AVN – Capítulo 61 – Zero.


Eu estava morto, tive certeza disso. As pessoas ao meu redor não existiam, não por um tempo. Estou morto e vejo espectros sussurrantes em entrelinhas preciosas que, de fato, nunca me revelaram nada; e estive morto quando acordei tão vivo que mal conseguia puxar o ar de volta para meu peito.

Olhei o rosto dela, primeira coisa que me aconteceu, e vi suas lágrimas salpicadas caindo da bochecha. Mas o que não me perguntei era sobre quem seria ela.

Não cometo erros tão feios, deveria ter percebido, que ela era quem ela era, ninguém mais e principalmente que ela estava morta, e de resto tanto fosse. Eu caía aos seus braços, deixando-a me afagar os cabelos e contar coisas belas.

Sabia… Mas em algum momento ela também quis meus braços. que ele ia se chamar Míchkin Vênus. Não entendi o porquê, apenas olhei seus olhos vazios e antes mesmo de perdoá-la por ir embora tão cedo, eu já estava em choque.

E era aí, que eu realmente acordava.



Fontes
Cores