DA – Capítulo 54 – Amarga batalha



A batalha vai ficando mais ardente, coelhos não tem muito sangue de se falar, isso se forem coelhos normais. Os menores coelhos mantinham o tamanho de 80cm, muitos já passam de 1 metro. De uma outra perspectiva, Mythro estava lutando de novo contra crianças! Eles tinham quase o mesmo tamanho.

O sangue de pouco em pouco se acumula, até agora, somente um pouco mais de 10 caíram.

Mythro começa a sentir um leve defeito nas suas armas. Com tantos inimigos, algo mais longo o ajudaria a matar de forma mais segura. Se ele ir muito à frente para apunhalar um coelho, outros podem pegá-lo por trás.

‘’Não tenha medo de se ferir. Quando você matar 30, eles ficarão com medo, e sua Aura Primal Mortal começará a fazer maior efeito neles.’’

Depois de ouvir Gornn, os olhos do pequeno NOVA viajam rapidamente da esquerda e direita, seu senso de batalha começa a crescer rapidamente. Ele consegue adivinhar a trajetória de alguns coelhos. É o augúrio de seu corpo sendo colocado em uso!

Dois coelhos pulam no ar juntos, eles caem com seus pelos brancos energizados. Mythro lança uma adaga que entra no peito do animal, o outro que chega perto dele recebe um soco de duas faces.

Nesta arte o soco desferido tem um último impulso, fazendo que todo o peso do braço afunde depois que o punho acerte o inimigo.

Mais sete circulam Mythro pulando, eles pulam em conjunto. Mythro espera eles quase colidirem com ele, e então pula. Os coelhos batem uns nos outros.

Energizando a adaga com bastante energia elétrica, ele a joga no meio, e uma chuva de pequenos relâmpagos acertam todos ao redor dela. Quando ele volta ao chão, palmas destruidoras se formam em suas mãos, elas se movem rapidamente sobre a cabeça dos monstros, que viram polpas de sangue.

Os ataques do pequeno NOVA ficam cada vez mais viciosos. Mas seu uso desmedido de energia cósmica poderia vir a custar-lhe muito, isso, se ele fosse um humano normal.

‘’Quando um ser morre, sua cultivação se desfaz e vira uma novamente com a natureza e o espaço. Isso pode levar dias para poder ser usado por outros seres… mas isso não acontece com você. Reabsorver sua energia cósmica é um dos muitos usos de seu poder arfoziano, você pode absorver e utilizar a energia das coisas que estão morrendo ao seu redor, contanto que elas não estejam mais ligadas ao dantian do ente.’’

— Mas como vou fazer isso?

‘’É como devorar. Não existe energia que você não possa devorar. Você é o devorador universal.’’ — Ammit levanta a mão, e bate na cabeça de Kether.

Poucos segundos depois ele abre os olhos, desperto. Subsequentemente, ele abre sua boca e faz um movimento de sucção.

Isso faz o sangue de Mythro ferver, ele também abre sua boca, e como vento sendo engolido por uma área em vácuo, densa energia cósmica entra na sua boca.

Como um entorpecente, ele se sente poderoso!

‘’Não deixe se levar pela sensação, mate-os logo.’’

Kether na área Shen de Mythro fica um pouco pálido, ele fecha novamente seus olhos.

‘’Você não conseguirá usar isso muitas vezes com esse nível de cultivação, no máximo mais uma vez hoje.’’ — Ammit.

— Terá que ser o suficiente!

Mythro corta os laços que ele tinha com as três serpentes, mas por via da linha que os juntava ele dá um último comando.

Exploda!

A natureza da energia cósmica elétrica fica instável, as serpentes fazem um último agarrão entre elas e o som de selvagens descargas elétricas soa há 40 metros de distância do pequeno.

Se pondo em uma das posições da arte ‘’golpe montanha das 3 poses’’ Mythro soca um coelho que pulava apontando seu chifre para seu estômago, isso esmaga o peito do animal, o fazendo cair grunhindo no chão!

Mais cinco coelhos pulam por cima de Mythro, mais sete vem por baixo, todos energizados!

Mas a situação só afia ainda mais a mão do pequeno. Ele salta, apenas alguns centímetros do chão, e se envolvendo em relâmpagos, ele alcança novamente o solo, e o soca!

Chão terremoto!

O punho de Mythro era o epicentro, descargas elétricas negras fazem com que o solo negro fique ainda mais negro, e ataque tudo dentro de uma área de 10 metros!

Levantando seus braços com grande intenção, cobras nascem dentro dessa área e pegam todos os 12 coelhos que seguiam em sua direção.

Os monstros gritam em socorro. Mas o pequeno NOVA não é mais o mesmo de meses atrás, ele invoca as mãos destruidoras e com doze salto reações, transforma seus inimigos em sacos de órgãos rompidos.

Sua energia cósmica volta ao zero! Mas Kether acorda novamente, ele suga energia cósmica junto com Mythro.

Ele volta a ficar cheio!

Garras negras se delineiam na mão do pequeno NOVA, o som de algo vindo por trás o surpreende, mas eu corpo se move e sua mão atravessa a carne macia.

Um chifre azul rasga sua bochecha.

Era um coelho de chifre azul! Agora que as serpentes não estão mais lá, eles voltaram para a batalha.

Mas ainda assim, raios negros se movimentam na pele deste coelho, eles devem estar sofrendo como os demais com o poder dos relâmpagos de Mythro.

‘’Use a runa de água!’’

Gornn lembra sobre a runa.

Mythro tira a mão do peito do coelho, o coração do animal vem junto. Ele aperta o coração até que ele exploda. Sua mão ensanguentada brilha com um azul escuro, água começa a deslizar de seus dedos.

Depois disso, concentrando ainda mais energia cósmica jatos de água saem de sua mão, mas custam muita energia cósmica! Ele consegue molhar a região de 5 metros ao seu redor.

‘’Agora não tem volta, você terá que matá-los com suas adagas.’’

— Não seja por isso! — O fervor da batalha está refinando a vontade do pequeno, a Aura Primal Mortal começa a se transformar em uma sensação pesada para os monstros, que começam a tremer ao chegar dentro da área de 1 metro de Mythro.

As adagas estavam presas em coelhos diferentes, um à 7 metros de distância, e outro à 3 metros. Com dois saltos reações ele alcança os dois e começa a passar sua lâmina no que vê pela frente.

Os coelhos azuis gritam, ordenando um ataque em massa para todos.

A terceira onda de coelhos chega por trás, o cheiro de sangue já os deixa ensandecidos.

Quatro coelhos azuis surgem. Eles se juntam com os outros da segunda onda, assim, fazendo com que sete ao todo fiquem de prontidão para lutar com Mythro!

O menino de pouco mais de 120cm, está coberto em sangue, a energia elétrica pula de tempo em tempo em seu corpo, sua aura fica cada vez mais densa. Os coelhos de chifres verdes estão mais e mais temerosos!

Três coelhos azuis da segunda onda de ataques pulam a frente e vão atrás do pequeno NOVA, isso deixou de ser uma caça para virar algo como uma vingança, o grupo deles perdeu dezenas na mão deste humano!

Estes coelhos também usam táticas conhecidas, eles pulam em árvores paralelas para ganhar velocidade.

Mas a velocidade deles é duas vezes maior do que a dos outros. Com um grito, quatro coelhos com chifres verdes atacam juntos, e os dois saltam da árvore em direção à Mythro. O terceiro coelho fica parado, mas não tira os olhos dele!

A área que Mythro ocupa é a que está molhada, quando os chifres verdes ficam na área molhada, raios sobem na sua pele e fazem eles pararem em dor, os coelhos azuis no meio do ar estavam contando com uma distração deles para poderem ser mais certeiros, com isso descartado, o próprio pequeno NOVA joga suas adagas nos dois, elas voam e acertam bem no lado de seus chifres.

Um dos coelhos verdes volta de seu estupor e consegue perfurar o dorso de Mythro, o terceiro coelho de chifre azul vê a oportunidade e também ataca, com apenas três pulos ele alcança o pequeno NOVA. Com pouco tempo de reação, ele evita que seu peito seja estraçalhado pelo coelho, colocando sua mão na frente.

Mythro bate os dentes, raiva, devido à dor sobe a sua cabeça, ele junta as mãos no chifre azul do monstro, e começa a puxar!

Seus pequenos músculos chegam a inchar, seu esforço faz o monstro grunhir! O chifre azul pouco a pouco começa a subir da testa do coelho.

**

A metros de distância, um casal que observava tudo começa a se mexer.

— Que garoto!

— Ele poderá trazer honra ao nosso clã!


Autor: Mateus Lopes   │   Revisor: BCzeulli



Fontes
Cores