ALdI –  Capítulo 32 – Magia



Ta… ta… ta… tata… tata… tatatatata!

Os primeiros pingos de chuva começaram a cair antes do surgimento de uma forte chuva. Na rua, as pessoas que não tinham um guarda-chuva corriam para se abrigar.

Olhando de cima, as ruas ficaram coloridas com as cores dos guarda-chuvas que foram abertos. Eles se moviam aleatoriamente, deixando uma vista encantadora e alucinógena.

Em uma sala do quinto andar do prédio da empresa Limpo e Belo Ltda., estava o Sr. Hayama em pé, olhando pela janela. Ele segurava um copo com café enquanto tinha um olhar pensativo.

Depois de ficar parado por um bom tempo, suspirou. Nesses últimos dias, muita coisa aconteceu. Com a aparição de Kishito, sua missão tinha finalmente terminado, mas, esse momento que era pra ser feliz, deixava um peso em seu coração.

Levando o copo até a boca, bebeu o restante do café. Há algumas horas atrás, o Sr. Hayama recebeu um informe da situação da guerra e suas novas ordens; ele não achou que seria tão cedo.

— Você está preocupado?

Uma voz suave passou pelos ouvidos do Sr. Hayama, que continuou a olhar pela janela. Ele não precisou se virar para saber quem era e apenas respondeu.

— Não muito, eu já esperava por isso. Mas você parece bastante feliz; até mesmo apareceu por conta própria.

— É claro que estou feliz. A coleta dessa vez está sendo muito boa.

— O garoto Kishito Hishima?

— Não foi apenas ele, existe muito mais além dele.

Depois da resposta, o Sr. Hayama não disse mais nada e continuou olhando pela janela. Durante a conversa, seu olhar não desviou nenhuma vez dos guarda-chuvas coloridos que iam de um lado para outro. Seu olhar ainda era pensativo quando voltou a falar.

— Trinta dias. Foi esse o tempo que você deu a Yago para treinar o garoto. Nem mesmo os maiores gênios da história poderiam entender o conceito da magia e aplicá-la em tão pouco tempo. O que você fez com ele para ter tanta certeza que o garoto vai estar pronto em trinta dias?

— Meu Kishito é especial.

— Seu?

— É claro, meu Kishito. Ele não deve ser julgado do mesmo jeito que seus guerreiros. Meu Kishito é uma existência além da compreensão humana. Trinta dias? Hm… ele nem precisará de sete dias para entender a magia. Eu dei trinta dias para o Yago, pois queria que ele não apenas entendesse sobre a magia, mas também entendesse o próprio corpo. Dentro de trinta dias, sua força não será diferente dos seus guerreiros.

*****

— Você compreendeu, Kishito? — Depois de dar um resumo sobre as organizações Yago percebeu que Kishito estava um pouco distraído.

— Mais ou menos, Yago-san. — Kishito respondeu.

Yago suspirou com a resposta; parecia que tinha perdido tempo ao tentar explicar para Kishito sobre as organizações.

— Depois que acabarmos hoje, peça alguém para te levar na biblioteca e lhe mostrar os livros sobre as organizações. Quanto mais informações tiver, melhor.

— … — Kishito.

— Agora, vamos começar seu treinamento em si. Laila criou essa Formação de Distorção Espacial para o seu treinamento e ela também me disse o que eu deveria ensiná-lo. Pelos próximos dias, você irá aprender os conceitos da magia e as leis do fogo mágico.

— Hm! — Kishito acenou com a cabeça confirmando.

— Ei, maninho! — Alicia falou antes do Yago começar a explicar pegando a atenção dele. — Para o Kiki aprender o conceito da magia é algo bastante pessoal, então… a gente ainda precisa ficar aqui?

Os três estavam curiosos para saber o que fariam lá dentro. Aprender sobre os conceitos e leis da magia era algo pessoal e um conhecimento que não dava para ensinar. Cada pessoa compreendia de um modo diferente. Suas experiências diretas com as leis faziam parte do processo de aprendizado.

Se ficassem ali, não seriam de ajuda alguma, e ficar preso na Formação de Distorção Espacial observando alguém tentando entender as leis seria algo completamente chato. A pergunta da Alicia era ela tentando se livrar disso.

— Vocês não precisam ficar aqui olhando. Enquanto eu não tiver precisando de ajuda, vocês estarão fazendo um pequeno treino.

— Treino? — Alicia e Xia perguntaram juntas.

— Isso mesmo. — Yago colocou a mão no bolso e pegou uma pequena esfera. Ela era do tamanho de uma bola de gude, sendo completamente branca e sem nenhuma deformidade. — Dentro dessa esfera, tem um pouco de mana que emite um pequeno campo mágico em volta dela. Nos últimos dias, vocês relaxaram e mostraram falta de atenção, por isso, a tarefa de vocês enquanto eu não estiver precisando, é encontrar todas as trezentas esferas que estão no mar.

— Você está brincando, não é? — Alicia estava descrente do que ouviu.

Quando qualquer guerreiro olhava para aquela esfera branca, ele podia sentir a mana dentro e as flutuações em volta; mas, procurar essa esfera no oceano era uma tarefa muito difícil. Aquela esfera parecia ser bastante leve e poderia flutuar na água; o que deixaria ainda mais difícil. O mar dentro da Formação de Distorção Espacial era agitado e, sendo atingido constantemente por raios, ondas gigantes eram normais naquele mar.

Para coletar essas esferas no mar, eles teriam que nadar, escapar das ondas gigantes, tomar cuidado com os raios e ainda teriam que se concentrar para sentir as flutuações de mana da esfera. Seria uma tarefa onde teriam que manter movimentos constantes e ter muita concentração.

— Desde quando eu faço esse tipo de brincadeira? Isso é apenas um cast… cof… cof… um treino, para não acontecer como na última vez. Por isso, o Sr. Hayama preparou esse treino para vocês. Todos os dias terão trezentas esferas no mar, e todos os dias vocês terão que coletar todas, se não, cada dia que não conseguirem, o Sr. Hayama irá tirar algum dos seus benefícios.

— O quê? Mas isso é injusto! — Alicia reclamou depois que Yago terminou de falar.

— Isso mesmo. Isso é um castigo mascarado de treino. — Xia complementou.

— Não sou eu que decido isso. — Yago suspirou levantando os ombros. — É melhor começarem logo, ou não irá dar tempo.

— Droga. — Essas foram as últimas palavras da Alicia antes de correr em direção ao mar.

Xia e Donavan seguiram atrás indo o mais rápido possível; nenhum deles queria perder seus benefícios. Kishito não sabia quais eram esses benefícios que eles tinham, mas, vendo-os tão preocupados em não perdê-los, supôs que era algo muito bom.

— Bem, agora que eles se foram, está na hora de me concentrar em ensiná-lo. — Yago olhou para Kishito e se tornou sério. — Para poder controlar a magia, primeiro você tem que aprender o conceito de magia e suas leis. Como temos pouco tempo, o nosso primeiro passo é que você possa sentir a magia.

— Sentir a magia? — Kishito estava confuso. — Não é apenas pensar nela e usá-la?

— Não. A magia faz parte da natureza, mas, não é algo que você pode simplesmente tocar e nem algo que com apenas um pensamento possa ser usado. Por ser uma força da natureza, todo ser vivo possui magia. Essa tal força flui dentro dos seus corpos realizando uma conexão com a natureza. A essa energia que circula em nossos corpos, nós damos o nome de mana. No entanto, existem vários guerreiros e organizações pelo mundo, então, você pode ouvir eles chamarem por outro nome, porém, na teoria, é a mesma coisa.

— … — Kishito ainda estava atento às palavras do Yago.

— A mana no corpo de cada pessoa se move de um jeito diferente e parece de um jeito diferente. Eu não sei te dizer como a sua será e nem explicar como a minha se parece iria te ajudar. Você terá que achar seu próprio caminho para perceber a mana e se conectar com ela. Quando você percebê-la, deixe sua mente vagar junto com a energia do seu corpo e encontre a sua fonte de mana. Uma vez que encontrar a fonte de mana, permaneça lá e grave em sua mente como chegou, para que você possa ir até lá todo vez que quiser. Depois que você conseguir se conectar com sua fonte de mana sempre que quiser, nós iremos para a próxima etapa.

As palavras de Yago ressoaram na mente de Kishito enquanto o mesmo gravava o que foi dito. A conexão com a fonte de mana era algo pessoal e não tinha um jeito certo de aprender. Encontrar a mana em seu corpo dependia da sua percepção com a natureza; isso não era algo que podia ser aprendido, e sim, sentido.

Para alguém que nunca esteve familiarizado com a mana antes, Kishito teria que se concentrar para sentir a mana. Diferente dos outros guerreiros, ele era uma pessoa que iria começar tarde a aprender a controlar a mana. Normalmente, os guerreiros treinavam sua percepção da mana quando crianças, para quando tivessem mais idade, já pudessem controlá-la livremente para treinarem nas artes de suas famílias.

Quando uma pessoa nasce, ela têm uma ligação natural com a mana. Com o passar dos anos, essa ligação enfraquece e, se não puder encontrar sua fonte de mana, a ligação é perdida. A ligação com a mana é quebrada quando uma pessoa completa vinte e um anos de idade e, uma vez que a acontece o rompimento, não há como restabelecê-la.

Numa família de guerreiros, as crianças começam seu treinamento com oito anos de idade para encontrar a fonte da mana. Essa é a melhor idade para começar, pois a ligação com a mana ainda é forte e a criança já tem um entendimento para treinar.

Mas, para Kishito, que tem atualmente dezessete anos, seria algo bastante difícil. Sua ligação com a mana seria bastante fraca por causa da idade e ele teria que se esforçar para percebê-la; seria o resultado comum com o triplo do esforço.

“Como ele vai evoluir tanto em tão pouco tempo como Laila quer? Nem mesmo nos registros tem algo de uma evolução tão assombrosa como essa. A fênix carrega um enorme poder, porém, sempre foi cultivada aos poucos até se tornarem guerreiros imbatíveis. Será… será que Laila fez algo com ele?” Yago não podia deixar de se perguntar. Mesmo que ele estivesse passando para Kishito o treinamento que Laila lhe ordenou, ainda achava estranho. Várias perguntas sem respostas passavam por sua mente.


Autor: Kanino   |   Revisor: Eduardo Jesus



Fontes
Cores