ALdI – Capítulo 15 –  Eu não mudei minha decisão


A mente do Kishito divagava, seu corpo estava deitado numa maca e balançava com o movimento da ambulância. Ele tinha acabado de acordar e estava tentando identificar o que aconteceu com ele. A última coisa que se lembrava era que estava no hospital e a enfermeira lhe aplicou uma injeção para dormir.

“Esse balanço… parece que estou num carro”.

Seus olhos se abriram lentamente e pôde observar o teto branco, diferente da outra vez, Kishito percebeu que estava numa ambulância. Viu os equipamentos a sua volta e ele tentou se mover, mas seu corpo estava amarrado na marca.

—  …não é nada do que eu tanto ouvi falar.

Kishito ouviu o final da frase e se lembrou daquela voz, era a voz de um daqueles homens que vieram até seu quarto no hospital. Pertencia ao homem chamado Harry, pelo que se lembrava era o mais novo dos quatro.

— Você é um tolo em achar que seria desse jeito. O que ouviu foram apenas histórias, elas sempre enaltecem o lado vencedor.

Kishito ouviu essa outra voz que falou com Harry, era uma que ele também conhecia, essa voz pertencia a Marco o homem que falou pouco no quarto. Ele só o reconheceu porque Marco estava na linha de visão do Kishito.

Os dois estavam conversando, mas Kishito pegou a conversa deles pelo meio e, por isso não sabia sobre o que era a conversa deles. Mesmo assim ele não podia fazer muita coisa, então ele só ficou quieto, enquanto ouvia.

— Eu trabalhei bastante na academia pra poder estar aqui. — Harry continuou falando. — Estou sempre ouvindo as histórias dos seniores sobre grandes batalhas. E essa é a segunda missão que nada acontece.

— Nada acontecer é uma coisa boa. Entrar numa luta de vida ou morte não é como as histórias. Segure sua empolgação,  quando a hora chegar fique atento, se preocupe em sobreviver e não em vencer. Não jogue sua vida fora, se precisar fugir, fuja. — Marco falava calmamente e claramente para passar sua experiência.

— Fugir? Eu fui um dos melhores da academia, eu posso acabar com qualquer um. —Harry sentia sua superioridade devido a sua performance na academia.

— Na academia é tudo controlado, mas aqui não.

— Não seja negativo, quando chegar a hora você vai ver minhas grandes habilidades. — Animado Harry continuava tentando mostrar que era forte.

— Certo, certo, se você diz, então faça como quiser. — Marco desistiu de tentar convencê-lo, por enquanto.

— Hehe. — Harry abriu um grande sorriso.

Kishito apenas ouvia a conversa dos dois e achou melhor não dizer nada.

“Esse cara é um imbecil”.

Isso era o que pensava de Harry. Ouvindo o que falava, Kishito achava que ele era fútil.

Os dois pararam com a conversa e Kishito achou que era uma boa hora pra organizar seus pensamentos. Fechando seus olhos ele forçou a se lembrar desde o começo. Seu primeiro pensamento foi para o beco onde Yuki e Xia lutaram, os dois não se movimentavam como pessoas comuns Eles eram rápidos e a força e velocidade que Yuki usou eram sobre humana, ele também tinha sobrevivido as bombas que Kishito usou.

“Ele tem algum tipo de poder ou não é humano…” Essa era a resposta que Kishito chegou apesar de não ser muito racional. “Se for verdade então esses quatro que estão procurando pela lâmina também não devem ser. No beco, pelo que o policial disse a pessoa que chamam de portadora é a Bianlai-san”.

Kishito organizou suas lembranças e agora tinha um entendimento melhor do que estava acontecendo. Todas essas pessoas estavam atrás de Xia por causa daquela espada que ela tinha e, agora eles iam usar ele como isca para pegá-la.

— Você é mais inteligente do que achei.

Uma doce voz de criança foi escutada por Kishito e seu olhar se virou para o lado onde ele viu a pequena garota chamada Laila. Os olhos de Laila estavam fixos nele com um sorriso que encantaria qualquer um. A garota se debruçou sobre a maca e viu o rosto do Kishito espantado, ele claramente não sabia como ela tinha entrado na ambulância.

— Como…

Kishito tentou perguntar para ela, mas antes que pudesse terminar de perguntar Laila encostou seu dedo indicador nos lábios dele em um sinal para ele não falar.

— Shiii… Só espere um momento.

Após as palavras de Laila a ambulância diminuiu a velocidade e parou.

— Por que paramos? — Harry que tinha ficado quieto depois da conversa com Marco se agitou.

Marco que estava sentado perto dele se levantou e olhou pela janela, seu olhar se concentrou no lado de fora. Ele inspirou e expirou duas vezes antes de falar.

— Estamos dentro de uma zona morta.

— Uma zona morta? — Harry estava incrédulo. — Estamos no Japão, não era pra ter ninguém que pudesse criar uma zona morta aqui.

Marco não respondeu a Harry, mas ele já imaginava que algo assim poderia acontecer. Ele foi mandado ali para investigar e a informação sobre a existência de um novo portador que foi mandado para o Japão para fugir da guerra na Europa era verdade. Sua organização tinha uma longa história, desde tempos antigos eles viviam na guerra e eles sabiam os perigos que um portador poderia trazer.

— Se prepare garoto. — Marco falou sem muita animação. — Você vai ter sua batalha.

— Até que enfim. — Harry não conseguia esconder sua excitação.

Laila continuava com o dedo nos lábios de Kishito,  esperou até Harry e Marco acabarem de falar. Quando eles pararam ela retirou seu dedo.

— Eles não podem me ver, nem me escutar, mas você é diferente. — Laila começou a falar. — Eu posso entender o que você quer falar sem que você diga uma palavra.

“O que ela quer dizer com isso? Ela pode ler meus pensamentos?”.

— Sim eu posso.

Kishito se assustou quando Laila respondeu a pergunta que ele pensou.

“Será que ela sabe mesmo o que tô pensando?”.

Sem saber o que fazer vários pensamentos passaram pela cabeça dele. Ter alguém que pode ler mentes na sua frente torna tudo mais difícil. Ele não iria saber onde enfiar a cara se pensasse algo estranho.

— Às vezes você pensa demais. Não precisa se preocupar isso é temporário. Atualmente nós temos uma conexão, mas logo vai acabar. — Laila continuava debruçada sobre a maca.

“Assim me deixa mais aliviado.” Sem poder se mexer, Kishito olhava para Laila que estava na sua linha de visão.

— Ótimo, assim eu posso ir para o assunto principal. Eu…

“Sim eu aceito”.
— O quê?

Laila ficou chocada e pareceu não entender o que Kishito disse. Por isso sua indagação.

“Não importa o que você quer que eu faça eu irei fazer”.

— Você vai aceitar sem ao menos ouvir o que tenho a dizer? — Laila olhava perplexa para ele.

“Olhe como estou agora. Com essa coisa no meu coração eu não vou durar muito. Você está aqui pela Bianlai-san não é? Se eu ainda posso ajudar ela é só me dizer”.
.
As suas palavras eram decisivas e não carregavam nenhum arrependimento. Ele já tinha feito uma decisão quando foi atrás de Xia e agora ele ia fazer o que pudesse para ajudá-la de novo.

Laila se levantou e seu rosto sorridente voltou. Ela colocou uma mão sobre o peito dele.

— Antes de mais nada eu tenho que avisá-lo, o caminho que você vai percorrer será doloroso. Sofrimento irá segui-lo por onde andar e se você não for forte, nem sua mente nem seu corpo irão resistir. Eu irei lhe fazer um último teste, se sobreviver saiba que o caminho não será fácil. Você vai aceitar mesmo assim?

“Sim”.

Kishito nem ao menos hesitou e sua resposta positiva veio logo após Laila acabar de falar.

— Dessa vez eu preciso que você fale.

— Sim.

Em pé perto da porta, Marco olhava pela janela e escutava os sons que vinham do lado de fora. Ao seu lado estava Harry impaciente para sair dali.

— O que está acontecendo lá fora? — Harry não aguentou e perguntou.

Marco estava concentrado e ignorou a pergunta de Harry, ele estava usando sua habilidade de rastreio para acompanhar a batalha que acontecia no lado de fora.

Boom

— Vamos me diga o que ta acontecendo Marco!

O barulho da explosão deixou Harry mais impaciente. Ele sabia que acontecia uma batalha no lado de fora e essa era a oportunidade dele de usar tudo que aprendeu na academia. Sua excitação estava fazendo seu corpo tremer e ele não via a hora de sair daquela ambulância. Nesse momento ele ouviu a voz de Kishito dizendo “sim” e se virou para ele.

O corpo de Kishito que estava amarrado na maca começou a se debater. Balançando de um lado para o outro, fumaça começou a sair do seu corpo. Sua boca abriu querendo gritar, mas apenas fumaça saia dela.

Harry olhou pra essa cena assustado, ele demorou um tempo para processar o que acontecia e correu até Kishito para segurá-lo

Com o barulho que Kishito estava fazendo Marco cancelou sua habilidade para ver o que acontecia com ele. Vendo a fumaça saindo do corpo, ele logo percebeu o que iria acontecer. Marco então viu Harry se aproximar.

— Não toque nele garoto.

Suas palavras foram ditas tarde demais, Harry tinha acabado de encostar no corpo de Kishito e olhou para Marco assustado.  

O corpo de Harry se tornou negro, rachaduras apareceram pela sua pele e entre as frestas chamas surgiram. Momentos depois seu corpo virou pó.  

— Desculpe garoto.

Com suas palavras de despedida Marco abriu a porta da ambulância e saiu correndo. O que estava vindo era algo do qual ele não estava preparado para combater, ele precisava recuar.

Kishito parou de se debater e sua pele começou a derreter, no lugar da sua pele chamas começaram a cobrir seu corpo. Em meio a tanta dor sua mente começou a fraquejar, medo e fúria passavam por ela, e um forte desejo de vingança tomou conta dele. Sua mente se esvaiu e a última coisa que ele viu antes de perder o controle era Laila ao seu lado.


Autor: Kanino   |   Revisor: Zezin   | QC: Ana Paula



Fontes
Cores