DA – Capítulo 61 – Criando o primeiro canal



“O diagrama de efeito não precisa ser necessariamente um feitiço explosivo ou de algum tipo superior de Qi. O mais funcional em uma arma é complementar seu usuário.”

— Bem, então vamos tentar criar esse canal.

“Antes de você sair criando canais, você deve entender que eles servem para muitas coisas. E não precisa ser necessariamente um canal em uma arma, existem núcleos rotativos, ou simplesmente revestimento fantasia.”

— Revestimento fantasia?

“Esse mundo conhece o revestimento fantasia, mas eles usam essa arte para fazer utensílios do dia-a-dia, como quando compramos a árvore Dromor. Ela foi pesada em uma caixa metálica que mostrava seu peso.

— Entendi.

“Eu falo isso para você agora por quê, é possível misturar os três, e criar um efeito que cobre maior espaço de forma mais forte.”

Mythro invoca suas mãos cósmicas. Elas não estão diferentes de antes. Ele junta suas palmas e fecha os olhos, começando a imaginar o canal.

Quando o canal já aparece em detalhes na sua mente, ele começa a dar forma física. A imagem de uma linha se esticando, atada no centro de cada palma pode ser finalmente vista. Ele vai estendendo até que 10cm de canal sejam feitos.

“Ótimo. Agora você tem que fortificar esse canal.”

— E quando eu posso fazer um efeito nele?

“Tudo a seu tempo. Você está em um continente em constante guerra, não pode haver margens para erro. Neste planeta, as estrelas se separam inicialmente por um aumento de 10% na força de uma arma, mas, lá fora, o que é considerado 1 estrela é o aumento de no mínimo 70% das capacidades físicas da arma. Você como meu pupilo vai usar as regras universais, não as deste lugar abandonado.”

— Como vou saber se ela vai aumentar 70% da força de uma arma? Isso muda de cor?

“Abra aquele livro novamente, veja no índice onde aquele Kou Yulang explica as porcentagens.”

— Onde eu deixo isso aqui?

Núbia abra a boca e suas presas cósmicas aparecem.

“Coloque na boca dela.”

O pequeno NOVA levanta a mão e coloca o canal na boca de Núbia. Ela morde o canal e o segura como se fosse um graveto.

— Você pode alimentar com energia cósmica o canal enquanto vemos o livro. — Gornn fala por vibrações para que a gata escute.

Ela salta de susto, ela realmente não esperava uma voz desconhecida em um lugar onde só tem ela e o Mythro.

Pegando o livro do saco azul, logo o índice aparece. Após localizar onde estaria a parte sobre as porcentagens de qualidade, ele vira as páginas.

Como deixar o canal mais forte

Os canais ficam mais forte com camadas. Depois que o primeiro canal for criado, para melhorar a qualidade do mesmo você deve colocar suficiente energia cósmica em toda sua extensão, e depois afiná-lo.

Quando ele ficar 10x menor do que era antes, outro canal deve ser criado em cima do primeiro, e ele deve ser afinado até 9x o tamanho. E assim em diante. A quantidade de 10 canais garante 100% de melhoria na arma.

OBS: …

Mythro não ia ler as observações. Após ter lido essa parte ele fecha o livro.

— Não sei por quê, mas parece muito errado isso.

“Está horrível. Acho que os textos que foram deixados aqui sobre forja estão todos rasgados e algum pobre infeliz pegou algumas partes e as juntou de forma obscena. Este método de camadas realmente existe, mas eles são camadas espirais. Ao colocar 10 canais da mesma grossura em uma espada grande, é possível energizá-la e soltar raios de energia 10x mais poderosos do que simplesmente atacando energia cósmica a esmo.”

— Seria melhor se fosse que nem artérias, não? Quando criamos um canal, um ambiente fictício é criado, se usarmos outros menores canais para fazerem conexão com toda a arma, além de fortificar cada parte do armamento, podemos garantir que o canal suporte uma entrada mais ampla de energia, e até mesmo guardar energia que foi carregada mas não foi descarregada, não?

“Sim. A forja clássica é exatamente essa. A utilização de vários canais para poder criar maior força na matéria de uma arma, ou utensílio. O tamanho do canal não interessa, sendo que ele pode ser comprimido conforme a força de seu artesão. Alguém com uma mão cósmica de primeiro nível teria muitas dificuldades em ficar fazendo camadas que nem essas, já que esse atrito criado gera um caos desnecessário na energia do canal, e como ele não tem estrelas para sintonizar o caos em harmonia, cada camada fica ainda mais caótica, o que pode gerar a explosão do canal quando ele for usado.”

— Ah, então é pra isso que serve os diferentes níveis de mão cósmica?

“Sim. O primeiro uso das estrelas é a manutenção da harmonia de todos os canais criados, já as esferas calibram a todo momento a energia e inscrição. A energia escura já é um aumento de qualidade permanente no uso de todas as anteriores. E tem alguns outros usos dependendo do que se almeja. A mão de linhagem é uma força oculta no canal, não recomendo que use para armas que for vender, só para suas próprias.”

Mythro invoca novamente as mãos cósmicas e pega o canal. Ele percebe que ele está bem mais energizado que antes.

— Já que eu não tenho uma arma onde treinar, onde posso colocar o canal?

“Você pode criar uma estrutura de absorção de energia. A maior vantagem das mãos cósmicas é poder criar uma magia que não precise ser alimentada por você a todo momento. Tudo criado pelas mãos cósmicas vai se tornar independente, como um novo corpo. Mas claro, sua expectativa de vida é de acordo com a qualidade que seu criador o fez. Desmanche esse canal e aproveite a energia.”

— Aqui neste livro deve ter uma inscrição dessas, mas, como faço esse desmanche?

“É aí que vem sua energia escura. Passe a mão inteira e absorva a energia.”

Mythro segue as instruções de Gornn, e consegue armazenar a energia bruta do canal dentro de sua mão cósmica. É como se ela ficasse completamente iluminada por dentro, devido à grande quantidade de energia. Depois de desmanchar a energia, Mythro busca uma estrutura de absorção.

Isso estava em uma outra seção do livro.

Ele consegue ver várias. Mas uma que o chamou atenção era uma esfera rotativa que ficava sugando a todo momento energia cósmica do ambiente, e a concentrando no seu núcleo.

Colocando as mãos juntas, ele usa a energia desmanchada para fazer a esfera. Entre suas mãos uma bola de Qi fica pronta em segundos. Depois que a esfera fica completa, ele começa a fazer um giro nas suas mãos, e isso estimula a esfera a começar a girar.

“Use sua mão de linhagem.”

Mythro fecha os olhos, e concentra na sua mão cósmica. As estrelas anãs de cor azul e dourada não se movem, mas o anel de seu blazar cresce e sai da silhueta da mão cósmica. Ela se move até a esfera e a rodeia, um grande puxão de energia cósmica é cobrado do pequeno NOVA, e ele começa a transferir mais e mais energia cósmica.

15 Minutos se passam até que o anel volte ao lugar de onde veio. Agora a esfera tem um anel, e ele gira tão rápido quanto a bola de energia.

Com o acabamento já feito, tudo que resta é o núcleo. No livro de Kou Yulang, o núcleo é descrito como uma outra esfera que vai ser comprimida e girada em sentido contrário, pois assim, uma força de sucção seria criada.

Ele deixa essa tarefa para Núbia, e vai meditar para recuperar energia.

Uma hora depois o núcleo está feito e bem comprimido. Mythro pega o núcleo e o coloca na esfera, que girava no ar reunindo energia. Depois que o núcleo é insertado a esfera começa a girar vezes mais rápido, é possível sentir a energia cósmica do ambiente se voltado ao centro da esfera.

— Onde eu deveria colocar isso?

“Em algum lugar com grande concentração de Qi de terra, fogo ou ar. Assim você pode garantir uma semente de runa, e energia para absorver e ajudar a ascender.”

— Cheira a aventura! Vamos lá Núbia.

Uma serpente negra feita de energia desliza do lado de Mythro e engole suas pernas, ela sobe até sua barriga, e como se fosse uma górgona, Núbia e o pequeno NOVA saem da caverna com a esfera na sua mão direita.


Autor: Mateus Lopes   │   Revisor: BCzeulli



Fontes
Cores