ALdI – Capítulo 14 – Batalha na ponte arco-íris (2)


— Wooohh!

Usarin correu em direção a Susan para acertá-la com um soco. Susan pulou para escapar do ataque e lançou duas agulhas em direção ao urso, as agulhas perfuraram o braço dele e explodiram. O braço de Usarin caiu no chão e Susan preparou mais duas agulhas.

Gooruma tinha antecipado Susan e já estava acima dela preparando-se para atacar.

— Chute tornado.

O chute de Gooruma veio de cima em direção a Susan que estava no ar, o vento circulava a sua volta e seu corpo parecia o epicentro de um tornado. Sem apoio ela não poderia escapar e o chute iria acertá-la. Ela jogou as duas agulhas nele e elas explodiram ao se chocarem com o vento que circulava em volta.

Susan usou a força da explosão para ser jogada para trás e escapou do chute. Vendo a oportunidade ela pegou uma agulha e lançou em direção a Mylle antes de cair no chão. A agulha carregava a chance de acabar rapidamente a batalha, ela tinha confiança que poderia derrotar Gooruma facilmente, se o urso não estivesse mais atrapalhando.

Para ela o tempo parecia correr lentamente, enquanto via a agulha viajando na direção da pequena garota, mas seus olhos se tornam frios com a cena que ela viu.

— Kasumi!

Com o grito da Mylle uma sombra passou rapidamente na sua frente e acertou a agulha desviando-a para o mar. Logo, em seguida em frente a Mylle apareceu uma mulher vestida de ninja, seu corpo tinha uma cor rosada e podia-se ver claramente as articulações do seu corpo. Aquela era uma boneca articulada que a protegeu.

— Tsk. Mais um boneco. — Susan murmurou ao ver Kasumi bloquear a agulha.

Usarin pegou seu braço no chão e o pôs de volta, ele grudou novamente e voltou ao que era. Susan o observava e percebeu que o único jeito de acabar com o urso seria derrotando Mylle, contudo, agora ela tinha mais um boneco que a protegia, enquanto ela ainda precisava lutar contra dois.

— Palma de vento.

Gooruma atacou Susan, enquanto ela estava tentando pensar num plano para derrotar Mylle que era a mais problemática. Apesar de Gooruma ser rápido, Susan tinha como especialidade sua velocidade, então ela podia escapar dos seus ataques sem muito esforço, mas sempre que ia tentar contra-atacar Usarin a impedia.

Susan continuou nesse impasse por um tempo, nessa batalha ela só podia desviar dos ataques de Gooruma e Usarin.

Uma luz brilhou no céu, seu brilho vermelho escarlate tingiu o céu. A temperatura começou a aumentar na ponte, suor começou a escorrer pelo corpo de Susan, foi quando ela percebeu. A luz no céu começou a aumentar e estava caindo em sua direção.

— Uhuuuuu!

Um grito ressoou na ponte e Susan preparou-se para o pior. Quatro agulhas apareceram em cada mão e ela as jogou acima da cabeça, entretanto em vez de as agulhas irem em direção a luz elas pararam depois de um metro e ficaram suspensas no ar.

— Carcaça de espinhos.

As agulhas brilharam e uma faixa de luz conectou todas elas e formou um escudo. Gooruma afastou-se e foi para perto da Mylle.

A luz chocou-se com o escudo, e chamas se espalharam por todo o lugar. Susan usava sua energia para manter o escudo e suportar as chamas. Ela mantinha um fluxo de energia constante e suportou até as chamas extinguirem-se.

No meio das chamas viu a figura que tinha se chocado com o escudo e, logo, se afastou. Susan desfez o escudo e olhou a figura que se chocou com ela.

Tsk.

Susan estalou a língua ao ver mais uma boneca na sua frente. Essa nova boneca tinha o corpo rosado e o cabelo vermelho, um kimono amarelo cobria seu corpo. Assim como a ninja podia-se ver suas articulações e seus olhos vermelhos encaravam-a, seu sorriso era jovial e mantinha uma pose superior.

Usarin foi para o lado da nova boneca.

— Wooh.

A boneca de kimono o olhou, e sua longa perna moveu-se rapidamente e acertou a cabeça dele o derrubando no chão.

— Não fique tão perto de mim seu urso fedorento.

As palavras da boneca eram frias e chocou Susan, no entanto seu rosto não mudou. A boneca estava falando e apesar de ter uma voz melodiosa suas palavras não eram. Usarin levantou-se e afastou-se um pouco.

— Wooh!

Susan olhava para as três bonecas e Gooruma, no começo ela achou que seria fácil acabar com os dois, mas com três contra ela tornou-se bem mais difícil. Dos três que ela enfrentava apenas um podia ser ferido, a outra boneca tinha ataques fortes, e o urso estava impedindo-a de contra-atacar. Se continuasse nessa batalha ela iria ser derrotada.

— Ei amor! Vou precisar de uma ajudinha sua. — Susan chamou por Henry que só estava olhando a batalha desde o começo.

— Está tendo problemas com eles, é? — Henry perguntou num tom debochado.

— Eu posso lutar a sério contra eles? — O sorriso de Susan se mostrou novamente com a pergunta.

— Não, esquece. É melhor eu te ajudar.

Henry foi andando para próximo de Susan, enquanto falava lentamente:

— A mais problemática é a garotinha que controla essas bonecas.

As palavras do Henry ressoavam pela ponte e tomou a atenção de todos. Kasumi, a boneca vestida de ninja, estava parada na frente de Mylle e com todos prestando atenção em Henry, ela virou-se pegando Mylle no colo e pulou para o lado.

Do chão onde Mylle estava uma poça negra apareceu e um espinho surgiu em direção a ela. Kasumi carregando Mylle começou a esquivar-se do espinho que a seguia.

Com o tempo mais poças apareceram e mais espinhos seguiam-as. Mesmo esquivando habilmente Kasumi acabou sendo encurralada e um espinho estava perto de acertá-la.

— Arco elétrico.

Um raio feito de eletricidade cruzou o caminho dos espinhos negros e destruiu-os. O raio foi atirado por Owen para salvar Mylle, e quando Henry o viu ele estava com o dedo apontado para os espinhos.

— Já que você está querendo lutar, então eu vou enfrentá-lo. — Owen coçou a cabeça enquanto falava.

*****

— Prepare-se Xia. — Yago alertou.

— Hm.

Xia e Yago tinham ficado quietos e assistiram a batalha. Ele já a tinha avisado para ficar atenta, pois, quando desse o sinal ela precisaria correr até a ambulância.

Ela observava a batalha ficar acirrada. Susan usava sua velocidade para escapar das investidas de Gooruma e Usarin, enquanto a boneca de kimono mantinha um suporte a distância lançando bolas de fogo na medida em que se movimentava como se estivesse dançando.

Henry e Owen trocavam golpes sem nenhum deles acertarem um golpe mais decisivo. Kasumi estava atenta perto da Mylle e algumas vezes ela a protegia dos ataques que Henry e Susan lançavam contra ela.

Aquele não era um campo de batalha onde Xia poderia participar, olhando os ataques que eles usavam ela percebeu que precisaria treinar muito para poder lutar contra qualquer um deles. O que a deixava mais cabisbaixa era ver Mylle, uma pequena garota, mas ela usava suas habilidades tão habilmente que Xia não seria páreo.

— Vamos!

Com o aviso do Yago, Xia correu para a ambulância. Yago corria ao lado dela e observava a batalha. Xia corria rapidamente e uma poça apareceu na sua frente.

— Continue. Não pare.

Um espinho surgiu da poça e logo foi destruído por um raio elétrico lançado por Yago. Suas palavras a instigaram a não parar e, ela continuou correndo. Eles passaram pelo grupo que batalhava e estavam a dez metros da ambulância.

— Xia pare! — Yago gritou para Xia.

— O que houve? — Xia ficou surpresa com o grito de Yago e parou de correr.

A porta da ambulância se abriu, um homem pulou de dentro e saiu correndo. Uns segundos depois e a ambulância explodiu, fogo espalhou-se para todos os lados, e o barulho chamou a atenção daqueles que estavam lutando. Todos olhavam para o fogo que não estava desaparecendo.

No meio do fogo uma silhueta de um homem foi vista, seu corpo era feito de chamas e seus olhos brilhavam um luz negra aterrorizante. Uma grande boca se abriu e seu grito fez a ponte tremer.

— Roooaaaarrrrrrr!!!!!!!!!

O corpo da figura de fogo se inclinou para trás e com seu grito uma grande asa surgiu em suas costas. A envergadura das suas asas ultrapassaram dez metros de comprimento e fogo a envolvia.

A temperatura na ponte subiu e beirava os cem graus, as pequenas poças d’água evaporaram e fumaça cercava o lugar. O grito ainda ressoava e fez o coração da Xia tremer, suas pernas não suportaram a pressão que o grito exerceu e ela caiu ajoelhada no chão.

— Não… Não pode ser… E-ele despertou. — As palavras quase não saíram da boca da Xia.


Autor: Kanino   |   Revisor: Zezin   | QC: Ana Paula



Fontes
Cores