FNR – Capítulo 13 – De volta a jornada (Fim)



Três dias se passaram desde que Ferus se instalou na aldeia Gnoll, depois de derrotar um poderoso adversário ele descansou de seus ferimentos ali.

Hiekf, um bestial do clã das hienas e também líder do vilarejo, decidiu acompanhar o jovem lobo em sua jornada como forma de agradecimento e também por não poder deixar Ferus sozinho, pois ele não sabia como sobreviver no atual país de Lemur.

Graças aos deuses, Hiekf é um bestial sábio, portanto ele pensou em uma forma de seguir com cautela pelo país.

Já chegou o terceiro dia, todos os preparativos ficam prontos e Ferus, junto a seu novo companheiro Hiekf, se preparam para partir do vilarejo Gnoll.

Meu nome é Ferus, eu estou atualmente me despedindo de outra morada temporária.

Quando renasci como Ferus graças a ajuda do lendário Fenrir, eu nunca mais soube o que significa ter uma morada fixa desde então, mas não posso reclamar, afinal ainda estou vivo.

Uma coisa que notei hoje foi que Hiekf é surpreendentemente popular, os residentes de sua aldeia estão todos aqui para sua despedia, um clima de melancolia está se mostrando agora.

Muitos pedem e até imploram para que ele fique, todavia Hiekf é unânime em sua resposta:

— Eu vou de qualquer jeito eu já me decidi, nada que me disserem vai me convencer do contrário.

Com esse argumento decisivo, os residentes tristes desistem de tentar fazer seu líder ficar.

Hiekf, se aproximou de Gruvus e lhe deu um colar que retirou de seu próprio pescoço, era um colar simples, ornamentado de conchas e uma grande presa como a jóia principal.

— Tome Gruvus! Aceite este presente, ele foi de meu pai, quando ele me deu a tarefa de líder da vila me presenteou com ele, agora passo-o a você, junto com o dever de novo líder do vilarejo.

Gruvus abaixou sua cabeça e Hiekf colocou o colar nele.

Emotivo, Gruvus segurou o ombro de Hiekf e pronunciou:

— Obrigado Hiekf, você me criou como um pai quando fiquei órfão, nunca vou esquecer de seus ensinamentos.

Hiekf que também segurou o outro ombro de Gruvus respondeu com um sorriso:

— Eu sei que não, sempre foi um aluno aplicado… Gruvus! Seja um excelente líder!

— SIM!

Hiekf se despediu mais uma vez de todos e assim deixamos o vilarejo Gnoll.

Eu não entendia a expressão na face de Hiekf, ele mostrava um sorriso, como se a despedida fosse bem vinda, eu nunca tive boas experiências com despedidas então não entendo o que ele pensa, apesar disso senti inveja de seu sentimento no qual não compreendia.

Caminhamos por horas sem nem sequer conversamos um com outro, no cair da noite o homem hiena abriu sua boca pela primeira vez:

— Jovem lobo, está escurecendo, vai ser perigoso continuar então vamos levantar acampamento.

— Tudo bem!

A caminhada foi longa, mas nem um pouco maçante, pois todos os nossos pertences, exceto armas e armaduras foram carregados por minha magia dimensional.

Eu invoquei meu espaço dimensional para pegarmos tudo que era necessário para erguer o acampamento.

[Espaço Dimensional]

Um pequeno portal de coloração azul índigo se abriu e dali tirei toda nossa bagagem.

Hiekf que observava comentou:

— (Suspiro)! Não importa quantas vezes eu veja isso, eu sempre me espanto! E pensar que você pode invocar uma magia tão rara sem pronunciar nenhum cântico, ou utilizar um ciclo de magia… De fato, um rapaz misterioso…

Eu simplesmente fiquei calado com o comentário de Hiekf, mas ele continuou:

— Todavia é graças a isso que podemos trazer tantas coisas úteis, então vou apenas agradecer aos deuses esse benéfico inesperado.

As últimas palavras de Hiekf me aliviam um pouco.

O bestial hiena monta o acampamento habilmente, como se estivesse acostumado a isso.

Depois de acender a fogueira ele colocou a panela com iguarias para cozinhar, eu me sentei junto a fogueira, começou a ficar frio.

Hiekf, se sentou também depois de terminar os preparativos, ele me observou e puxou assunto:

— Ferus! Eu estou vendo que está tenso com minha presença.

Eu não respondi a ele, preferi ficar calado naquele momento.

Hiekf deu um sorriso amargo para minha ação, ele olhou para o céu por um momento e discursa:

— Sabe! eu disse algumas coisas pesadas para você a alguns dias, eu entendo sua cautela…

Bem na mosca! Como sempre esse bestial parece entender o que penso, isso também a algo que me incomoda nele.

Ele pareceu muito assustado ao ver meu status, isso me deixou surpreso, eu não sei como agir agora, essa é a verdade.

Hiekf coçou a cabeça por um momento e desabafou:

— Ferus! De certa forma eu sei que entende, você é diferente!

Eu dei um sorriso amargo para o argumento de Hiekf que continuou:

— No entanto acho que você não sabe o que ser diferente significa nesse mundo…

Eu atentei meu olhar em Hiekf para melhor escutar sua explicação.

— Rapaz, sua vida será cheia de desafios, muitos irão visar sua cabeça simplesmente por inveja de seu poder, outros vão tentar roubar seu poder para si e alguns até vão querer desafiá-lo só para provar que são superiores a você, esse mundo funciona assim.

A explicação de Hiekf não me surpreendeu nem um pouco, no fundo eu já tinha esse pressentimento, eu só preciso ficar mais forte se esse for o caso.

— Apenas força, não é o bastante!

— …!…

Novamente! Eu só posso ficar impressionado com essa pessoa, ele leu minha mente?

Hiekf que me viu impressionado riu.

— Ahahahaha! É fácil dizer o que jovens tolos pensam, principalmente você que se expressa como um livro de figuras.

— Guh!

Entendo! Ele viu minhas expressões faciais e assim adivinhou mais ou menos o que pensava, que cara astuto.

Hiekf, com uma pose humilde abaixou sua cabeça.

— Me desculpe garoto, o que disse para você naquele dia foi insensível de minha parte, eu não devia desconfiar daquele que salvou minha vila, por isso eu espero que perdoe a minha ação, agi daquela maneira por que fiquei muito surpreso.

Infelizmente eu não encontrei palavras para rebater, em uma situação similar, talvez toma-se a mesma atitude, seria infantil da minha parte se não tenta-se compreender o ponto de vista dele.

Eu suspirei em minha mente e expressei:

— Eu realmente não sei nada sobre muitas coisas, a maior parte que conheço desse mundo é a floresta que vivia, sinceramente não confio plenamente em você para falar sobre minha origem, por isso…

Antes de terminar minhas palavras Hiekf ergueu sua mão e me parou.

— Jovem! Eu entendo! Não vou pedir algo absurdo como “confie em mim” sendo que não nos conhecemos bem, mas um dia eu irei conquistar sua confiança, quando o momento chegar, se achar que deve me contar, estarei pronto para escutar, isso é tudo. Eu nunca mais sondarei sobre seu passado e nem vou duvidar de você, eu prometo.

Hiekf me encarou com um olhar sério após expressar essas palavras, algo dentro de mim sentiu um alivio imenso nisso.

Com um sorriso forçado eu o respondi:

— Tudo bem!

Ele mostrou um pequeno alívio ao notar que o perdoei em seguida ele me fala:

— Você parece ter muitas dúvidas, se houver qualquer coisa que queira saber, me pergunte.

Nesse momento eu achei conveniente o que ele disse, para começar eu tenho muitas dúvidas sobre os status, talvez seja o momento de esclarecer isso.

— Hiekf, já que perguntou, poderia me dizer tudo que sabe sobre o status?

Hiekf ficou surpreso com minha pergunta, ele fez um olhar soslaio, ele cruzou os braços e fechou os olhos em reflexão, depois de pensar por um tempo ele começou a explicar:

— Bom! De forma resumida os status são uma representação gráfica e numérica das nossas condições físicas e mentais, ele também define nossas diferenças e semelhanças, basicamente o status é o seu “eu” representado de forma escrita…

Eu consigo entender bem até o momento, parece-me que Hiekf é bom nesse tipo de coisa.

— Como sabe tabela de Status tem no seu início as informações básicas, como o nome, raça, gênero(sexo), idade, classe(profissão) e nível. Com a habilidade [Avaliação] no nível 01, já podemos ver essas informações.

Curioso eu pergunto:

— Hiekf, como funcionam as habilidades? Como elas passam de nível e qual é a diferença entre as habilidades, habilidades especiais e habilidades únicas?

— Ei! Calma rapaz! Desse jeito a cabeça da hiena vai estourar! Vamos por partes Ok. Vou responder na ordem que perguntou.

— Primeiro, Habilidades, são poderes que adquirimos de forma abrupta por algum fator repetitivo que nos faz adaptarmos a alguma situação, por exemplo, uma pessoa que trabalha como pescador e nada até o fundo do rio com frequência prendendo o fôlego, pode a vir em um momento a ganhar a habilidade [Respirar debaixo d’água].

— Uou! Então basta um treino intenso para adquirirmos uma habilidade?

— Ahahaha! Calma ai jovem, isso depende muito, a casos que pode ser impossível! Imagine uma criatura de fogo aprendendo tal habilidade.

— Guh! Isso é impossível mesmo!

— Ahaha! Isso mesmo, as habilidades devem ser compatíveis, se não é inútil treina-las, mas não há um método que veja se uma habilidade é ou não compatível com a pessoa, por isso todos preferem adquirir suas habilidades conforme o tempo.

— Como elas sobem de nível?

— Simples! Basta usá-las é da mesma forma com as perícias, quanto mais você usá-las maior o seu nível se torna, até chegar ao nível 10 que chamamos de nível máximo ou NV MAX.

— Entendi!

— No entanto há algumas habilidades que evoluem uma vez que chegam ao NV MAX.

— Evoluem?

— Sim! Por exemplo, sua habilidade [Força dos gigantes] apesar de ser uma habilidade passiva ela tem níveis inferiores…

Eu me surpreendo com a revelação de Hiekf, para início eu já comecei com a habilidade [força dos gigantes] não precisei evolui-la, eu acho melhor guardar isso para mim.

— A primeira forma dessa habilidade se Chama [força superior] que ao evoluir depois de dez níveis se torna [força de touro], passando para [força de ogro] e depois para [força dos gigantes] para ser sincero, sua habilidade é bem rara, apenas monstros de nível desastre e aventureiros de alto ranking a possuem.

Surpreso eu sorri amargamente para Hiekf tentando disfarçar minha surpresa.

— Sua habilidade [Pele de Titânio] tem a mesma situação, mudando de assunto as perícias não evoluem, em vez disso elas tornam-se requisitos para adquirir novas perícias após atingirem o nível máximo, um exemplo são as perícias ligadas as armas, eu possuo a perícia “usar lanças NV MAX” com isso eu ganhei a perícia “mestre usuário de lanças”.

— Sobre as habilidades especiais, quais as principais diferenças entre elas e as habilidades comuns?

— Essa é uma boa pergunta Ferus! veja bem, as habilidades como eu havia dito podem ser adquiridas por meio de alguma peculiaridade na qual a pessoa se expõe, certo?

— Sim!

— Todavia é diferente com as habilidades especiais, elas são vinculadas a questões raciais ou da classe que escolhemos, um humano nunca vai ser tão hábil em magia quanto um elfo, não concorda? Assim como alguém que usa espada não será bom com um martelo a menos que treine, Mas não tome isso como regra ok.

As explicações de Hiekf me dão cada vez um entendimento maior da situação.

— E quanto as habilidades únicas?

— As habilidades únicas, como seu nome diz, são habilidades que nascem das individualidades das pessoas, basicamente elas representam a particularidade e preferências do ser, pois ninguém terá uma habilidade única igual a outra, podem até haver similares, mas nunca iguais.

Essa última informação foi impressionante, a habilidade única também é a marca de seu dono, pelo menos foi assim que eu entendi.

Hiekf me encarou mais uma vez e falou dando os braços:

— Eu não posso lhe explicar sobre as demais “abas” do seu status, por que são muito raras.

Eu pergunto:

— De quais “abas” você fala?

— De todas as outras, mesmo as de habilidades especiais e habilidades únicas, já são bem raras, a “aba” de habilidade mágica eu me abstenho em falar por que não sou um usuário de magia, a “aba” de técnicas creio que não precise explicar muito, porém a sua “aba” de poderes é considerada lendária.

Mais uma vez a surpresa não pode ser contida em minha expressão, meu coração acelerou no momento, depois de conhecer todos os fatos eu me dei conta de todos os problemas que eu carrego.

Hiekf, astuto como sempre, reparou em minha conduta.

— Fique calmo jovem! Eu sei que não está preparado, mas eu estou aqui.

Pela primeira vez eu percebo a verdadeira intenção de Hiekf ao me acompanhar, ele já havia percebido o como seria difícil para mim.

A amargura queimou em meu peito nesse instante.

Hiekf, tenta mudar de assunto:

— Eu não sei se existe alguém com tantas “funções” liberadas em seu status, você foi o primeiro que vi com tantas “abas” abertas.

— Hã?

— (Suspiro)! Veja! Você é bom em combate, mas também pode usar magia, seus valores físicos também são absurdamente altos, graças a sua habilidade única.

A hiena astuta me finta nos olhos e avisa:

— Nunca diga a ninguém sobre suas habilidades únicas, entendeu!

— Si… Sim!

— Escute Ferus! vou falar para você em detalhes sobre meu plano antes de chegarmos a cidade de Harp. É muito sério então preciso que me escute atentamente.

— Tudo bem!

— Primeiro, precisamos de dinheiro, eu não tenho isso e sei que você também não tem, eu pensei em muitas maneiras, a mais plausível e a que vai chamar para nós menos atenção seria por meio da caça.

— Como assim caça?

— Simples! Vamos caçar animais valiosos e vender suas partes como iguarias, pele, presas e até ossos podem render um bom dinheiro, além de que é uma ótima maneira de ganhar níveis e ficar mais forte, assim matamos dois coelhos com uma cajadada só.

Hiekf mostra sua mão com seus dois dedos levantados e continua:

— Segundo, vamos subir sua habilidade de ocultar status, vai ser preciso! Seria um alarde se alguém descobrisse sobre sua condição racial única, por esse motivo eu o mandei dizer a todos que é um mestiço.

Hiekf mostra o terceiro dedo:

— Terceiro, depois de subir sua habilidade de ocultação vamos nos registrar como aventureiros, isso nos dará uma documentação que servirá de ingresso sem restrições para andarmos pelo reino, mas para isso precisamos chegar ao ranking “B” de aventureiro, uma coisa me preocupa muito, com certeza você vai se destacar.

Eu abaixo a cabeça por um momento e digo:

— Será que é melhor me passar por fraco?

— Não, já vamos levantar muitas suspeitas só por você possuir a capacidade de ocultar status, mostrar sua força poderia ser uma boa desculpa para explicar sua habilidade rara.

— Então como vamos lidar com a atenção que vamos chamar?

— eu ainda não sei, mas vou pensar em algo.

Hiekf se levantou e começou a mexer na panela de iguarias que deixou aquecer sobreo fogueira, um cheiro agradável emanou dali.

Com um sorriso, o bestial hiena avisa:

— Está pronto! Vamos comer.

Assim nos alimentamos e dormimos para restaurarmos as forças e seguir nossa viagem.


Autor: Marcus | Revisor: Heaven

QC: Bczeulli



Fontes
Cores