DA – Capítulo 140 – Apagando o fogo do oeste profundo(2)


— Minha… Vó!?

Mythro acaba falando alto, devido a grande surpresa.

— O que tem sua vó!?

Raico envia uma mensagem cósmica para o pequeno NOVA. Tudo relacionado a família do jovem sábio é do interesse dele, já que ele acha a descendência de Fahrur Fashr ser milagrosa.

— Desculpe, pensei alto.

— Okay. Suas mensagens cósmicas são naturais e fluidas. Alguns nem conseguem enviar mensagens cósmicas no segundo reino, quem dirá tão construídas.

“Tem até isso?”

“Sim, gatinho. Mortais são assim, ruins até de usar mensagens cósmicas. Quanto a sua vó… Dizem que ela foi a maior NOVA que já existiu. O NOVA Statum dela era o seu estado normal, e dizem que ela podia alcançar um novo patamar, antes não visto. Deram a ela, o poderoso título de… Quasi-Progenitora. Devido a sua força que até mesmo entre os senhores dos deuses era descomunal.”

— Então eu não fui o primeiro a nascer por seres conscientes? Minha mãe também nasceu de alguém?

“Não, não. Sua mãe hoje é considerada a Senhora dos Supernovas porque ela herdou isso da antiga Senhora dos Supernovas. Como tradição em clãs divinos, o líder é aquele que possui maior cultivação, ou maior divindade. Como saber qual criatura divina é mais “divina”? Depende da sua majestade(Rar). Sua mãe é definitivamente a NOVA dessa geração que é a mais poderosa em cultivação e majestade(Rar). Mas antes dela teve o panteão NOVA de deuses guiados pela Quasi-Progenitora. Uma pena, na época houve uma séria guerra contra os Rairnmos, raça divina criada por Malik Zumb’la o mais velho filho concebido por Weh. 80% dos Supernovas morreram nesta guerra. Por isso atualmente o número de vocês é negligível.”

— É a primeira vez que você me fala de Malik e dos Rairnmos.

“Mm… Esta guerra coloca medo em todas as criaturas divinas vivas. Ela lembra que as raças divinas criadas pelos progenitores são a epítome deste universo, indiferente de sua população. Elas devem ser respeitadas e temidas.”

— Por que você diz isso?

“Ah… Gatinho… Sua vó… Sua vó é o significado de medo para tudo neste universo… Dizem que quando você chega ao 11º reino e se cochicha a palavra medo na língua ancestral, é a face dela que o cosmo mostra…”

!!!

“A guerra dos NOVAs contra os Rairnmos foi chamada de Guerra da Aniquilação Divina. Ela trouxe três importantes coisas para as criaturas divinas. A primeira foi um ambiente próspero em recursos que logo se abrirá.”

— Como assim?

“Quando NOVAs morrem diversos recursos nascem de sua explosão. Quando Rairnmos morrem eles deixam uma energia condensada que faz com que coisas no universo pulem de qualidade de forma rápida. Como exemplo, um mineral de quatro estrelas ir para oito em curtos 7 ou 15 mil anos.”

— Mas! Isso!

“Sim… Isso normalmente levaria dezenas de milhares, senão centenas de milhares de anos. Claro que depende do nível da cultivação de quem o faz, mas isso mostra que esta raça sempre foi superior no quesito de possuir as melhores gemas. Consequentemente, mais cultivadores de nível rei acima. Então, pense em um lugar onde Rairnmos e Supernovas morreram em massa, de diversas cultivações…”

— Um paraíso de recursos para cultivadores de todo o cosmo…

“O lugar infelizmente está selado por um campo caótico de energia que impede até mesmo deuses de entrar. O campo está diminuindo com o tempo e em 5 mil anos talvez seja possível entrar nele. Claro, que parece um curto espaço de tempo para quem nasceu nesta era, mas já se fazem mais de 800 mil anos deste acontecido. Até as fadas e os diabretes vão sair correndo de seus domínios para pegar um pedaço do bolo… Seja o que for que tiver lá, com certeza nesta era haverão mais Senhores dos Deuses vivos desde a criação do universo primal.”

!!!

— Mas é tanto assim?

“Mm. Sua vó faleceu nessa batalha. Ela sozinha combateu e matou dois Senhores dos Deuses Rairnmos! Na época, diziam que os NOVAs seriam pulverizados, até mesmo as fadas davam espaço para eles fazerem o que bem entendiam… E aí que a segunda coisa importante vem à tona.”

O Leão Rubro respira e seus olhos brilham com medo e contemplação.

“Não só ela matou os dois… Ela segurou a linha cármica que conectava o nascimento divino dos Rairnmos e a cortou!”

Por um momento, Mythro fica sem entender o que Gornn quer dizer. Mas depois as pontas vão se conectando em sua cabeça.

— Ela baniu o nascimento dos filhos de Malik no universo?

“Sim!”

Desde que o pequeno chegou no segundo reino, além de Kether, Chokmah também estava pronto para sair da forma de esfera. O único requisito que faltava era comicidade o suficiente… E é neste momento que Chokmah quebra seu casulo e se senta ao lado de Kether.

Os olhos de Chokmah abrem e fecham 3 vezes. Se alguém olhasse através deles, talvez sentissem que viram a história deste mundo passando por seus olhos.

Ammit que sempre estava sentada e calma ao lado de Kether, se coloca de pé arfando seus seios com uma respiração caótica.

“Impossível, você não está inventando isso, leão caído?”

“Você acha que eu ousaria inventar tal coisa?”

A Grande Morte fica em silêncio. A ideia disso era poderosa e incomensurável. Ouvir algo assim era como dizer que mortais podiam comer planetas e expirar estrelas!

“Temo que tenho que deixar vocês voltarem ao chão. Sua vó, de fato cortou a linha cármica do nascimento deles mas, depois de 500 mil anos essa linha voltou a ficar inteira. Se passou meio milhão de anos sem mais Rairnmos por onde há espaço, tempo e memória.”

— Então os NOVAs aniquilaram todos os Rairnmos na guerra? E quantos aos NOVAs que sobreviveram, os 20%?

“ Infelizmente quem sobreviveu era de sexto reino para baixo. Não se passou nem mil anos até que vocês começassem a ser caçados pelos outros clãs divinos e clãs e sectos que há pelo cosmo.”

Mythro não consegue deixar passar o pensamento de que isso é provavelmente a coisa mais impossível que se pode ser conhecida por qualquer ser no universo.

“Talvez não fosse o melhor momento para conta-lo mas, é simplesmente normal um jovem conhecer sua descendência, etnia e cultura. Sabe por que estes homens estão todos juntos cooperando mesmo querendo se atacar e rasgarem a garganta um do outro? Porque eles nasceram no mesmo lugar, na mesma terra. — Gornn para brevemente, e então continua, sua voz parece entrar com o ritmo das estrelas, e o nascer, crescer e morrer de uma vida — As folhas caem da árvore para poder alimentar o solo do qual a raiz da árvore se prende. As folhas que partem para outra terra, não são as da mesma árvore.”

Kether e Chokmah abrem seus olhos. Um clamor treme os cristais de Mythro, Grásio, Núbia e Suife de maneira desconhecida. A cúpula de fogo começa a mudar para a forma de uma árvore, da qual Qi de fogo se amontoa em folhas.

“Como esperado… Tudo neste universo é cosmicidade. Um indivíduo não é nada se ele não tiver cosmicidade…”

**

— Como assim Mopak?

Um dos anciões da Pira Anímica fica nervoso. Um ancião do oeste de fora é lixo nos olhos dele.

— Aquele garoto convidado do seu clã tá chamando a vovó, você deveria tirar ele do ritual.

— Mopak. A última vez que o ritual foi realizado foi há 4 anos atrás no oeste profundo. No entanto a pose estelar não era esta, era o Golfinho de Duas Caudas. Além disso, tinha apenas três clãs de fogo envolvido. O meu clã, Sol Dourado, a Assolação Vermelha e a Fornalha Abrasante.

— Patriarca Suoro, obrigado por compartilhar. Me diga, quantas horas durou e quantos precisaram sair do ritual?

— Durou quatro horas. Ninguém precisou sair.

— Senhor Suoro, creio que estas informações…

O Patriarca da Fornalha Abrasante tenta velar Pairo.

— Quieto!

— Entendo, e algum rei esteve envolvido no ritual?

— Não.

— Suoro!

O Patriarca da Pira Anímica grita liberando sua pressão, e dez jovens cospem sangue da boca, e tem rastros de sangue pelo nariz e orelhas.

Caluf não perde um segundo e primeiro os retira e cuida para que seus canais de energia não queimem.

— Acalmem-se, vamos acabar matando nossos jovens.

Suta começa a se preocupar, mesmo ele sendo do meio-oeste, na frente do oeste profundo ele só não seria tratado como lixo, como eram tratados aqueles do oeste de fora, mas ele ainda seria tratado como alguém de menor status!

Neste momento, a cúpula de fogo de Mythro muda e se torna uma árvore. O Qi de fogo que era vermelho se amontoa nas folhas e se transforma em um fogo negro, um fogo que vai tomando a forma de um escorpião…

— Parece que ter tantos reis acabou sendo um erro.

— Cale sua boca, infeliz do oeste de fora! Nos dê agora a formação que aquele menino que vocês chamam de sábio está usando, ou vocês enfrentarão as consequências!

Pairo desce a pressão de sua cultivação em Mopak.

— Pai!

Mirmo II estava prestes a sair de sua posição, quando Mirmo levanta a mão e o impede.

— Desculpe, patriarca da Pira Anímica, mas a formação do jovem sábio não é de nosso clã, é presente dado a ele pelo seu pai.

— O pai daquele menino não é a porra de um morta!? AGORA MIRMO MOPAK, A FORMAÇÃO, OU SEU CLÃ NÃO TERÁ LUGAR NO OESTE.

Mythro estava em um estado meditativo buscando as grandes transformações do conceito de árvore, folha e solo. O Qi de fogo ao redor dele não só foi absorvido em grandes quantidades, como a solidificação também estava rápida além do que as próprias formações do oeste profundo conseguiam fazer!

Kether e Chokmah estavam auxiliando a busca por este vislumbre do Dao, mas eles param um momento e olham para cima, como se atravessando o dantian Jing e encarando o rosto de Pairo.

— Não sou de me abaixar a este nível.

Chokmah olha para Kether e volta ao estado meditativo.

— Eu sim!

Um olhar sinistro brilha, e uma vontade violenta sai da formação “Uma Árvore Fazendo Florestas”.


Autor: Mateus Lopes   │   Revisor: BCzeulli



Fontes
Cores