DA — Capítulo 25 — Sobrenome de Mythro



“E é isso, parabéns aos dois. Agora vamos ver quantas vocês vão criar”

Mythro e Mits abrem os olhos e encaram suas luvas, rostos que antes expressavam pura concentração, encontram satisfação!

As belas mãos cósmicas começam a mexer rapidamente, e então… mais duas se transpõem! Quatro mãos cósmicas para Mythro e Mits!

Mas isso, não era tudo!

As árvores vivas de Mythro e MIts se inclinam e novamente, os sóis se tocam e mesclam 10%, mas desta vez, as mãos cósmicas de cada um voam e seguram no tronco das árvores e… um movimentar surge, move um sol mais adentro do outro!

“O Dao é infinito e cheio de formas, as mãos cósmicas deles estão ajudando a mesclar seus sóis, eu nunca tinha ouvido falar disso antes.  Mas também, quem pode dizer que crianças tinham itens primordiais integrados aos seus cultivos?”

As órbitas das mãos giram sem parar,  e as espirais coloridas de Mits parecem vivas e pulsando, o blazar e as estrelas anãs de Mythro rodam com fervor, energia cósmica do ambiente é sugada para eles.

Logo o sol começa a ir direto para… 20%! E com isso, as árvore começam a soltar uma névoa mais densa e vigorosa, Mythro e Mits sobem um nível do estágio da névoa cósmica!

— Crianças, eu não sei o que vocês fizeram, mas tenho certeza que não seguiram meu conselho, mas quer saber? Que bom! Agora vocês vão servir direto ao rei do norte, e futuramente serão seus artesãos pessoais! Artesãos pessoais do Imperador!

“Imperador?” — Gornn fala com nojo em sua voz.

Mythro e Mits fecham os olhos e o efeito de ter suas mãos cósmicas despertas acaba, seus espectros vivos retornam para seus corpos e suas mãos cósmicas começam a ficar entre a névoa cósmica.

O pequeno NOVA abre os olhos e vê Mits, que está agora com seu cabelo rosa.

— Mits seu cabelo!

Mts se assusta e olha para si mesma, e vê o cabelo negro no chão.

— Meu cabelo caiu? — Seus olhos enchem de lágrimas.

— Nasceu mais, na sua cabeça, rosa!

Ela para de chorar e puxa uma mecha, e vê o rosa.

— Que bonito!

— Vocês dois, vão para a arena, perderam muito tempo aqui, e eu preciso falar com Fumin sobre quão importante vocês dois são!

Hu Ping diz e abre a porta com força, chega a quebrá-la na parede, ele então desaparece correndo no corredor.

— Gornn, eu me sinto mais forte!

“Óbvio, você passou de nível, agora você e ela estão mais fortes. E também possuem mãos cósmicas.”

— Você disse algo de eu poder ser alquimista. — Mits diz, olhando para suas mãos.

— E eu forjador, o que isso quer dizer?

“Mãos cósmicas são extensões da monarquia espiritual, elas ajudam em diversas coisas, mas elas também permitem que vocês possam integrar magia a uma arma e melhorar seus atributos. Como exemplo, uma espada normal amplificando o poder de fogo de um cultivador de fogo, ou então um cultivador elétrico com uma arma de água, pode tornar seus ataques mais letais. Você e Mits são ótimos exemplos disso, um vai completar o outro, Mits água, Mythro relâmpago.”

— Que incrível!

“Mas isto são usos pequenos para pessoas do nível mortal, armas celestiais tem uma função completamente diferente, mas o povo desta terra não deve conhecê-las.”

— Como assim?

“Exemplo disso são as luvas rasga-espaço de Sycopanto. São artefatos feitos para se rasgar o espaço, e até mesmo podem rasgar a cultivação de um ser. Elas são monstruosas.”

— Eu quero forjar machados para Mits quando eu crescer — Mythro já se visualiza criando armas grandes e poderosas.

— E eu vou fazer pílulas de curar o Mythro rápido quando ele apanhar! — Mits também visualiza algo.

— Ei! — O pequeno NOVA reclama.

Mits percebe o que fala e cai na gargalhada.

” O tempo de rir passou, saiam rápido daqui, antes que aquela mulher chegue, vão para a arena.”

— Acha que ela vai tentar algo?

“Com certeza, pela cara daquele inseto Hu ralé, as pessoas daqui não devem nem ter mãos orbitadas, vocês são tesouros, mas não são insubstituíveis. Se vocês não servirem por bem, ela provavelmente vai matar vocês.”

— Não vamos servir ela! — Mythro grita e bate o pé.

— Eu vou socar ela quando eu puder!

“Até lá vocês terão que crescer e ficarem fortes. Vamos saiam!”

Mythro e Mits saem pulando pelos escombros que sobraram da porta, e vão direto na direção da arena. Eles passam por dois lances de escadas e chegam às ruas, lá uma carruagem aguarda com mais alguns meninos e meninas.

O cocheiro se levanta e vê os dois saindo da área dos aposentos.

— Vamos logo, se chegarmos atrasados estamos mortos!

Os dois se põem a correr novamente e sobem na carruagem, lá Mits vê Carmen, e a cumprimenta.

O resto olha para as duas com grande medo. A vila da caça é a mais forte vila marcial, lá eles aprendem a lutar com animais selvagens desde cedo, é muito improvável vencer contra qualquer um deles.

Um menino ao lado de Mythro olha para ele e estende a mão, aberta.

— Oi! — Ele diz com um sorriso.

— Oi? — Mythro olha para ele com dúvida, ele não parece ter medo de Mits, que está ao seu lado, como os outros.

— Você é o Mythro?

— Sim.

— Eu sou Irgo Maschô, do clã Maschô.

— Irgo, tudo bem com você?

— Mais ou menos, estamos indo para uma provável morte, estou bem nervoso. — Irgo dá um sorriso forçado.

— O destino de cada um reside nas próprias mãos, se você não quiser morrer, lute com garras e dentes — Mythro fala para Irgo, algo que Gornn o disse uma vez.

— Sim! Mythro, você não tem sobrenome?

— Hã? Acho que não? — O pequeno NOVA da dois toques na cabeça, é como ele avisa Gornn em meio a outros.

“Você tem sim.”

— Qual é?

“Isso tem a ver com a língua ancestral, que é transmitida direta de Caenn e Lornum, todos seres divinos tem nomenclaturas de acordo com o primeiro de sua espécie, ou como é a forma de suas espécies. Por exemplo, eu, sou da herança de Schim’rar. Schim é leão, e rar é divino. O seu nome deve ser dado pelos nomes de Arfoziano e Supernova, então seria algo como… Estrela que não aceita morrer, Devorador Universal e Eterno. Seu nome na língua ancestral seria… NüzMimYermTot RirnOillstZumb’la.”

— Esse é meu sobrenome? Passei a vida inteira sem saber dele. — Mythro devaneia um pouco, todos ao seu redor sempre tiveram sobrenome, menos ele.

“Esse seria seu nome palavra por palavra, mas na língua ancestral podemos juntar o som das primeiras letras de cada palavra, juntá-las e soar de uma vez, assim o nome se ”condensaria”, é uma magia poderosa, Xaemi a usa. Ficaria então, Mnytro Zumb’la, na língua ancestral tudo que é referente ao infinito, não pode ser juntado, então Zumb’la se falaria separado do resto.

— Soa como… Mythro, Mythro Zumb’la.

“Seu nome é a junção de sua divindade, deve ter algo a ver com o seu nascimento, ele é sagrado e único.”

— Mythro? Qual seu sobrenome? — O menino insiste, percebendo que Mythro viajou no suco de abelha bromélia.

— É… Zumb’la.

— Zumbilau? — O menino tem dificuldade em dizer, e fica tentando dizer sozinho.

“Mmm… Uma estrela que não aceita morrer, por isso em sua morte, brilha criando um radiação de luz que viaja por centenas de anos, ou até mesmo renasce da fusão e energia da explosão criada, as supernovas cósmicas… E os blazares cósmicos, grandes faróis de buracos negros devorando a própria matéria, existência e memória…”

— Isso é o que meu sangue tem de poder?

“Sim, Xaemi é uma cultivadora da língua ancestral, uma vez ela disse ”Tot”, para uma besta abissal de igual nível, essa besta morreu, estourando seu próprio coração. Se eu lutasse com sua mãe, as chances de eu vencer seriam quase 0.”

— Ela é forte?

“Sim, Xaemi é forte ao ponto de ser ridículo, eu já a vi se defendendo do golpe de um Deus, quando uma semente de terceiro véu nasceu nas águas-folhas de harmonia, da árvore castelo.”

— Águas-folhas?

“São folhas que são feitas de puro Yin-Yang líquido, elas são transparentes por fora, mas no centro, é possível ver dois peixes, um preto e um branco nadando. Quando uma dessas folhas termina seu tempo de gestação de lei natural Yin-Yang, ela se transforma em um encubador natural, e gera uma semente, esta semente pode ser uma raíz de qualquer tipo de árvore, e essa árvore carregará o Dao específico.”

— Não entendi?

“Bem, quando você fez seu sol em relâmpago, você pisou em algo chamado pelos estudiosos de ”Panorama Dao”, é quando seu profundo desejo interage com um elemento, assim também é o de Mits, o azul aqua dela significa ”água parada” e ”rio tortuoso”, então se vocês colocarem seus ”Panorama Dao” em dois véus da semente, além de se integrarem, elas evoluirão de acordo com o que aquela árvore já testemunhou em sua vida, e vocês poderão cultivar e melhorar seus Daos, baseados no que a árvore tem de informação.”

— Parece um item incrível, mas, o senhor Sacrovivo disse que ele teria que procurar por vários milhares de anos até achar uma, então por que você fala da árvore como se ela tivesse lugar fixo? — Mythro se pergunta, achando algo contraditório.

“Muito bem, você percebeu isso. Mas na verdade, é só falta de informação da sua parte. Existem diversas árvores que podem criar águas-folhas, isso depende do tempo em que ela está viva, árvores com mais de 100 mil anos, tem 1% de chance de criar uma a cada 10 mil anos, a partir dos 100 mil, ou seja, 110, 120… Mas isso são apenas sementes de um véu. Sementes de segundo véu são para árvores com mais de um milhão de anos, árvores assim são difíceis de achar, e elas possuem consciência, então, elas fugiriam com essa semente e a usariam para cultivar e aumentar seu reino.”

— Mas isso… Então uma semente de terceiro véu?

“Mmm… uma semente de terceiro véu só nasce em árvores imperatrizes. Uma verdadeira árvore no 10º reino. Mas não é simples assim, para uma semente de véu nascer, os céus precisam abençoá-las, essa bênção pode ser sentida em uma área ridiculamente grande, englobando quase 10 quadrantes! Embora isso só aconteça com as sementes de terceiro véu, as de segundo para baixo é em uma área bem menor”

— Quadrantes são grandes?

“Sim, quadrantes é só um nome que damos a áreas dentro do universo que possuem um próprio sistema solar. Existem muitas galáxias, cada galáxia tem por volta de 2-3 quadrantes com vida.”

— O que é galáxia? — Mythro se enche de dúvidas, e assim segue a viagem.


Autor: Mateus Lopes Jardim Revisor: Bczeulli  CQ: Gabriel Lucas



Fontes
Cores