DA – Capítulo 12 – Uma história sobre os Paschi



Quando Mythro pega no colar, Mits faz um pequeno barulho, como o de surpresa, e ansiedade.

— Não acredito que estou noivando minha filha tão cedo. — Mitri coloca as mãos nos olhos, um pouco úmidos.

— Mas é o melhor, se não fosse esse pequeno que mal a conhece, outros jamais… — Trinto fecha o punho perto do peito e olha para cima.

— Como é que é? — Mythro fica tenso com a conversa.

— Mythro… Você tem que jurar proteger os caninos cinzas! — Mits diz agarrando no braço de Mythro e pulando um pouco.

— Eu juro. Protegerei esses caninos e você, minha noiva.

— Então só falta selarmos…

— Selar o quê?

Mits então puxa o Mythro para bem perto dela, e com uma força que Mythro simplesmente não consegue resistir, puxa ele para perto de seu rosto, ela o encara ofegante, completamente vermelha, então… o beija.

“Que isso? Ela é muito forte! Eu não consigo me soltar.” — Mythro fica completamente inútil contra Mits, ela simplesmente o dominou completamente na questão de força física!

“Os Paschi nunca me deixam ter o suficiente, verdadeiros ogros da força física.” — Gornn ri e fala na área Shen de Mythro.

— Com isso então está selado, quando Mythro tiver seu décimo quinto aniversário, será realizada a cerimônia de casamento entre ele e os Paschi, família principal da vila da caça. — Marsca acompanha tudo, e anota em um pergaminho azul. Seus olhos se enchem de lágrimas. — Tão jovens, e tão apaixonados, mas Mits você é uma mocinha, nada de virar uma bejoqueira, okay?

Mits então larga Mythro, completamente corada, ela abaixa a cabeça e junta as mãos, somente alguns segundos depois ela levanta, o encara e responde a Marsca. — Okay.

— Gornn, o que foi isso? O que é um Paschi? — Mythro não consegue deixar de lado a sensação de impotência diante a força física de Mits.

“Paschi é um clã com linhagem direta com Ramishr, o senhor da dança. Ele foi um cultivador do clã dos homem—elefante. Ele alcançou seu Dao e santificou seu sangue, seus filhos e clã prosperaram, e ganharam direito a se sentar entre nós, criaturas divinas. Ele foi um Deus bom, na verdade, talvez ele ainda viva. Existem 4 famílias principais na linhagem de Ramishr, os Folto, Paschi, Rash e Kishr. Cada um tem diferentes aspectos dele. Sendo que a mais forte é a família Rashr, que alcançou o Samadhi, a meditação completa. Porém os Paschi podem ser ainda mais poderosos.”

— Por quê?

“Os Paschi nasceram de Ramishr e Mutima, Deusa da transformação. Cada família nasceu de uma mãe diferente, e a única a ser uma deusa era Mutima. Devido a isso, eles possuem mais do que simplesmente um aspecto do poder de Ramishr, eles possuem todos. Mas seu poder de encontrar o Samadhi foi bloqueado pelas outras três famílias. As outras mulheres de Ramishr tinham muito ódio e inveja dos talentos e beleza de Mutima, devido a isso, elas também criaram um plano para expulsar Mutima e sua linhagem dos quadrantes nirvânicos. Então uma delas, Sodoma, criou um ilusão de sedução, e fez com que o primeiro filho de Mutima e Ramishr, se deitasse com ela. Quando Ramishr chegou de uma longa jornada de guerras, encontrou seu filho com uma de suas esposas. Ele ficou completamente louco e culpou Mutima por ter lhe dado um filho, que se deita com as próprias esposas do pai. Dada as leis do quadrante, Ramishr podia ter muito bem matado toda a linhagem Paschi, mas as fadas intercederam e decidiram aprisioná—los em seu ventre, aqui, neste planeta.”

— Que história. Uma pena que isso tenha acontecido. Quando descobriram a verdade o que aconteceu?

“Rashmir descobriu a verdade apenas 37.875 anos depois, porque Sodoma, em seu leito de morte devido a um envenenamento de uma das outras esposas, sentiu—se culpada e decidiu contar um dos maiores fardos de sua vida. Quando ele descobriu, o planeta inteiro que ele comandava entrou em colapso, nuvens negras, densas como próprio castigo dos céus se formaram, relâmpagos de diversas cores desceram rasgando o céu e mutilaram a terra. Rashmir matou os 100 primeiros filhos de suas 3 esposas, e também executou as duas que lhe tinha sobrado. Ele então se retirou do governo do planeta e deixou os outros filhos reinarem no que tinha sobrado de sua ira e culpa.”

— Espera, você disse que talvez ele ainda viva até hoje, a quanto tempo foi isso?

“Uns 200 mil anos atrás.”

— Alguém pode mesmo viver tanto assim?

“Sim, um imperador pode viver bastante, um deus então… Meu pecado foi tentar virar um deus abandonando minha divindade, por isso, fui caçado pelos meus, e até mesmo pelas fadas. Eu fui fugitivo em inúmeros quadrantes, e só fui pego porque usaram meu último discípulo contra mim.”

— O que eles fizeram?

“É um assunto delicado, prefiro não comentar. Mas bem, voltando aos Paschi, ela tem sorte de ter encontrado você como noivo.”

— Por quê?

“Como você já deve saber, você é uma união grandiosa entre supernova e arfoziano. Seus poderes vão se desdobrar com o tempo, mas o que deves saber é que seu talento e potencial são sem limites, e sua compreensão é incomparável. Aprender coisas novas é como respirar para você. Neste momento, você foi limitado por que não recebeu as devidas bençãos, mas isso, eu mesmo farei para você futuramente. Outro fato limitante é a energia Yin, da raíz moribunda. Embora ela não seja forte para matar, ela é forte para contaminar e você foi contaminado quando a garota Namhr parou sua ascensão. Descontaminá—lo, também não será problema, seria caso a raíz estivesse bem, e forte, mas ela só está segurando as pontas, em menos de 1000 anos ela morre, e com ela, esse planeta. Agora, quanto a boa fortuna da garota Paschi, isso é devido ao seu sangue arfoziano, ele possui uma qualidade de imensidão, ampliação e destrancamento sem iguais em todo cosmos.”

— Acho que entendi o que você quer dizer, se eu cultivar junto com a Mits, aquela cultivação dupla que você falou, eu irei destrancar a Samara dela né?

Gornn fica quieto por alguns segundos, e uma forte risada emana dele logo após.

“Boa garoto! Isso mesmo, você vai destrancar a Samara, dela.”

— Por que você está rindo? — Mythro fica nervoso e franze o cenho nervosamente, neste momento ele sente um abraço em seu braço.

— Mythro, você viajou de novo. — Mits agarra o braço de Mythro e fica encarando ele com uma cara de dúvida enorme.

— Desculpe, vamos terminar o alistamento então… — Mythro volta a si e vira novamente à Marsca.

Marsca pega novamente o pergaminho de alistamento e coloca o nome de Mythro, e lhe dá uma placa com o número 90.

— Você será o nonagésimo participante. Espero o melhor, para você, e a vila da caça, que será sua beneficiária. — Marsca fala com grande honestidade. — Ah, e mais uma coisa, espere um pouco aqui, eu vou testar seu sangue, e lhe dar inocência de ser Markho.

— Então eu e meus filhos entraremos e descansaremos dessas grandes emoções. Estaremos esperando nas partes que há aposentos. Nos visite lá, pequeno Mythro, ou devo dizer, genro.

— P—pai! — Mits fala envergonhadamente, e aperta ainda mais o braço de Mythro, que retorce o rosto.

“Meu braço vai quebrar!”

“Deixa de ser mole.” — Gornn

— Gornn, quando eu destrancar a Samara dela, ela vai ficar ainda mais forte?

“Sim, você não quer uma esposa inútil, não é? Do que vale uma mulher que só pode esquentar sua cama, uma mulher tem que ser sua companheira, no prazer, na dor, na guerra e na morte. E você também terá sua parte de benefícios, o Samadhi é uma técnica única da linhagem dos homem—elefante, essa raça se intitula, Ganesha. Os Ganesha são seres místicos e sagrados, não somente com grande força, mas dotados de um ótimo intelecto. O único problema deles é a atitude temperamental. Quando você compartilhar vínculos de sangue com ela, você estimulará o sangue dela, e desbloqueará o primeiro Jhana dela, e ao mesmo tempo… o seu será criado. Essa partilhação de sangue não precisa esperar até o casamento de vocês, a chame ao seu quarto esta noite, e eu lhes abençoarei devidamente.”

— Então é Samadhi, não, Samara? — Mythro fala com Gornn

“Tudo ao seu tempo, primeiro busque iniciar o Samadhi, a Samara vem depois!” Gornn então ri avidamente, os ouvidos de Mythro chegam a zumbir. Parece que de alguma forma, mesmo Gornn estando preso, ele ainda pode causar certo dano à Mythro.

— Então, Mits, te aguardo mais tarde em meu quarto. — Mythro fala na orelha de Mits, que estava ao seu lado.

A pequena Paschi tinha uma tonalidade parda, somente um pouco mais fraca que a de Mythro, mas neste momento, de corada, ela fica completamente vermelha.

— Então, essa… essa esp—esposa… se despede do mari—mari—marido… para serví—lo mais tarde… — Mits responde, também no ouvido de Mythro e se afasta ao lado de seu pai, que olha com a sobrancelha esquerda levantada, se perguntando qual foi a troca de palavras que ambos tiveram que fizera sua filha ficar como tomate.

— Até — Mythro acena e vê os Paschi indo, ele então se vira para Marsca, que não tira o sorriso do rosto.

— Você é um garoto de sorte. Mits pode ser valentona, mas ela é muito doce e carinhosa. Ela só matou uns três cachorros os abraçando… — Marsca coloca a mão no queixo, como se estivesse tentando lembrar direito se era essa quantidade.

“Tô morto!”—  Mythro cambaleia e quase cai, mas alguém o segura.


Autor: Mateus Lopes Jardim Revisor: Bczeulli  CQ: Gabriel Lucas



Fontes
Cores