DA – Capítulo 16 – Mits não precisa da ajuda de mortais



´´A primeira coroação é feita quando um jovem tem seu sol diretamente posto no que seria a copa da árvore, sua cabeça. Chamamos isso de coroação pois quem consegue se coroar desde o primeiro reino tem o sol visto em sua coroa. É super elegante.“

— Mythro, o sol vai escolher a cor baseado em você. Cada ser é único, e cada um tem suas próprias aspirações. Muitos deixam seus sóis brancos e depois disso começam a dar-lhe cor. Mas… você já tem uma aspiração… certo?

— Eu… quero ser… como o relâmpago… que traz luz à escuridão… o trovão que ecoa por todos os lados e que todos escutam… Quero descender dos céus, desimpedido…— Mythro diz, ainda sentado e cultivando.

— Então… O que esperas? — Aurio pergunta.

´´Então que assim seja!“ — Gornn diz animado.

O pequeno ouve o clamor vindo de seu mestre e de Sacrovivo, seu corpo começa a tremer! Ele foca em sua área Jing e o sol começa a brilhar ainda mais! Sua cor era um puro azul, como o da energia cósmica, mas agora… ele se torna azul celeste! Os raios ondulares de sol já não são mais! Agora serpentes elétricas dançam ferozmente na esfera.

Após todos esses eventos se sucederem, o Sol de Mythro se move mais rapidamente e encaixa na copa da árvore!

´´Abra os olhos, renovado!“ — Gornn fala com emoção, enfatizando no ”renovado”

Mythro abre os olhos, eles estão mais dourados do que antes, eles estavam como antes de ser invadido pela energia Yin.

— Gornn, senhor Sacrovivo… Obrigado… Eu me sinto… forte… — Mythro se levanta e consegue sentir o calor que emana de seu dantian Jing.

´´Pronto garoto. Agora você pode voltar para aquela menina.“

— Sim, como estou agora, não envergonharei Namhr!

O lugar subterrâneo em que eles estavam era simples e normal, mas agora, uma terra que pequenas luzes azuis escapam se fez.

— Isso é… — Mythro fica surpreso, se abaixa e pega um pouco de terra, e a observa.

— Terra Numial. Você santificou este lugar fazendo seu Sol, e o coroando sobre sua árvore. — Sacrovivo chega perto e fecha as mãos do pequeno e olha fundo em seus olhos.

´´Parabéns, pelo momento. Seu caminho começou, agora voltemos ao lado de cima, ainda tem a menina Mits.“

— Gornn, Mits tem que ter o mesmo que eu!

´´Isso seria completamente impossível. Embora cultivação viva não seja tão raro no lado de fora deste planeta, ainda assim são necessários itens fora de comum. O que foi colocado em sua árvore é uma página do sagrado Torá. O livro que fala sobre a cultivação e os caminhos de Yah… Bem, conhecer este ser agora não lhe fará bem. Quando pessoas fracas dizem seu nome, castigo celestial cai sobre elas.“

— Ele é um Deus?

— Ele é mais. Ele é o pontapé inicial para tudo, e até mesmo para Caenn e Lornum.

Mythro ouve essas palavras, mas não as compreende direito. Mas ele sente o peso que isso gera nos olhos de Aurio. É como se ele estivesse a se pôr de joelhos.

´´Vamos indo velho Aurio. A esposa de meu discípulo deve acompanhá-lo de igual para igual. Traga uma raiz de mandragora de 10ª qualidade, semente de segundo véu, coração de um dragão de no mínimo rei-céu, 9 jades imortais e …

— VOCÊ ESTÁ LOUCO? ONDE VOU ARRUMAR TUDO ISSO? — Aurio quase pula, ele balança os braços loucamente, enquanto vocifera.

´´Está exaltado?“ — Gornn fala com refino e a elegância de sempre.

— EXALTADO? — Aurio fica ainda mais nervoso.

— Essas coisas são difíceis de achar? — Mythro diz inocentemente, colocando seus dedos no queixo.

— Difícil? O que esse velho leão está pedindo é insano! A mandragora eu até tenho, mas uma semente de segundo véu? Eu vou ter que explodir umas 10 mil estrelas e 1000 planetas até achar uma semente de primeiro véu! Uma de segunda então? Se alguém achar uma semente de segundo véu a cada 7 mil anos, essa pessoa é sortuda por mais 100 mil!

— Você não está exagerando?

´´Ele está, tem umas 100 destas guardadas em meu cofre pessoal.“

— Então por que você não pega?

´´Porque eu sou uma alma penada sem corpo e que não pode sair deste planeta.“

— Nojento.

´´Ora!“ — Gornn fica estranhamente movido por esta palavra.

— Ho, esta criança me lembrou. Tem uma coisa que o anciãozinho aqui não suporta.

´´Não ouse, velho!“ — se Gornn pudesse entrar em modo de ataque, ele o teria feito agora.

— Você tem uns 15 mil anos a mais que eu! — Aurio rebate e cruza os braços, sentindo-se momentaneamente satisfeito.

´´Eu sou um ser divino, você ascendeu como um mortal ralé.“

— Ralé? Eu tive é que ralar meu filho! Vocês criaturas divinas foram paparicadas demais!

´´Ora esta, somos os guardiões de tudo o que há, obviamente tínhamos que ter um diferencial da ralé.“

— Vocês dois são bem trouxas. — Mythro diz isso e sobe no altar em que eles desceram.

Imaginem dois velhos olhando para uma criança com muita raiva. Aconteceu agora.

— Vocês três são bem engraçados. Esta Deusa aqui tem uma missão, sentem-se e me escutem.

Uma voz feminina viaja pela umbrosa caverna. Os três se viram de suas respectivas posições para encarar a fonte da voz.

Uma mulher anda na direção deles, trajes mais normais não poderiam estar sendo trajados. Adornos mais normais não poderiam lhe estar adornando. Porém, mais bela face não poderia ter sido concebida neste mundo.

Cabelos curtos com arco-íris como coloração, um rosto na mais perfeita medida para que os cosmos trabalhassem seus intensos olhos, e seus lábios, ondulados e belos, como a própria necessidade dos egípcios para com o Nilo.

Seu andar não trazia consigo apenas seu corpo, mas a adoração dos próprios átomos. O louvor dos serafins e a subordinação dos demônios mais cruéis.

Aurio e Gornn ficam com suas bocas abertas. Seres como eles já viveram dezenas de milhares de anos, então para fazê-los ficarem deste jeito, é simples de deduzir quão majestosa é a mulher, e quão etérea é sua presença.

— Podem levantar seus queixos. Eu sou Mutima, deusa da transformação, vim aqui para honrar o selo entre uma de minhas descendentes, com o descendente de Xaemi, minha amiga.

´´Gornn ela é estranha. Não há nada para se ler… O que é isso?“ — Mythro fala mentalmente com Gornn.

´´Garoto!“ — Gornn fala com certo desespero.

— Ora, pequeno Mythro. Eu não sou estranha.

— Fique fora da minha mente. — Mythro diz com seus olhos cerrados.

Quando Mythro diz isso, Mutima para e o encara.

Aurio sua frio, mas dá alguns passos para o lado e fica na frente de Mythro.

— Senhora… Deusa… Perdoe-o… Ele é jovem…

— Quanta coragem em uma formiga.

— Eu não sou uma formiga! Eu sou Mythro!

— Devo te colocar no lugar.

´´Aurio!“ — Gornn grita da área Shen de Mythro.

Aurio desaparece e reaparece na frente de Mutima, as inscrições em seus dedos brilham e ele desce sua palma na deusa a sua frente. Mas como se impedindo poeira de cair em seu ombro, ela faz um ”shoo” com sua palma para baixo. Essa moção não poderia ser mais simples, mas Aurio não podia estar mais fodido.

O corpo de um imperador não é brincadeira, buracos negros não poderiam engoli-los. Mas Mutima faz com que Aurio afundasse tão rápido no chão que parece que ele quis se jogar de propósito. E se alguém pudesse acompanhar a trajetória de sua queda, veria que em um segundo ele estava naquela pequena caverna subterrânea, e no outro ele estava atravessando o terceiro planeta consecutivo.

Seu estado é deplorável, não porque ele bateu em três planetas consecutivamente, mas porque onde ele foi acertado por Mutima, se tornou um monte de carne esmagada. É possível ver o coração dele batendo, e seus intestinos para fora.

— Droga. Não machuque o garoto! — Ainda assim, Aurio grita de onde ele parou e sua energia cósmica passa uma mensagem para Mythro, e mesmo com toda essa distância, ela chega instantaneamente ao pequeno.

— Senhor Aurio! —  Mythro grita chorando, a mulher angelical na sua frente bate como o diabo!

— Não precisa se preocupar, eu peguei leve com ele. — Mutima diz colocando a mão na boca e dando uma leve risada, ela então estende a mão e uma esfera se desdobra, e enfia a outra mão, como se buscando algo. Momentos depois ela tira… Mits!

— Eu ouvi vocês falando que seria impossível ter uma cultivação viva tão poderosa quanto a deste garoto, só porque ele possui uma página do Torá. Mas estão enganados, existem muitos meios de alcançar o altíssimo. Então podem tirar de suas listas de afazeres esta tarefa, nenhum descendente meu precisa da ajuda de mortais.


Autor: Mateus Lopes Jardim Revisor: Bczeulli  CQ: Gabriel Lucas



Fontes
Cores