DA – Capítulo 176 – Lilati, a Vida(3)

CAPÍTULO ANTERIOR

— Como? Essa aberração ainda está na Condensação de Anima, como ela pode portar-lhes?

A menina recede, mais calma. As raízes que se rasgavam começam a se fechar com outras raízes e seiva começa a cair em menores quantidades.

— Eu faço as perguntas primeiro. Se eu não soubesse que é impossível você devorar suas irmãs, até mesmo eu teria lançado palavras inúteis e ignóbeis!

Kether ofende a Mythro de maneira “suave”.

— EU JAMAIS AS DEVORARIA!

— Então o que aconteceu menina?

— Foram, foram elas! AQUELAS MALDITAS LUZES CORPÓREAS.

O rosto de Kether e Chokmah descem de preocupados para enraivecidos.

— O que os guardiães fizeram desta vez? — Chokmah pergunta, se prendendo ainda a lógica.

— Guardiães? NÃO! ASSASSINOS DA CRIAÇÃO! TRAIDORES DA MAJESTADE! POLUIDORES DA COSMINIVERSIDADE! FRUTOS PODRES DE UMA BOA ÁRVORE!

Lilati, a menina, avança na imagem ilusória de Kether e com seu dantian se movendo para parar em suas mãos feitas de raízes, ela soprepõe o dantian a cabeça de Kether. Chokmah coloca a mão no dantian e fecha os olhos. Alguns segundos se passam até que os dois começam a tremer, e tremer de raiva!

As armas e armaduras divinas pulam para fora do corpo de Mythro. Eles se ajoelham e tremem, como se estivessem a mercê de seu deus, ou a do maior diabo que existisse nos confins do universo.

— A…I…NE!

Kether grita e rasga a alma de Mythro na metade. O pequeno NOVA cai cuspindo seu sangue divino enquanto seu Aurum Verum trabalha para mantê-lo vivo.

— AQUELA FADA RIDICULA! ELA ESTÁ QUERENDO TOMAR A CRIAÇÃO PARA ELA!?

Chokmah range seus dentes e seus olhos pulsam branco e preto. Por ser a sabedoria do Torá, com certeza as coisas que podiam tirar ele do sério desse jeito eram poucas. O vendo assim, deuses e diabos tremeriam!

— Aine, Aine, Aine! Como ela ousa!? Ela deve ser substituída, não, ela infectou todas as outras! Não é possível que os Altos Guardiães a deixariam fazer o que bem entendesse se eles não concordassem! Os governantes não fizeram nada para impedir essa atrocidade!? Quem está cuidado da Cosminiversidade!? 

— Ush liman eshi liksna ish ziar(A raça deles jamais será absolvida!)

Kether, Chokmah e Lilati começam a falar em Ancestral Culto, e todos acabam sendo banidos da região. Com exceção do jovem NOVA.

Porém, a mente de Mythro não aguenta, enquanto mais palavras são trocadas, sua mente passa para o escuro.

Muitas horas depois, ele acorda. Grásio, Suife e Núbia descansam ao seu lado. Saltando fortemente vem suas lembranças a sua mente. Pegando na Serpente Jade Negra Celeste, Mythro procura a ferida, mas vê que já não há mais corte algum.

Um suspiro pesado de alívio sai de sua boca. Seus olhos encaram o céu, que está repleto de nuvens produzidas pelas pedras aquamarinas.

— Então você foi criado para lutar contra os inimigos dos cosmos?

Uma imagem ilusória aparece em cima de um galho das diversas árvores que haviam ali. Uma menina de cabelo marrom dourado intenso. Pele branca quase como mármore, e seus olhos eram verdes cristais. Ela encara ao pequeno NOVA, em sua forma nua. Existe uma grande cicatriz em suas pernas, e em ambos os lados de sua cintura.

— Essas cicatrizes foram feitas pelas fadas. Você sabe que eu, e minhas irmãs éramos os Três Tesouros. Éramos siamesas, sendo a principal de nós o amor…

— O que aconteceu? O que as fadas fizeram?

Lilati fecha os olhos e toma seu tempo para poder falar. Sua boca sobe e desce, contendo a vontade de chorar.

— Ezequiel é a fada mais forte, depois de Aine.

Conhecendo o nome que Lilati revela, Mythro pergunta para ter certeza.

— Ezequiel? A fada que matou Gahilia por ela não ter se sucumbido a ele?

— Isso mesmo. — Lilati pula do galho da árvore e segue até ele.

A mente de Mythro treme um pouco. A beleza da menina não era pouca, embora sua forma estivesse dentro do que poderia ser dito 15 anos, ou menos. Existia um charme em suas bochechas e lábios que mostravam que sua maturidade era mais.

— O que tem ele? — O pequeno NOVA pergunta, conseguindo apenas dizer isso em desespero de sua mente for roubada pela beleza da garota.

— Ele queria que déssemos as joias, nós mesmas, para ele. Ele queria controlar o grande Ba Gua Ancestral e aumentar suas forças para poder competir com Aine pelo trono. Aine, a Rainha das Fadas desde os primórdios descobriu sobre as intenções dele antes e se moveu na mesma intenção. Quando nós três dissemos que não… Ela tentou tomar a força.

— Mas… isso… Vocês não são as mães da própria Yggdrasil? Vocês são… Governantes do Infinito…

— E ela é a Rainha das Luzes Corpóreas. Nascida da própria Fumu para impedir que o divino aprisionasse em escravidão o celeste, o terreno e o mortal. A Rainha dos — Dizendo com nojo, ela termina — “Guardiões”.

— Isso não é uma afronta a própria Coroa? Ela não rege as leis sempre justa até mesmo contra nós, os divinos?

— A Coroa está fraca. Ela não pode mais castigar Governantes.

— Mas então, Enli—

— Não diga o nome dele! Você não tem força para dizer nome de deuses sem que eles possam te achar, onde quer que esteja. Se qualquer um deles me encontrar nesse estado, você verá o nascimento de alguém com a força de Yahweh.

— As luzes corpóreas… Por que depois de tanto tempo elas querem a coroa? Porque ela ficou fraca?

— Sim. Mas também por outro motivo. Eles estão reunindo poder para forçar a barreira da última guerra divina. A qual as Estrelas que não Aceitam Morrer travaram contra os Guerra-Viva. A própria ausência dos Guerra-Viva já é mais do que motivo suficiente. Os diabretes não conseguem controlar os Guardiões do nosso lado, já que os Guerra-Viva eram seus maiores aliados em controlar o peso da coroa.

(Os Guerra-Viva são os Rairnmos. Expliquei sobre eles no Cap 140)

— O Ba Gua… O que é este item?

Lilati vira a sua mão e um tesouro aparece do chão sendo rodeado por raízes completamente verdes como cristais luminosos.

Este item é uma peça de madeira branca com diversos riscos. São oito colunas com três riscos compondo cada coluna. No centro de encontro das colunas havia a imagem de peixes Yin Yang. Eles nadavam em meio ao ar, como se nada pudesse impedi-los de fazerem o que nasceram para fazer.

Cada volta que se completava em seu giro, as linhas brilhavam. Existia um misticismo ali em que nem mesmo Mythro podia ver através. Mas uma coisa era certa, a própria existência do pequeno NOVA parou para observar as voltas dos peixes. Seu corpo começou a pulsar junto com as voltas, e seu sangue circulava com as caudas.

Seus olhos começaram a brilhar preto e branco. Seu corpo começou a se eletrificar, e seu dantian começou a fazer uma expansão.

Uma expansão no segundo reino é completamente insana. Se os números de indivíduos que tiveram esse tipo de batismo pudessem ser contados, eles não passariam de 20.000 desde a criação primal! Até mesmo para seres divinos, um aumento no dantian era dádiva de uma grande criação.

Isso era especial por dois motivos. Porque aumentava a quantidade de coisas que podiam ser colocadas no dantian, assim sendo, aumentando também as coisas que podiam ser atreladas ao corpo e alma, já que tudo um dia seria um. Principalmente no quarto reino, onde um teria que construir o castelo regente do seu universo particular.

Lilati observa os eventos ocorrendo dentro de Mythro, e seu olhar fica, ao mesmo tempo, maravilhado e assustado.

— Como um pequeno vaso pode ter tanta coisa… 

Muitos minutos se passam até que, cansado, o pequeno NOVA cai de joelhos e coloca sua mão direita na testa, tentando entender o que ocorreu.

— Como você se sente?

— Eu me sinto fraco, como se tivesse me tornado meio vazio.

— Ou meio cheio. O Ba Gua ajudou você a entrar em uma nova fase de sua dualidade, e seu dantian expandiu, assim expandindo tudo. Você já possui dois Alcances Cósmicos. O poder do Deus Lutuoso, Paulo. As Caudas de Lança, do Pavão Imperador. Agora você pode se aprofundar ainda mais nessas artes. Além disso, você possui a Lei de Corpo de Ammit, a Devoradora dos Mortos e a Grande Morte. Seu Louvor da Vontade… Ele é ainda maior que isso tudo, e pode levar seu Corpo e Alcance a um novo patamar. Você poderá quebrar o próprio conceito de terra, e se aproximar do céu antes do quarto reino.

— Mas… Meu Louvor da Vontade, assim como o de minha vó, é o puro Aurum Verum(Ouro Verdadeiro). 

— O que é Ouro Verdadeiro para você? — Balançando sua mão e colocando seu dedo direto na bela sobrancelha, Lilati pergunta dando voltas ao redor de Mythro.

— O material mais poderoso do universo?

— O material Yang mais poderoso do universo, sim. E então existe o Diamante Escuro do Céu. Do qual eu, por acaso, tenho aqui. Sabe qual era o verdadeiro nome do Louvor da Vontade de sua vó?

— O verdadeiro nome?

— Sim. Louvores da Vontade de seres divinos tem os nomes de suas raças. Os Supernova são as Estrelas que não aceitam morrer, os Rairnmos são os Guerra-Viva… Mas, através da dualidade, até mesmo seres divinos podem alcançar um novo patamar, e seguir o caminho de Yahweh, mesmo sem ter o Torá. Sua vó seguiu isso, e depois de matar por anos os Guerra-Viva, e aprisionando e refinando suas almas em Diamante Escuro do Céu, ela tomou o próximo passo de seu Louvor NOVA, ela se tornou uma Hipernova. Foi apenas quando ela deu esse passo que pôde realmente compreender completamente Kether, e dar a todos os NOVAs esse mel na chupeta. — Um sorriso malvado faz arco nos lábios de Lilati.

— Hipernova? — Mythro diz incrédulo, mas no fundo da sua alma, ele escuta um chamado.

— Sim… O que mais foi necessário para ela tomar esse passo, além de dezenas de milhares de vidas de Guerras-Vivas foi o próprio Ouro Verdadeiro de NOVAs que nasceram, mas não conseguiram crescer porque morreram antes que pudessem ser encontrados. Hoje, vocês conseguem muito mais “facilmente” se tornarem Hipernovas. Claro, isso é se vocês tiverem a cooperação de um Guerra-Viva, ou então um Diamante Escuro do Céu. Esse minério divino é criado como o Ouro Verdadeiro, no nascimento de um Rairnmo… Sua vó veio atrás desse que eu tenho em particular, sabe por quê? — Lilati cerra os olhos, olhando através das memórias do pequeno NOVA.

— Por que? — As duas palavras saem demoradas da boca de Mythro, seu coração sente que vai explodir ao descobrir esse segredo.

— Porque ele é do próprio Malik Zumb’la!


Autor: Mateus Lopes   │   Revisor: BCzeulli


Fontes
Cores