truque… mesmo no âmago de sua morte ele riu de mim e morreu em pé… assustador!

Urs que me escutava tremendo, engoliu seco.

Zizis fala para Aurus com a face azul:

— Aurus! … é verdade!

O homem rinoceronte se aproximou de mim sem temer e expressa:

— Garoto! Laruk era um dos mais fortes de Lemur, mesmo que ele estivesse contra a monarquia ele era muito querido, você vai enfrentar tribulações!

Eu respondo com tristeza dando os braços:

— Tribulações? A única coisa que não conheci desde que “nasci” nesse mundo foi a paz! Seguir em frente é minha única opção depois de tudo.

O rinoceronte sorriu.

— Garoto, eu me chamo Barbatus, obrigado!

Eu fiquei curioso com o agradecimento dele e perguntei:

— Por que me agradece?

— O monstro que derrotou matou muitos inocentes, mesmo que me diga que não foi sua intenção eu ainda vou agradecê-lo.

Esse rinoceronte é um cara legal.

Aurus suspira e diz a Hiekf:

— Me diga gnoll, por que quer a recomendação?

— Preciso dela para conseguir a licença de aventureiro para Ferus, já que ele é um caso especial não quero que ninguém fique olhando o seu status, mas a verdadeira importância disso é me manter em movimento constante com Ferus, assim podemos evitar a predatory por alguns momentos.

Aurus colocou sua mão no queixo e pensou por um tempo, ele tirou de seu bolso uma pedra e jogou para Hiekf.

Hiekf pegou a pedra e perguntou:

— Senhor Aurus, o que é isso?

— Uma pedra de localização, não se preocupe eu sou o único que vai monitorar seus movimentos, mas antes de reclamar eu vou dizer que há vantagens em me deixar saber onde vão, por exemplo, eu posso informar os movimentos da predatory.

— Hunf! entendo! O feitiço se voltou contra o feiticeiro!

Aurus deu os braços e falou:

— A regra da negociação é tirar proveito quando está na vantagem não é?

Hiekf deu os ombros.

— É verdade! Não posso repreendê-lo por uma coisa que eu mesmo impus, todavia eu quero a recomendação.

Aurus estendeu a mão para Hiekf que a apertou forte.

— Temos um acordo.

Os guardas reais recolheram o corpo do monstro abatido.

Aurus escreveu a carta de recomendação que Hiekf pediu e entregou para ele, também nos pagou a quantia de 100 mil moedas de ouro, como a quantidade era grande Hiekf me mandou guardá-la no meu espaço dimensional, deixando apenas uma porção necessária para o uso de fora.

Urs, junto a seu exército usaram uma magia de teleporte em massa, entendi o por que não os senti chegando ao atacar o monstro.

Aurus instruiu um lacaio seu a enviar a mensagem de que tudo estava bem para o rei, apesar de tentarmos nos manter em anonimato, Aurus disse que era inútil, o melhor é apresentar logo os fatos a realeza pelo menos.

Assim nos despedimos de todos ali.

Já estava quase noite quando tudo acabou.

Hiekf disse para mim:

— Bom! É melhor acampar não é?

— Hiekf! Não está esquecendo de alguma coisa?

Hiekf sorriu amargamente e pediu:

— Escute Ferus, já é tarde e desmantelar um javali deviante é muito trabalhoso!

— Eu não quero saber! Você disse que faria sua receita e eu estou esperando um dia inteiro só para comer a carne desse javali!

Hiekf suspirou forte e desistiu.

Demorou horas para desmantelarem um único Javali Deviante, mas no final a carne é mesmo incomparável, seu sabor foi um dos melhores que comi em toda minha vida, nem no meu antigo mundo uma carne era tão saborosa.

Foi a primeira vez que apreciei uma noite nesse mundo.


Autor: Marcus | Revisor: Heaven

QC: Bczeulli



Fontes
Cores