DA – Capítulo 91 – Jock e Juca


Após atravessar por horas a distância, eles chegam em uma área onde guardas vestidos com armadura leve com padrão de um sol acima de uma espada estão posicionados em diversos pontos estratégicos.

Mythro percebe ondulações de armadilhas no chão, árvores e até mesmo no céu.

— Vocês são bem preparados.

Flami entende o que Mythro quer dizer, sua desconfiança no pequeno NOVA só cresce.

Eventualmente uma enorme parede de pedra ondulada aparece, essa pedra é negra e seu calor é intenso.

— Princesas. — Um guarda pula de algum lugar e aparece na frente do grupo.

— Acko, este é nosso convidado Mythro Zumb’la, pode nos deixar passar — Mika atrás do pequeno NOVA avisa.

“Princesas? Fisgamos bem.”

Embaixo da máscara, o rosto de Mythro dá um sorriso satisfeito.

— Mythro Zumb’la? O jovem sábio?

— Isso! — Mika exclama contente.

— Que honra ter você aqui! Vou chamar o senhor Jock.

— Mika, venha, vamos ir pra dentro primeiro.

— Hã? Mas—

— Mas nada, agora!

— Pode ficar em paz, Mika, Flami, tudo vai dar certo.

— Bah, okay. — A menina desce de Suife e pega na mão da irmã.

Ambas saem usando seus saltos reação de fogo.

— Os animais devem nos acompanhar. — O guarda estende o braço.

— Cuidado, ele é pesado. — Mythro desenrola Grásio do pescoço e o passa pro guarda, o homem não contava com o peso da cobra, no mínimo 130kg!

— Seu cavalo deve ser muito forte, aguentar uma serpente dessa com ossos de chumbo. — Ele ri um tanto acanhado.

“A coisa mais pesada nas costas de Suife é este garoto, mortal idiota.”

Mythro desce de Suife e da suas rédeas ao guarda. Ele sente um leve choque acompanhado por um mormaço abrasante.

— Você é convidado para os treinos?

— Treinos? Hm… Sim, sou sim. Me mostre sua jovem geração.

— Sim, jovem sábio!

Eles andam um pouco e um homem com um garoto do lado os intercepta.

— Senhor Jock, este é o—

— Jovem sábio, Mythro Zumb’la? Veremos!

O homem do qual o guarda chama de Jock tem uma cicatriz no pescoço que exibe sua proeza como guerreiro. Estar vivo depois de um corte ali, indica sua sorte e conhecimento.

O garoto ao lado dele tem detalhes do homem, ele encara Mythro ferozmente, como se fosse um inimigo.

— Tire esta máscara ridícula. — O menino entoa, como se fosse um comando.

— É assim que o clã Espada sob o Sol trata seus convidados?

— Você se convidou, Flami já explicou tudo.

— Quem me mostrou o caminho sendo que eu me convidei?

— Você enganou a jovem princesa! Você pode ser perigoso ao clã.

— Vocês queimaram os miolos de suas princesas por acaso? Ou, é comum no histórico de seus anais as princesas trazerem destruição do clã na forma de primeiro reino?

— SEU FILHO DA—

— Juca, eu não lhe dei permissão para tratar ninguém assim! — Jock dá um tapa na parte de trás da cabeça do menino.

— Pai!

— Não temos como ter certeza que você é quem diz ser, então, faremos como geralmente é feito. Para entrar você terá que provar sua força, depois disso, mostrar alguma arma feita por você. — Jock diz, puxando uma placa retangular com uma gravação de “Convidado em teste”.

— Vocês não tem nenhum artesão no seu clã há muitos anos, correto? — O pequeno NOVA pergunta, balançando uma mecha de seu cabelo em círculos.

— Hã? Sim. — Jock acha estranha a pergunta.

— Dá pra ver. — Mythro completa, com tom de desgosto.

— Vou fazer você engolir isso! — O menino chamado Juca não aceita o jeito que Mythro vem chegando.

— Se for só você, a única coisa que alguém vai engolir vai ser uma falsa bravata.

Juca não se segura, ele puxa sua espada e usa uma das habilidades do clã Espada sob o Sol.

— Primeiro corte de fogo!

Um arco feito de Qi de espada e fogo dispara contra Mythro.

— Você usou força demais, não podemos machucar alguém que as princesas trouxeram assim! — Jock fica preocupado, uma coisa é um duelo dentro das corretas dependências, outra era uma briga de rua dessas.

Mythro levanta a mão e serpentes de energia colidem contra o Primeiro corte de fogo. A magia de fogo apaga, as serpentes continuam intactas, encarando ao garoto.

A pressão da energia negra do pequeno NOVA começa a se instaurar, Juca recua ao ver os olhos rubis das serpentes.

Jock fica nervoso ao ver seu filho recuando na frente de um possível estranho, ele dispersa com sua pressão do segundo reino as serpentes de Mythro.

— He… — Com um som de desgosto, o pequeno NOVA levanta as mãos, como se estivesse mostrando estar desarmado.

— Vamos levar isso ao lugar certo!

Jock se vira e puxa Juca pelo braço. O guarda fica um pouco hesitante, em poucos minutos quase que uma luta bem séria se instaura.

— Não vou confiar ao seu clã meus companheiros, vou entrar com eles ao meu lado.

—  O que você acha que faremos com eles? Não precisamos de uma serpente e um cavalo do primeiro reino. — Jock se vira furioso.

— Você acabou de me atacar para proteger o mole do seu filho. Vai saber o que vai fazer com meus companheiros? Assá-los e comê-los? Talvez eles virem o cavalo e serpente queimados sob o sol.

— Seu, seu!

Mythro acaba de fazer uma brincadeira com o nome do clã Espada sob o Sol, isso é uma ofensa grande.

Mas quando parecia que Jock ia agir, ele se vira e continua andando, puxando Juca consigo.

— Oh? — O pequeno NOVA lança um pensamento para Gornn.

“Ele deve ter recebido uma mensagem cósmica.”

— Jovem sábio… — O guarda, Acko, pega a rédea de Suife e dá na mão de Mythro.

No dorso do cavalo estava Grásio, alerta.

— Calma, calma.

Acko relaxa ouvindo isso.

— Não viemos matar ninguém hoje, vocês dois, hunf.

Acko tensiona depois de ouvir isso, pois, Mythro está passando a mão na cabeça de seus dois animais.

Subindo em Suife, eles seguem atrás de Jock.

Se aproximando de Acko, alguns guardas tocam em seu ombro e balançam a cabeça.

— Eu ouvi dizer que o jovem sábio era arrogante e imprudente com suas palavras, e que isso foi parcialmente causa de sua trava na cultivação. Quem diria, que os boatos eram verdadeiros.

— Será que o outro boato também é verdade?

— O dele ser um Markho?

— Sim, por que ele usa aquela máscara? Dizem que ele tem olhos dourados, que tipo de clã tem olhos dourados?

— Nenhum clã do oeste, ao menos.

— E aquela energia negra? O que era ela afinal?

— Ela tinha uma sensação de eletricidade e fogo. E olhar para ela me deixava com um sentimento desesperador, como se eu tivesse cometido um grande pecado e precisasse pagar por ele.

Os guardas vão comentando entre si o ocorrido.

**

— Belo clã, o de vocês. — Mythro comenta um tanto sarcástico.

Após andar por metade de uma hora, e atravessar um longo túnel feito de pedra negra. Eles alcançam o que seria a cidade do clã e, as ruas estão cheias com diversos tipos de alimentos sendo vendidos.

Mortais e cultivadores compartilham o dia a dia de forma natural e harmoniosa. Ao avistar Mythro, muitos não deixam de olhar para ele.

— Ei, ei, esse garoto parece lindo!

— Mas ele tá com essa máscara estranha, me dá medo.

— São cultivadores, cuidado com a língua de vocês.

— Vovó, calma.

— Calma vocês, com esse fogo.

O diálogo entre duas jovens adultas com sua avó entretém a viagem pela parte da entrada do clã Espada sob o Sol.

— Vamos ir mais a fundo, dentro de mais uma metade de hora chegaremos lá.

— Este nível de sol está ótimo. Vocês usam rituais rúnicos para invocar calor para treinar suas cultivações? — Mythro pergunta algo descompromissado, esperando um sim.

Mas Jock se vira e mostra a cara de quem está se perguntando: Que raios é isso?

— Esquece.

“O nível desse lugar é baixo demais. Tome mais cuidado, eu sei que você não quer criar vínculos com esse clã, mas uma boa escada é uma escada da qual você tem certeza que pode subir e descer quando quiser, não as tente subir e ser decapitado para que apenas sua cabeça role abaixo.”

Grásio sibila e mostra sua língua as pessoas que passam. Muitos mortais começam a cair desmaiados no chão. Jock, estando por perto, consegue afirmar que foi algo que o grupo de Mythro fez, mas sem sentir alguma pressão de cultivação ou aura, ele desiste de tentar encontrar melhor explicação para uma serpente estar agourando o karma dessas pessoas.

Quando eles finalmente chegam ao lugar indicado, é possível ver um lugar chamado “Academia de Espada e Fogo.”

Eles entram e são acompanhados por diversos alunos que lá estavam, alguns tentam chegar perto de Suife, mas ele começa a irradiar uma aura negra que faz com que eles se sintam sendo sugados por uma coisa maligna.

— É aqui que vocês vão cuidar de suas diferenças e provar-se. Mythro Zumb’la o jovem sábio, irá passar no teste da força contra meu filho, Juca Mapok.

— Isso, pode vir, que agora eu estou mais preparado para lutar contra você — Juca exclama, subindo em uma arena de treino que lá existia.


Autor: Mateus Lopes   │   Revisor: BCzeulli   │   CQ: Heaven



Fontes
Cores