ALdI – Capítulo 22 – Primeiras impressões (2)


— Cof, Cof, Cof…

A tosse desesperada do Kishito enquanto tentava puxar ar para os pulmões era o único barulho que quebrava o silêncio da sala. Todos estavam olhando para a pequena garota que estava tranquilamente sentada no sofá.

— Laila eu quero uma explicação. O que está acontecendo? — Depois da aparição da Laila, Sr. Hayama não emitia mais a intenção assassina de antes e voltou para o sofá antes de falar.

— Desde quando e lhe devo explicações. A única coisa que você precisa saber é que trouxe alguém com as chamas da fênix e com isso essa geração já pode começar a fazer sua parte. — Laila tinha uma voz doce mas seu tom era autoritária.

— Não é assim que funciona. Você some por dias e então de repente aparece com a fênix. — Sr. Hayama ainda parecia calmo mas suas palavras confrontavam Laila. — Nós tivemos que usar muitos recursos para salvá-lo antes que fosse levado e perdêssemos essa geração.

— Tsk. Salvá-lo? Se vocês não tivessem se intrometido quando as chamas foram liberadas eu teria feito um belo estrago naquelas crianças.

Aquelas palavras pegaram Sr. Hayama e os outros de surpresa. “Ela ia soltar a fênix para matar Henry?” Esse pensamento passou na cabeça deles.

— *Suspiro* Você poderia então me responder algumas perguntas? — Depois de entender a intenção da Laila, o Sr. Hayama suspirou e perguntou.

— Ei Kishito, sente-se aqui. — Laila estava sorrindo e deu uns tapinhas no braço do sofá em que ela estava, enquanto falava num tom amável.

Kishito a olhou intrigado e achou melhor fazer o que ela disse. Foi até o sofá e se sentou no braço do sofá.

No instante seguinte aconteceu algo que deixou todos surpresos. Laila, a pequena garota tão fofa que parecia uma boneca mas era muito autoritária, esticou seus braços para se espreguiçar.

Logo após ela apoiou o braço na coxa do Kishito e então apoiou seu rosto em seu braço. Seus pés subiram no sofá quando ela se aconchegou e entrou numa posição a qual Laila estava deitada na coxa do Kishito.

Xia e os outros já conheciam Laila a vários anos e sabiam que ela viveu mais de qualquer outra pessoa que eles têm conhecimento. Mas essa foi a primeira vez que viram ela agir como se fosse uma criança.

Quando ela apareceu e falou com autoridade na sala, nenhum deles se preocupou, pois apesar da atual aparência dela, ela é uma existência antiga. Então suas ações autoritárias e arrogantes sempre foram justificadas.

Laila e a Makuredan tem um acordo de tempos antigos onde ela emprestaria seu poder para eles enquanto a Makuredan lhe daria assistência em seu plano. Um plano que apenas Laila conhecia. Ela não tinha nenhuma relação nas decisões da Makuredan e eles não poderiam se intrometer nas dela. Essa foi sempre a relação entre eles.

Mas hoje, eles a viram agir de um jeito que eles acharam que não veriam nem em seus sonhos.

Nem mesmo Kishito entendeu por que Laila fez isso. Eles tinham se visto apenas duas vezes antes e não formaram uma relação tão próxima assim. Ela parecia ser bastante importante para Xia e os outros pelo modo que eles tratam ela, mas agora era estava ali deitada na coxa dele.

— Assim está bem melhor. — Depois de se aconchegar Laila voltou a olhar para o Sr. Hayama e falou. — Vamos pergunte. Se eu achar que não tem problema em te responder então responderei.

— De acordo com os registros e suas palavras é impossível uma fênix voltar ao normal depois de despertar completamente não é?

— Sim. Depois que a fênix desperta completamente ela usa a própria vida como combustível e a queima até que não sobre mais nada. A maioria das fênix tiveram esse fim.

Essa informação não era nova para eles. Desde o começo quando estão treinando eles aprendem sobre os pássaros que seguem o portador da lâmina e dentre eles o que se tinha mais informações é a fênix. A fênix sempre foi retratada como o pássaro mais próximo e leal ao portador.

— Então o que foi aquilo na ponte? A fênix despertou e você o reprimiu, além disso você pôde interagir nesse mundo. Como fez isso?

Kishito ouvia a conversa deles enquanto estava quieto. Ele não entendia sobre o que falavam mas aos poucos ia juntando as informações. Enquanto analisava e tentava juntar o que entendeu sua mão começou a se mover sem que ele percebesse.

Era uma movimento simples que vinha do seu convívio com Rika, sua irmã. A mão dele pousou no cabelo da Laila e o alisava carinhosamente.

Muitas vezes em casa Rika deitava em sua coxa quando algo acontecia. As vezes ela tava triste, as vezes nervosa mas esse simples ato carinhoso a fazia se sentir melhor. Ela sempre dizia que esse era o melhor remédio que poderia querer.

As ações do Kishito passaram despercebidos pelos outros que estavam concentrados mais nas respostas que Laila poderia dar.

— Isso, é por que ele é especial. — Laila respondeu com um rosto sereno.

— Especial? — Xia que esteve quieta desde que Laila e o Sr. Hayama começaram a falar perguntou intrigada.

— Sim, minha criança mas ainda não é hora de saberem o por que. Então acho que isso é tudo não é?

— O que eu precisava saber já foi dito. — Sr. Hayama se levantou. — Mostrem para ele o lugar e a partir de amanhã iniciará o treinamento. — Ele olha para Yago e continua — Yago vou precisar que você cuide disso.

— Sim senhor. — Yago se levantou e concordou.

— Ei, ei, espera aí! — Kishito reagiu sobre o que Sr. Hayama falou. — O que você está decidindo?

— Você é o último integrante da equipe da Xia então vamos te preparar para isso. Esteja preparado.

Com essas últimas palavras Sr. Hayama deixou a sala seguido pela Dr. Lana. Yago olhou para Kishito que ainda estava sentado e percebeu que ele passava a mão no cabelo da Laila.

— Como vocês já se conhecem vou deixá-los mostrar o lugar. Nos vemos amanhã depois da escola garoto.

Yago também não ficou muito tempo e saiu da sala.

Nesse momento dentro da sala estava só Kishito e os três que estudavam na mesma sala que ele, Xia, Alicia e Donavan. Pelas expressões da Xia e da Alicia elas estavam mais relaxadas depois da saída do Sr. Hayama.

Depois da saída do Sr. Hayama nenhum deles disse nada e o silêncio estava durando por alguns minutos.

Kishito não sabia o que fazer, não sabia o que dizer para eles mas não gostava desse silêncio que permeava a sala. A única vez que ele interagiu com a Xia foi quando eles conversaram quando ela estava ferida, já Alicia e Donovan eles nunca lhe dirigiram uma palavra além de cumprimentos.

O silêncio era angustiante e Kishito resolveu dizer algo mesmo que fosse sobre o clima mas quando ele estava pra abrir a boca Alicia se moveu. Aquele corpo que era desejado por vários pessoas na escola se moveu graciosamente em direção a Kishito.

Muitos garotos tentavam conversar com ela mas ela sempre respondia com respostas curtas e educadas. Também tinham algumas garotas que tentavam ser amigas dela e não conseguiam, outras invejavam sua aparência e existiam até aquelas que a amaldiçoaram em pensamento.

Mas todos tinham que admitir que ela tinha uma beleza incomum que ganhava a atenção por onde passava.

“Merda. Agora eu entendo por que eles eram tão afobados”

Ele nunca tinha reparado nela pois sua atenção estava sempre na Xia mas olhando para ela agora, a primeira coisa que se lembrou foi dos garotos da sala quando viam ela. Eles sempre ficavam com cara de bobos olhando ela passar.

Dessa vez era Kishito que estava com cara de bobo e até a mão que alisava o cabelo da Laila parou. Percebendo que até ele estava estranho, Kishito respirou profundamente e então voltou a se tranquilizar. Sua mão voltou ao movimento de acariciar o cabelo da Laila, isso o acalmava.

As expressões de Kishito foram vistas pela Alicia que apreciou em seu coração o controle que ele tinha. Normalmente as pessoas da idade dele sempre a olhava com olhares lascivos.

Isso desagradava muito ela e por isso ela sempre rejeitou os garotos que vinham falar com ela. Mas agora vendo o controle do Kishito, não pôde deixar de sorrir.

Alicia chegou perto dele e inclinou seu corpo para frente, seu rosto ficou a dez centímetros do rosto do Kishito. Ela encarou ele nessa pouca distância, ela percebeu que ele se esforçava para se acalmar. Foi então que seus lábios se moveram e sua voz levou a pergunta aos ouvidos do Kishito.

— Eu tenho algo para te perguntar.

— O-o que? — Mesmo Kishito tentando se controlar ele ainda estava nervoso com a bela garota tão próxima dele.

Xia teve um mau pressentimento das ações da Alicia e foi para perto dela. Ela conhecia mais do que qualquer pessoa a personalidade da sua amiga. Então se ela foi até ele, isso não era uma coisa boa.

— Você já beijou alguém?

Antes que Xia chegasse perto da Alicia. sua pergunta pegou todos de surpresa.


Autor: Kanino   |   Revisor: Zezin   



Fontes
Cores