DA – Capítulo 72 – Treinando as meninas(2)



Naquele dia os cinco fizeram um círculo e cultivaram um ao lado do outro até que um novo dia amanhecesse. As meninas não estavam acostumadas com um cultivo tão longo, e estavam mentalmente exaustas.

— Quantas horas vocês tendem a cultivar por dia?

— Umas 4 horas? Divido pela manhã, tarde e noite. — Isabol responde.

— Eu cultivo 6 horas, mas eu posso focar mais em cultivo do que Isabol, já que tenho que ser uma guerreira, ela tem aprender muito sobre o clã, economia, relacionamentos e política para poder ser nossa próxima matriarca. — Matcha explica sobre sua situação e a de Isabol.

— Eu cultivo em torno de 4 horas por dia também, e no resto do tempo aprendo sobre artesanato. — Ferrilha explica.

Mythro fica surpreso. Isso é muito pouco. Gornn o faz cultivar mais da metade do dia quando ele está em um ambiente seguro.

— Algum conselho mestre? — Mythro lança um pensamento.

“Mestre? Não achei que ouviria isso de você. Elas precisam cultivar por mais tempo e gastar mais e mais energia durante o dia, assim a fundação delas estará mais firme. É muito importante entender que cada gotícula da névoa esteja bem carregada de energia, uma falsa densidade por aumento de nível não lhe da suficiente forças para aguentar longas batalhas, nem para poder usar artes consecutivamente. O rio precisa correr rápido e calmo, isso vai demonstrar a força de suas artes e quão intenso pode ser seu ataque, desde um momento no qual você não sente perigo, para um momento em que você precisa de 100% de sua força. A chuva cósmica é uma poderosa marca no primeiro reino, ela é a torrente de força física e espiritual para que qualquer arte possa explodir para fora de seu corpo vezes mais poderosa do que nos estágios anteriores.”

Resumindo o que Gornn falou, Mythro passa as mensagens para as meninas.

— Como você pode saber tanto de cultivação? Foi seu pai que te ensinou? — Isabol pergunta bem surpresa.

— Foi meu mestre. Ele é um imperador como meu pai.

— Um outro imperador… Bem, se for você, é completamente possível. Se alguém no octógono disser que pode criar um pupilo no segundo estágio que pode matar pessoas no terceiro estágio, todos o chamariam de louco. — Isabol ri cobrindo a boca.

— Ei, Ei! Mythro quem é mais forte, seu pai ou seu mestre?

— Meu pai. Na verdade, se colocar minha mãe no meio, acho que minha mãe. — Mythro não sabe muito dos poderes de Lucem, mas Gornn já explicou um pouco sobre Xaemi.

— Espera… Sua mãe é uma Imperatriz? — Ferrilha diz com os olhos brilhando.

— Sim, ela é.

— Por que seus pais te deixaram aqui? — Matcha pergunta com a mão no queixo.

— Pelo mesmo motivo que vamos treinar. Como eu poderia crescer sob a proteção deles? Quem ia ousar tocar no filho de dois imperadores?

As três ficam quietas, e então um rosto azedo se esboça em cada uma.

— Se um dia você realmente morrer para um clã, com certeza será o fim deles para todo sempre. — Matcha faz um sinal com o dedo, por volta da garganta.

“Hmph. Se você realmente pudesse morrer, muito menos um clã, este planeta e as estrelas que orbitam os bilhões de quilômetros por volta deste espaço seriam extinguidas. E quando Xaemi virar uma deusa, creio que ela viria novamente aqui para apagar todo o quadrante.”

Ammit abre os olhos e então os fecha novamente. Por um momento ela pensou consigo mesma, se isso fosse realmente possível, ela venderia seu ser para Xaemi acabar com as areias douradas.

— Mamãe vai virar uma deusa? — Mythro fica surpreso com essa revelação. Sua mãe ia virar uma deusa! Isso seria a máxima honra de qualquer ser nos cosmos!

“Muito em breve. Assim como seu pai também. Quando acontecer, você sentirá, e poderá até mesmo influenciar em sua cultivação.”

— Bem, vamos começar.

— Ah, não! Deixa a gente dormir um pouco. — Ferrilha se joga na terra e quase desmaia.

— Três horas treinando as artes e eu deixo. — Mythro solta um pequeno raio nela, que a faz pular do chão.

— Mythro, eu tenho dois pergaminhos comigo, são artes que deveríamos aprender, mas não tivemos muito progresso.

Isabol pega os dois pergaminhos e os deixa visível para o pequeno NOVA.

 

Crescimento instantâneo

Arte essencial para todo Haokon e deve ser aprendida até o segundo reino.

O crescimento instantâneo é o quão rápido a flor pode crescer em contato com a energia e a compreensão do hospedeiro. Muitas artes dependem dela, como o entrenó de ferro, florescer brutal, revestimento floral, expansão carnívora, cipós furiosos e etc.

Para poder manipular o tamanho de toda a flor a sua vontade, deves examinar a extensão de seus sentidos manifestados por sua flor, e tocar cada mínima parte com sua energia cósmica, fazendo-a preencher a flor, e então esvaziá-la, assim em diante, como sangue sendo bombeado pelo coração.

Revestimento floral

Arte essencial para todo Haokon e deve ser aprendida até o segundo reino.

O revestimento floral é a manipulação da flor para proteger o hospedeiro.

Existem seis estágios:

Primeira defesa: As raízes da flor se estendem e expandem para proteger o hospedeiro.

Segunda defesa: As raízes se amontoam criando círculos para colidir com outros objetos.

Terceira defesa: Uma muralha de raízes impedindo o avanço de qualquer coisa.

Quarta defesa: As raízes giram a todo momento ao redor do hospedeiro.

Quinta defesa: Ilusão floral

Sexta defesa: Desabrochar de sangue

 

— A quinta e a sexta defesa são artes à parte, certo? — Mythro

— Sim. Só se pode realizá-las depois do terceiro reino, quando já se tem o semblante da alma feito, e pode-se sacrificar algum de seus membros. — Isabel explica.

— Como? — Mythro não entende do que Isabol diz com sacrificar partes do semblante da alma.

“Sacrifício de alma. O terceiro reino é quando a alma e a cultivação tem seu primeiro toque, e começam sua união. É uma arte sem volta para cultivadores. Essa sexta defesa é provavelmente o sacrifício de toda a alma.”

— Essa sexta defesa é uma arte proibida? — Mythro sabe que artes que geram um sacrifício são consideradas artes proibidas.

— Sim… Como descobriu? Meu avô foi o último a usar o desabrochar de sangue. Dizem que ele matou 10 anciões do norte com seu sacrifício. — Isabol não demonstra um rosto triste e sim orgulhoso.

— Então já temos um caminho. Vamos aprender a manipular suas flores da melhor forma. Bem, coloquem a flor na terra e absorvam a energia nela, e então direcionem para o seu dantian, fortalecendo suas cultivações. Foquem primeiro na névoa, depois o rio e então a chuva.

As três ficam com rostos duvidosos.

— Isso… Tem certeza? — Matcha se pronuncia.

— Como é que vocês fazem normalmente?

— Nós só focamos nela dentro dos nossos dantians mesmo. — Ferrilha responde apontando para a barriga.

— Quando vocês nascem, a flor já vem desabrochada, ou é uma semente?

— Ela já vem desabrochada, bem pequena. — Matcha diz invocando sua flor, e a colocando na palma da mão.

— Gornn, como é que essa flor funciona?

“A flor é uma semente durante as primeiras semanas de gestação, e desabrocha junto com a criança ao nascer. Os Haokon de antigamente estendiam a flor como um reflexo natural, parece que muito foi perdido nesses milhares de anos. Em vez de colocarem a flor na terra, deixe elas colocarem as flores em seus umbigos, é o contato principal entre o dantian e também sobre sua gestação. Elas devem entender a semente para fazer desabrochar a flor. Veja…” — Gornn discursa sobre o método que elas deviam usar.

— Entenderam? — Mythro explica para elas como Gornn o explicou.

— Sim… — Elas não dão uma resposta animadora, é completamente diferente de qualquer coisa que elas já tivessem feito antes.

Ferrilha e Isabol tiram suas flores para fora e levantam sua camisa o suficiente para poder deixar o umbigo para fora.

— Não olhe, tudo bem? — Ferrilha diz com suas bochechas coradas.

— Olhar o quê? Comeu terra? — Mythro não faz ideia do que ela esteja falando.

As bochechas coradas de vergonha se tornam vermelhas de raiva.

As três lideram as raízes em volta do umbigo e juntam o caule ao raso buraco. Elas começam a meditar sobre o contato, transferindo energia do dantian a todo o corpo, e do corpo para o caule, que transmitiria para toda a extensão da flor, que por sua vez, iria bombear a energia, tentando criar uma situação de expansão e retração.

Mythro não perde tempo enquanto elas cultivam. Fechando os olhos, ele entra em estado meditativo e começa a fazer uma pequena semente de Qi de relâmpago negro em seu dantian. Ele está tentando imitar o estado lunar do clã da lua, no Deificação Lunar.


Autor: Mateus Lopes   │   Revisor: BCzeulli



Fontes
Cores